quinta-feira, 28 de agosto de 2014

AMME EVANGELIZAR

www.ammeevangelizar.org






Paz e alegria do Senhor.

Tenho uma boa notícia para você que ama a evangelização e quer ver a missão bíblica da Igreja sendo cumprida aqui no Brasil e em todo mundo. Estamos finalizando a terraplenagem inicial na base missionária Cidade Forte e começaremos a cavar os alicerces na segunda feira. A base missionária Cidade Forte oferecerá a estrutura para a ampliação dos serviços que a AMME já oferece à evangelização e permitirá a criação de muitos outros.

www.ammeevangelizar.org

Até o momento temos os seguintes trabalhos em andamento: 1) realinhamento da rua de entrada; 2) correção do relevo na área de construção; 3) formação dos terraços para atividade de auto sustento; 4) terraplenagem para a construção das casas Betânia; 5) terraplenagem para construções da área de descanso; 6) praça de manobra; 7) realinhamento de rua de acesso; 8) adequação de área para quadra; 9) realinhamento de rua de acesso.

Em breve teremos a estrutura necessária para nossos programas de treinamento de liderança para adolescentes e jovens em regime de camping e acampamento. Temos produzido forte impacto nas vidas de centenas deles motivando e treinando para que produzam mais resultados em sua participação na igreja. Poderemos fazer muito mais quando essa estrutura estiver pronta.

A construção da Base Missionária Cidade Forte está sendo possível por causa da participação de nossos Ceifeiros, os intercessores + mantenedores + divulgadores da AMME evangelizar. Participe dessa obra, torne-se um Ceifeiro. Envie agora um e-mail paraceifeiros@ammeevangelizar.org informando seu nome completo e telefones. Um missionário da AMME ligará para maiores informações e logo você estará construindo o futuro da obra missionária junto conosco.

Seu para evangelizarmos todo mundo,


José Bernardo
AMME evangelizar
[Veja aqui] o projeto Diaconia para construção da Base Missionária Cidade Forte. Um projeto dos Ceifeiros da AMME.

      
www.ammeevangelizar.org

MOVIMENTO SOCIALISTA , ISLAMISTA E COMUNISTA FAZEM CRESCER PERSEGUIÇÃO A EVANGÉLICOS NA AMERICA LATINA

Enquanto cristãos são ameaçados e mortos em diferentes países do mundo por causa de sua fé, os evangélicos da América Latina veem aumentar a perseguição contra eles, mas em outros termos. Eles não são decapitados nem crucificados, mas vem sofrendo sanções políticas de seu direito de cultuar livremente.
Medidas de governos tem impedido a abertura de novas igrejas e também tentando fechar os templos já existentes. Na Bolívia, a Associação Nacional dos Evangélicos da Bolívia (ANDEB) trava uma batalha jurídica, que inclui uma petição de Inconstitucionalidade ao Tribunal Constitucional buscando a revogação de leis assinadas pelo presidente Evo Morales.
Defensor do chamado “socialismo bolivariano”, que tem mostrado sua influência em países vizinhos como Venezuela e Brasil, Morales estabeleceu regras que são empecilhos à liberdade religiosa. A advogada Ruth Montaño, que auxilia juridicamente a ANDEB contesta: “Essa lei é totalmente inconstitucional, incongruente com o artigo 4 da Constituição”.
Os evangélicos são minoria no país, cerca de 1,6 milhão de pessoas. O Decreto 1987 e a Lei 351, criados pelo governo de Evo e aprovados pela Assembleia Legislativa da Bolívia, tem como objetivo “regular a concessão e registro da legitimidade para igrejas, grupos religiosos e crenças espirituais, cujos objetivos não envolvem lucro”.
Morales deseja que qualquer organização religiosa no país precise reaplicar para ser considerada legalizada a partir do próximo ano. Para que isso aconteça, as denominações devem apresentar uma “lista autenticada” contendo os nomes, números da carteira de identidade, certidões de impostos e arquivos da polícia de seus líderes, bem como a relação oficial contendo nomes e números de identificação de todos os seus membros.
As igrejas também precisam fornecer um cronograma de todas as suas atividades anuais “para o controle e acompanhamento” pelo Ministério das Relações Exteriores. Quem se negar ou não preencher corretamente a documentação exigida, terá seu registro oficial cancelado, o que levaria ao confisco de propriedades da igreja, proibição de realizar cultos e fechamento de centros de treinamento.
“A ameaça de revogar os documentos que nos legaliza, simplesmente por decisão de um burocrata estatal, viola o devido processo legal”, disse Montaño. Lembrou também que antes de ser eleito, em 2009, Evo Morales defendia um Estado laico e desmentiu todos os rumores que fecharia igrejas. Depois de 5 anos no poder, ele mudou sua perspectiva e esqueceu dos compromissos firmados com líderes na época.
Um dos países mais fechados para o evangelho do continente desde que passou a ser comunista, Cuba aumentou a perseguição religiosa nos últimos anos, segundo comprova um relatório da organização Christian Solidarity Worldwide, com vários registros de hostilidade, tortura e prisões.
Somente no primeiro semestre de 2014, foram registradas 170 violações de liberdade religiosa, tendo dezenas de vítimas. Em contraste, no mesmo período de 2011 foram 120 casos, com 40 vítimas.
O governo cubano emprega táticas brutais incluindo a intimidação de pastores e líderes, ameaças de fechamento das igrejas, confisco de imóveis, demolição de igrejas e prisões temporárias. “É angustiante ver um aumento tão significativo e sustentado de violações relatadas da liberdade religiosa em Cuba”, disse Mervyn Thomas, diretor da CSW. Segundo ele, o governo cubano tem se recusado a permitir que todas as organizações religiosas funcionem legalmente.
Na Costa Rica, as 2.500 igrejas que formam a Aliança Evangélica Costarriquenha estão preocupadas por que o governo impôs novas regras de funcionamento de templos. Com isso, cerca de 1.500 delas seriam proibidas de continuar funcionando.
O presidente do grupo evangélico, Juan Luis Calvo disse que fez um esforço para que todos se enquadrem nas novas exigências, mas que precisa do apoio do governo. Entre elas, estão o isolamento acústico dos templos, uma adequação muito cara para a maioria das igrejas evangélicas.  Várias já foram proibidas de funcionar em 2014.
Desde 2005 os evangélicos vêm travando uma luta política contra resoluções do governo que prejudicam o funcionamento livre dos templos, em especial os evangélicos. O governo alega que existem padrões mínimos de segurança e acessibilidade a serem respeitados e que os templos que não se adequarem serão fechados. Enquanto isso, os deputados do partidos ligados aos evangélicos como Renovação Costa Rica (RC), Restauração Nacional (RN) e Aliança Democrática Cristã (ADC), travam uma batalha no âmbito legislativo, mas o governo afirma que não há perseguição. Com informações de CBN[2], Christian News

Muitos pastores vão para o inferno, alerta líder nigeriano


Famoso por pregar a teologia da prosperidade, pastor Chris Oyakhilome gera controvérsia entre pastores
A Nigéria vive por um lado um crescimento da influência dos evangélicos e do outro as constantes ameaças de grupos muçulmanos como o Boko Haram, que ameaça matar todos os cristãos.
Alguns de pastores nigerianos parecer ter um gosto especial pela polêmica.  Alguns dias atrás, T.B. Joshua, da Igreja Sinagoga de Todas as Nações, enviou milhares de garrafas de água para curar pessoas infectadas pelo vírus Ebola.
Esta semana, o pastor Chris Oyakhilome, fundador e líder do ministério Embaixada de Cristo, deixou os evangélicos nigerianos chocados ao trazer uma “revelação” durante o culto.
Ao pregar uma mensagem intitulada “As lições de Ló”, pastor Chris afirmou aos fiéis:  “Muitos pastores vão para o inferno por não obedecerem a Deus. Alguns não são chamados por Deus, outros tem ministério por razões carnais, há quem esteja no ministério para servir somente a si mesmos”.
O pastor disse que seu país tem visto muitas igrejas dividirem e vários pastores deixam as igrejas onde estavam trabalhando para começar outro ministério por causa de fofocas, brigas, enganos ou pura inveja. Ele disparou “Você precisa aprender a obedecer a Deus em tudo. Eu não quero ver nenhum de vocês em tal situação. Decida obedecer a Deus em tudo “.

Pela 1ª vez Vaticano vai julgar ex-arcebispo por abuso sexual


Jozef Wesolowski, ex-arcebispo polonês e ex-núncio que foi destituído do sacerdócio após denúncias de abuso sexual de crianças, perdeu a imunidade diplomática e será julgado no Vaticano.

Ele também poderá passar por um julgamento na República Dominicana, informou a assessoria de comunicação da Santa Sé, em Roma. Será a primeira vez que o Vaticano irá julgar criminalmente um caso de abuso sexual.

Open in new windowEm um comunicado divulgado na noite de segunda-feira, o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, negou que o Vaticano, ao chamar Wesolowski de volta a Roma no ano passado, quando ele ainda era um diplomata em Santo Domingo, tentava encobrir o caso. "Longe de qualquer intenção de encobrimento, essa ação demonstra o compromisso pleno e direto de responsabilidade da Santa Sé, mesmo em um caso tão grave e delicado", disse Lombardi.

Wesolowski está sendo investigado na República Dominicana, onde atuou como núncio (representante diplomático do Vaticano), sobre as acusações de pagamento de meninos para a prática de atos sexuais. Em junho, um tribunal do Vaticano destituiu o ex-arcebispo do sacerdócio, o que significa que ele foi reduzido ao status de um leigo e não pode mais ser padre.

Ele agora deve ser submetido a outro processo judicial, criminal, na Cidade do Vaticano, na primeira vez que o Vaticano vai realizar em seu território um julgamento por esse tipo de acusação. Wesolowski pode pegar até doze anos de prisão e como o Vaticano não dispõe de um presídio, o ex-arcebispo pode cumprir sua pena em uma prisão da Itália, em um acordo entre a Santa Sé e o sistema penitenciário italiano. Lombardi disse que Wesolowski está apelando contra a destituição do sacerdócio e que a apelação do processo canônico será julgada nas próximas semanas. Depois disso, o processo penal contra ele no Vaticano "continuará assim que a sentença canônica se tornar definitiva".

O Vaticano possui um sistema judiciário formal desde 1889, mas estava desatualizado e por isso foi alterado a pedido do papa Francisco, em 2013. Hoje a Justiça do Vaticano inclui uma série de convenções das Nações Unidas que o Estado assinou ao longo dos anos. O novo Código Penal do Vaticano adotou especificidades como lavagem de dinheiro, crimes sexuais, e de violação de confidencialidade e privacidade. A prisão perpétua foi abolida pelo papa Francisco, também em 2013, a pena máxima da Justiça do Vaticano é de 35 anos de prisão.

O porta-voz fez a declaração após a repercussão de uma reportagem detalhada sobre o caso Wesolowski no The New York Times, publicada neste final de semana. Segundo o porta-voz, o ex-arcebispo polonês, de 66 anos, já não tem imunidade e "pode também ser submetido a procedimentos judiciais dos tribunais que possam ter competência específica sobre ele". Lombardi afirmou também que o papa Francisco, que prometeu tolerância zero contra os clérigos que abusam sexualmente de crianças, está acompanhando o caso Wesolowski com muito cuidado e quer que seja tratado "com justiça e rigor".

Fonte; Veja online 

Evangélicos turbinam projeto da 'terceira via'

Se o 2.º turno da eleição fosse hoje, Marina Silva (PSB) seria eleita presidente graças, sobretudo, ao voto dos eleitores evangélicos. É o que revela a pesquisa Ibope divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo.
Há empate técnico entre Marina e Dilma Rousseff, candidata do PT à reeleição, entre os católicos: 42% a 40%, respectivamente, na simulação de 2.º turno. A diferença de dois pontos está dentro da margem de erro. Ou seja, apesar de serem o maior contingente do eleitorado (63%), os católicos teriam impacto quase insignificante no resultado da eleição, pois dilmistas católicos anulariam marinistas da mesma fé.
O voto decisivo seria dos evangélicos. Com 22% do eleitorado, eles têm praticamente o dobro de preferência por Marina. Na média, 53% dos eleitores pentecostais, de missão e de outras denominações evangélicas declaram voto na candidata do PSB, ante apenas 27% que dizem preferir a atual presidente.
Os 15% de eleitores que não são católicos nem evangélicos (ateus, agnósticos, outras religiões) também pendem mais para o lado de Marina. Mas, além de terem um peso menor, a distância que separa Dilma da sua principal adversária é menor entre eles: 27% a 45%. É um grupo heterogêneo e, entre eles, não há líderes com a influência de pastores e bispos entre os evangélicos.
Não é novidade a preferência do eleitorado evangélico por Marina. Em 2010, Dilma não venceu no 1.º turno por causa de campanha movida por pastores e seguida por padres. O motivo: a hipotética defesa da legalização do aborto pela petista. A maior parte dos eleitores que abandonaram Dilma migrou para Marina, dobrando seu eleitorado na reta final.
Dilma negou defender o aborto, mas não adiantou. Só foi recuperar parte dos eleitores evangélicos quando se revelou que a mulher de seu adversário no 2.º turno, José Serra (PSDB), fizera um aborto quando jovem.
O eleitor evangélico sempre desconfiou da presidente. Em maio, uma nova onda tomou a internet quando o governo Dilma regulamentou a execução de abortos autorizados pela lei (casos de estupro, por exemplo) na rede de hospitais públicos do SUS. A reação foi tão grande que o governo voltou atrás.
A intenção de voto em Dilma entre os evangélicos cai desde então. Era 39% em maio, é 27% agora. Entre os católicos, no mesmo período, a intenção de voto na presidente oscilou muito menos, de 42% para 39%.
Já a entrada de Marina na corrida eleitoral provocou uma revolução no eleitorado evangélico. No começo de agosto, Eduardo Campos, então candidato do PSB, tinha 8% de intenções de voto entre eleitores dessa fé - a mesma taxa do Pastor Everaldo (PSC). Marina já entrou com 37%, abrindo uma vantagem de 10 pontos sobre Dilma.
O impacto foi tão grande que pulverizou as intenções de voto no até então mais notável candidato evangélico. O pastor caiu de 3% para 1% no eleitorado total, e de 8% para 3% entre evangélicos. Everaldo é líder religioso e tem o apoio de outros pastores, como Silas Malafaia.
Em nenhum outro segmento do eleitorado Marina tem uma vantagem tão grande sobre Dilma do que entre os evangélicos. Nem entre os jovens, nem no Sudeste, nem entre os mais escolarizados, nem entre os mais ricos. Isso não significa que a maioria dos eleitores de Marina seja evangélica - tem 56% de católicos. Mas Marina está abaixo da média nesse segmento, e fica sete pontos acima entre os evangélicos.
A candidata do PSB trocou a Igreja Católica pela Assembleia de Deus em 1997. Ela costuma evitar a mistura religião e política no seu discurso, mas às vezes derrapa. Questionada no Jornal Nacional sobre seu fraco desempenho eleitoral no Estado de origem, o Acre, Marina disse: "Ninguém é profeta em sua própria terra". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Candidatura de Marina Silva divide apoio evangélico


  • Devota da Assembleia de Deus, Marina passou a atrair o apoio de líderes evangélicos
A entrada de Marina Silva (PSB) como candidata à Presidência da República está redesenhando o cenário eleitoral entre os evangélicos, grupo que representa 20% do eleitorado. Devota da Assembleia de Deus, Marina passou a atrair o apoio de líderes evangélicos antes alinhados com o Pastor Everaldo (PSC), quarto colocado nas pesquisas. No novo contexto, quem mais tende a perder apoio das lideranças evangélicas é a presidente Dilma Rousseff.
Com templos em cerca de 500 municípios brasileiros, a Igreja Fonte da Vida é comandada pelo Apóstolo César Augusto, que integrou um grupo de apoio a Dilma em 2010. "O quadro mudou muito. As nossas expectativas não foram supridas. Houve um desgaste com relação ao governo do PT", afirmou o apóstolo, que dava como praticamente certo o apoio ao Pastor Everaldo até a morte do ex-governador Eduardo Campos, então candidato à Presidência pelo PSB, em um acidente aéreo no dia 13. "Eu represento dois milhões de pessoas e, dos líderes que tenho contato, a tendência é que talvez 80% migrem para a Marina", avaliou.
No coro contra Dilma, destaca-se Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo. Ex-aliado de Lula, ele se diz perseguido pelo governo petista desde que pediu a prisão dos condenados no processo do mensalão em um evento religioso, há dois anos, em Brasília.O pastor, que apoiou José Serra em 2010, também afirma ter outros motivos para fazer propaganda contra Dilma. "O PT pensa que nós somos otários e não estamos monitorando o que eles estão fazendo. Tudo que é lixo moral, o PT apoia", criticou, ao dizer que boa parte da legenda é a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo.
Em guerra contra Dilma, Malafaia vai fazer campanha para Pastor Everaldo, mas diz que recebeu bem a entrada da ex-ministra do Meio Ambiente na disputa. "Se a Marina for para o segundo turno contra Dilma, eu vou de cabeça com Marina", afirmou.
Em 2010, Dilma conseguiu o apoio de grande parte dos líderes religiosos após fechar um acordo em que se comprometia a não trabalhar pessoalmente no avanço de temas como aborto e casamento gay, que ficariam a cargo do Congresso. Neste ano, ainda não houve uma definição oficial no programa da candidata a respeito de temas desse tipo. Mas, nem mesmo a presença da presidente em eventos e templos religiosos tem dado retorno.
No início do mês, ela esteve em uma igreja em São Paulo da Assembleia de Deus, maior congregação evangélica do País, com mais de 12 milhões de fiéis. Entretanto, o presidente da Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil, Bispo Manoel Ferreira, que recepcionou Dilma no encontro e participou de sua coordenação de campanha em 2010, está com Pastor Everaldo e será uma das atrações da propaganda eleitoral do candidato.
Uma semana antes, Dilma participara da inauguração do Templo de Salomão em São Paulo, ao lado do chefe da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo, que foi um de seus aliados nas últimas eleições. A igreja informou que vai se abster de apoiar qualquer partido e seus respectivos candidatos.
Entre os líderes ouvidos, o único que ainda não tem posição definida é Robson Rodovalho. O bispo comanda a Sara Nossa Terra, que tem mais de mil igrejas espalhadas em todos os estados do País. Em 2010, ele apoiou Dilma Rousseff, mas agora diz estar desapontado com o partido da presidente.
"O PT perdeu muita credibilidade com os parceiros, não só os religiosos. Uma pessoa (Dilma) faz um acordo, e os outros (membros do partido) não assinam embaixo", criticou. Sobre a presença de Marina na disputa, Rodovalho disse que será bom para os evangélicos se houver "um bom diálogo com ela".
Com forte atuação na região Norte, o apóstolo Renê Terra Nova, do Ministério Internacional da Restauração, vai manter a linha adotada nas últimas eleições, quando apoiou Marina Silva. Por sua vez, o chefe da Igreja do Evangelho Quadrangular, Mário de Oliveira, que apoiou Dilma em 2010, agora faz campanha com Pastor Everaldo e diz que vai "indicar o voto aos fiéis". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

JAPÃO TEM CULTO EM ADORAÇÃO AO PÊNIS.

Kanamara Matsuri é o festival mais sexual do Japão e tem como ponto central a adoração do pénis.
Realiza-se, anualmente, no primeiro domingo de Abril na cidade de Kawasaki (Japão).
O evento envolve uma série de ilustrações, doces, verduras e decorações alusivas ao pénis, assim como o desfile do mikoshi que nada mais é do que um veículo que transporta a divindade, neste caso, o pénis.
Este festival concentra-se no venerado Santuário do Pénis, muito popular entre as prostitutas que recorriam a ele para rogar por proteção contra as doenças sexualmente transmissíveis.
Existem várias lendas locais que estarão na base desta devoção indiscutivelmente incomum. A mais conhecida conta-nos a história de um demónio de dentes afiados que se escondia na vagina de uma rapariga e que terá castrado os seus noivos na noite de núpcias. Nisto, a jovem decide recorrer a um ferreiro que terá criado uma ferramenta específica para quebrar os dentes do demo e desta forma livrá-la da maldição.

No entanto, desengane-se quem pensa que este festival se centraliza unicamente no pénis.
Também é conhecido como a festa da fertilidade, em que homens e mulheres se juntam para pedir ajuda espiritual. A maioria das preces centraliza-se na obtenção de filhos saudáveis, um casamento harmonioso e prosperidade na família, o que nos leva a outra lenda da terra que diz que “a mulher que encostar as mãos nas esculturas nunca terá problemas em engravidar”.

Todos os anos são esperados mais de 1 milhão de visitantes que se juntam aos habitantes locais na comemoração da data. O dinheiro arrecadado é revertido para a pesquisa do vírus HIV que atinge cerca de 8 100 pessoas por ano no Japão.
Não deixa de ser interessante a existência de um festival deste tipo se olharmos para os japoneses como um poço de conservadorismo quando se trata de manifestações afetuosas em espaços públicos. Mas o que seria o Japão sem as suas extraordinárias particularidades!
VIA GRITOS DE ALERTA

Setenta milhões de cristãos já foram martirizados por sua fé



Setenta milhões de cristãos já foram martirizados por sua fé
Uma nova série de artigos na revista Christian History (Histórias Cristãs) relata que existe uma “guerra global” sendo travada contra os cristãos. A revista que tem dados que remontam desde os tempos de Jesus, e fornece um número de 70 milhões de cristãos, que já foram martirizados por sua fé.
Os relatórios que estão na mais recente edição da publicação trimestral e co-autoria de membros da Voice of the Martyrs USA(Voz dos Mártires EUA).
Embora eles especialmente examinem a perseguição dos cristãos nos últimos 300 anos, eles também têm em seus arquivos, números que remontam ao longo da história cristã.
Os dados, atribuídos ao falecido pesquisador David Barrett B, coloca o número de cristãos martirizados desde o tempo de Jesus a 70 milhões.
Ele coloca o número de cristãos sistematicamente exterminados na Alemanha nazista em um milhão, enquanto o número de cristãos ortodoxos e outros assassinados na Rússia entre 1917 e 1950 em 15 milhões.
Na China, pelo menos 200 mil cristãos e estrangeiros foram mortos no Boxer Rebelião de 1898 a 1900, e outras 700 mil foram mortas na China comunista entre 1950 e 1980.
O número de católicos assassinados no México desde o final dos anos 1800 a 1930 é estimado em 107 mil, enquanto 300 mil cristãos se acredita ter sido morto sob Idi Amin em Uganda entre 1971 e 1979.
As estimativas do número de cristãos mortos anualmente por sua fé hoje diferem enormemente. Todd Johnson, do Centro para o Estudo do Cristianismo Global, coloca o número de cristãos martirizados anualmente em 100.000. Por contraste, Christof Saure, do Instituto Internacional para a Liberdade Religiosa, coloca o número muito inferior, entre 8.000 a 9.000 por ano.
Mas isso ainda é demais para Michael Austin, um comentarista cristão e colaborador do relatório.
“Existe uma guerra global contra os cristãos? “Essa pergunta é feita nesta edição e, a julgar pelo número de mortes e torturas nos últimos anos, a minha conclusão é, sim – e as vítimas são surpreendentes" .diz ele
“Infelizmente, os nomes dos heróis de Cristo e suas histórias inspiradoras em grande parte é silenciada hoje e sua causa não é denunciada na imprensa popular mundial.“ completou.
Roy Stults da Voz dos Mártires disse que não há conscientização suficiente na Igreja do Ocidente: “Muitos cristãos no Ocidente negam ou a ignoram, mas a perseguição é parte da realidade atual.”

Pastor faz “desafio de Elias” ao califa do Estado Islâmico

Pastor faz “desafio de Elias” ao califa do Estado IslâmicoUm pastor cristão norte-americano está propondo um desafio de fé ao chefe do grupo terrorista Estado Islâmico, o autoproclamado califa Abu Bakr al-Baghdadi. Basicamente é uma repetição do que fez Elias com os profetas de Baal no Monte Carmelo, no Antigo Testamento.
O evangelista Bill Keller, que mantém o site Liveprayer.com, disse que deseja provar ao mundo que os muçulmanos adoram a um falso deus. Ele fez um vídeo onde afirma: “É hora de alguém expor esses instrumentos de Satanás, em vez de se esconder na tenda como o exército de Israel fez quando foi hostilizado por Golias”.
Keller explica que seu desejo é mostrar que “Jesus morreu pelos pecados de todos os homens, incluindo os do Sr. al-Baghdadi”. Por isso, ele deseja ver o califa renunciar ao Islã e aceitar Jesus. Para que isso aconteça, Keller diz estar pronto para dar ao mundo uma demonstração pública do poder divino.
“Eu iriei para o Iraque, a Síria, ou qualquer local que você deseja”, diz Keller. “Cada um levará um animal puro, cortado em pedaços. Armamos as fogueiras. Depois de tudo preparado, você tem uma hora para pedir que Alá faça chover fogo sobre a sua oferta. Se no final daquela hora Alá não responder às suas súplicas, eu invocarei o único e verdadeiro Deus, o Deus da Bíblia… não apenas para lançar fogo sobre a minha oferta, mas também sobre a sua”.
E Keller vai mais além: “Se o seu deus Alá não responder, você… renuncia como líder do Estado Islâmico. Você se aposenta da sua vida de terror e incentiva seus seguidores a viver em paz. Então eu poderei voltar para minha casa nos Estados Unidos. Mas caso seu deus Alá responder às suas súplicas por fogo [e] o meu Deus não, eu renuncio à fé cristã, e você poderá fazer o que quiser e até me matar”.
O desafio de Keller é baseado no relato de 1 Reis 18, em que o profeta Elias derrotou os 450 profetas do deus pagão Baal. O evangelista deseja que esse desafio de fé cause um impacto em todos os muçulmanos do mundo.
“O Islã é uma mentira 1.400 anos de idade, vinda do inferno, nascido da voz de Satanás, literalmente. Maomé estava correto quando disse que era Satanás que inicialmente falou com ele. Ele sonhou com o seu próprio deus, Alá, que tenta ser uma imitação do Deus da Bíblia, e inspirou o seu próprio livro sagrado, o Alcorão, também uma imitação barata, muitas vezes plágio da Palavra de Deus inspirada, inerrante, a Bíblia”
Keller postou o desafio pela primeira vez julho, mas não obteve resposta de Baghadai nem de algum representante do Estado Islâmico, e afirma que o desafio continua de pé. Com informações WND.