segunda-feira, 7 de novembro de 2011

O que fazer quando falhamos?

 



Todos nós falhamos e erramos, isto é evidente. Mas abaixo coloco algumas coisas (dentre tantas) fundamentais para entendermos e praticarmos nestas horas; uma reposta ao que devemos fazer ou mesmo crer nestes momentos.

  1. Se você falhar não se concentre ou ponha seu coração no seu erro e falha, mas no perdão de Jesus; na Sua graça, misericórdia e amor;
  2. Entenda que mesmo que você falhe, Deus continua a te amar, pois o amor Dele por ti nunca falha!
  3. Se você é arrependido e sincero, não se esqueça de que em Jesus suas falhas, limitações, erros e pecados de outrora (e todos) são esquecidos!
  4. Não viva lembrando o que Deus já esqueceu;
  5. Ele criou um "mar do esquecimento", só para lançar lá o que não presta de nossas vidas;
  6. Creia no amor Dele por ti, que é sem explicação e reservas: "Porque tu, Senhor, és bom, e pronto a perdoar, e abundante em benignidade para com todos os que te invocam" (Salmos 86:5);
  7. A sua derrota não se dá pelas suas falhas, em si, mas no instante em que você não confia no perdão de Jesus, se arrepende e se levanta!
  8. Não deixe as culpas, medos e sentimentos negativos te dominar; e lute para melhorar a cada dia, vivendo em santidade verdadeira.
Lembre-se de fazer também de sua falha um meio de aprendizado, crescimento (espiritual inclusive). A bíblia diz também que: "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" (I João 1:9).
 
 

 
NUNCA DESISTA DE DEUS, ELE NUNCA DESISTE DE VOCÊ!
 
 
 
 
 
 
http://prlinaldojunior.blogspot.com/2011/11/o-que-fazer-quando-falhamos.html
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Padre suspeito de abusar de menina de 7 anos é preso no PR, diz polícia

Um padre de 51 anos foi preso suspeito de abusar sexualmente de uma menina de sete anos na noite de domingo (6), em Londrina, norte do Paraná. De acordo com a Polícia Civil, o padre estava em um clube de campo e foi preso em flagrante. Ele afirmou que estava 'brincando' com a menina na piscina.
"Os populares estranharam a presença do homem muito próxima da criança e chamaram o segurança. Após constatar o abuso, o religioso foi agredido por familiares e preso em flagrante pela Polícia Militar (PM)", contou, em entrevista ao G1, o delegado Márcio Vinícius Ferreira Amaro.
"Em depoimento na delegacia ele [o padre] justificou o caso e disse que ficou excitado enquanto 'brincava' com a criança", acrescentou Amaro.
Segundo a arquidiocese de Londrina, o religioso está afastado do ministério sacerdotal e trabalha desde 2010 no Seminário Diocesano Paulo VI.
Em um comunicado à imprensa nesta manhã, o reitor do Seminário, Rafael Solano, disse que "sente o acontecido e espera as providências da Justiça".
O preso vai responder por estupro de vulnerável e ser for condenado poderá cumprir pena de oito a quinze anos de prisão, segundo o delegado.

VIA GRITOS DE ALERTA
INF. G1 PR

Testemunho: conheça a história do ex-produtor pornô que se se converteu e virou Pastor

Testemunho: conheça a história do ex-produtor pornô que se se converteu e virou Pastor
O Pastor Donny Pauling, antes de se converter, era um produtor de sucesso da indústria pornográfica norte-americana. Um dia, recebeu um convite da Revista Playboy para produzir um reality show com lésbicas, recebendo 4 mil dólares por dia.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Após sair da reunião onde havia acertado detalhes para a produção do reality show, Pauling fez uma oração agradecendo a Deus pelo seu novo contrato: “Eu estava como que falando com Deus: não importa o que eu faça, abençoa-me. Basicamente eu estava dizendo: ‘Obrigado pelo novo contrato pornográfico’”, contou o ex-produtor ao LifeSiteNews.
Segundo ele, após esse controverso episódio, ele sentiu-se “atingido por um raio de eletricidade” que o fez ter a certeza que era Deus falando com ele, “por maior loucura que isso pareça”, conta Pauling, que vinha participando de encontros promovidos pela Igreja XXX, que tem como objetivo, alcançar pessoas envolvidas com a indústria pornográfica e prostitutas.
Vários dias após ter tido essa experiência com Deus, ele decidiu se converter e abandonar a indústria pornográfica. “Estou assustado. Estou realmente assustado. Apavorado. Petrificado. Todas essas coisas. Sinto uma imensa sensação de alívio e felicidade pela primeira vez num LONGO, LONGO tempo”, escreveu na ocasião em seu blog pessoal.
A história de Pauling com a indústria pornográfica começou junto com a internet, quando o acesso à pornografia era mais fácil que nos dias atuais. Deslumbrado com essa facilidade, ele montou um escritório e começou a produzir filmes sem o conhecimento de sua esposa. Ele começou a ter casos extraconjugais, e quando resolveu confessar esses segredos à sua esposa, ela o abandonou. O divórcio o fez mergulhar ainda mais na indústria pornográfica, e com isso, começou a ganhar mais dinheiro.
A partir desse episódio até sua conversão, se passaram oito anos, em que ele conseguiu arrecadar milhões de dólares, participar de festas e ver centenas de pessoas se destruindo. Arrependido, conta que alguns episódios o fizeram acordar: “Não há nada de fascinante em ver uma garota encolhida num canto chupando o polegar pelo fato de que a mente dela foi violentamente golpeada com o que ela vem fazendo”.
Pauling conta que além do vício na pornografia, o que o motivava a permanecer nessa vida era um sentimento de ódio que ele nutria pelo cristianismo. Esse sentimento surgiu na infância, pois seu pai, um Pastor pentecostal, o educou de forma austera. Segundo ele, sua impressão era de que Deus era só um conjunto de regras. Quando se encontrava com seus amigos cristãos, fazia questão de citar que era um produtor pornográfico: “Eu adorava lançar pornografia na cara deles”, conta Donny.
O ódio só começou a recuar quando Donny conheceu a igreja XXX, que pregava o evangelho de forma diferente. “Em vez de ficarem do lado de fora protestando e segurando cartazes dizendo às pessoas que Deus estava enviando-as ao inferno onde queimariam em tormento, eles estavam dentro, armando estandes, fazendo maquilagem nas moças. E em vez de julgá-las, eles diziam a elas que elas eram belas e que Deus as amava, e que não havia nada que elas pudessem fazer que mudasse isso, e que Ele queria mais para elas”, relata. “Esse é o tipo de cristão que eu desejava ser, e o tipo de Jesus que eu gostaria de servir”, afirma Pauling.
“Desisti, e simplesmente me afastei”. Quando abandonou a indústria pornográfica, sua namorada o deixou para viver com um gerente da Playboy, e perdeu tudo o que tinha, pois precisava do dinheiro que ganhava para pagar suas dívidas. Mesmo assim, embora com dificuldades, ele persistiu em sua decisão.
Após superar as primeiras dificuldades, Donny se matriculou em um seminário, para estudar e se tornar um Pastor. Ele afirma que além do desejo de mudar de vida, ele precisava “reprogramar” seu cérebro. Lançou uma empresa de marketing pela internet e passou a viajar pelo mundo contando a realidade dos bastidores da indústria pornográfica.
Donny Pauling acredita que a abordagem que o tirou da pornografia deve ser usada para libertar outros viciados. “Penso que precisamos compreender que, embora o pecado realmente nos separe de Deus, Ele ainda nos ama. Não importa o que fazemos. O amor d’Ele não muda. Não é condicional”.
A libertação do vício é comparada por Donny com o momento que a criança começa a andar. “Só porque a criança cai frequentemente, não significa que o pai lhe diga que andar não é para ela. Deus, que nos ama muito, não está procurando uma razão para nos enviar ao Inferno. Ele está procurando todas as razões para nos levar até Ele. Por isso, apenas fique de pé de novo”, incentiva o agora Pastor Donny Pauling.

VIA GRITOS DE ALERTA
Fonte: Gospel+

Orgulho – O maior inimigo do pastor

 

arrogancia1“Eu mereço mais que essas pessoas!”
O maior inimigo do pastor é o orgulho, e ele é especialmente perigoso para jovens pastores (I Tm 3.6). Causas particulares para o orgulho
Dons Públicos. Como seus dons são exercidos publicamente (ao contrário daqueles que são mais privados e não são vistos nos diversos ministérios), eles tendem a ser mais reconhecidos, admirados e louvados.
Status Oficial.
Como muitos do povo de Deus respeitam e honram o ofício do pastor (algumas vezes sem se preocupar com quem o faz), você tende a pensar que é você a quem eles honram e respeitam. Antropocentrismo.
Quando as pessoas são abençoadas sob seu ministério, elas constantemente atribuirão a benção a você, e não a Deus.
Ideias Mundanas de Liderança.
Você se vê “no comando de todas essas pessoas”, ao invés de servo delas.
Inexperiência. É típico da Igreja colocar jovens não testados e inexperientes em posições de alta responsabilidade sem passar pela “escola de duras pancadas da humildade”. Talvez sem nunca terem sido liderados, eles nem sabem liderar também.
Entendimento Ruim do Chamado ao Ministério. Paulo não via o ministério pastoral como um prêmio que ele tinha conquistado. Para Paulo, isso era obra da graça, um presente imerecido, assim como a salvação (Ef 3.8).
As Consequências Pastorais do Orgulho
Se você cai em orgulho, haverá sérias consequências no seu ministério.
Você começará a depender dos seus dons, em vez de depender de Deus.
Você irá se tornar impaciente com seus irmãos menos dotados do seu ministério ou entre os presbíteros.
Você se tornará negligente e insensível com os costumes e tradições do passado.
Você resistirá à critica pessoal e conselhos maduros.
Você ficará descontente e desestimulado porque “eu mereço mais que essas pessoas!”.
Você se considerará acima dos trabalhos pequenos e corriqueiros da congregação.
Você parará de aprender porque, afinal, já sabe mais do que qualquer um. Você pode cair na “condenação do diabo” (I Tm 3.6). A Cura Pessoal do Orgulho
Deixe essas duas frases serem as batidas do coração do seu ministério
1. Eu sou um pecador.
Lembre-se de quem você era (pense nos pecados dos quais você foi liberto)
Lembre-se o que você poderia ser agora (Se Deus não tivesse alcançado você)
Lembre-se de quem você é (desvende seu próprio coração)
Lembre-se de quem você ainda poderia ser (se Deus removesse sua graça contentora)
2. Eu sou um servo

Um servo de Deus (não independente, mas dependente de Deus para liderar, comandar e abençoar)
Um servo do povo de Deus (não seu senhor ou soberano)
Um servo de pecadores (não despreze os não-salvos, mas fique de joelhos por eles)
Um servo dos servos (não concorra com outros pastores, mas sirva-os)
Um servo do Servo (aquele que diz, “Está no meio de vós aquele que serve” e “o servo não é maior que o seu Mestre”).

VIA GRITOS DE ALERTA

Traduzido por Rafael Bello

DIGA NÃO A HADDAD , O MINISTRO DO KIT GAY MAS ESCOLAS .

Carol Celico: Minha Igreja Hoje É Minha Casa

Carol Celico, a esposa do mundialmente famoso jogador de futebol Kaká, mostra que passou por profundas transformações depois que ela e o esposo decidiram sair da Igreja Renascer em Cristo.
Mais madura e centrada, Carol diz que agora a igreja é sua casa. “Por enquanto não tenho vontade de estar em alguma igreja. Hoje minha igreja é minha casa, é o Kaká, são meus fihos, é onde temos paz”, disse, em entrevista a Jô Soares em seu programa.
Ela explica que não quer ter nenhum rótulo: “não estou mais na Igreja Renascer, não me considero evangélica, mas sim cristã, não quero ter nenhum rótulo. Sou Cristã porque eu sigo a Cristo”.
Mas Carol ressalta que não quer influenciar ninguém com sua opinião: “não quero influenciar, falar para ninguém sair da igreja, acho que temos que estar bem no lugar em que nos encontramos”, esclarece.
As atenções dela estão agora voltadas para um projeto beneficente, o Amor Horizontal, uma plataforma online em que os usuários podem oferecer doações em forma de compras de alimentos e produtos de higiene para a entrega em instituições beneficentes.
Carol também comentou sobre o CD e DVD que acaba de lançar, que foi gravado entre a Europa, Estados Unidos e Brasil e traz doze faixas. As músicas tiveram grande popularidade na internet, sendo baixadas cerca de 2 milhões de vezes no último ano. Kaká participa da faixa Presente de Deus e Claudia Leitte (31) cantou Mesma Luz.
Mas ela não quer ser chamada de cantora. “Não quero fazer show e não que cantar. Eu cantei”, explicou.
Sobre a profissão do marido, ela explicou que é dura a rotina de treinamentos e jogos. “Não é só entrar em campo e jogar, exige sacrifício, não tem domingo, feriado. São apenas quatro dias de folga no Natal, e no Ano Novo, no dia 1o. já tem que estar treinando. Segundo ela, o jogador tem 30 dias de férias por ano, quando o casal vem ao Brasil ficar com os familiares.
Kaká, que havia sido convocado pelo técnico Mano Menezes para o jogo amistoso contra Gabão e Egito ainda este mês, acabou sendo cortado neste domingo (6), depois que ficou comprovado que haviam lesões no exame de imagem enviado pelo Real Madrid ao departamento médico da seleção, segundo informou nota da CBF.
Perguntada sobre a recuperação das lesões a que o jogador se submeteu, ela afirmou que isso serviu para mostrar que o futebol é muito importante, mas a família é mais, pois ela é que realmente fica.


VIA GRITOS DE ALERTA
INF. CRISTIAN POST

Judeus fazem piadas ridicularizando Jesus em programas de TV

Judeus fazem piadas ridicularizando Jesus em programas de TVA questão da intolerância religiosa em todo o mundo tem ganhado manchetes todos os dias nos veículos de informação. Com a recente decisão da UNESCO em reconhecer a Palestina como um Estado independente, diversos ministérios pró-Israel nos Estados Unidos se apressaram em manifestarem sua opinião a respeito do assunto, e a principal questão levantada foi se o Israel do século 21 é o mesmo Israel da Bíblia.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Junto a isso, outra polêmica surgiu quando começaram a ser mencionados nesses debates, antigos programas de TV israelenses em que outras religiões são ridicularizadas. Devido ao histórico de perseguição de nazistas aos judeus, qualquer crítica ao judaísmo é tida como violência e intolerância. Segundo o Gospel Prime, uma questão foi levantada: os judeus teriam carta branca para ridicularizar as outras religiões?
O programa Toffee-VeHa-Gorillah mostra um macaco de pelúcia sendo crucificado. Leia abaixo a transcrição do diálogo:
Apresentadora: Olá, este é o programa da Toffee e seu gorila. Hoje vim para falar sobre os destaques da história do povo judeu, desde épocas passadas até hoje. Hoje vamos aprender sobre a crucificação de Yeshua (Jesus). Você já ouviu falar sobre Jesus?
Gorilla: Ouvi dizer que ele foi uma pessoa honrada.
Apresentadora: Não, Yeshua era um inimigo do povo judeu. Ele tentou nos converter todos em cristãos. Embora existam bons cristãos, para os judeus este é um perigo terrível, uma ameaça à paz do povo judeu.
Gorilla: Eu quero reproduzir isso!
Apresentadora: Você sabe mesmo o que é reproduzir? Significa ter relação com um gói (não judeu) algo que nem eu nem você, obviamente, desejamos.
Gorilla: Eu quero que meus filhos possam comer Toblerone e sejam “gói”, isso aqui está muito chato, Toffee! Eu quero viver na Suíça com um gói e comer Toblerone todo o dia!
Apresentadora: Ok, querido, se você ama tanto a Yeshua, então vai querer ser como ele.
(Nesta parte, aparece a legenda: “A Crucificação de Yeshua”).
Apresentadora: Eu sou Judas Iscariotes.
Gorilla: Eu sou Yeshua. Eu quero que vocês todos se tornem cristãos e comam carne de porco e Toblerone. Divirtam-se! Você e os telespectadores em casa também!
Apresentadora: Por causa disso, vou crucificar você! Como você se atreve a pregar isso aos judeus inocentes? (A apresentadora começa a martelar um prego nas mãos do macaco)
Gorilla: Meu Deus, por que me abandonaste?
Apresentadora: Você é um nazista, Yeshua, você é um nazista!
Gorilla: Toffee! Não, Toffee, estou com medo! Eu andei sobre a água, eu transformei grilos em um bolo. Não! Eu não sou Yeshua. Foi um erro. Eu sou Moisés, nosso mestre, não use esses pregos … Toffee, não!
Apresentadora: É somente um, seu covarde …
Gorilla: Nããão! Oh, Oh Deus… Toffee, não! Aaahhhh! Aaahhh! Não, Não, Não…
O programa de televisão israelense “Tonight wih Lior Shlein” também ficou conhecido por suas piadas contra os cristãos, em 2009. Lior Shlein, o apresentador do programa fez pesadas piadas em relação a Jesus: “Cristãos dizem que Jesus andou sobre as águas do Lago de Tiberíades. Mas isso não é verdade! Jesus era tão gordo que tinha vergonha de sair de casa, por isso não podia ir para o lago com roupas de banho… Os cristãos dizem que Jesus era magro, mas estas fotos são falsas. A verdade é que Jesus era gordo desde os três anos. Era um peso-pesado. Ele devia ser enorme, isso se chegou aos 40. Não creio no que diz a igreja cristã!”.
Em um outro episódio do programa, Shlein voltou ao assunto, com piadas sobre a virgindade de Maria, mãe de Jesus: “Sempre negamos algo que a igreja cristã diz a você. Lembram que já negamos que Jesus andou sobre as águas? Veja esse novo clipe: os cristãos dizem que Maria, mãe de Jesus, era virgem. Mas isso não é verdade! Se Maria realmente fosse virgem, então ela não usaria brinquedos eróticos no show da noite com Flávio José! A verdade é que quando Maria tinha 15 anos, ficou grávida de um colega de classe e seus pais queriam colocá-la em um convento. Mas como Jesus não havia nascido ainda, não havia o cristianismo e portanto não havia conventos… então os pais de Maria a deixaram em um estádio de futebol, e Maria passou a noite com o time de futebol de Canaã! Não acredite na Igreja Cristã!”.
Os canais de TV responsáveis pela produção desses programas foram pressionados a se desculparem com os cristãos do país, porém, as restrições a cristãos em Israel continuam acontecendo.

VIA GRITOS DE ALERTA

VENCENDO O DIABO .

"Então, ouvi grande voz do céu, proclamando: Agora, veio a salvação, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, pois foi expulso o acusador de nossos irmãos, o mesmo que os acusa de dia e de noite, diante do nosso Deus. Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida" (Ap 12.10-11).
Essa passagem fala, em princípio, do tempo da Grande Tribulação, e se refere àqueles que saem dela como vencedores. Contudo, nesses versículos também podemos aprender alguns princípios para a vida em nossa época. Todos que crêem em Jesus Cristo se defrontam com o mesmo acusador, e só podemos vencê-lo da maneira como lemos nessa passagem.
Quem é nosso adversário na batalha espiritual?
Em Apocalipse 12.9, o inimigo é descrito da seguinte maneira: "...o grande dragão, a antiga serpente, que se chama Diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo..." Ele é o acusador, que nos acusa de dia e de noite diante de Deus. Com olhar maligno ele nos observa em tudo que fazemos ou deixamos de fazer e se empenha ao máximo para poder nos acusar constantemente diante de Deus.
A tática de Satanás é a mesma de sempre: primeiro ele faz com que pequemos com facilidade, e depois torna o perdão muito difícil.
A situação de muitos crentes hoje em dia não é nada fácil. No mundo espiritual estão acontecendo muitas coisas, pois Jesus voltará em breve. Por isso também sentimos o aumento das tribulações em nosso espírito. A maldade dos tempos finais aumenta, e esses ventos também chegam às portas dos cristãos. Muitos têm se queixado de depressão, melancolia, estado de irritação e desânimo – outros sentem-se cansados, miseráveis e não têm mais capacidade para nada. As acusações mútuas, assim como as auto-acusações, têm aumentado. Muitos estão prestes a resignar. As tentações de todo tipo quase não podem ser mais superadas. Tudo isso acontece porque o Senhor virá em breve, e a influência demoníaca em nosso mundo tem aumentado.
O caminho da vitória
Justamente diante das crescentes tribulações em nossos dias, é necessário vencer triunfalmente o inimigo no dia-a-dia. Em Apocalipse 12.11 nos é mostrado claramente o caminho triplíce para isso: "Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida".
1. Pelo sangue do Cordeiro
"Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro..." Diante do sangue do Cordeiro, o diabo tem de parar. Ali ele está vencido. Ali qualquer acusação perde seu peso. Essa verdade nos é apresentada de maneira figurada na catedral de Bamberg (Alemanha):
Nela há uma representação do Juízo Final esculpida na rocha. O anjo do juízo tem uma balança na mão. No prato da balança se encontram livros grossos, evidentemente o registro dos pecados. Pequenos diabinhos se penduram neste prato e tentam puxá-lo para baixo. Mas eles não o conseguem, embora o outro prato esteja quase vazio. Nele se encontra apenas um pequeno cálice da Santa Ceia. O sangue de Jesus pesa mais do que todos os nossos pecados.
É muito importante que nos firmemos no perdão que nos foi outorgado, que creiamos firmemente nele e nos gloriemos no sangue de Jesus. O sangue de Jesus Cristo derramado no Calvário é o poder que rasgou e cancelou a nossa nota promissória (Cl 2.14). Uma dívida que foi liquidada por ter sido paga não pode mais ser utilizada como acusação contra nós.
2. Por causa da palavra do testemunho que deram
"Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram..." A Bíblia Viva diz: "Eles o derrotaram pelo sangue do Cordeiro e pelo testemunho deles; pois não amaram as suas vidas, mas as entregaram a Ele."
Não apenas é importante confiar no sangue de Jesus e conhecer o seu poder, mas também aplicá-lo no testemunho. Em outras palavras: a vitória sobre o inimigo acontece baseada na morte de Cristo e em nosso testemunho a respeito do valor dessa morte. Precisamos saber que o poder está sempre na Palavra de Deus. No momento em que reivindicamos a Palavra de Deus para nós, o sangue de Jesus torna-se eficaz. É como no caso de uma herança que você recebeu de presente. Para que o inimigo não mais possa reivindicá-la e a herança passe a ser sua ou se torne eficaz para você, é preciso um testamento escrito. Esse documento com a assinatura do testador lhe garante a herança. Nenhuma outra pessoa pode reivindicar ou tirar-lhe esta herança. Todas as acusações ricocheteiam quando confrontadas com a Palavra de Deus. A respeito, um relato interessante:
O porteiro de um hotel lia muito em sua Bíblia, principalmente durante a noite. Quando não a estava usando, ele a carregava sempre no bolso sobre o peito. Um dia ele foi assaltado. O delinqüente atirou nele – mas a bala, que estava destinada ao seu coração, ficou cravada na sua Bíblia. A Bíblia salvou a sua vida!
Quando somos assaltados por tentações ou quando o inimigo nos acusa, fazemos bem em buscar a Palavra de Deus. Davi orou: "Ao meu coração me ocorre: Buscai a minha presença, buscarei, pois, Senhor, a tua presença" (Sl 27.8). O Senhor Jesus nos anima a orar com base na Palavra de Deus e a confiar nela: "Por isso, vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco" (Mc 11.24). É uma honra para Deus se confiamos na Sua Palavra, e da nossa parte trata-se de expressão da nossa fé. Consideremos a Sua Palavra como verdade (Sl 119.142).
3. Por estarem crucificados juntos com Ele
"Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida". Para alcançarmos uma vitória real, devemos, sem dúvida, entregar nossa própria vida. Ao seguirmos o Cordeiro de Deus, o amor a nós mesmos é o maior empecilho no trabalho para o Senhor. Muitas brigas, intolerância, acusações e irritação só se manifestam porque ainda amamos tanto a nossa própria vida.
Os crentes mencionados em Apocalipse 12.11, "...mesmo em face da morte, não amaram a própria vida." O caminho após o Cordeiro é um caminho de morte. É o mais difícil, mas também o mais frutífero. A morte de Jesus produziu o maior fruto (comp. Is 53.11-12). Por isso a essência do discipulado é tornar-me semelhante a Jesus em Sua morte (Fp 3.10).
Porém, como pode ser trágico quando filhos de Deus não seguem o caminho após o Cordeiro integralmente. Se seguem a Jesus pela metade, de uma maneira desleixada, isso produz um grande peso tanto para eles como para o meio em que vivem. Através de coisas insignificantes, por ninharias, o velho inimigo consegue prendê-los repetidamente. Por isso o profeta Jonas, que no início não quis seguir o caminho da obediência total, clamou na barriga do grande peixe: "Os que observam as falsas vaidades deixam a sua misericórdia" (Jn 2.8, Ed. Corrigida e Revisada). E o apóstolo Paulo testemunha em sua segunda carta a Timóteo: "Fiel é a palavra: Se já morremos com ele, também viveremos com ele" (2 Tm 2.11). Aos cristãos de Roma ele escreveu: "Porque, se viverdes segundo a carne, caminhais para a morte; mas, se, pelo Espírito, mortificardes os feitos do corpo, certamente, vivereis" (Rm 8.13). Por isso somos conclamados: "Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria" (Cl 3.5).
Resumindo: a vitória sobre a maldade dos tempos finais, o caminho da vitória, a conquista da vitória na vida espiritual consiste única e exclusivamente em seguir a Jesus de maneira absoluta. E essa caminhada se apóia na obra consumada por Jesus na cruz do Calvário (sangue), em um testemunho fiel (confiança e fé) e na disposição de entregar a própria vida à morte (ser crucificado com Cristo). Faça isso, e você vencerá o diabo e todos os seus ataques traiçoeiros! (Norbert Lieth - http://www.chamada.com.br)

VIA GRITOS DE ALERTA

Pesquisa mostra que a confiança dos cristãos em relação às igrejas vem caindo; pentecostais são os que mais confiam

Pesquisa mostra que a confiança dos cristãos em relação às igrejas vem caindo; pentecostais são os que mais confiam
Uma pesquisa recentemente divulgada pela ONG Latinobarómetro, com dados de 2010, mostra o nível de confiança dos cristãos em relação às igrejas. A pesquisa, feita em todos os países da America Latina, mostrou que os pentecostais são o grupo que mais confiam nas instituições.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
A pesquisa também abordou outros temas ligados à sociedade, como educação, democracia, segurança e cidadania. Segundo o site Gospel Prime, em geral, os latino-americanos estão mais exigentes em relação às obrigações do Estado e com os serviços prestados pelo setor privado.
Apesar do crescimento de evangélicos em toda a América, a confiança dos fieis nas igrejas vem caindo consideravelmente. A comparação dos dados de 1995 com os obtidos em 2010 mostra que os fiéis que afirmam ter “Muita Confiança” caiu de 58% para 45%. Em contrapartida, os que alegam ter “Alguma Confiança” subiu de 16% para 37%, enquanto que os que possuem “Pouca Confiança” variou de 17% para 12%, e “Nenhuma Confiança” caiu de 9% para 6%.
Se os dados mencionados acima forem divididos entre pentecostais, protestantes tradicionais e católicos, pode-se enxergar que os pentecostais são os que mais confiam, entre os cristãos.
O índice de “Muita Confiança” dos pentecostais é de 67,2%, contra 56,8% dos protestantes e 53,6% dos católicos; os pentecostais que possuem “Alguma Confiança” são 15,8%, os protestantes 20,1% e os católicos 25,3%; “Pouca Confiança” o índice dos pentecostais é 11,1%, os protestantes 16,0% e os católicos 14,3%; e no último quesito, os pentecostais são o grupo com menor índice de descrença: 5,9% não tem nenhuma confiança, contra 7,1% dos protestantes e 6,8% dos católicos.
A pesquisa não divulgou informações sobre dados comparativos da escolaridade dos pesquisados e sua relação de confiança com as igrejas.

VIA GRITOS DE ALERTA
Fonte: Gospel+

A sacralização da pedofilia

 

Sahih Muslim, Book 008, Number 3311:
'A'isha (que Allah esteja satisfeito com ela) reportou que o apóstolo de Allah (que a paz esteja com ele) casou-se com ela quando ela tinha sete anos, and que ela foi levada para sua casa como noiva quando ela tinha nove anos, e as suas bonecas estavam com ela; e quando ele (o santo profeta) morreu ela tinha dezoito anos.
Sahih Bukhari, Volume 7, Livro 62, Número 88:
Narrado por 'Ursa:O profeta escreveu (o contrato matrimonial) com a 'Aisha quando ela tinha seis anos e consumou o casamento com ela quando ela tinha nove anos, e ela permaneceu com ele durante nove anos (isto é, até a morte dele).
Sahih Bukhari, Volume 8, Livro 73, Número 151:
Narrado por 'Aisha:Eu costumava brincar com bonecas na presença do profeta, e as minhas amigas também brincavam comigo. Quando o apóstolo de Allah entrava (na minha casa), elas escondiam-se, mas o profeta chamava-as para virem brincar comigo. (Brincar com bonecas ou imagens semelhantes é proibido, mas tal foi permitido a 'Aisha, naquela altura, porque ela era ainda uma menina  pequena e ainda não tinha atingido a puberdade.) (Fateh-al-Bari page 143, Vol.13)
Sahih Muslim, Livro 031, Numero 5981:
'A'isha reportou que ela costuma brincar com bonecas na presença do mensageiro de Allah (que a paz esteja com ele) e quando as suas amigas vinham a ela, elas saíam da casa porque ficavam tímidas na presença do mensageiro de Allah (que a paz esteja com ele), embora o mensageiro de Allah (que a paz esteja com ele) as enviasse a ela.

Todas aquelas acusações de "descontextualização" que nos são oferecidas quando se alude para a a pedofilia do "profeta" do islão são falsas. As fontes islâmicas confirmam que Muhammad casou-se e consumou o casamento com uma menina  de 7/9 anos.
 
VIA GRITOS DE ALERTA

Nigéria: Boko Haram continua com os ataques

 

Os militantes islâmicos Boko Haram, cujo nome na língua hausa local significa "A Educação Ocidental é Pecaminosa", bombardearam igrejas e estações policiais matando 150 infiéis no nordeste da Nigéria. ( INFIÉIS PARA ELES É TODOS OS QUE NÃO SEGUEM O ISLÂ )
 
Este grupo islâmico quer impôr na Nigéria o que os muçulmanos que levam o islão a sério querem impôr no mundo: a lei islâmica (a mesma que deixou o Médio Oriente na pobreza que ele é hoje).

O número de mortos continua a aumentar após uma série de ataques mortíferos terem sido levados a cabo. Reportagens iniciais apontavam para cerca de 65 mortos durante os ataques de 6-Feira, mas esse número subiu para 150, segundo alguns oficiais.
Os militantes muçulmanos bombardearam igrejas (claro), mesquitas, edifícios governamentais e estações policiais.

Claro que os muçulmanos arranjam sempre forma de justificar a sua violência. Para eles, sempre que um maometano não  vive sob o jugo da lei islâmica, ele está  vivendo em "opressão". Como o Alcorão sanciona o uso da violência para terminar com a "opressão", então islamicamente falando, os terroristas do Boko Haram não estão a levar a cabo actividades condenáveis
 
VIA GRITOS DE ALERTA.

Religiões afro-brasileiras se dizem vítimas de preconceito dos evangélicos

Seguidores da umbanda e do candomblé são vítimas de
 preconceito, sobretudo dos evangélicos, e a Justiça e a
polícia não estão preparadas para lidar com o crime.

Uma característica atribuída ao povo brasileiro é a tolerância religiosa.
 O caldeirão de culturas que formou o País teria propiciado a convivência
 harmônica entre os diferentes credos, ao contrário de outras nações onde
 violentas disputas derramam sangue inocente. Na prática, porém, a realidade
 é outra. Seguidores das religiões afro-brasileiras sempre conviveram com a
desconfiança alheia. Nos últimos tempos, há indícios de que a situação se agravou.
 Somente no Rio de Janeiro, são contabilizados, por ano, quase 100 casos de
agressões morais ou físicas envolvendo intolerância religiosa em relação aos
praticantes de umbanda e candomblé. “Em sua maioria esmagadora, os
 ofensores são membros das igrejas neopentecostais”, afirmou à ISTOÉ
 Henrique Pêssoa, delegado da 4a DP, no centro da cidade, que há três
anos recebeu uma designação especial e pioneira no Brasil para cuidar
de casos que envolvem crimes de viés religioso.

“Cada neopentecostal tem a missão de ganhar adeptos, é uma obrigação
 religiosa, daí o proselitismo. A missão é clara: divulgar e converter”,
explica a antropóloga da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Sonia Giacomini, que pesquisa o tema há 20 anos. Ela diz que o intuito de
 arrebanhar mais e mais fiéis é bastante organizado. “Existe uma certa logística.
 Por exemplo, uma igreja é instalada onde havia um cinema pornô, pois ali seria
uma área especial para fazer uma conversão, cheia de pessoas vulneráveis”, apontou.

O problema é que a busca por fiéis transforma-se, às vezes, em perseguição.
 Na Ilha do Governador, na zona norte, há denúncias na 4ª DP de
representantes de religiões afrobrasileiras contando que terreiros
 (os locais onde são realizadas as cerimônias de umbanda e candomblé)
estavam sendo destruídos e seus líderes escorraçados da Ilha por traficantes
 evangélicos neopentecostais. “Ali, criamos a Comissão de Combate à
Intolerância Religiosa (CCIR) porque era extremamente necessário”,
 diz Ivanir dos Santos, membro da comissão. Este e outros 39 casos
 em todo o País foram denunciados em um relatório produzido pelo
 grupo que reúne 12 religiões e entregue ao presidente do Conselho de
 Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas, Martin I. Uhomoibai.

Entre as denúncias, está a da Associação da Resistência Cultural Afro-Brasileira
 Jacutá de Iansã, que não conseguiu abrir conta-corrente na agência Abílio
Machado da Caixa Econômica Federal, em Belo Horizonte (MG).
Os diretores contam que esperaram quatro meses para receber a seguinte resposta:
 o banco é livre para abrir conta de quem quiser, e não queria a associação
 como correntista. Em São Paulo, a Associação Beneficente de Oyá e Ogun
acusa a prefeitura de discriminação por ter lacrado sua sede no bairro de
Santa Mariana, sob a alegação de desrespeitar o zoneamento. Segundo eles,
o desrespeito se deve unicamente ao fato de eles estarem no local. Até na
considerada sincrética Salvador (BA), a prefeitura foi denunciada por ter
 destruído parcialmente o terreiro Oyá Onipo Neto no bairro de Imbuí.
No processo, diz que o terreiro era vizinho à propriedade de um funcionário
 da prefeitura que não gostava da proximidade com o templo. Os três casos
 ocorreram em 2008 e ainda estão sendo investigados.

No Rio, um dos terreiros mais antigos do País, de 1908, foi derrubado recentemente.
 Funcionava no município de São Gonçalo, não muito longe da capital, em uma
 pequenina casa, que foi posta abaixo para a construção de um galpão.
 A iniciativa da demolição foi do dono do imóvel, o militar Wanderley
da Silva, 65 anos, que desconhecia a importância do endereço.
O problema, segundo lideranças religiosas regionais, não foi o ato dele e,
sim, o da prefeita de São Gonçalo, Maria Aparecida Panisset (PDT),
que teria ignorado os pedidos de umbandistas para salvar o local tombando-o.
A prefeitura expediu uma nota dizendo que nada poderia fazer porque a
 casa era particular. Mas outro caso envolvendo a prefeita Maria Aparecida,
 que é frequentadora da Primeira Igreja Batista Renovada, provoca dúvidas
 entre os religiosos.

Maria Aparecida estaria forçando a desapropriação de um local onde
 funciona outro histórico terreiro, o Centro Espírita Caboclo Pena de Ouro.
O presidente da Casa, Cristiano Ramos, diz que a explicação oficial é a
construção de um Complexo Poliesportivo no local – embora haja um centro
 esportivo com características semelhantes na região. O caso virou, em abril,
 uma disputa judicial. “Tentei negociar várias vezes, mas ninguém quis me
ouvir”, diz Ramos, que alega não ter recebido informações sobre indenização
 até agora. Procurada por ISTOÉ, a prefeitura não deu retorno.

Muitas iniciativas para combater a perseguição ainda dependem de apoio
governamental. Por exemplo, o tombamento de templos – que são pedidos e
 não são atendidos pelas prefeituras –, a morosidade na apuração de denúncias
 de perseguição e a falta de providências contra policiais que se recusam a investigar
 casos de intolerância. Para o delegado Henrique Pêssoa, saber a abrangência
exata desse tipo de crime, que tem pena de um a três anos de reclusão e multa,
 é quase impossível. Os registros raramente são feitos de maneira correta e,
além disso, a lei não costuma ser cumprida. A bancária Elisângela Queiroz
descobriu isso na prática. Chamada de “macumbeira safada” por um colega
de trabalho, ela procurou uma delegacia, mas recusaram o registro da ocorrência.
 “Chegaram a me dizer que era apenas uma briguinha”, contou ela.

Pesquisa recente da Fundação Getulio Vargas aponta que 0,35% da
 população declarou ser praticante de religiões afro-brasileiras.
O teólogo Jayro de Jesus acredita que é muito mais e até estima um
crescimento de quase 70% no número de terreiros nos últimos 30 anos
. “Acho que as pessoas estão sendo segregadas e, por isso, não tiveram
 a altivez de se autodeclarar nos censos”, afirma. Ele faz parte do grupo
que está discutindo o mapeamento dos terreiros existentes no Brasil, com
 apoio da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.
 A expectativa é de que os trabalhos comecem no início do próximo ano
 e durem até 2013. Em um levantamento feito em 2011, foram localizados
 até agora, somente na região metropolitana do Rio, 847 terreiros.
 Com os dados obtidos, o próximo passo será a implementação de um Plano
 Nacional de Proteção Religiosa. Para impedir a propagação de conflitos
movidos pela religião, é preciso agir rápido.

Open in new window


















Open in new window




















Fonte: Revista IstoÉ

Igreja cristã se associa a alta sacerdotisa de Isis

Loreon Vigne, alta sacerdotisa de Isis Oasis

Denominação cristã famosa abraça o paganismo com meditação dirigida

Joe Kovacs
Uma igreja protestante da Califórnia está sofrendo fortes críticas de alguns cristãos devido à organização de uma conferência que irá apresentar “meditações dirigidas” por uma sacerdotisa da deusa pagã da fertilidade Isis.
A quinta “Conferência Anual de Fé e Feminismo”, que irá acontecer nos dias 11 a 13 de novembro, está sendo organizada pela Igreja Luterana Ebenézer de São Francisco, que também se intitula “herchurch” (literalmente, “igreja dela”).

Dentre os participantes na programação está Loreon Vigne, alta sacerdotisa do Isis Oasis, um templo, retiro e santuário fundado por Vigne em 1978 na cidade de Geyserville, Califórnia.

“Pessoalmente, eu vejo a Isis como a Mãe Natureza”, disse Vigne ao WND, “e que ela abrange tudo com suas asas. Ela é uma deusa alada que abrange todos os outros deuses de todas as culturas”.

Vigne, que planeja trazer várias outras sacerdotisas à conferência, irá conduzir rezas, cantos e meditações.

“A meditação dirigida é o momento em que os participantes fecham os olhos e você os leva em uma pequena jornada”, ela explica. “Já levei pessoas às suas vidas passadas no Egito, uma vez que [sua cultura] detinha todos os segredos. Eles eram os que conheciam. Seu principal conceito é o de conhecer a si mesmo, seu coração, sua alma e seu propósito".

Estátua da deusa Isis e seu filho Hórus
Ela afirma que o sistema de crenças é baseado no antigo conceito egípcio de equilíbrio, com 42 leis que são na verdade 42 ideais.

“É como se fosse os Dez Mandamentos, mas tudo feito em um conceito positivo”, afirma. “‘Não matarás’ é mostrado como ‘Honrarei todas as vidas como sagradas’”.

Além de honrar a deusa, a equipe do Isis Oasis também fornece massagens terapêuticas com leituras de tarô e astrologia, de acordo com seu website.

Mas o evento em São Francisco, mesclando divindades pagãs e inexistentes com a fé cristã, está deixando muita gente escandalizada.

“Não se pode inventar uma coisa dessas!” exclamou o pastor Dan Skogen da cidade de Marion, Iowa, que se descreve como um luterano cansado da “constante zombaria contra a Palavra de Deus” por parte da Igreja Evangélica Luterana dos Estados Unidos (ELCA), que ostenta cerca de 4,2 milhões de membros em 10 mil congregações.

“Deus nos diz em Êxodo 20:3: ‘Não terás outros deuses diante de mim’. Mesmo assim, essa igreja traz seguidores de outros deuses para falar e ensinar em sua conferência!”

Skogen afirma que a liderança da ELCA “aceita e promove a ideia de que a salvação é assegurada mesmo às pessoas que não têm fé em Cristo”.

“Então é aceitável para eles trazer adoradores de Isis para a conferência”, afirma. “Isso é um claro afastamento do ensinamento ortodoxo da igreja cristã”.

Ao longo da Bíblia, há várias advertências com relação à adoração de falsos deuses.

Os israelitas foram quase exterminados por Deus quando fizeram um bezerro de ouro para adorarem, embora afirmassem que era "uma festa ao Senhor”. (Êxodo 32:5)

E mais tarde eles foram avisados: “Se o teu coração se desviar, e não quiseres dar ouvidos, e fores seduzido para te inclinares a outros deuses, e os servires, então, eu te denuncio, hoje, que, certamente, perecerás;” (Deuteronômio 30:17-18)

Skogen afirma que “Ao longo dos anos, a ELCA têm se afastado cada vez mais da verdade e da autoridade das Escrituras”. Quando uma igreja não confia, não segue e não acredita no que a Bíblia diz com clareza, surgem heresias, resultando em falsos ensinamentos e em uma patente desobediência”.
Rev. Megan Rohrer, pastora luterana assumidamente transgênera

Um dos organizadores que defende o evento é a Rev. Megan Rohrer, pastora luterana ordenada nos EUA, que se declara abertamente transgênero.

“Acredito que o mundo está muito mais interessado na conexão inter-religiosa do que na exclusividade”, afirma Rohrer ao WND. “Realmente não é uma coisa tão incomum. O cristianismo foi fundado em um período de nascimento de muitas coisas”.

Ao mesmo tempo em que admite que a preocupação com a mistura de paganismo e cristianismo seja um “assunto quente”, a pastora afirma que “Os cristãos que dizem isso provavelmente não sabem o que é o paganismo".

“Qualquer coisa que não seja o que alguma igreja ensine é contra os caminhos de Deus”, acrescenta.

O Dicionário Priberam da Língua Portuguesa define pagão como “idólatra”, e o Michaelis Moderno Dicionário da Língua Portuguesa como: “O que segue uma religião nativa, não cristã nem judaica, caracterizada pelo politeísmo e pela superstição”.

Essa igreja luterana de São Francisco, em particular, está longe do que muitos podem considerar normal.

Por exemplo, ela promove expressamente a identidade feminina de Deus, com uma faixa gigante no exterior da usa igreja de cor violeta: “ A Deus(a) ama todos os seus filhos”.

“Somos uma comunidade diversificada que se mentem firme na tradição cristã, com o propósito de recriar a imagem do divino como mulher”, proclama a igreja.

“Nossas orações e nossa liturgia feminista cristã/luterana remontam à tradição de invocar nomes como Mãe, Shaddai, Sophia, Ventre, Geradora, Shekinah, Aquela Que É. Isso se dá por meio de uma visão renovada da natureza do Evangelho, guiado pela elevada Sophia de Jesus”.


Igreja Luterana Ebenézer em San Francisco se designa
“igreja dela.
Ao ser solicitada para explicar a teologia da igreja, a Pra. Rohrer afirma: “Ser cristão e ser feminista não são dois polos opostos”.

Ela afirma que sua igreja está “criando uma economia caridosa e um mundo onde a identidade de todos é sustentada na sua integridade, criando espaços de atuação para todos os seres humanos”.

“A Organização das Nações Unidas continuam afirmando que, se formos capazes de educar as mulheres em escala global, provavelmente poderemos eliminar a pobreza”, acrescenta.

Outros eventos na conferência incluem cantos de adoração com outra sacerdotisa de Isis, Katie Kethcum, hinos “inclusivos”, marchas sagradas, tambores sagrados, danças sagradas e mantras de Yoga Kundalini, que a igreja afirma serem “compostos de fonemas básicos comuns a todas as línguas, que têm sido usados há vários séculos para invocar a presença do Divino”.

Também falará na conferência a diretora da organização Justice for Women, Mary Streufert, da matriz da ELCA em Chicago. Ela se recusou a comentar ao ser questionada quanto à sua participação.

O interesse pela deusa egípcia certamente não é novidade nos Estados Unidos. Na década de 70, ela se tornou uma super-heroína voadora no seriado da emissora CBS chamado “Isis”.

O programa estrelava a atriz JoAnna Cameron no papel de uma pesquisadora que, após desenterrar um antigo amuleto em um sítio arqueológico, ganhou superpoderes para lutar pela justiça ao pronunciar o encantamento: “Oh poderosa Isis”.

Outra fala do programa era “Oh ventos de zefir que sopram nos céus. Elevem-me para que eu possa voar”.

Vigne afirma que hoje há “muitos milhares” de seguidores de Isis ao redor do mundo.

“O importante é que nossa crença cresce rapidamente. Há esse ressurgimento de interesse”, afirma.

“Acredito que as pessoas se irritem com as igrejas normais, que estabelecem um tipo de religião organizada. Eu brinco que a minha igreja é uma religião desorganizada. Gosto de dizer que eu tenho um [cat]ma, e não um [dog]ma.
VIA GRITOS DE ALERTA
Traduzido por: Luis Gustavo Gentil
Fonte em português: www.juliosevero.com

Igreja é condenada por morte de menina



 Uma igreja evangélica foi condenada pela Justiça a pagar uma indenização de R$ 200 mil para a família de uma menina de um ano e sete meses que morreu após ser encontrada afogada em uma pia batismal de um templo da instituição em Joinville (SC), em 2007.

A morte ficou conhecida como "caso Gabrielli".

À época, o caso ganhou repercussão quando um pedreiro foi acusado de abusar sexualmente da menina Gabrielli Cristina Eichholz e afogá-la na pia batismal. Ele chegou a ser condenado a 20 anos de prisão em 2008 pelo suposto crime, mas foi solto em 2010, após as provas contra ele serem anuladas pela Justiça.

O processo acabou sendo arquivado em fevereiro de 2011.

A decisão de indenizar a família por danos morais foi tomada no dia 31 de outubro. De acordo com ela, a União Sul-brasileira da Igreja Adventista do Sétimo Dia, responsável pelo templo, foi omissa.

Pouco antes da morte, a menina estava sob os cuidados de voluntários da igreja que cuidavam de outras 20 crianças numa sala de recreação. Em dado momento, a menina desapareceu e depois foi encontrada na pia batismal, localizada nos fundos do templo, ainda viva. Ela chegou a ser levada para um hospital, mas não resistiu.

Médicos que testemunharam para a defesa do pedreiro acusado pela morte da menina afirmaram à época que o caso não passou de um acidente.

A ação indenizatória foi movida pelos pais de Gabrielli, Juliarde Luiz Eichholz e Andréia Pereira. Além da indenização, os pais da menina também pediram uma pensão mensal de dois salários mínimos até a data em que a menina teria completado 65 anos. Este último pedido, no entanto, foi negado pela Justiça.

A igreja ainda pode recorrer da decisão, que deve ser publicada no "Diário Oficial" da Justiça de Santa Catarina na semana que vem.

O advogado da União Sul-brasileira da Igreja Adventista do Sétimo Dia, Fábio de Carli, afirmou que só pretende comentar a condenação após a publicação no "Diário Oficial".

VIA GRITOS DE ALERTA
INF .FOLHA.COM

MEDITAÇÃO DO DIA

Conversa ao Pé da Fogueira

Quando acenderam um fogo no meio do pátio e se sentaram ao redor dele, Pedro sentou-se com eles. Lucas 22:55


Mesmo com videogames e DVDs competindo para ocupar lugar nos acampamentos de fim de semana, a fogueira não perdeu seu lugar. Ela ainda tem sua atração natural. Sentir de perto o calor do fogo; ver as chamas crescerem, formando silhuetas bonitas para ser fotografadas; as faíscas subindo no ar; os insetos atraídos pela luz e que se aventuram a passar perto do fogo – são coisas interessantes de se notar. Sem falar no poder catalisador da fogueira reunindo as pessoas ao seu redor, especialmente quando faz frio.


Fogueira em noite fria não é novidade. João conta que, na noite do interrogatório de Jesus, aqueles que iam passar a madrugada ao ar livre fizeram no pátio do sumo sacerdote uma fogueira para se aquecer. “Fazia frio; os servos e os guardas estavam ao redor de uma fogueira que haviam feito para se aquecerem. Pedro também estava em pé com eles, aquecendo-se” (Jo 18:18).


Algumas horas antes, Pedro havia jurado lealdade a Jesus. Como pescador e pessoa de opinião forte, disse para si mesmo: “Eu sei como vou reagir. Sei exatamente o que vou fazer. Vou até a morte com Jesus!” Ele estava confiante de que nada o afastaria de sua fidelidade a Jesus. Como a autoconfiança nos deixa em campo aberto, no momento em que vacilamos, Pedro foi pego de surpresa e negou Jesus três vezes em circunstâncias imprevisíveis. Negou que era seguidor de Jesus, disse que nunca O tinha encontrado e que nem mesmo O conhecia. Que pena que isso aconteceu!


Depois da ressurreição, Pedro ainda se reuniu com os amigos de pesca. Mas, decepcionado consigo mesmo pelo fato de ter negado Jesus, disse: “Vou voltar para a Galileia, para o mar. Voltarei a pescar.”


Certa noite, ele acompanhava os amigos em uma pescaria. Pelo menos seis deles estavam ali: Tiago e João, Natanael e Tomé, além de dois outros cujos nomes não são mencionados. Antes do amanhecer, notaram que alguém estava na praia. João, que estava dirigindo a pescaria, gritou: “É Jesus!” Pedro, então, jogou-se no mar e nadou até a praia.


Perguntaram uma vez a um psicólogo: “Quanto tempo leva para uma pessoa sair do problema?” Resposta: “O mesmo tempo que levou para entrar.”


Jesus proveu uma porta de escape, restaurando Pedro com três perguntas, numa conversa ao pé da fogueira.

COLEIRA ERVA DE SANTA MARIA - PREÇOS ESPECIAIS PARA REVENDA

ENTRE NO LINK ABAIXO E COMPRE PARA REVENDA . https://petpetsbrasil.loja2.com.br/3600225-COLEIRA-ERVA-DE-SANTA-MARIA-REPELENTE-A-PULGAS-...