terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Escola de Liderança para Adolescentes e Jovens da AMME Evangelizar

www.pacificadores.org
Casa da Palavra, 8 de janeiro de 2013
Pacificadooooores!É amanhã!
PACIFICADORES é a Escola de Liderança para Adolescentes e Jovens da AMME Evangelizar. Esse ano a escola vai acontecer de 9 a 23 de janeiro em Pindamonhangaba - SP. Cerca de 190 adolescentes e jovens de 11 estados da federação vão se reunir para aprenderem a liderar ministérios de modo a produzirem os frutos que Deus espera de seus servos. Serão cerca de 180 horas de treinamento, mas para obtermos os resultados que esperamos, precisamos de suas orações.

Motivos de oração
Os resultados que esperamos obter em nossa Escola de Liderança dependem muito da resposta do Senhor às nossas orações. Deus, em sua soberania, decidiu dar importância às nossas orações, então vamos orar e convidar muitas outras pessoas para orar. Copie os pedidos de oração a seguir e envie a quantas pessoas você puder. Consiga intercessores que se comprometam a orar conosco nesses dias. Ore conosco por esses motivos:

1. Ore pelos alunos. 
Muitos viajarão um dia inteiro, sozinhos pela primeira vez. Outros enfrentarão dificuldades para se adaptar. O curriculum exige bastante deles. Ore para que venham e voltem em segurança, para que se adaptem bem e aprendam tudo o que for ensinado. Ore para que cada um deles seja fortalecido no Senhor e cresçam espiritualmente.

2. Ore pelos facilitadores. Uma equipe de 15 pessoas facilitará a aprendizagem dos alunos. Outra equipe com cozinheiros, faxineiros, porteiros e zeladores cuidará da estrutura de hospedagem. Ore por todas essas pessoas, para que possam cumprir, sem dificuldade, todas as suas responsabilidades e oferecer o melhor aos nossos alunos.

3. Ore pelo prático. Esse ano, novamente, o que for aprendido na escola deve ser exercitado em atividades evangelísticas nas ruas. Estão previstos três dias de ação evangelística em bairros de Pinda e um dia em um bairro em Aparecida do Norte. Ore pela logística de transporte, equipamento, pela segurança e por corações sensíveis à mensagem.

4. Ore pela multiplicação. A responsabilidade de nossos alunos é passar aos outros adolescentes e jovens, em suas igrejas, aquilo que aprenderam na escola. Ore sobre isso, para que aquilo que vamos produzir nessa escola tenha grande repercursão durante esse ano.

5. Ore pelos resultados. O que interessa ao Senhor Jesus são os frutos de transformação em nossas vidas e através de nós, na vida de outras pessoas. Ore para que tais frutos sejam abundantes entre nossos alunos. Que eles se tornem cristãos mais firmes e santificados, e que seu ministério afete a vida de muitas pessoas.

Importante: A Escola tem parte de seus custos cobertos pelas inscrições dos alunos. Por ser uma escola de 15 dias com hospedagem completa, a maioria dos alunos não poderia pagar o custo total. Por isso a escola fica deficitária em cerca de 20% do custo. Precisamos de aproximadamente 22.000,00 para completar os custos. Além de orar pelo provimento de Deus, se você sentir de ofertar, deposite sua oferta para AMME no Banco do Brasil, agência 3279-4, conta corrente 15.278-1. Para transferências, nosso CNPJ é 04.035.720/0001-43
.

Acende a Luz!

José Bernardo
, Pacificadores
AMME Evangelizar

www.evangelizabrasil.com

75 mil Brasileiros serão “Marcados” com microchips americanos


Algo de muito estranho está acontecendo no mudo, e a cada dia supostas teorias da conspiração passam a tornar-se reais, previsões antes consideradas ultrapassadas ou até mesmo mentirosas por algumas pessoas, hoje estão se tornando reais.

Talvez as histórias de ficção científica devessem ser ensinadas nas escolas.
E o futuro está chegando, com uma empresa privada marcando você como gado, controlando seus passos, controlando seu comportamento e sabendo mais sobre sua vida do que você mesmo. E que governo não gostaria de controlar estes dados? Mas será que o governo brasileiro vai permitir isso?

Aldo Novak, editor

A empresa VeriChip Corp assinou, há dois dias, um contrato sigiloso de distribuição exclusiva no Brasil do VeriChip RFID, para a implantação de milhares de chips localizadores subcutâneos modelo Solusat. Mais de 800 unidades já estão sendo preparadas para chegar ao país.

Por meio deste chip, inicialmente instalado somente em gatos, cachorros e corpos de soldados americanos no campo de batalha, qualquer pessoa pode ser localizada em qualquer lugar do planeta, a qualquer hora, por meio de scanners localizadores especiais. Quando o scanner é aproximado da pessoa, o chip “liga”, enviando um número de registro com todas as informações do usuário diretamente para os computadores de controle. A empresa já anunciou que brevemente a localização será feita diretamente por satélites. Nos Estados Unidos a FDA (Food & Drug Administration) está proibindo a venda casada com informações sobre os cidadãos americanos, por isso a empresa se voltou para a América do Sul e alguns países europeus.

Há discussões, nos Estados Unidos, para exigir que viajantes que entrem no país, no futuro, usem obrigatoriamente o chip — informação negada, naturalmente.

A informação foi dada pela revista Business Wire que garante que mais de 5000 chips localizadores já foram encomendados pelo Brasil e México.

A empresa Metro Risk Management Group, LCC, é o distribuidor exclusivo do sistema no Brasil. A empresa controladora da VeriChip é a Applied Digital Solutions, Inc., e em um artigo publicado em janeiro de 2002 na EETimes a empresa controladora informou que este é um mercado que pode gerar “70 bilhões de dólares por ano”, sim, bilhões. Isso, se a sociedade permitir que as populações sejam numderadas como gado.

O QUE É O CHIP — e seus perigos

O VeriChip é um microchip transmissor, implantado sob a pele, que emite um sinal localizador de rádio (radio frequency identification, RFID) que, segundo a empresa, pode ser usado para uma “variedade de situações de segurança, análise financeira, identificação de emergência e outras aplicações“.

Especialistas em liberdades individuais dos Estados Unidos destacam as “outras aplicações” e o risco de que, no futuro, todas as pessoas sejam forçadas a ter implantes identificadores no corpo, tornando os governos totalmente informados sobre quem é você, onde você vai (durante toda a vida), o que você faz, o que você compra, com quem você fica…. e uma infinidade de outros perigos. Use a sua imaginação para saber que tipo de dados estarão nas mãos de algumas poucas pessoas e empresas…

Uma população totalmente controlada seria um prato perfeito para uma nova ditadura mundial.

A própria empresa informa que os chips podem ser usados para “defesa nacional” e quem tem dois neurônios sabe o que isso significa realmente para a oposição de qualquer país, qualquer que seja a época. O que a empresa objetiva é que cada pessoa tenha um chip verificador para entrar em instalações do governo (usinas nucleares, laboratórios nacionais de pesquisa, prisões e outro lugares “sensíveis”) e aeroportos, navios e estações rodoviárias, “para facilitar o trânsito das pessoas e acelerar o gerenciamento de transportes.”

O sonho de ditadores está nascendo. E, por incrível que pareça, agora o Brasil é o país do “futuro”.

TUDO SOBRE VOCÊ

A empresa acabou de divulgar que, brevemente, estará no mercado oVeriPass e o VeriTag, que permitirão associar o número da pessoa a sua bagagem (antes e depois da viagem), aos bancos de dados das companhias aéreas e aos serviços de segurança policial.

Em um país como o Brasil, no qual criminosos se elegem para se protegerem da justiça e em que a polícia tem parte de sua corporação dominada por “funcionários” de criminosos, não vai sobrar nenhuma testemunha para mais nada, já que qualquer testemunha terá seus passos registrados. Cada passo.

Naturalmente, haverá uma montanha de garantias de que a privacidade das pessoas será mantida e que ninguém mais saberá quando você foi até a igreja, comeu pizza ou fechou um negócio internacional. Mas todas essas garantias, como sempre, serão esquecidas e superadas pelos criminosos e pelos futuros ditadores que assumirem este ou qualquer outro país. São garantias falsas. Ponto final.

A mentirosa explicação de que os celulares pré-pagos precisavam ser registrados para evitar que fossem usados pelo crime organizado serviu apenas para criar bancos de dados milionários para as empresas de telecomunicações e para redes internacionais de controle. Basta dar o nome completo de um brasileiro para algumas empresas americanas e pagar 450 dólares para ter o número de celular desta pessoa, seus dados pessoais, as informações do banco de dados da Serasa (sim, aquela que garante que isso não acontece) e até o movimento bancário dessa pessoa.

Ilegal, perigoso e controlado por grupos privados não-brasileiros. Receita para o desastre.

O LADO BOM

O chip também tem um lado bom. Usuários de marca-passos e outras pessoas que precisam ser identificadas rapidamente, com seu histórico médico, podem ser salvas pelo sistema. Na verdade, a empresa usa este “marketing” para conseguir dar os primeiros passos no mercado. Em um país cheio de seqüestros, como o Brasil, o sistema também ajuda um pouco, mas logo os satélites americanos já estarão aptos a registrar a posição dos usuários em tempo real em qualquer lugar do planeta e então os seqüestradores serão detectados rapidamente. Isso até que comecem a cortar braços e pernas dos seqüestrados, para que digam se estão usando um localizador…

O ACORDO COM O BRASIL

Segundo as informações divulgadas pela empresa, 800 chips estão sendo enviados para o Brasil, além de 24 scanners de detecção. O acordo para distribuição no país tem duração prevista de 5 anos nos quais 75 mil chips de identificação devem ser implantados em cidadão brasileiros, além de haver previsão de 3.800 scanners de detecção.


Fonte: Bom Jardim Notícias

Quando Deus nos manda a Moriá

 

 
Gn. 22:1, 2
Comentários: O nome Moriá é derivado da palavra Mora, que em hebraico significa Temor. Nesta montanha o temor de Deus percorreu toda a terra. 
A história que a igreja mais conhece é aquele onde vemos o Senhor Deus fazendo uma prova com Abraão, pedindo o seu filho em holocausto. Então Abraão obedecendo à ordem de Deus, vai para a terra de Moriá, onde Deus mostraria o monte, o qual Abraão deveria sacrificar seu filho Isaque. Abraão obedeceu. No monte, o jovem vendo a lenha o fogo, e o cutelo, perguntou ao seu pai Abraão, onde está o cordeiro, ele então respondeu, Deus proverá. Deus proveu a necessidade de Abraão, então dentro da teologia conhecida, dizemos que Deus é Deus provedor (quando preciso de emprego, casa própria, enfim: todas as nossas necessidades materiais).Porém se lermos atentamente a palavra de Deus, o que Deus proveu para Abraão foi a salvação de Isaque, provendo um cordeiro, que tomou o lugar de Isaque no holocausto. (Deus proveu salvação). Deus não proveu a Abraão Ovelhas, nem terras, nem ouro, nem prata, nem camelos, Deus não proveu  riqueza alguma para Abraão naquele momento, somente a salvação de seu filho. Quando Deus quis fazer um sacrifício humano, Ele sacrificou a Se próprio. Olhando por este ângulo de provisão material que já estamos acostumados, só nos resta agora orar e começarmos a pedir o Senhor bênçãos de prosperidade sobre nós, e após a oração fazer o apelo, e bênção final. 
Introdução: Moriá é conseqüência dos nossos atos:
Quando nós lemos a história de Abraão e Isaque na terra de Moriá, ficamos um tanto perplexo com atitude de Deus com relação a Abraão, porque ao mesmo tempo em que o Senhor Deus o abençoou, Ele tomou a bênção. Como um Deus todo poderoso, Onipotente  , Onisciente e Onipresente, pede agora um ser humano em  holocausto( sabemos que Deus é onipotente, e onipotência de Deus não pode ser discutida) ,é porque esse pedido se parece com um pedido de um deus moloque( o deus do fogo dos amonitas e moabitas ). É dessa maneira que agem os falsos deuses, que exigiam dos seus seguidores coisas quase impossíveis, inclusive sacrifícios humanos.
Olhando para essa passagem bíblica, tendo como pano de fundo esse acontecimento, chegamos à seguinte conclusão: Moriá não veio a Abraão somente porque Deus quis provar a sua fidelidade. Isso não aconteceu por acaso, além de Deus provar a fé de Abraão, a sua ida a Moriá foi conseqüência de alguns erros cometidos pelo  “Amigo de Deus”. (Tg.2:23) Quais são esses erros!  Vejamos: Gn. 22. 1:Depois destas coisas,provou Deus  a Abraão....... A pergunta é esta: quais coisas?Foram alguns erros que Abraão cometeu em Gn. 21. Esses erros foram a causa pelo os quais o Senhor Deus convocou Abraão à Moriá.Talvez você tem passado por algumas situações em sua vida, talvez você tem sido convocado por Deus para estar no seu Moriá. Porém quero dizer-lhe uma coisa: Ninguém vai a Moriá por acaso. Deus só nos manda a esse monte quando cometemos alguns erros, como Abraão cometeu.

Desenvolvimento: Depois do nascimento de Isaque , o relacionamento de Abraão com Deus mudou. Gn.21: 8: Cresceu o menino, e foi desmamado, e Abraão fez um grande banquete no dia em que Isaque foi desmamado.Isaque quando foi desmamado teria entre  três a três anos e meio de idade,  quando o Senhor Deus chama Abraão a Moriá, ele já era   adulto( alguns comentarista dizem que Isaque já tinha vinte e cinco anos de idade),Se estiver exata essa cronologia ,significa que Abraão passou um tempo muito grande sem erigir um altar ao Senhor, logo ele que sempre foi um homem de altar. Ao contrário, ele se esqueceu de Deus após ter recebido a sua bênção, ele se tornou festeiro, se Abraão tivesse levantado um altar em agradecimento a Deus, teria evitado a contenda entre Isaque e Ismael.
Aplicando a nossa vida: Tem pessoas que vêem a igreja em todos os cultos, pedindo a Deus um emprego, depois que ele é abençoado, ele não vem mais aos cultos porque está cansado, precisa dormir, precisa descansar, agora não tem mais tempo pra Deus. Agora só tem tempo para as festas de aniversário, confraternização com o pessoal da seção de trabalho. Observem: geralmente são nestas festas que vem as disputas, as competições. E quando vem a igreja é para mostrar o carro novo, a roupa nova, principalmente se no dia está na igreja um pregador famoso. Isto é festival de massageamento do ego e endeusamento de homens. Este é o momento quando somos convocados ao Moriá para reaprendermos a fazer altares. 
Firmou aliança, num relacionamento errado com o filisteu Abimeleque: Gn.21:27: Tomou Abraão ovelhas e bois, e os deu a Abimeleque, e fizeram ambos aliança.Abraão fez um acordo com Abi meleque rei dos filisteus sem consultar a Deus.E mais do que isto, ele presenteou-o com animais que deveriam ser usados em sacrifícios, nos altares erguidos a Deus. Abraão já estava tão desacostumado com a prática da adoração a Deus, que esqueceu esta prática, e desfez para o ímpio aquilo que era para adoração ao Senhor. (eram animais consagrados para o uso em sacrifício a Deus).
Aplicando a nossa vida: Estamos usando o que é do Senhor nas coisas que são do mundo. Quantas pessoas que louvam ao Senhor escolhendo o local, porque têm locais em que o cantor aparece, a platéia é mais interessante, tem muita gente para aplaudir. Tem pessoas que tem o chamado de Deus para pregar a sua palavra, depois usa o dom da palavra para fazer política. Quando estiverem diante de Deus, o que dirão? Fui obrigado Senhor! Não haverá desculpas: Ex. 34:7b:...Contudo, ao culpado não por inocente.....Deus não aceita essa mistura pecaminosa que está permeando a igreja, fazendo acordo espúrios , dando ao mundo nossos talentos e dons.O Senhor Deus nos convocará a Moriá.Para reaprendermos a consagrar ao Senhor de forma total e absoluta.Os sacrifícios para Ele é só Dele.O senhor não divide a Sua glória com ninguém. 
Abraão esqueceu como fazer altar então ele plantou um bosque para invocar o Senhor. Gn. 21: 33: Plantou Abraão um bosque em Berseba, e invocou ali o nome do Senhor, o Deus eterno. Abraão aqui comete um erro gravíssimo: ele estava imitando os idólatras cananeus ao plantar bosque e oferecer ao Senhor, Abraão tornou-se irreconhecível, o que aconteceu com esse homem pergunto: Ele que foi sempre homem de altar, ele esqueceu que Deus sempre pediu foi altar com sacrifícios, e um coração inteiramente voltado para Ele. Plantar árvores, nesse caso representa uma vida sem compromisso, árvores crescem ao relento, sem precisar de muitos cuidados. Já o altar é diferente: o altar tem que ser feito pelo ofertante com muito zelo e dedicação, tijolo por tijolo.
Aplicando a nossa vida: Isto fala do nosso relacionamento com Deus, do nosso empenho, nossa dedicação ao serviço ao Senhor. Isto fala do nosso compromisso, onde muitas vezes temos trazido para as nossas igrejas, para os nossos lares, muitas coisas que são do mundo, e que não somam nada em nossa vida, e até mesmo divide. Não podemos definitivamente levar a nossa vida espiritual ao acaso, temos que ser firmes no Senhor. 
Conclusão: Depois desses erros, o Senhor Deus chama o velho patriarca a Moriá, para reaprender uma lição esquecida depois de receber uma bênção. A vida de altar tem que continuar. Quando perdemos: 
O primeiro amor,
O viver profético
Quando nos empolgamos com a bênção,
Deus nos faz subir a montanha e voltar a fazer sacrifícios. Então Deus exige a bênção que recebemos. No caso de Abraão foi Isaque, e no seu caso, e no nosso caso, o que Ele vai pedir. 
A ida a Moriá  é necessária pelo menos por três motivos: 
Quando não somos mais os mesmos e precisamos voltar ao primeiro amor: é quando nos esquecemos de levantar altares a Deus
Quando perdemos o viver profético: quando levamos a vida espiritual empurrada com a barriga, sem visão, sem vida com Deus,sem levantar altares.
Quando nos empolgamos com a benção e nos esquecemos do abençoador: A bênção nunca será maior do que o abençoador, e por muito que ela seja grande nunca será a última
Portanto temos que continuar tendo vida com Deus, erigindo altares, ou correndo o risco de parar em Moriá.  
Pense nisto!


VIA  GRITOS DE ALERTA / INF PLOX

UMA PALAVRA PASTORAL PARA SUA VIDA.

Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra. Cl. 3:1

 

Conta a lenda que certa mulher pobre com uma criança no colo, passou diante de uma caverna e escutou uma voz misteriosa que lá dentro lhe dizia :

 

" Entre e apanhe tudo o que você desejar, mas não se esqueça do principal. Lembre-se, porém, de uma coisa : Depois que você sair, a porta se fechara para sempre.

 

Portanto, aproveite a oportunidade, mas não se esqueça do principal..." A mulher entrou na caverna e encontrou muitas riquezas. Fascinada pelo ouro e pelas jóias, colocou a criança no chão e começou a juntar, ansiosamente, tudo o que podia no seu avental.

 

A voz misteriosa falou novamente: "Você agora, só tem oito minutos." Esgotados os oito minutos, a mulher carregada de ouro e pedras preciosas, correu para fora da caverna e a porta se fechou...

 

Lembrou-se, então, que a criança lá ficara e a porta estava fechada para sempre ! A riqueza durou pouco e o desespero, sempre...

 

O mesmo acontece, por vezes, conosco. Temos uns oitenta anos para viver neste mundo, e uma voz sempre nos adverte: "Não se esqueça do principal!" E o principal são os valores espirituais, a vida, as amizades, o amor !!! Mas a ganância, a riqueza, os prazeres materiais nos fascinam tanto que o principal vai ficando sempre de lado...

 

Assim, esgotamos o nosso tempo aqui, e deixamos de lado o essencial: "Os tesouros da alma!" Que jamais nos esqueçamos que a vida, neste mundo, passa breve e que a morte chega de inesperado. E quando a porta desta vida se fechar para nós, de nada valerão as lamentações.

 

Para termos grandes realizações, não devemos esquecer do essencial: amor, fidelidade, bondade, perdão, misericórdia ...
 
Pastor Alexander Becker
Igreja Evangélica Rosa de Sarom.
Bento Gonçalves / RS
Rua Arlindo Fasolo, 174 Bairro Maria Goretti, Bento Gonçalves RS
 

Pastor Youssef Nadarkhani é novamente libertado

                      
Pastor Youssef Nadarkhani é novamente libertadoO pastor Youssef Nadarkhani foi libertado nesta segunda-feira (7) depois de passar cerca de duas semanas na prisão de Lakan, em Rasht, onde foi novamente encaminhado por ordens de autoridades prisionais iranianas.
Depois de absolvido das acusações de apostasia, Nadarkhani foi preso de novo de forma totalmente irregular, informou a Christian Solidarity Worldwide (CSW), que comunicou sobre a libertação do líder religioso no Brasil por meio de e-mail enviado à Associação Nacional dos Juristas Evangélicos (ANAJURE).
Para o dr. Uziel Santana, presidente da ANAJURE, a libertação do líder religioso iraniano foi o resultado da firme atuação de entidades de juristas cristãos de todo o mundo e chama a atenção para fatos semelhantes que ainda ocorrem em todo o mundo.
“Nossa parceira, a CSW, tem lutado com intrepidez pela defesa das liberdades civis fundamentais dos cristãos. Aqui no Brasil a Anajure tem atuado na mesma direção, com a graça de Deus. Devemos orar e trabalhar em outras situações, pois como o caso do pastor Youssef, existem outras centenas em todo o mundo”, comentou Santana.
Na carta, o Dr. Mervyn Thomas, presidente da CSW, comemora a libertação, mas lembra que seu advogado, dr. Mohammed Ali Dadkhah, se encontra ainda preso e passando por grave violação em seus direitos civis.
“Estamos satisfeitos em saber da liberação do Pastor Nadarkhani. (…) Nós também nos preocupamos ao saber da condição do Dr. Dadkhah, da deterioração da sua saúde. Além disso, as tentativas oficiais para justificar a sua prisão agora tentando coagi-lo a fazer uma declaração de culpa ‘ao vivo’ não só é condenável, mas também são indicações claras de que as acusações contra ele eram falsas”.
No comunicado, a CSW voltou a pedir a libertação imediata do dr. Dadkhahe que “se ponha um fim à campanha de perseguição da sociedade civil”.
“Continuamos a apelar ao governo iraniano para defender o Estado de direito e permitir às minorias religiosas do país que desfrutem da liberdade religiosa”, declara. Thomas ainda lembra que o Irã é signatário do Pacto Internacional sobre os Direitos Civis e Políticos, adotado pela Assembléia Geral das Nações Unidas em 1966 e que tem amplitude mundial.
Relembre o caso
Após mais de três anos detido em Rasht, o Pastor Nadarkhani foi absolvido da acusação de apostasia, mas recebeu uma sentença de três anos por evangelizar muçulmanos.
Como já havia cumprido cerca de três anos na prisão, o líder religioso foi liberado com o pagamento de fiança. Porém em pouco tempo foi levado, justamente no dia de Natal, sob o comando de autoridades do sistema prisional iraniano. Tais autoridades alegaram que ele havia sido liberado cedo demais devido à insistência de seu advogado, o Dr. Mohammed Ali Dadkhah.
Youssef Nadarkhani nasceu muçulmano e converteu-se ao cristianismo aos 19 anos. Três anos depois passou a praticar evangelismo na cidade de Rasht, noroeste de Teerã e chegou a liderar um grupo de cerca de 400 cristãos no Irã.
Em 2009 chegou a protestar quanto ao que chamou de doutrinação islâmica nas escolas onde seus filhos estudavam. Ele se posicionou contra o costume de ensino compulsório às crianças das doutrinas islâmicas.
Inicialmente sentenciado à execução por enforcamento, o veredicto foi adiado após pressão internacional sobre o sistema judicial iraniano. O caso então passou para o aiatolá Ali Khamenei, autoridade suprema da nação, para revisão.
Outros casos
O caso do pastor Youssef Nadarkhani não é o único a respeito de graves violações às liberdades civis fundamentais no Irã. Recentemente o Centro Americano de Direito e Justiça (ACLJ) iniciou uma campanha pela libertação de outro líder religioso cristão, pastor Saeed Abedini, 32, que está preso no Irã.
Ele foi chamado a interrogatório por diversas vezes por autoridades iranianas, sob a acusação de ter abandonado o islamismo e se tornado um cristão.
Como Abedini possui também cidadania americana, inicialmente não chegou a ficar preso. Mas em julho, Saeed, a esposa e os filhos retornaram ao Irã para trabalhar na  construção de um orfanato cristão e então ele foi preso, enquanto que sua família foi deportada para os EUA.

VIA GRITOS DE ALERTA  / INF. GOSPEL PRIME

‘Chorei todas as noites durante meu 1º ano de casamento’, diz Eyshila

Leia o testemunho de Eyshila sobre a emocionante história de libertação das drogas do seu marido, hoje pastor, Odilon Santos.
Aos 17 anos conheci meu marido. Ele era filho do então pastor presidente da igreja, José Santos, e vinha de uma família muito querida. Depois de um tempo, decidimos começar um namoro.
Para mim era um sonho se concretizando, mal sabia o que me aguardava. Com o passar do tempo fui percebendo algumas atitudes diferentes. Ele faltava a alguns compromissos, chegava atrasado, e às vezes percebia um cheiro diferente na sua roupa, como de cigarro. Foi então que, após um ano de relacionamento, descobri que ele era viciado em drogas.
Como não sabia muito sobre esse assunto, jamais imaginei que ele fosse usuário. Ele vinha de uma família muito respeitada e acreditava que drogados fossem ladrões das quais a gente precisava se afastar. Entrei em crise!
Sua irmã veio até mim me contar todo seu caso. Disse que quando ele desaparecia era por que estava no ‘morro’ (local onde são vendidas as drogas) e, às vezes, ficava por lá, durante três dias. Contou que ele era viciado em cocaína e como eu era muito nova, deveria pensar se realmente valia a pena namorá-lo.
Mesmo com a minha decepção achei que poderia ajudá-lo a ‘sair’ dessa. Não contei nada a ninguém e fui suportando a situação, mas com o passar do tempo as pessoas foram percebendo.
Depois ele se internou em uma clínica, nessa altura da história meus pais já haviam ficado sabendo do caso dele. Ao sair do centro de recuperação, teve uma melhora sensível e decidimos noivar. Meus pais apoiaram porque ele era uma pessoa muito boa. No entanto, passados algum tempo teve uma recaída (retorno ao uso de drogas). Não suportei e acabei terminando o noivado.
‘Longe’ de Deus
Fernanda Brum e Eyshila são amigas até hoje
Ficamos dois anos separados, e foi um tempo em que eu me afastei da presença de Deus e me rebelei. Fui conhecer o ‘mundo’ mesmo cantando no grupo Altos Louvores. Passei a ter uma vida dupla. Era como se a minha revolta estivesse superado o meu temor a Deus. Cantava na igreja e depois dançava na boate (é triste porque hoje isso acontece muito na Igreja).
Um dia estava ministrando em Curitiba e Fernanda Brum bateu na porta do quarto durante uma apresentação e disse: ‘Gente, vocês devem me achar uma mulher louca, mas Deus me pediu para bater aqui e pedir para ser amiga de vocês’. Quando ela fez isso fiquei com ‘cara de paisagem’, juntamente com minha irmã Liz Lanne, mas eu conhecia a Fernanda de longe e sabia que ela era uma mulher de Deus.
Uma vez a ouvi dizer assim: ‘Eu amo muito o Espírito Santo e tenho muito medo de decepcioná-lo, porque só eu sei de onde Ele me tirou’. Ao ouvi-la, pensei comigo mesma: ‘Quem é o Espírito Santo afinal de contas?’, ‘Onde estava ele quando eu passei por tudo aquilo?’, ‘Por que ela tem toda essa intimidade com Deus e eu com tantos anos de crente não tenho?’.
Então, Deus nos uniu em uma amizade muita bonita e nunca mais nos separamos. Passamos a fazer reuniões de oração e comecei a me envolver mesmo com Deus. Foi quando realmente me posicionei em fé. Orávamos no ‘quarto rosa’ da Fernanda. Lá era realmente tudo rosa, as cortinas, a cama, as paredes (lembra sorrindo). Clamávamos a Deus pela vida dos nossos futuros maridos. Éramos solteiras, mas toda jovem sempre sonha em se casar e ora por esses motivos.
Reencontro
Eyshila e Odilon casaram em outubro de 1995
Já havia passado dois anos desde que tinha me separado do Odilon, quando numa tarde ele passou de carro em frente a minha casa e entrou para me cumprimentar. Quando o vi entrando pela porta, com o coração acelerado, percebi que não o havia esquecido. Depois ele me ligou convidando para jantar.
Ele me disse que estava à procura de uma esposa e decidimos orar para saber a direção de Deus. Enquanto orava pelo nosso relacionamento, Deus me orientou a pedir perdão a uma mulher que havia profetizado na minha vida e na época não havia crido. Fui a casa dela durante a reunião de oração e pedi desculpas.
Quando estava saindo, ela me disse que tinha um recado de Deus para mim: ‘Você não precisa temer em relação ao homem que você está orando. Fique confiante, porque Deus tem grandes planos para vida de vocês’. Gelei da cabeça aos pés, porque não havia contado nada a ninguém. Odilon e eu estávamos orando secretamente.
Esperei que Deus confirmasse também no coração dele sem contá-lo da profecia. Quando ele recebeu a resposta de Deus, resolvemos nos casar. Faltavam dois meses para unirmos as alianças, quando ele teve novamente outra recaída. A pior de todas. Não contei nada para ninguém e me casei acreditando na promessa que Deus estaria conosco.
No dia 9 de dezembro de 1995, nos casamos. Desta data até completar um ano de casada, chorei todas as noites. Logo quando nos casamos ele disse: ‘Já tentei sair das drogas, tentei, e não vou conseguir sair nunca. Então você decide: ficar casada com um viciado ou se separar. Não vou largar as drogas. Eu gosto e me sinto bem. Tanta gente no meio artístico consegue continuar vivendo assim, então, vamos conseguir’.
Ouvir isso foi a pior afronta que já recebi na minha vida! Era como se o diabo estivesse falando comigo. Então, percebi que a minha luta não era contra o meu marido, mas contra o diabo. Precisava usar armas mais poderosas do que brigar e argumentar, precisava fazer uso da oração. 
Em lua de mel; a cantora casou crendo na presença de Deus em suas vidas
Também tomei a decisão de ser a mulher mais amorosa do mundo. Pensei comigo mesma: ‘Vou ser disponível, vou fechar todas as brechas, vou orar e jejuar’. Então deixei de ouvir música secular e assistir novelas. Quebrei todos os meus CDs não cristãos. Deus colocou no meu coração que eu precisava encher a minha casa de adoração.
Passei a limpar a casa orando e consagrando tudo a Deus. Peguei inúmeras vezes trouxas de drogas e jogava no vaso sanitário. Com o passar do tempo deixei de jogar fora e pedi a ele que usasse dentro de casa. Achava mais seguro, ele usar em casa do que ser pego na rua. Então, enquanto ele usava drogas, eu ficava no quarto orando e intercedendo pela vida dele.
Às vezes, acordava de madrugada e Deus pedia para eu orar por ele ou buscá-lo na rua. Eram livramentos de morte que o Senhor estava dando ao meu marido. Decidi que não compartilharia nada do que estava vivendo com ninguém, porque o Senhor havia dito ao meu coração que eu perdoaria meu marido quando ele fosse liberto, mas as pessoas de fora continuariam com raiva. Não queria expô-lo, por isso me calei.
As pessoas percebiam que algo estava errado, mas não comentavam nada sobre o assunto.
A Fernanda Brum sempre me enviava cartas de consolo, sem saber o que acontecia de fato. Com todas essas coisas que estava vivendo passei a me dedicar na obra. Servia incansavelmente nos ministérios. Queria encontrar forças na casa de Deus para vencer as lutas que estava vivendo. Sentia-me cuidada e amada na igreja. Percebia que Deus estava me preparando para o meu ministério.
No meio disso tudo, recebi o convite de gravar meu primeiro CD pela MK Music. Uma das músicas que estaria no novo CD seria a canção ‘Tira-me do vale’. Então, fui ao banheiro da gravadora e disse a Deus: ‘Como eu vou cantar essa música se ela ainda não é verdade na minha vida? Como vou cantar essa canção se eu tenho vivido no vale desde o início do meu casamento? Dá-me um sinal de que há esperança. Eu não aguento mais!’.
Depois de ter cantado a música, senti que Deus faria algo. Cheguei em casa de madrugada e ele novamente não estava (geralmente estava no morro neste horário). Mesmo não o vendo no nosso lar, senti uma confiança no coração. Deus havia me consolado de uma forma especial durante a minha oração. O Espírito Santo me tocou para orar pela vida dele.
Fiquei em oração por ele. Quando deu três horas da manhã, ouvi o barulho do carro chegando no estacionamento. Ele havia chegado totalmente atordoado. Havia tido um problema no ‘morro’ e estava decidido a morrer. Então, ele entrou no quarto e ajoelhou ao lado da minha cama e disse: ‘Eyshila, é para você orar pedindo a Deus para me levar ou me libertar, porque do jeito que estou eu não aguento mais’.
Canção ‘Tira-me do vale’ foi profética
Fiz essa oração de entrega. Foi horrível porque eu não queria que Deus o levasse, mas fiz como ele havia pedido. Depois desse incidente, ele foi para um retiro espiritual e eu fiz uma viagem para Macapá. O local onde meu marido estava não tinha telefone, então não tinha como me comunicar com ele, sendo assim, ficamos quatro dias sem nos falar.
Fiquei todo esse tempo em oração. Fiquei receosa se no momento em que chegasse o encontraria morto, porque ele poderia fugir do sítio e voltar para o morro.
Em uma das noites do congresso em Macapá, uma mulher se levantou colocou as mãos na minha cabeça e disse: ‘Por que se preocupa com quem você deixou em casa? Quando você voltar terá uma grande surpresa e Deus os usará muito!’. Naquele momento percebi que realmente era Deus que estava no controle e que não podia fazer nada.
Quando voltei para casa, vi que o Odilon não estava em casa. Meu coração estava acelerado, porque mesmo tendo uma palavra de Deus, tinha receios dele estar no morro. Fui até a casa de sua mãe, e vi que estavam todos reunidos. Havia muita alegria e presença de Deus na casa. Olhei para o Odilon e vi que ele era uma outra pessoa. Havia sido renovado no Espírito Santo e liberto de tudo.
Família
Eyshila ao lado do marido e dos dois filhos na entrega do 1º Disco de Ouro pela Central Gospel Music
Desde aquele dia, ele nunca mais usou drogas, já faz 16 anos. Em seguida foi consagrado a diácono e depois a pastor. Nossa vida foi transformada e tivemos dois filhos. Hoje, ele dirige uma filial da nossa igreja e o ajudo com o trabalho ministerial.
Gravei recentemente a música ‘Profetiza’, do CD ‘Jesus, o Brasil te adora’ (o primeiro álbum pela gravadora Central Gospel Music) como homenagem aos pais do Odilon, que sofreram tudo isso durante o período em que ele usava drogas. Faz referência também a todas as famílias que têm sofrido esse dilema diariamente”.
Novo tempo
Em maio de 2012, Eyshila passou a fazer parte do cast da gravadora Central Gospel Music. Na ocasião, o pastor Silas Malafaia ressaltou que esse momento define uma nova jornada para a vida e o ministério da cantora, assim como para a Central Gospel Music.
“Espero que aqui seja um instrumento de bênção maior para a vida dela e para nós. Meu desejo é que ela venda como nunca vendeu antes”, profetizou pastor Silas, feliz em meio ao ambiente familiar, já que a cantora é esposa do Odilon, pastor na Assembleia de Deus Vitória em Cristo e irmão da pastora Elizete Malafaia.
O CD e o playback ‘Jesus, o Brasil te adora’, o primeiro de Eyshila pela Central Gospel Music, está disponível no iTunes, Rdio e Sonora. Outra possibilidade é adquirir o álbum no site da Central Gospel ou pelo televendas (21) 2187-7000.
Fonte: Lagoinha e Verdade Gospel

Assembleia de Deus vai construir novo templo com hotel e edifício garagem na Avenida Mário Melo, em Recife, Pernambuco

Um templo monumental da Assembleia de Deus, com capacidade para até 24 ou 27 mil pessoas, deverá ser erguido na avenida Jornalista Mário Melo, no bairro de Santo Amaro, no centro do Recife. O terreno comprado pela congregação fica entre as ruas São Geraldo, Rocha Pitta e Rua da Fundição, além da Mário Melo. O terreno hoje é composto por armazéns antigos.
O projeto do templo prevê a construção de cinco pavimentos numa área edificada de 12.557,68 m² (a área total é de 32.298,24 m²). A entrada ficará na Rua da Fundição e a saída na Rua São Geraldo, do lado oposto. O projeto envolve investimentos estimados em R$ 300 milhões, mas não se sabe quantos empregos vai gerar.
O terreno que hoje abriga o estacionamento do Templo Central, na esquina da avenida Cruz Cabugá com a Mário Melo, deve virar um edifício-garagem com 17 andares, sendo 12 destes destinados a estacionamento (capacidade total para 396 veículos). O total de vagas é 582, se somadas às 184 do semienterrado do templo.
O empreendimento é considerado de impacto - aqueles que podem causar alteração e/ou impacto no ambiente natural ou construído, ou que pode sobrecarregar a capacidade capacidade de atendimento e infra-estrutura básica.
Sem alarde, no final de dezembro, a Secretaria de Controle e Desenvolvimento Urbano da Prefeitura da Cidade do Recife apresentou voto favorável para a construção de um mega templo. O voto foi dado pelo técnico Antônio Valdo de Alencar, representante da Secretaria de Serviços Públicos. O referido processo já recebeu parecer favorável da Dircon, CTTU e GOPV e está sendo analisado pela DIRURB quanto ao aspecto urbanístico.
No CDU, o projeto deve ser aprovado com facilidade porque há 13 votos a favor, incluindo o relator. O projeto não foi aprovado em dezembro porque o CREA pediu vistas, adiando a discussão.
Segundo o parecer da CTTU, o projeto se adequa ao novo plano de circulação proposto para a área nas diretrizes da Companhia. A CTTu faz a ressalva quanto à descarga. Como muitas pessoas devem ir ao templo em ônibus locados, fazendo-se necessário um espaço interno para que os veículos fiquem estacionados durante a permanência.

PCR não vê problema com mobilidade

Para evitar possíveis congestionamentos de tráfego nos grandes eventos, a PCR sugeriu que a baia para desembarque e embarque da Av. Mário Melo seja única ao longo de toda a extensão da fachada frontal do Templo, ampliando a capacidade para no mínimo 8 ônibus simultaneamente. Além disto, recomendou, ainda, que o estacionamento para ônibus seja incorporado como equipamento do empreendimento, não podendo em tempo algum ser alterada a sua finalidade e com capacidade mínima para 50 ônibus.
Na avaliação da PCR, o empreendimento é complexo e não podia ser tratado isoladamente: o Edifício do Templo da Igreja Evangélica Assembléia de Deus; o Edifício Garagem da Igreja Evangélica Assembléia de Deus; bem como, o Estacionamento para ônibus locados em grandes eventos.
“Dessa forma, entendo que a construção do Templo deverá estar condicionada ao atendimento de todas as exigências apresentadas pelo Corpo de Bombeiros; todas as exigências formuladas pela Emlurb; todas as exigências formuladas pela CTTU; e, todas as exigências da CCU e atender as ações mitigadoras propostas pela Prefeitura.
Assim, mandou condicionar o licenciamento da obra do Templo concomitante ao do Edifício Garagem e do Estacionamento para ônibus e, que o Habite-se somente seja concedido após a conclusão total do empreendimento (Templo, Edifício Garagem e Estacionamento para Ônibus). Segundo o Parecer da CTTU, o projeto do empreendimento se apresenta com adequação ao novo plano de circulação proposto nas diretrizes da CTTU para a área. O memorial de impacto demonstra que com a implantação do empreendimento, os níveis de serviços da situação atual e futura não teriam grandes alterações em face de capacidade viária da área. Entretanto, manifesta ser necessária a mudança no plano funcional de circulação, com a abertura da Rua da Fundição na ligação com a Avenida Norte, e abertura, com desapropriação, da Rua Astronauta Lins Collier. Compreende também que muitos usuários virão ao Templo em ônibus locados o que implica ser necessária uma área para estacionamento desses veículos.


VIA GRITOS DE ALERTA / INF. NOTICIAS CRISTÃS

Adoração Verdadeira!



“E Esdras abriu o livro perante os olhos de todo o povo; porque estava acima de todo o povo; e, abrindo-o ele, todo o povo se pôs em pé. E Esdras louvou o SENHOR, o grande Deus; e todo o povo respondeu: Amém! Amém!, levantando as mãos; e inclinaram-se e adoraram o SENHOR, com o rosto em terra.”  Ne 8.5,6

A adoração consiste nos atos e atitudes que reverenciam e honram à majestade do grande Deus do céu e da terra. Sendo assim, a adoração concentra-se em Deus, e não no ser humano. No culto cristão, nós nos acercamos de Deus em gratidão por aquilo que Ele tem feito por nós em Cristo e através do Espírito Santo. A adoração requer o exercício da fé e o reconhecimento de que Ele é nosso Deus e Senhor.

BREVE HISTÓRIA DA ADORAÇÃO AO VERDADEIRO DEUS.

O ser humano adora a Deus desde o ínicio da história. Adão e Eva tinham comunhão regular com Deus no jardim do Éden (cf. Gn 3.8). Caim e Abel trouxeram a Deus oferendas (hb. minhah, termo também traduzido por “tributo” ou dádiva”) de vegetais e de animais (Gn 4.3,4). Os descendentes de Sete invocavam “o nome do SENHOR” (Gn 4.26). Noé construiu um altar ao Senhor para oferecer holocaustos depois do dilúvio (Gn 8.20). Abraão assinalou a paisagem da terra prometida com altares para oferecer holocaustos ao Senhor (Gn 12.7,8; 13.4, 18; 22.9) e falou intimamente com Ele (Gn 18.23-33; 22.11-18).
Somente depois do êxodo, quando o Tabernáculo foi construído, é que a adoração pública tornou-se formal. A partir de então, sacrifícios regulares passaram a ser oferecidos diariamente, e especialmente no sábado, e Deus estabeleceu várias festas sagradas anuais como ocasiões de culto público dos israelitas (Êx 23.14-17; Lv 1—7; Dt 12; 16). O culto a Deus foi posteriormente centralizado no templo de Jerusalém (cf. os planos de Davi, segundo relata 1Cr 22—26). Quando o templo foi destruído, em 586 a.C., os judeus construíram sinagogas como locais de ensino da lei e adoração a Deus enquanto no exílio, e aonde quer que viessem a morar. As sinagogas continuaram em uso para o culto, mesmo depois de construído o segundo templo por Zorobabel (Ed 3—6). Nos tempos do NT havia sinagogas na Palestina e em todas as partes do mundo romano (e.g. Lc 4.16; Jo 6.59; At 6.9; 13.14; 14.1; 17.1, 10; 18.4; 19.8; 22.19).
A adoração na igreja primitiva era prestada tanto no templo de Jerusalém quanto em casas particulares (At 2.46,47). Fora de Jerusalém, os cristãos prestavam culto a Deus nas sinagogas, enquanto isso lhes foi permitido. Quando lhes foi proibido utilizá-las, passaram a cultuar a Deus noutros lugares, geralmente em casas particulares (cf. At 18.7; Rm 16.5; Cl 4.15; Fm v. 2), mas, às vezes, em salões públicos (At 19.9,10).
MANIFESTAÇÕES DA ADORAÇÃO CRISTÃ.
1) Dois princípio-chaves norteiam a adoração cristã.
(a) A verdadeira adoração é a que é prestada em espírito e verdade (ver Jo 4.23), i.e., a adoração deve ser oferecida à altura da revelação que Deus fez de si mesmo no Filho (ver Jo 14.6). Por sua vez, ela envolve o espírito humano, e não apenas a mente, e também como as manifestações do Espírito Santo (1Co 12.7-12).
(b) A prática da adoração cristã deve corresponder ao padrão do NT para a igreja (ver At 7.44). Os crentes atuais devem desejar, buscar e esperar, como norma para a igreja, todos os elementos constantes da prática da adoração vista no NT.

2) O fato marcante da adoração no AT era o sistema sacrificial (ver Nm 28, 29). Uma vez que o sacrifício de Cristo na cruz cumpriu esse sistema, já não há mais qualquer necessidade de derramamento de sangue como parte do culto cristão (ver Hb 9.1—10.18).
Através da ordenança da Ceia do Senhor, a igreja do NT comemorava continuamente o sacrifício de Cristo, efetuado de uma vez por todas (1Co 11.23-26). Além disso, a exortação que tem a igreja é oferecer “sempre, por ele, a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome” (Hb 13.15), e a oferecer nossos corpos como “sacrifício vivo, santo e agradável a Deus” (Rm 12.1).

3) Louvar a Deus é essencial à adoração cristã. O louvor era um elemento-chave na adoração de Israel a Deus (e.g., Sl 100.4; 106.1; 111.1; 113.1; 117), bem como na adoração cristã primitiva (At 2.46,47; 16.25; Rm 15.10,11; Hb 2.12).

4) Uma maneira autêntica de louvar a Deus é cantar salmos, hinos e cânticos espirituais. O AT está repleto de exortações sobre como cantar ao Senhor (e.g., 1Cr 16.23; Sl 95.1; 96.1,2; 98.1,5,6; 100.1,2). Na ocasião do nascimento de Jesus, a totalidade das hostes celestiais irrompeu num cântico de louvor (Lc 2.13,14), e a igreja do NT era um povo que cantava (1Co 14.15; Ef 5.19; Cl 3.16; Tg 5.13). Os cânticos dos cristãos eram cantados, ou com a mente (i.e. num idioma humano conhecido) ou com o espírito (i.e., em línguas; ver 1Co 14.15). Em nenhuma circunstância os cânticos eram executados como passatempo.

5) Outro elemento importante na adoração é buscar a face de Deus em oração. Os santos do AT comunicavam-se constantemente com Deus através da oração (e.g. Gn 20.17; Nm 11.2; 1Sm 8.6; 2 Sm 7.27; Dn 9.3-19; cf. Tg 5.17,18). Os apóstolos oravam constantemente depois de Jesus subir ao céu (At 1.14), e a oração tornou-se parte regular da adoração cristã coletiva (At 2.42; 20.36; 1Ts 5.17). Essas orações eram, às vezes, por eles mesmos (At 4.24-30); outras vezes eram orações intercessórias por outras pessoas (e.g. At 12.5; Rm 15.30-32; Ef 6.18). Em todo tempo a oração do crente deve ser acompanhada de ações de graças a Deus (Ef 5.20; Fp 4.6; Cl 3.15,17; 1Ts 5.17,18). Como o cântico, o orar podia ser feito em idioma humano conhecido, ou em línguas (1Co 14.13-15).

6) A confissão de pecados era sabidamente parte importante da adoração no AT. Deus estabelecera o Dia da Expiação para os israelitas como uma ocasião para a confissão nacional de pecados (Lv 16). Salomão, na sua oração de dedicação do templo, reconheceu a importância da confissão (1Rs 8.30-36). Quando Esdras e Neemias verificaram até que ponto o povo de Deus se afastara da sua lei, dirigiram toda a nação de Judá numa contrita oração pública de confissão (cap. 9). Assim, também, na oração do Pai nosso, Jesus ensina os crentes a pedirem perdão dos pecados (Mt 6.12). Tiago ensina os crentes a confessar seus pecados uns aos outros (Tg 5.16); através da confissão sincera, recebemos a certeza do gracioso perdão divino (1Jo 1.9).

7) A adoração deve também incluir a leitura em conjunto das Escrituras e a sua fiel exposição. Nos tempos do AT, Deus ordenou que, cada sétimo ano, na festa dos Tabernáculos, todos os israelitas se reunissem para a leitura pública da lei de Moisés (Dt 31.9-13). O exemplo mais patente desse elemento do culto no AT, surgiu no tempo de Esdras e Neemias (8.1-12). A leitura das Escrituras passou a ser uma parte regular do culto da sinagoga no sábado (ver Lc 4.16-19; At 13.15). Semelhantemente, quando os crentes do NT reuniam-se para o culto, também ouviam a leitura da Palavra de Deus (1Tm 4.13; cf. Cl 4.16; 1Ts 5.27) juntamente com ensinamento, pregação e exortação baseados nela (1Tm 4.13; 2Tm 4.2; cf. At 19.8-10; 20.7).

8) Sempre quando o povo de Deus se reunia na Casa do Senhor, todos deviam trazer seus dízimos e ofertas (Sl 96.8; Ml 3.10).
Semelhantemente, Paulo escreveu aos cristãos de Corinto, no tocante à coleta em favor da igreja de Jerusalém: “No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade” (1Co 16.2). A verdadeira adoração a Deus deve, portanto ensejar uma oportunidade para apresentarmos ao Senhor os nossos dízimos e ofertas.

9) Algo singular no culto da igreja do NT era a atuação do Espírito Santo e das suas manifestações. Entre essas manifestações do Espírito na congregação do Senhor havia a palavra da sabedoria, a palavra do conhecimento, manifestações especiais de fé, dons de curas, poderes miraculosos, profecia, discernimento de espíritos, falar em línguas e a interpretação de línguas (1Co 12.7-10). O caráter carismático do culto cristão primitivo vem, também, descrito nas cartas de Paulo: “Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação” (1Co 14.26). Na primeira epístola aos coríntios, Paulo expõe princípios normativos da adoração deles (ver 1Co 14.1-33). O princípio dominante para o exercício de qualquer dom do Espírito Santo durante o culto é o fortalecimento e a edificação da congregação inteira (1Co 12.7; 14.26).

10) O outro elemento excepcional na adoração segundo o NT era a prática das ordenanças — o batismo e a Ceia do Senhor. A Ceia do Senhor (ou o “partir do pão”, ver At 2.42) parece que era observada diariamente entre os crentes logo depois do Pentecostes (At 2.46,47), e, posteriormente, pelo menos uma vez por semana (At 20.7,11). O batismo conforme a ordem de Cristo (Mt 28.19,20)
ocorria sempre que havia conversões e novas pessoas ingressavam na igreja (At 2.41; 8.12; 9.18; 10.48; 16.30-33; 19.1-5).

AS BÊNÇÃOS DE DEUS PARA OS VERDADEIROS ADORADORES.

Quando os crentes verdadeiramente adoram a Deus, muitas bênçãos lhes estão reservadas por Ele. Por exemplo, Ele promete:
(1) que estará com eles (Mt 18.20), e que entrará e ceará com eles (Ap 3.20);
(2) que envolverá o seu povo com a sua glória (cf. Êx 40.35; 2Cr 7.1; 1Pe 4.14);
(3) que abençoará o seu povo com chuvas de bênçãos (Ez 34.26), especialmente com a paz (Sl 29.11; ver o estudo A PAZ DE DEUS);
(4) que concederá fartura de alegria (Sl 122.1,2; Lc 15.7,10; Jo 15.11);
(5) que responderá às orações dos que oram com fé sincera (Mc 11.24; Tg 5.15);
(6) que encherá de novo o seu povo com o Espírito Santo e com ousadia (At 4.31);
(7) que enviará manifestações do Espírito Santo entre o seu povo (1Co 12.7-13);
(8) que guiará o seu povo em toda a verdade através do Espírito Santo (Jo 15.26; 16.13);
(9) que santificará o seu povo pela sua Palavra e pelo seu Espírito (Jo 17.17-19);
(10) que consolará, animará e fortalecerá seu povo (Is 40.1; 1Co 14.26;2Co 1.3,4; 1Ts 5.11);
(11) que convencerá o povo do pecado, da justiça e do juízo por
meio do Espírito Santo (ver Jo 16.8 nota); e
(12) que salvará os pecadores presentes no culto de adoração, sob a convicção do Espírito Santo (1Co 14.22-25).

EMPECILHOS À VERDADEIRA ADORAÇÃO.

O simples fato de pessoas se dizendo crentes realizarem um culto, não é nenhuma garantia de que haja aí verdadeira adoração, nem que Deus aceite seu louvor e ouça suas orações.
(1) Se a adoração a Deus é mera formalidade, somente externa, e se o coração do povo de Deus está longe dEle, tal adoração não será aceita por Ele. Cristo repreendeu severamente os fariseus por sua hipocrisia; eles observavam a lei de Deus por legalismo, enquanto seus corações estavam longe dEle (Mt 15.7-9; 23.23-28; Mc 7.5-7). Note a censura semelhante que Ele dirigiu à igreja de Éfeso, que adorava o Senhor mas já não o amava plenamente (Ap 2.1-5).
(2) Outro impedimento à verdadeira adoração é um modo de vida comprometido com o mundanismo, pecado e imoralidade. Deus recusou os sacrifícios do rei Saul porque este desobedeceu ao seu mandamento (1Sm 15.1-23). Isaías repreendeu severamente o povo de Deus como “nação pecadora... povo carregado da iniqüidade da semente de malignos” (Is 1.4); ao mesmo tempo, porém esse mesmo povo oferecia sacrifícios a Deus e comemorava seus dias santos. Por isso, o Senhor declarou através de Isaías: “As vossas festas da lua nova, e as vossas solenidades, as aborrece a minha alma; já me são pesadas; já estou cansado de as sofrer. Pelo que, quando estendeis as mãos, escondo de vós os olhos; sim, quando multiplicais as vossas orações, não as ouço, porque as vossas mãos estão cheias de sangue” (Is 1.14,15). Semelhantemente, na igreja do NT, Jesus conclamou os adoradores em Sardes a se despertarem, porque “não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus” (Ap 3.2). Da mesma maneira, Tiago indica que Deus não atenderá as orações egoístas daqueles que não se separam do mundo (Tg 4.1-5). O povo de Deus só pode ter certeza que Deus estará presente à sua adoração e a aceitará, quando esse povo tiver mãos limpas e coração puro (Sl 24.3,4; Tg 4.8).


    VIA GRITOS DE ALERTA  /  INF  BEP

EMPRESA EM NOME DE GENOINO FOI ABERTA EM JAGUARIÚNA /SP

José Genoino, que tomou posse no dia 3 de janeiro de 2013 como deputado federal pelo PT-SPO deputado federal José Genoino (PT-SP), condenado no julgamento do mensalão e empossado na Câmara na semana passada, trava uma disputa na Justiça alegando ter seu nome usado por golpistas para montar uma empresa em Jaguariúna (SP).
A empresa José Genoino Neto foi aberta na categoria "microempresário individual" pelo Portal da Transparência, um serviço do Ministério do Desenvolvimento, em setembro de 2010.
Ela tem endereço falso e número de registro na Receita Federal, o CNPJ. Os autores da fraude usaram até mesmo o CPF de Genoino.

A documentação diz que a empresa faria serviços de manutenção de computadores, mas jamais teria exercido nenhuma atividade.
A Folha procurou a advogada do deputado petista nesse caso, Gabriella Fregni, mas ela não quis comentar.
Desde 2011, ele vem tentando anular a constituição da empresa. Conseguiu a suspensão do registro na Jucesp (Junta Comercial do Estado de São Paulo), mas não a anulação definitiva.
Agora, o petista disputa na Justiça com a Jucesp, alegando que o órgão paulista teria cometido falhas na segurança ao aceitar o processo.

Andre Borges - 3.jan.2013/Folhapress
José Genoino, que tomou posse no dia 3 de janeiro de 2013 como deputado federal pelo PT-SP
A Junta Comercial informou que sua responsabilidade é apenas arquivar os documentos, já que a abertura ocorreu no órgão federal.
A Jucesp diz que só pode tomar novas medidas após determinação da Justiça, o que ainda não ocorreu.
Embora seja responsável pelo portal, o Ministério do Desenvolvimento não quis comentar a fraude alegada pelo petista, dizendo não ser parte da ação movida por Genoino em São Paulo.
Com 92.362 votos nas últimas eleições, o petista era suplente e tomou posse após a renúncia do ex-deputado Carlinhos Almeida, que assumiu a Prefeitura de São José dos Campos (SP).
Condenado a seis anos e 11 meses de prisão por corrupção ativa e formação de quadrilha no processo do mensalão, Genoino deve cumprir a pena em regime semiaberto --e apenas após a análise de todos os recursos possíveis.

FONTE . http://www1.folha.uol.com.br/poder/1211467-genoino-se-diz-vitima-de-golpe-e-aciona-justica-em-sp.shtml

AUSCHWITZ ATINGE NÚMERO RECORDE DE VISITANTES EM 2012

 





O memorial de Auschwitz-Birkenau registou um número recorde de visitantes durante o ano de 2012: 1.430.000 visitantes no total. Segundo as autoridades responsáveis no local, este é o maior número de visitantes num só ano desde a abertura deste memorial ao Holocausto há 65 anos atrás.

O número de visitantes vai aumentando de ano para ano, sendo agora o triplo de há uma década atrás.

O diretor do Memorial, Piotr Cywinski, ao informar sobre estes novos números, afirmou ainda que nesta última década Auschwitz tem-se tornado "um memorial fundamental" para toda a Europa.

O número de visitantes aumentou drasticamente depois que a Polônia se juntou à União Européia, em 2004, tendo servido de "estímulo" para que pessoas oriundas de toda a Europa viajassem até à Polônia, ainda mais com a abertura de novas rotas aéreas até à cidade de Cracóvia, a cerca de 70 kms do Memorial de Auschwitz.


A maior parte dos visitantes - 446 mil - são provenientes da própria Polônia, seguido de grandes números oriundos da Inglaterra, Estados Unidos, Itália, Alemanha, Israel e outros países.

O turismo crescente é importante para a preservação da História do Holocausto, mas é ao mesmo tempo prejudicial para os barracões de madeira e outras estruturas existentes no local sem grande capacidade de resistência.

Estão a decorrer enormes esforços para a preservação do local, com o envolvimento de modernos laboratórios dedicados a salvar objetos que pertenceram às vítimas do campo e suas estruturas.

O objectivo é manter o local o mais semelhante possível àquilo que existia em Janeiro de 1945 quando as tropas soviéticas liberaram o campo de extermínio nazi.

Os nazis alemães assassinaram pelo menos 1,1 milhões de pessoas nos campos de extermínio de Auschwitz-Birkenau, sendo a maioria judeus, mas também políticos polacos, ciganos, gays e outros.

Shalom, Israel!

‘Não me sinto culpado’, diz acusado de matar cliente em SP

 

 
O Fantástico investigou uma história que causou indignação: o assassinato a facadas do cliente de um restaurante depois de uma discussão que começou por causa de R$ 7.
Uma família que chora. “Eu nunca mais vou escutar ‘oh pai’. Nunca mais vou escutar do jeito que ele chamava”, lamenta Renato Camargo Sampaio, pai de Mario.
Um homem que confessa um assassinato: “Eu lembro de uma facada, pode até ser que foi mais, mas eu não lembro”, disse o dono do restaurante José Adão Pereira Passos.
Duas versões para a morte de Mario, um jovem de 22 anos. “Ele foi cruel, ele foi frio em fazer aquilo”, disse Patrícia Cristina Faria Bonani, namorada do Mario. “Eu não me sinto culpado. Eu sinto um defensor de um filho”, declarou o dono do restaurante.
O crime aconteceu na véspera de ano novo. Mario, a namorado Patrícia e mais quatro amigos passam o dia na praia, no Guarujá, litoral de São Paulo. Eles escolheram jantar num restaurante onde o preço chamava a atenção.
“Estava com uma placa, R$12,99, come a vontade. Minha namorada achou estranho e perguntou pro garçom. Garçom falou a mesma coisa”, contou Rafael, amigo de Mario.
O dono do restaurante e o filho respondem em liberdade
Mas Diego, o gerente e filho do dono do restaurante, diz que o grupo foi informado sobre o valor correto. “Eu expliquei que estava R$19,90 por pessoa”, disse.
Depois de comer, Mario e os amigos foram pagar a conta no caixa. Foi quando começou a confusão.
“Chegou para o Diego e falou assim. ‘cara, é isso que você vai pagar. O Marinho pegou e falou assim: ‘você esta perdendo cliente. Eu tenho meu direito de consumidor. Eu entrei por R$12,99 e é por isso que vou ficar’. No que ele fez isso ele saiu do caixa, chegou na frente do Marinho e disse: ‘baixa a bola moleque’”, lembrou Patrícia Cristina Faria Bonani, namorada do Mario.
“Conforme meu pai chegou, ele é de idade, o dono da casa, eu me retirei fui pra guia da calçada”, contou Diego Souza Passos, o filho do assassino.
“Eles falaram que a gente estava roubando. Eu falei: ‘mas por quê?’. ‘Porque era R$12,99 agora está cobrando R$19,90’”, disse Adão, o assassino.
“Houve algum tipo de agressão verbal, algum tipo de ofensa?”, perguntou o repórter.
“Nenhuma, nenhuma”, respondeu Rafael, amigo de Mario.
Adão, o dono do restaurante, concorda em cobrar R$ 12,99. Mas, mesmo depois do pagamento, a discussão não parou e virou briga.
O homem de 56 anos diz que foi agredido primeiro, com um chute na canela.
“Eu tentei dar um soco nele, só que ele era um cara mais forte que eu, eu de idade. Eu não encostava nele. Meu filho veio correndo, ‘no meu pai você não vai bater não’. Já veio empurrando. E uns segurando ele, segurando ele, foi a hora que ele pegou pelo pescoço e já caiu ali”, explicou Adão.
Adão conta como matou Mario.
“Peguei a faca e vim. Bati nele com a faca. Com o lado da faca. Só que ele não largava meu filho. Nisso tinha muita gente sufocando ele, ele tava aqui desmaiado. Nessa que ele não largava do meu filho eu pensei que eu ia dar um furo nele, ia pegar na perna em algum lugar e não onde pegou, só que foi fatal”, detalhou Adão.
Versão dos amigos de Mario
Amigos do jovem assassinado negam qualquer tipo de agressão
“Na hora que a gente estava pagando, o Diego olhou apontou o dedo e falou: ‘vocês estão pagando isso, mas eu pego vocês lá fora molecada’. Nisso o Marinho me chamou e disse Paty, fica do meu lado porque ele está com uma faca no bolso”, contou a namorada.
“O pessoal que estava em volta disse ‘liga pra policia’. Enquanto o Mario falava, o senhor Adão deu um tapa na cara dele”, disse Rafael.
Os amigos do jovem assassinado dizem que em nenhum momento alguém agrediu Adão ou Diego. “Eu juro por tudo que é de mais sagrado não. Não teve nenhuma agressão. Aí o Jose Adão foi por trás e deu três facadas”, disse um amigo de Mario.
“Eu vi o meu melhor amigo morrer na minha frente, sangrar até a morte e não pude fazer nada. Está difícil”, afirmou Raoni.
O restaurante tem 32 câmeras. Só aqui no salão onde começou toda a confusão são nove. Uma aqui, outra, ali, outra lá. Essas imagens poderiam ajudar a desvendar a história. Mas segundo o dono do restaurante o sistema estava desativado.
Mas o dono da empresa que instalou os equipamentos diz que mesmo sem manutenção, os aparelhos podem funcionar. “Enquanto não faltar energia, o equipamento vai funcionar até o resto de vida”, disse José Jorge Lorena da Rocha Filho, dono da empresa que instalou as câmeras de segurança.
Três dias depois do crime, a polícia procurou pelos equipamentos que gravam as imagens das câmeras, mas não encontrou nada.
Pai e filho dizem que o local foi invadido na noite do assassinato. “Sumiu dinheiro de vendas nossas do mesmo dia, sumiu televisão, e sumiu esses aparelhos”, disse Diego.
O delegado vai investigar essa informação. “Não existem sinais de arrombamento, como no imóvel tem um cão responsável pela sua guarda”, disse o delegado Luiz Ricardo Lara Dias Junior.
Adão e Diego conseguiram fugir do flagrante e por isso não foram presos. Mas se ficar comprovado que estão tentando esconder provas podem parar na cadeia mesmo antes do fim das investigação.
Este homem é um dos próximos a ser ouvido pela polícia.
Ele conta que em 2011 foi ameaçado por um garçom, no mesmo restaurante, depois de também não concordar com o valor da conta.
“Levaram a faca até próximo do rosto. Onde eu me senti ameaçado, intimidado e eu só pedi pra ele um minutinho que eu ia pegar dinheiro no carro pra pagar. momento que eu sai de lá e fui procurar a polícia”, disse a testemunha que preferiu não se identificar.
O delegado quer ouvir ainda mais versões sobre a morte do estudante. “Nós pedimos pras pessoas que se porventura estiveram no restaurante que nos procure na delegacia pra que nos ajude a formar a nossa convicção a respeito do que ocorreu no local”, afirmou Luiz Ricardo Lara Dias Junior, delegado.
Neste domingo (6), amigos de Mario fizeram uma passeata em Campinas.
Para a mãe de Mario, as comemorações de fim de ano nunca mais serão as mesmas. “Eu queria ter meu filho de volta, mas isso eu não vou poder ter. Mais eu quero justiça”, disse a mãe Maria Helena Sampaio.
 
Fonte: Fantástico / INF. Verdade Gospel  /  VIA GRITOS DE ALERTA

JACO - ISRAEL

De todos os relatos da Torá, este é um dos mais envoltos em mistério. Conta-nos a história da luta entre um ser humano e um anjo e a da ...