domingo, 13 de maio de 2012

Os 4 diferentes tipos de amor


Meus amados e queridos irmãos a Paz do Senhor Jesus! O seguimento gay apoiado pela mídia e os senhores do mundo estão tentando confundir nós os evangélicos; para tanto estão usando a própria Bíblia visando atingir tal objetivo.

Esta tática é muito antiga e remonto o período do Jardim do Éden; Satanás usou a Palavra de Deus para tentar ao nosso Senhor Jesus Cristo (Mt 4.1-11) precisamos estar ligados e discernindo as intenções dos adversários. Acompanhe comigo a matéria que encontrei postado no portal Gospel prime:

“Homossexuais fazem protesto no Twitter contra evangélicos #amaivosunsaosoutros Como estava programado, nesta terça-feira ativistas gays lançaram o tuitaço com a hashtag #amaivosunsaosoutros para tentar lembrar aos cristãos um dos mandamentos de Jesus.

Desde o começo do dia 3 de agosto milhares de mensagens com essas palavras começaram a surgir, em sua maioria pessoas pedindo aceitação, amor e respeito aos opositores das relações homo afetivas.

“#Amai-vos Uns Aos Outros não estamos justificando. Apenas pedindo amor e respeito. Algo que Jesus deixou como mandamento”, disse um tuiteiro sobre a campanha virtual.

Eles usam como base o evangelho de João 15:12 que diz: “O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.”

Com esse versículo os ativistas fazem diversas interpretações. “Quando disserem para você, LGBT, que Deus te condena, questione: “quem é você pra me dirigir tal inverdade?”, pois Deus é #amai vos uns aos outros”, escreveu um usuário do Twitter.

“Os que se dizem “cristãos”, mas não praticam o #amaivosunsaosoutros com TODOS, por preconceito, não sabem de que Cristo estão falando…”, comentou uma jovem.

Como não poderia deixar de ser muitos cristãos também comentavam a respeito da interpretação que deram ao texto bíblico. ” #amaivosunsaosoutros Deus ama o pecador,mas abomina o pecado, ou seja Deus ama os gay, lésbicas, travestis… mas abomina os pecados deles.” arriscou dizer uma cristã.

Outro usuário mostrou indignação com o uso das palavras de Jesus para defender o tema. “O pessoal apela muito. Quem diria que essa tag nos TTs #amaivosunsaosoutros é em referência aos homos? Perderam o respeito às frases de Deus”.

A intenção dos organizadores é fazer com que essas palavras fiquem entre os assuntos mais comentados até a sexta-feira, completando três dias de campanha pedindo respeito os religiosos em relação à opção sexual”. Fonte: Gospel Prime

Veja agora o texto bíblico:

O Mandamento: Amar-nos Uns aos Outros
“O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei” ( Jo 15:12)

Quando falamos sobre mandamentos logo pensamos em “não matar”, “não adulterar”, “não roubar”. No entanto, Jesus está falando de algo muito mais profundo do que simplesmente não fazer isso ou aquilo. Ele fala do que está na base do coração do ser humano: o ódio ou o amor. Por que as pessoas matam, roubam, adulteram, desonram seus pais, buscam outros deuses para adorar, ou cobiçam o que é dos outros? Porque a semente de ódio ainda está em seus corações.

Mas, quando uma nova semente é plantada no interior, a semente do Amor de Deus, então, seus atos serão diferentes porque o coração será diferente. O mandamento requerido, portanto, é “amai-vos uns aos outros”, porque quem ama não rouba, nem adultera, nem fala mal do próximo; e assim, cumpriremos a lei de Deus.

a) Alegria Completa – “Tenho-vos dito estas coisas para que o meu gozo esteja em vós, e o vosso gozo seja completo.” (Jo 15:11 RA)

É impossível alguém desfrutar a verdadeira alegria tendo o coração endurecido em relação a alguém. A verdadeira alegria é fruto de um coração perdoador e amável.

Vamos acompanhar agora os 4 tipos de amor na Bíblia

Vamos entender melhor o significado da palavra “amor” na Bíblia, e compará-la com seu uso habitual. Temos basicamente 4 palavras gregas para se traduzir como amor. São elas: Eros (físico, sexual), Storge (familiar), Philos (amizade) e Ágape (amor incondicional).

1. EROS (físico, sexual):

Eros é um amor que toma.

Expressões que caracterizam o amor Eros:

• Você me faz bem;

• Você é meu/minha;

• Você é lindo (a);

• Você me pertence;

• Teu corpo é perfeito;

• Eu amo você porque você me faz feliz.

• “O amor é cego”

Por exemplo, Eros está representado no livro de Cantares (onde Salomão deleitava-se com a beleza de sua amada) e na tradução de Provérbios 7:18, onde uma prostituta faz o seguinte apelo: “Vem,embriaguemo-nos com as delícias do amor, até pela manhã”.

Nesse versículo, “amor” é uma representação para Eros.

A primeira palavra grega é Eros. Aparece com freqüência na literatura grega secular, mas não na Bíblia. Eros é o amor totalmente humano, carnal, voltado para o sexo. Daí a nossa palavra ERÓTICO.

Esse tipo de amor pode até incluir algum sentimento verdadeiro, mas é, basicamente, atração física, desejo sexual e expectativa de satisfação pessoal. O Eros apresenta-se como amor pelo outro, mas é amor por si próprio.

Sua melhor declaração é “Eu amo você porque você me faz feliz”. Ou “Eu me sinto fortemente atraído por sua amabilidade (você me amará), por seu temperamento alegre (você me diverte), por sua beleza e sensualidade (você me dará prazer), por seu talento (eu me orgulho de você)!” Porém, quando uma ou mais destas características desaparecem, o amor morre.

Esse tipo de amor só quer receber. O pouco que ele dá, é com o intuito de receber algo em troca.

Infelizmente, muitos jovens escolhem o namorado ou a namorada, que poderá ser o companheiro ou companheira para toda a vida, com base apenas no Eros. As relações físicas são antecipadas; a intensidade do Eros prejudica o amor genuíno. Os namorados, mesmo não sabendo quase nada um do outro, pensam que esse tipo de amor os manterá juntos. Mas isto geralmente não acontece. Seu amor não é o verdadeiro amor.

A ênfase exagerada no Eros é alimentada por uma filosofia playboy. Esta filosofia estimula em extremo a sensualidade, tanto da mulher como do homem; a mulher desnuda-se e exibe-se pelo prazer da sedução e do sexo; o homem cobiça e apropria-se pelo prazer do machismo e do sexo; a mulher é mero objeto sexual, um brinquedo (perigoso) para o homem (criança) egoísta. Nessa filosofia, relação sexual é sinônimo de “fazer amor”.

Casamentos construídos apenas sobre bases físicas e eróticas não duram muito... Antes do pleno envolvimento físico, os pretendentes precisam se conhecer nas áreas mais importantes da alma e do espírito. Para tanto, têm que namorar e noivar, por algum tempo, antes de se entregarem um ao outro, definitivamente, no casamento. O relacionamento sexual após o casamento será a coroação de um relacionamento

• consolidado,

• comprometido e

• crescente.

Se você cometeu o erro de se casar (formal ou informalmente) na base do Eros, apenas, aqui está uma boa notícia para você: O AMOR PODE CRESCER. Não crescerá automaticamente, mas na medida em que você o cultivar. Portanto, a única esperança para o seu casamento é ascensão aos níveis mais altos do amor.

2. PHILOS (amizade):

Relacionam-se com a alma, mais do que com o corpo. Lida com a personalidade humana – o intelecto, as emoções e a vontade. Envolve compartilhamento mútuo. Em português, a palavra mais próxima é amizade. A forma nominal é usada apenas uma vez no Novo Testamento (Tg 4.4), mas o verbo “amar”, no sentido de “gostar”, e o adjetivo “amável” são usados muitas vezes.

Este é o grau de afeição que Pedro disse ter por Jesus quando este lhe perguntou, “Simão, filho de João, tu me amas?”. O pescador respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que te amo”. No original grego, o sentido é: “Sim, Senhor, tu sabes que gosto de ti, que sou teu amigo” (Jo 21. 15,16).

Neste nível, o amor é menos egoísta, mas ainda contempla o prazer, a realização e os interesses pessoais. Não deveria, mas... Normalmente, desenvolvemos amizades com pessoas cujas características nos agradam, cujos interesses intelectuais e gostos compartilhamos. Desejamos e esperamos que estes relacionamentos sejam agradáveis e nos beneficiem de algum modo. Damos, sim, amizade, atenção e ajuda, mas com alguma motivação egoísta. Mesmo assim, philos é um nível de amor mais elevado do que Eros. Nesse nível, “nossa” felicidade é mais importante do que “minha” felicidade.

Muitos casamentos comparativamente felizes são construídos nesse nível. É muito bom quando marido e mulher são amigos. Alguns maridos e esposas dizem que se amam, mas, no dia a dia, nem amigos eles são. Prova disto é que não têm sequer prazer e empolgação com a companhia, os interesses e assuntos um do outro.

Um casamento não pode sobreviver a menos que cresça pelo menos até ao nível do philos. Se você é jovem e está pensando em se casar, você deve tomar tempo para verificar se gosta realmente da pessoa com quem você pretende se unir para o resto da vida. Seguramente, essa pessoa tem defeitos, características e hábitos que poderão irritá-lo ou mesmo exasperá-lo no dia a dia da vida conjugal. Você vê mais virtudes do que defeitos e gosta dessa pessoa o bastante para perdoá-la, ajudá-la e fazê-la feliz?

Provavelmente você já ouviu esta frase romântica: “O amor é cego!” Cuidado! O único amor cego é o Eros. Esse tipo de amor realmente fecha os olhos para as faltas, ri dos defeitos e racionaliza os problemas potenciais (a menos que a pessoa amada não seja interessante em seu aspecto físico). Philos, por outro lado, honestamente encara os defeitos e decide se eles podem ser superados pelas virtudes.

Philos é o meio caminho do amor verdadeiro Philos é um amor que troca.


É um “amor” um tanto quanto egoísta. O amor do tipo Philos não é um amor que doa; sempre espera algo em troca.

Expressões que caracterizam o amor philos:

• metade da laranja;

• ele/ela me completa;

• ele/ela pensa como eu;

• ele/ela me ajuda em casa;

• ele/ela me dá presentes;

• Gostamos das mesmas coisas;

• Fazemos muitas coisas juntos;

3. STORGE (familiar):

Chamaremos esse amor de “amor da tia Maria”. Amamos tia Maria e tentamos ajudá-la, não com base na atração física (Eros) dela, mas porque ela é a nossa tia Maria. Ela pode ficar velha, surda e meio-cega, mas ainda é a nossa tia Maria.

Um excelente exemplo desse tipo de lealdade encontra-se em 2 Sm21:10 e 11, onde “Rispa montou guarda ao lado dos corpos de seus dois filhos e outros parentes, espantando dali aves de dia e animais do campo à noite”.

É o amor mais relacionado à família ( Rm 12.10) Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros. O desaparecimento desse amor é mencionado em Rm 1.31 – insensatos, pérfidos, sem afeição natural e sem misericórdia e 2 Tm 3.3 – sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons.

O AMOR FAMILIAR – num certo sentido todos somos filhos de Adão, porém nem todos somos filhos de DEUS, somente os nascidos de novo, regenerados pelo poder da Palavra de DEUS, assim a família de DEUS só é formada por salvos em CRISTO.

A família moderna estrutura-se basicamente em torno do casamento, e nesse sentido, é uma família conjugal – sei que há a “família pós-moderna” e seus novos arranjos sociais, aos quais não vou tecer considerações nesse momento (pais separados, casais homoafetivos, adoção pelos avós e outros).

A relação familiar é algo extremamente COMPLEXA e DINÂMICA. Daí o amor se constituir em um desafio de escolha à cada dia: escolher amar o outro apesar das diferenças e do desgaste que muitas vezes a relação apresenta diante do fator tempo.

Você pode estar pensando que isso não é fácil, mas com a sua escolha adicionada à graça de Deus torna-se possível. Porque família é projeto de Deus em primeiro lugar; Ele é o maior interessado. Mas família também tem que ser projeto de homens e mulheres; ou seja, É PRECISO IMPLICAÇÃO DE CADA MEMBRO FAMILIAR.

4. ÁGAPE (Amor Incondicional):

Chamaremos, portanto, o amor ágape de “amor chuva-sobre-justos-e-injustos”. Deus não isola pequenas áreas onde estão as pessoas boas e faz chover somente ali. Ele deixa a chuva cair sobre os maus também. A ilustração clássica desse tipo de amor encontra-se na história do bom samaritano (Lc 10:29–37), que é contada para ilustrar o amor (ágape) ao próximo (v. 27).

Quando o samaritano olhou para o homem ferido e sangrando, não houve atração física (Eros). O homem que havia sido açoitado não era um ente ou conhecido querido; os judeus e os samaritanos se odiavam (não tinham amor storge).

O homem deixado à beira da estrada não era um amigo; ele não tinha nada para oferecer; não havia possibilidade de ação recíproca (philos). Qual seria a única motivação possível para o viajante ajudá-lo? Ele era semelhante, um ser humano e o bom samaritano disse, em outras palavras: “Por isso eu vou ajudá-lo”. Isto é amor ágape.

Esse tipo de amor não espera nada em troca.

Há quem diga: “Mas isto não é possível, não é humano!” Tem razão. Ninguém pode amar desse jeito... a menos que Deus lhe dê esse tipo de amor. Ágape é amor divino! Jesus e os apóstolos usaram este substantivo (e o verbo correspondente) quando se referiram ao amor de Deus.

(Jo 3.13; Rm 5.8; I Jo 4.8-10). O Novo Testamento nos ensina também que quando nós nos arrependemos dos nossos pecados e cremos em Cristo, recebendo-o como nosso Salvador e Senhor, Deus derrama seu amor em nosso coração (Rm 5.5).

A partir daí, espera-se que o amor de Deus se manifeste através de nós, nos nossos relacionamentos, principalmente com o cônjuge. (Ef 5.25 e Tt 2.3-4).

Isto não é fácil... Todos queremos ser amados... Fazemos de tudo para conseguir um pouco de amor... E o que acontece? Nossos esforços neste sentido acabam dificultando ainda mais as coisas; talvez até afastem de nós a pessoa cujo amor tanto almejamos. A duras provas descobrimos que é preciso amar primeiro com amor ágape!

Em I Jo 4, há várias referências ao amor de Deus por nós e recomendações para nos amarmos também uns aos outros. Nesse contexto, o apóstolo explica porque ou como isto é possível: “Nós amamos porque Deus nos amou primeiro” ( I Jo 4.19). O amor de Deus por nós ensina-nos a amar ou gera amor em nosso coração.

Deus nos ama como somos, a despeito da nossa pecaminosidade, das nossas atitudes e atos egoístas. Refletindo sobre isto, observando e agradecendo as manifestações diárias do seu amor, aprenderemos a amar de verdade. Além disso, o Espírito Santo faz alguma coisa sobrenatural em nosso coração... “O fruto do Espírito é amor...” (Gl 5.22). Só assim, seremos capazes de amar, no sentido mais elevado e nobre do termo.

Note que esse amor não é um esforço que fazemos porque é a única maneira de conseguirmos que certa pessoa nos ame.

Esse Amor, o Amor de verdade:

• É ordenado por Deus para nos induzir.

• É exemplificado por Deus para nos ensinar.

• É produzido por Deus para nos capacitar.

O marido ou esposa que ama assim não tenta mudar o cônjuge, não cobra dele o amor desejado. Simplesmente ama, sem cobrar nada em troca. Entretanto, assim como “nós amamos porque Deus nos amou primeiro”, o cônjuge amado, mais cedo ou mais tarde, responderá com amor. O princípio é simples: amor gera amor! Outras passagens ensinam esta mesma verdade ( Lc 6.38; Gl 6.7).

Ágape é o Amor que dá, de graça; dá tudo e não espera nada em troca.

Frases típicas:

• Eu te amo (sem um por que).

• Você precisa ficar internado algum tempo, porque eu te amo (numa clínica de drogas, ou até mesmo preso) – chamados por uns de “amor firme”;

• Eu te amo e por isso você precisa de correção ( Hb 12:6);

• “Vai doer mais em mim do que em você” – sem o sentido pejorativo.

Agora eu lhe pergunto, qual desses quatro tipos de amor se refere os gays?

Por certo que o primeiro, ou seja, ao erótico.

Se nós o povo de Deus não estivermos unidos os reais objetivos de Satanás haverá de se cumprir integralmente que é “pessoas pedindo aceitação, amor e respeito aos opositores das relações homo afetivas”.

Eles pedem e exigem muito respeito, mas não demonstra nenhum em relação à Palavra de Deus e ao povo que se chama pelo seu nome (povo de Deus).

Se nós nos calarmos as pedras haverão de clamar em nosso lugar. Compete a cada um de nós nos manifestarmos publicamente inda às ruas promovendo passeatas. Pois se eles podem assim fazer nós então temos o mesmo direito.

Podemos usar a internet Como a o portal Webservos tem feito disponibilizando de seus espaços para impedir que as portas do inferno venham prevalecer contra a Igreja (Mt 16.18)

Temos no Congresso Nacional, diversos Parlamentares evangélicos que poderão mobilizar a bancada evangélica no sentido de não aceitar tais aberrações.

Não sejamos enganados; sejamos sóbrios contra as portas do inferno.

Que Deus tenha misericórdia dessas pessoas, pois estão ultimamente sendo joguete nas mãos da mídia dos senhores do mundo e de satanás. Amém
 
WEB SERVOS .
VIA GRITOS DE ALERTA

UM JOVEM CHAMADO JOSÉ .


O livro de Gênesis devota quase trinta por cento dos seus capítulos à vida de José, filho de Jacó. A sua vida foi incomum, pois ele foi vendido para a escravidão no Egito quando tinha dezessete anos, e naquele país ele passou os treze anos seguintes como escravo e na prisão. Tinha apenas trinta anos de idade quando tornou-se governador da maior civilização daquela época. Ali, em terra estranha, casou-se com mulher estrangeira, e viveu e reinou no Egito durante oitenta anos.

José era o filho favorito de Raquel, esposa favorita de Jacó. Este lhe deu uma capa de muitas cores, que indicava para os outros irmãos que Jacó pretendia dar-lhe a primogenitura. Hoje em dia diríamos: “Ele nasceu com uma colher de ouro na boca”.

Teria riquezas que haveria de herdar, posição e benção; contudo, não foi este o plano de Deus para a sua vida. Leia como Deus permitiu que todas estas cousas ruíssem por terra, e grande humilhação se abatesse sobre ele durante trinta anos, enquanto preparava-o para cousas maiores.

Como era a vida na época de José? Jacó e seus filhos eram pastores ou vaqueiros. Cuidavam de seus rebanhos, criavam suas famílias, e geralmente procuravam servir a Deus. Com a idade de dezessete anos, José foi introduzido ao Egito, que era culturalmente muito mais desenvolvido que Canaã. Sabe-se que toda a arte e ciência da Grécia foram copiadas do Egito. Todavia, a liberdade e os direitos humanos estavam no mais baixo nível. A vida humana tinha pouco valor. A escravidão florescia com todo o vigor.

Que problemas semelhantes aos nossos José enfrentou? José não foi compreendido pela sua família, era invejado e odiado por seus irmãos. A sua juventude não podia ser suave, em tais circunstâncias. Não lhe foi fácil ser repentinamente degradado da posição de filho mimado de Jacó, para ser escravo na casa de Potifar, no Egito. Ele foi colocado em posição dificílima. Foi sujeito à tentação da esposa do seu senhor.

Hoje em dia, parece que essa tentação é muito pouco diferente. Quando ele foi elevado repentinamente da prisão para o trono, enfrentou a tentação do orgulho e da arrogância, que uma prosperidade assim, súbita, propicia. Mais tarde, ele teve todas as oportunidades de vingar-se dos seus irmãos por causa da traição que eles lhe haviam feito, quando menino. Todas estas tentações e problemas têm derrotado muitos homens, e ainda estão fazendo com que muitos não cumpram a vontade de Deus para as suas vidas, hoje em dia.

Como foi que José resolveu os seus problemas? José tinha fé e dependência básica de Deus (Gênesis 39:4-8; 50:19, 20), que o mantiveram fiel em meio a todas estas circunstâncias e problemas. Quando você lê acerca do perdão que ele concedeu aos seus irmãos, da sua fidelidade em face à adversidade, lembre-se de que foi a sua fé robusta em Deus que fez dele um homem fiel.

A vida e as oportunidades de José foram maiores ou menores do que as nossas? A vida era mais simples naquela época do que agora, mas era mais primitiva e incerta em outros sentidos. São as épocas e circunstâncias que colocam diante de nós grandes oportunidades, pois é Deus que nos dá a oportunidade de realizar grandes feitos em nossas vidas? No caso de José, Deus o ajudou e lhe deu o lugar. Para nós também, Deus é o único que exalta o humilde coração que confia, e abate o orgulhoso e ímpio. Hoje em dia, temos uma oportunidade ainda maior que José, para andar com Deus, pois Ele está derramando do Seu Espírito mais amplamente, nestes dias.

Leitura designada: Gênesis, capítulos 37 a 50.

Esboço da Vida de José1. Seus pais - Gênesis29:31; 30:1, 22-24.
2. Suas primeiras relações familiares, suas revelações e sonhos – Gênesis37:1- 22.
3. Vendido como escravo – Gênesis37:23-36.
4. Escravatura e prisão – Gênesis39 e 40.
5. Libertado e exaltado – Gênesis41.
6. Perdão semelhante ao de Cristo - Gênesis42 a 50.
7. Os seus ossos levados para Canaã quatrocentos anos mais tarde – Gênesis50:24-26; Êxodo 13:19.

Perguntas para Estudo e Discussão1. Em Gênesis capítulo 37, note os problemas que a parcialidade paterna suscita em uma família. Se um pai (ou mãe) é parcial em benefício de um dos filhos, que problemas isto suscita?
2. Descreva como José tornou o mal com o bem.
3. A família de José o compreendia quando ele era menino e recebia sonhos de Deus? Como podemos entender melhor os membros de nossa família?
4. Que fez José quando tentado a pecar, pela esposa de seu senhor? Há ocasiões em que fugir é melhor do que lutar?
5. Você acha que Deus preparou tempos difíceis na mocidade de José, afim de prepará-lo para as grandes bênçãos do futuro?
6. Se José não tivesse sido vendido para o Egito, mas se lhe fosse permitido continuar como filho mimado e favorito de Jacó, é possível que a predileção de Jacó tivesse destruído o seu caráter de maneira mais eficiente do que as adversidades que ele enfrentou?

Grandes Temas da Vida de JoséPagar o mal com o bem.
Como enfrentar da Tentação.
O valor das Dificuldades.

Versículos para decorar: Gênesis 39:4,5,7,8,; 50: 19-20; 50: 24-26, Êxodo 13:19.

VIA GRITOS DE ALERTA

Senado da Argentina aprova lei da “morte digna”; No Brasil, pastor Marco Feliciano é relator de projeto semelhante


O Senado argentino aprovou por unanimidade a lei popularmente conhecida por lá como “lei da morte digna”. No Brasil, há um projeto semelhante, em tramitação no Congresso, denominado “ortotanásia”.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
A lei aprovada na Argentina dá o direito ao paciente em estado terminal de solicitar a suspensão do tratamento em casos irreversíveis, de acordo com informações da BBC Brasil.
Senado da Argentina aprova lei da “morte digna”; No Brasil, pastor Marco Feliciano é relator de projeto semelhanteA nova legislação também permite a parentes próximos autorizarem o desligamento de aparelhos que mantenham os pacientes vivos artificialmente, caso estes tenham expressado esse desejo de forma consciente anteriormente.
No Brasil, atualmente o projeto da ortotanásia está em tramitação na Câmara, e conta com relatoria do deputado federal pastor Marco Feliciano (PSC-SP), segundo informações divulgadas por ele através do Twitter.
O projeto de lei prevê que o paciente possa optar por suspender o tratamento, livrando assim o médico que estiver ministrando o tratamento de eventual processo por homicídio doloso, através do dispositivo legal chamado “exclusão de ilicitude”.
De acordo com informações do site da Câmara, o projeto foi aprovado em 08/12/2010 na Comissão de Seguridade Social, porém conta com resistência de parlamentares e permanece sendo apreciado.
Na Argentina, a lei aprovada pelo Senado foi comemorada por ativistas que lutavam pela implementação da nova legislação. A partir de agora, a Argentina faz parte de um pequeno grupo de países que permitem a chamada “morte digna”, ao lado de Estados Unidos, Holanda, Bélgica e Luxemburgo. Um projeto semelhante vem sendo debatido na Espanha, país culturalmente ligado às tradições católicas.


G+

Pastor desafia cristãos a limparem suas almas

Para muitos cristãos não tem importância assistir filmes violentos, de linguagem depreciativa e com alguma cena de sexo. Mas para um pastor essas práticas podem envenenar suas almas e afastá-los de Deus.(Foto: Lifechurch.tv)

Craig GroeschelO pastor Craig Groeschel lidera uma das maiores igrejas que crescem em tamanho e número no país, a LifeChurch.tv. Ele não chama os cristãos a viverem separados do mundo como numa bolha, mas alerta àqueles que seguem a Jesus para serem mais cuidadosos com o que se permitem em suas vidas. Caso contrário, eles podem ser como uma rã numa chaleira com água prestes a ferver.
Em outras palavras, muitos não percebem que estão escaldando suas próprias almas.
“Não podemos, indiscriminadamente, deixar que os aspectos do mundo e da cultura ao nosso redor influenciem nosso estilo de vida”, Groeschel diz em seu mais recente livro, Soul Detox (sem título em português).
O Edmond, pastor de Oklahoma, cuja igreja cresceu para 15 campi, relembra seus primeiros 18 anos os quais seus pais fumavam. Desde então, ele não se incomodava com o cheiro até chegar à faculdade.
“Eu não percebia o quão doentio estava minha casa até estar fora de lá tempo suficiente para respirar melhor e ver a diferença”, conta Groeschel. De fato, depois de viver pela primeira vez num ambiente livre do fumo, na faculdade, ao retornar para casa, fiquei chocado.”

“Assim que cheguei até a porta, a fumaça veio até minha cara”.
Da mesma maneira, Groeschel acredita que muitas pessoas não estão tão conscientes “da regressão espiritual”. Isso não inclui apenas a toxicidade da mídia, mas também os relacionamentos nocivos, pensamentos negativos e o materialismo, os quais causam dependência, entre outras coisas.
“Penso que muitos de nós Cristãos não percebemos que estamos respirando todo tipo de coisas nocivas para nós”, disse ao The Christian Post.
“Cristãos”, insistiu, “são consumidos espiritualmente.”
“Precisamos entender que não somos um corpo com uma alma, mas uma alma que habita num corpo”, pregou no último fim de semana na Life Church.
“É uma batalha diária consigo mesmo”, Groeschel admitiu ao CP.
Não são só os cristãos que são bombardeados com várias mensagens da mídia, muitos são convencidos, também, de que é melhor uma vida “divertida, feliz e significativa” a qual o mundo nos oferece, ao invés de Deus.
“Os cristãos contentam-se com uma vida que é menor do que a que Deus quer nos dar; e são seduzidos pela cultura e em aceitar as coisas que podem ser prejudiciais às nossas almas, quando o que Deus tem a dar é o melhor para se viver”, lamentou ao CP.
“Eu diria que quanto mais perto de Cristo eu estiver, menos que eu queira as coisas que este mundo me oferece e que quanto mais eu me desvio dele mais eu desejo as coisas desse mundo. É um tipo de escolha diária e muitas vezes hora a hora, minuto a minuto de tentar focar-me em Cristo e naquilo que é eterno pois é muito fácil ser sugado pelas coisas que não são Dele e nem para Ele.”
Groeschel encoraja os Cristãos a desintoxicarem suas almas do medo, da culpa e de todas as impurezas que poluem seu relacionamento com Deus. E ele deseja que os crentes perguntem a Deus como eles podem gastar seu tempo com Ele para de verdade ouví-lo.
“Para aqueles que seguem a Jesus, tudo o que fizermos, não importa onde, devemos refletir nosso amor e compromisso com Ele”, diz em seu livro Soul Detox.
“Viver uma vida sem pecado é impossível, pela natureza pecaminosa que temos”, disse ao CP “Mas penso que há um nível de pureza por meio de Cristo o qual é possível viver e bem, isso é muito maior que muitos de nós imaginamos”.
Enquanto a confissão para alguns é o ponto de partida para a desintoxicação das suas almas, para outros, podem ver alguns filmes. Na dúvida, pergunte-se: “Isso vai me aproximar de Cristo ou me afastar dele?
Se é normal, a escolha é sua, recomenda Groeschel. Se existe uma nocividade em potencial, “não desperdice seu tesouro mais importante”.

CRISTIAN POST

Guerrilheiros da FARC aterrorizam cristãos na Colômbia

Guerrilheiros da FARC aterrorizam cristãos na Colômbia
De acordo com o site do Portas Abertas os cristão de Caquetá, na Colômbia, têm enfrentado muitos ataques da parte das FARC (Forças Armadas Revolucionários da Colômbia) que além de bombardear animais e pessoas também impede que cultos e reuniões de oração aconteçam.
A região é fortemente dominada pelos guerrilheiros que não só promovem o comércio ilegal de drogas como também aterroriza a população tentando intimar não só os civis como também o governo.
Fontes do ministério Portas Abertas garantem que a vida dos cristãos espalhados naquela região está cada vez mais difícil, além de impedirem os cultos, até mesmo dentro de casas, os militantes não deixam que novas igrejas sejam abertas, que os pastores recebam visitas e nem que estrangeiros visitem o local.
Em janeiro um cristão teve sua casa invadida por guerrilheiros fortemente armados que, com a chegada da polícia, testemunharam dizendo que as armas eram do dono da casa. Ele foi preso e investigado até que o governo percebeu que ele não tinha nenhum envolvimento com as FARC.
Para piorar a situação os militantes estão recrutando forçadamente os jovens para que eles façam parte das milícias. Os pais estão preocupados e aterrorizados com a ideia de perderem seus filhos para as FARC a qualquer momento.


Fonte: http://noticias.gospelprime.com.br/guerrilheiros-da-farc-aterrorizam-cristaos-na-colombia/#ixzz1unjxcGHw

Presidente iraniano diz que não precisa armar uma guerra para acabar com Israel

Presidente iraniano diz que não precisa armar uma guerra para acabar com Israel
Mais uma vez o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, se pronunciou contra o povo de Israel dizendo que não é necessário promover uma guerra para destruir os israelenses.
Em uma reportagem produzida pela agência oficial Irna ele disse que deseja destruir o regime sionista. “A destruição do regime sionista não requer uma guerra. Se os países da região cortam suas relações com os sionistas e franzem um pouco a testa, este regime de fantoche se acaba”, disse ele.
Ahmadinejad que estava viajando pelo nordeste de seu país criticou os volumosos contratos de armas assinados pela Arábia Saudita e outras monarquias petroleiras do Golfo com o ocidente, principalmente as que fizeram acordos com os Estados Unidos.
“Se os dirigentes desses países tivessem um pouco de cérebro, não venderiam seu petróleo para comprar US$ 60 bilhões em armas”, afirmou o presidente iraniano.
O clima entre Irã e Israel tem esquentado nos últimos meses, diversas vezes o presidente iraniano ameaçou “varrer Israel do mapa” dizendo que reagiria a qualquer ataque para tentar acabar com os estudos do programa nuclear.
Israel acredita que os iranianos estariam elaborando uma arma nuclear com muitos poderes de destruição e para tentar se defender estaria disposto a atacá-los. Com apoio dos Estados Unidos os rumores de um ataque remoto ainda pode acontecer, mas Ahmadinejad não se intimida e ameaça destruir Israel antes.

VIA GRITOS DE ALERTA
Com informações VEJA / Gospel Prime


AMANHA COMEÇA A SÉRIE - OS 7 GRANDES JOVENS DA BÍBLIA. UMA POSTAGEM POR DIA - VAI SER BENÇÃO PARA SUA VIDA.

Transtorno bipolar pode ser diagnosticado na adolescência

O que muitos pais podem achar que é apenas uma fase da adolescência, na verdade, pode indicar sinais de um transtorno. Uma pesquisa desenvolvida no Instituto Nacional de Saúde Mental dos Estados Unidos sugere que os primeiros sinais de bipolaridade aparecem na adolescência e não a partir dos 20 anos, como se pensava. O estudo foi divulgado na publicação Archives of General Psychiatry.
Os principais sintomas de transtorno bipolar são episódios de mania e depressão que se alternam entre si. Para mensurar a taxa de incidência desses sintomas nos jovens, os pesquisadores fizeram perguntas sobre humor e comportamento a mais de 10.000 adolescentes, com idades entre 13 e 18 anos.
A equipe de pesquisa descobriu que 2,5% desses jovens tiveram episódios de mania e depressão nos últimos 12 meses. Além disso, 1,3% das crianças apresentaram apenas mania e 5,7%, apenas depressão. Todos os participantes que apresentaram sintomas preencheram os critérios para o diagnóstico da doença, de acordo com um manual de psiquiatria.
Os transtornos de humor eram mais comuns conforme os jovens ficavam mais velhos. De acordo com a pesquisa, 1,4% das crianças com 13 e 14 anos preencheram os critérios para mania, enquanto quase o dobro dos adolescentes de 17 e 18 apresentou o transtorno. Para os autores, as taxas de transtornos de humor encontradas entre os adolescentes estão próximas ao que é visto em adultos, confirmando a tese de que os sintomas aparecem na juventude. Os especialistas acreditam que isso pode ajudar em diagnóstico e tratamento mais eficazes.

Diferenças entre crianças e adultos

Na maioria dos adultos, as manifestações clínicas são clássicas o humor oscila de um extremo ao outro, da alegria incontrolável e raciocínio veloz à depressão e apatia. No caso das crianças, não é comum ocorrer essa gangorra emocional. "A doença se apresenta por meio de uma conjunção de sintomas menos específicos, como impulsividade, irritabilidade, dispersão, agitação e acessos de raiva", diz Evelyn Vinocur.

Diagnóstico

Por causa dos sintomas pouco específicos, é recorrente que a criança bipolar seja diagnosticada com outros males, como o transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). "É muito pesado para os pais levantarem a hipótese do transtorno, o que contribui para um desconhecimento dos sintomas e um atraso muito grande no diagnóstico e tratamento", explica a psicoterapeuta Evelyn. Por isso, o Transtorno Bipolar do Humor na Infância e Adolescência é uma condição que precisa ser muito divulgada.

ESSE ANO DE 2012 PROMETE MUITO AINDA, SE PREPARE .

Numa altura em que as caixas de correio eletrônico ficam pesadas de mensagens (muitas delas automáticas e nada pessoais) vemos o distanciar das pessoas umas das outras , pessoas que agora se veem somente por contatos via net ou nas despedidas em velôrios familiares.
Outra coisa , esse ano você esta vivendo dificuldades que talves você ainda não tinha vivido.
Muitas situações  estão acontecendo em 2012 , que nos fazem ficar  , como diz o ditado , com a pulga atrás da orelha.
Pois o apertar dos cintos já começou .
 
Avisemos então a todos do destino trágico que os espera, caso não se arrependam dos seus pecados e se voltem para Deus com fé e confiança de que só n'Ele há paz e segurança para os dias que em breve iremos enfrentar, sabendo também que no Messias Yeshua, o Enviado de Deus, podemos receber perdão dos pecados e certeza de vida eterna, para sempre, com Deus!
 
"O Deus do céu levantará um reino que não será jamais destruído; e esse reino não passará a outro povo; esmiuçará e consumirá todos esses reinos e será estabelecido para sempre" - Livro do profeta Daniel 2:44.
 
Sejamos então arautos da Verdade, não da oferta de vãs esperanças que nada mais são que enganosas, pois a Palavra avisa-nos que "este mundo irá de mal a pior", e que "nos últimos dias" aumentaria a violência, a corrupção e a imoralidade.
Jerusalém estará cada vez mais no centro das atenções
O relógio profético de Deus indica claramente que "o tempo da redenção dos filhos de Deus" está próximo: "Ora, quando essas coisas (sinais no sol, e na lua, e nas estrelas, e na terra, angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas; homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo, porquanto os poderes do céu serão abalados) começarem a acontecer, olhai para cima, e levantai a vossa cabeça, porque a vossa redenção está próxima" (Lucas 21:28).
 
 Interessante que logo a seguir a esta informação, o Messias recomenda: "Olhai para a figueira". Ora bem sabemos que a figueira representa Israel, pelo que Israel estará cada vez mais no foco da atenção de Deus e do mundo.
 
 
O que podemos então esperar para todo esse ano de 2012?

O ARRANQUE DE UMA NOVA ORDEM MUNDIAL
Tudo se prepara para a tão falada "Nova Ordem Mundial", com uma moeda única, aliás já desejada pelo próprio Vaticano, e que catapultará a ascensão e entrada em cena do "homem forte", o Anticristo, não se sabe para quando, mas certamente para breve. Essa Nova Ordem já secretamente organizada pela maçonaria e outros grupos secretos conseguirá durante algum tempo trazer a tão desejada "paz e segurança", mas não por muito tempo.

UMA GUERRA COM O IRÃO
Não só Israel se prepara diariamente para este conflito praticamente incontornável, como os próprios EUA acabarão por se envolver, uma vez que essa destruição do poder nuclear do Irão "interessa" a países "amigos" dos EUA, como a Arábia Saudita, etc.
Ninguém calcula nesta altura quais as consequências de uma intervenção no Irão, mas também quase ninguém pergunta se a mesma irá ou não acontecer. A questão não é "se", mas "quando". E a situação actual não se pode aguentar por muito mais tempo.
Israel já esta se preparando para essa guerra .

AUMENTO DO PREÇO DO PETRÓLEO
Com uma possível intervenção no Irão, e o ameaçado encerramento do estreito de Ormuz por parte do Irão, o preço do crude pode disparar, desestabilizando a já periclitante economia das grandes potências ocidentais dependentes do petróleo do Médio Oriente.

DESFRAGMENTAÇÃO DA EUROPA
A Europa tal como a conhecemos actualmente poderá sofrer uma completa reestruturação, em função dos "elos mais fracos" da comunidade não conseguirem aguentar a pressão para diminuir o défice e terem inclusivamente de sair do "clube do Euro", como será o caso mais evidente da Grécia e de Portugal.
Poderemos a qualquer momento ser surpreendidos com algo que nos fará lembrar a profecia da "besta que sobe do mar com 10 chifres - 10 reinos". No actual estado da Europa dos 27, tudo pode acontecer, e mais rapidamente do que podemos imaginar.

GRANDES CONVULSÕES GEOLÓGICAS
Conforme o Messias profetizou, nos últimos dias ouviríamos falar de "guerras e rumores de guerras... fomes e pestes, e terremotos em vários lugares", assim tem estado a acontecer. 2011 viu muitos destes grandes sinais, e a previsão dos cientistas é que estes cataclismos aumentem de intensidade.

RADICALISMO ISLÂMICO OCUPANDO CADA VEZ MAIS ESPAÇO NO MÉDIO ORIENTE
A chamada "primavera árabe", inesperada e surpreendente na sua dimensão, levou à queda de regimes ditatoriais que de uma forma ou outra conseguiam suster a invasão islâmica a que agora se assiste. Especialmente preocupante no caso do Egipto, que fazendo fronteira com Israel se torna numa acrescida preocupação para o estado judaico, uma vez que a Irmandade Muçulmana já apela à anulação do acordo de paz com Israel, e ganha cada vez maior proximidade ao movimento terrorista do Hamas.

CRESCENTE PERSEGUIÇÃO AOS CRISTÃOS , INCLUSIVE NO BRASIL .
Cumprindo também os avisos proféticos do Messias, haverá um aumento assinalável da perseguição aos cristãos, especialmente nos países do Médio Oriente e outros onde o Islão vai ganhando poder. A Europa, esvaziada de Deus, é a próxima candidata, O Brasil como celeiro do evanbgelho no mundo também esta nessa lista.

Não quero ser o "profeta da desgraça". Mas também não tenho quaisquer ilusões quanto ao futuro da humanidade. Muito menos as quero oferecer a alguém. A minha esperança está no Reino que em breve virá, por isso de cada vez que ouço as "más notícias" levanto a minha cabeça e olho para os céus, pois sei que dali virão em breve "boas notícias"!
"Assim também vós, quando virdes acontecer essas coisas, sabei que o Reino de Deus está perto" (Lucas 21:31).
A oração que quero fazer consigo neste dia, ao olhar para 2012 é aquela que o Messias nos ensinou a fazer: "Venha o Teu Reino!" E acrescento: que venha depressa!
 
 
VIA GRITOS DE ALERTA .
 

VOTOU NA DILMA , AGORA AGUENTA . MAIS UMA DA SENHORA DILMA.

Nova lei inclui Dia do Buda no calendário oficial
Esta semana a presidenta Dilma Rousseff sancionou a Lei nº 12.623 que marca o segundo domingo do mês de maio como o Dia do Buda, em comemoração ao aniversário de Buda Shakyamuni, que é a figura chave do budismo.
A lei foi proposta pelo deputado budista William Woo (PPS-SP) que conseguiu colocar essa mesma data no calendário oficial do Estado de São Paulo quando ele cumpriu o mandato como deputado estadual.

Com esse decreto assinado por Dilma a data passa a fazer parte do calendário oficial do Brasil sendo comemorado junto com o Dia das Mães.


 O decreto também permite que o Poder Executivo ceda espaço público para eventos relacionados a essa comemoração prestando todo apoio necessário.
Vale dizer que no Japão o Dia de Aniversário do Buda é comemorado no dia 8 de abril.
Com informações Paulopes


Fonte: http://noticias.gospelprime.com.br/nova-lei-inclui-dia-do-buda-no-calendario-oficial/#ixzz1ukXLwsme

AS PROFECIAS NA ATUALIDADE

 

Perguntam-nos: Com o regresso dos judeus à sua terra, tendo já a sua nação de Israel, a profecia bíblica está se cumprindo em nossos dias, ou só voltará a ser cumprida no arrebatamento da igreja?

A profecia bíblica é a revelação de Deus à humanidade, através de seus profetas escolhidos, de acontecimentos futuros descritos com exatidão, centenas ou milhares de anos pela frente. Ela abrange todos os tempos, inclusive os nossos, desde logo depois de anunciada até o futuro remoto quando haverá a criação de novos céus e nova terra.
De maneira geral, na Bíblia, a humanidade é tratada em três grupos: os descendentes de Israel, os gentios (todos os outros povos) e o povo de Deus, que inclui a igreja de Cristo. Assim, também as profecias que lá se encontram são dirigidas, ora a um, ora a outro destes grupos.
O Velho Testamento foi destinado em primeiro lugar à nação de Israel. Deus usou seus profetas dentro desse povo para declarar acontecimentos futuros, e estes dizem respeito principalmente aos descendentes de Israel e às nações gentias com as quais eles se envolveram.
Ali se encontram promessas feitas ao povo de Israel que, por serem feitas por Deus sem imposição de condições, são profecias, como:
  • o concerto “abraâmico”, considerado o tratado básico, anunciando que uma grande nação descenderia de Abraão, e que nele todas as famílias da terra seriam abençoadas (Gênesis 12:1-4). No que diz respeito a nós, vê-se o seu cumprimento na formação da igreja de Cristo.
  • o concerto “palestino”, o da restauração, anunciando que, depois de ser espalhado entre muitas nações, Israel irá voltar para a terra possuída por seus pais (Deuteronômio 30:3-5). Alguns consideram que foi cumprido parcialmente com a volta dos judeus para formar a nação soberana de Israel de nossos dias, mas realmente só será plenamente confirmado na segunda volta de Cristo quando todos os judeus remanescentes da grande tribulação serão reunidos na terra prometida aos patriarcas.
  • o concerto “davídico”, o do reino, anunciando que a dinastia de Davi, seu reino e seu trono serão estabelecidos para sempre (2Samuel 7:16). Será cumprido no milênio.
  • o concerto “novo”, o da bênção e redenção, anunciando que Israel será outra vez o povo de Deus, que ele será o seu Deus, que Israel conhecerá o Senhor e será perdoado (Jeremias 31:31-40). Está bem claro em Romanos 11:25-29 que isto só acontecerá depois que haja entrado a plenitude dos gentios, ou seja, depois que a igreja de Cristo, contendo todos os gentios a serem remidos, seja completada. Também será cumprido no milênio.
Quanto à cronologia dos acontecimentos anunciados nas profecias, temos uma estrutura notável fornecida no livro de Daniel para os tempos dos gentios, começando com o cativeiro dos judeus na Babilônia e terminando com a volta do Messias para o julgamento das nações, quando ele dará início ao seu reino de mil anos. Como a existência da igreja não fora revelada aos profetas do Velho Testamento, o período da igreja na terra está excluído da cronologia de Daniel.
Na revelação das setenta semanas (cada uma de sete anos) em Daniel 9:24-27, os acontecimentos previstos se cumpriram com absoluta exatidão até o fim da 69a semana, quando a igreja foi estabelecida; a 70a semana começará quando a besta (também chamado anticristo) firmar um tratado com muitos (israelitas). Este é o início do Dia do Senhor, ou tribulação, ou ira, que durará através desses sete últimos anos, terminando na segunda vinda de Cristo (Daniel 9:27, 10:14, Lucas 21:20-28).
Chamaremos o intervalo entre a 69a e a 70a semana de hiato e nos limitaremos a ele para responder à pergunta que nos foi formulada.
O Novo Testamento introduz algo que antes estivera escondido dos profetas do Velho Testamento, mas foi revelado por Jesus Cristo e seus apóstolos (Efésios 3:3-12): muitos entre os judeus e os gentios iriam se unir por causa da sua fé em Cristo, para formar um só povo chamado a igreja de Cristo. A formação desse povo está se dando durante o hiato, que inclui os nossos dias.
O Novo Testamento contém muitas profecias concernentes à igreja. No livro do Apocalipse temos a profecia sobre as sete igrejas: poucos duvidam que estamos vivendo já nos dias da última, Laodicéia.
Quanto ao povo de Israel, e os gentios, existem profecias para o período anterior ao da Tribulação, que deverão, portanto, se cumprir dentro do hiato, período durante o qual ele tem sido submetido a juízo pelo SENHOR, por causa da sua incredulidade, murmurações e rebelião, e foi castigado, perdendo a sua terra e sendo espalhado pelo mundo:
  • Deus prometeu que ele seria tirado dentre os povos com braço estendido e derramado furor (Ezequiel 20:33,34), após o que Ele entrará em juízo com eles, e os rebeldes serão afastados do seu meio para que não entrem na terra de Israel. O furor de Deus é evidente no Holocausto nazista, após o que foi tirado dentre os povos para habitar novamente na sua terra. Israel conquistou Jerusalém durante a Guerra dos Seis Dias, e o próximo evento para preparar para o anunciado em Daniel 9:27 será a construção do seu templo. Mas notemos que a maior parte do povo de Israel ainda se encontra espalhada pelo mundo. O tratado de paz será, portanto, assinado pela besta com “muitos”: não todos, exatamente como profetizado no livro de Daniel. A segunda parte da profecia “Ele entrará em juízo com eles, e os rebeldes serão afastados do seu meio para que não entrem na terra de Israel” se dará durante a Grande Tribulação (veja também Ezequiel 22:17-22, Sofonias 2:1-3), e depois disto entrarão na terra de Israel pela segunda vez, agora uma nação regenerada, livre dos rebeldes, para gozar as bênçãos do milênio (Isaías 11:11-12).
  • Haverá uma tentativa de invasão de Israel: Ezequiel 38:1 a 39:16. Esta passagem anuncia quem, onde, porque, qual, como e quando esta invasão acontecerá. Ainda está para vir, bem como as seguintes.
  • Haverá paz entre as nações: 1Tessalonicenses 5:1-3. É usada a expressão “dia do Senhor”, esclarecendo que este período de paz e segurança virá imediatamente antes do arrebatamento da igreja, ao qual sucederá a repentina destruição dos anos da tribulação.
  • O governo mundial será distribuído entre dez reinos: Daniel 7:24. Geralmente se aceita que o sistema romano de governo e religião, dividido em duas pernas - a civilização “cristã” oriental e ocidental - eventualmente se comporá de dez “reinos”, ou unidades de governo, antes da tribulação.
  • O homem da iniqüidade será revelado, em meio à apostasia geral (2Tessalonicenses 2:1-5). Em seguida à composição dos dez reinos, este personagem, mais conhecido como o “anticristo”, começará sua escalada ao poder supremo (Daniel 7:24), e sua identidade será revelada antes da tribulação. A aliança por sete anos entre o “anticristo” e o Estado de Israel marcará o fim do hiato (Daniel 9:27), e o princípio da tribulação de sete anos.
Tanto as sete igrejas como estes acontecimentos seguem em seqüência dentro do hiato. Outros acontecimentos são previstos que não podemos encaixar em uma seqüência. Destacamos os seguintes, todos ainda no futuro:
  • Trevas: estão previstas em cinco ocasiões, uma das quais, de acordo com Joel 2:31, será antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR, outra descrição dos sete anos de tribulação. Serão semelhantes às do Egito (Êxodo 10:21-23) e às que houve durante a crucificação (Mateus 27:45).
  • A volta de Elias: acontecerá antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR, para restaurar a unidade da família de Israel, que está em vias de se desintegrar.
  • O arrebatamento da igreja de Cristo, a quem foi prometido que não estará sujeita à ira, e só Deus sabe o dia e a hora em que isto vai acontecer (Mateus 24:36-44, Atos 1:7). Este acontecimento não se confunde com a segunda volta de Cristo ao mundo com o fim de julgá-lo e estabelecer o Seu reino. O arrebatamento é a esperança da igreja, quando o Senhor, a brilhante Estrela da Manhã (Apocalipse 22:16), descerá para encontrá-la nos ares, para que estejamos para sempre com Ele (João 14:1-3, Filipenses 3:20-21, 1Tessalonicenses 4:13-18, 1Coríntios 15:50-58, 1João 3:2), enquanto a segunda volta é a esperança de Israel, quando Ele aparecerá como o Sol da justiça, com salvação nas suas asas (Malaquias 4:2). Tudo o que se sabe a respeito de quando o arrebatamento ocorrerá, é que vai ser antes da tribulação (1Tessalonicenses 1:9-10, 5:9, Apocalipse 3:10) e que está iminente, como sempre esteve (João 21:20-23, Romanos 13:11-12, Tiago 5:7-9, Apocalipse 22:20).
A verdadeira esperança do crente não está na terra, mas no céu. Esperamos o cumprimento dos desígnios de Deus na terra, mas nossa prioridade não é a nossa liberação na terra, para usufruir bênçãos terrenas, como a nação de Israel, mas sim, liberação da terra, para gozarmos das inefáveis bênçãos na presença de nosso Salvador no céu. O crente não espera a conversão do mundo para Cristo, nem a sua reforma. Sua esperança imediata não é o reino de Cristo, mas a vinda de Cristo para buscá-lo.

VIA GRITOS DE ALERTA

Dona Dilma e seus quatrocentos conselheiros

 
A presidenta Dilma Rousseff pede conselho sobre algumas medidas governamentais que pretende tomar e quatrocentos líderes evangélicos se reúnem com ela e dizem: “Vá em frente, porque o Senhor abençoará você no que você está fazendo”.
Contudo, tal resposta não satisfez a um amigo dela, que lhe diz: “Não sei não, companheira Dilma. Ando interessado em coisas espirituais, mas não senti genuinidade espiritual nesses conselhos. Será que não dá para trazer aqui alguém que realmente possa nos dizer o que Deus pensa sobre o que vamos fazer?”
Dilma responde: “Sim, existe um homem, que se chama Micaías. Mas eu tenho ódio dele porque nunca diz sobre mim o que gosto de ouvir, mas só o que é ruim”.

Micaías, o homem sem sintonia com o sistema

Por insistência do amigo, Micaías é chamado a comparecer diante de Dilma, que lhe pergunta: “Micaías, pretendo dar continuidade às políticas de Lula sobre Israel, orientação sexual e interrupção da gravidez. O que você me diz? Terei a bênção de Deus?”
“Ouça a Palavra do Senhor”, diz Micaías, que então entrega para Dilma a mensagem divina. Ela não gostou, mas o recado foi dado.
Os quatrocentos líderes evangélicos se enfureceram com a falta de sintonia de Micaías: “Como é que você pode insinuar que a Palavra do Senhor está com você e que nós estamos com um espírito de mentira na nossa boca? Somos quatrocentos e você é somente um. Nós representamos a unidade da igreja no Brasil!”
Dilma imediatamente desabafa: “Estão vendo? Esse Micaías não desagrada somente a mim; ele é odiado por seus próprios irmãos evangélicos! Eu prefiro mesmo os conselhos dos quatrocentos”. Então, dirigindo-se aos seus assessores, ela esbraveja: “Quero censura nos textos de Micaías! Façam o que for possível para sufocar a mensagem dele! Arranjem uma desculpa para mandá-lo para a cadeia: ‘homofobia’, sei lá. Quero ver esse cara ralando e comendo o pão que o diabo amassou!”
Em seguida, suavizando a voz, ela diz: “Quanto aos meus queridos quatrocentos, confiram o que podemos fazer por eles: concessões de TV, rádio, etc. Toda e qualquer concessão possível. Quero também propagandas caras da Petrobras nas redes de televisão deles. Eu honro meus amigos”.
Essa estória foi baseada num caso verídico registrado em 1 Reis 22:1-28, onde um real homem chamado Micaías falou para o rei Acabe o que ele não queria ouvir. A similaridade entre os conselheiros religiosos do governo do Israel antigo e os conselheiros evangélicos do Brasil moderno é fascinante, onde existe apenas uma diferença: não há um profeta Micaías para “incomodar” os governantes iníquos do Brasil.
Dilma e Magno Malta
Se Dilma quiser ouvir uma palavra agradável, ela pode chamar o Bispo Macedo. “Querido Macedo, você já recebeu o acordo de propaganda da Petrobras para sua TV Record? Que bom! Seu apoio ao aborto é um ânimo para mim!” Depois, ela confessa para Magno Malta: “Macedo será tão fiel a mim quanto foi ao Lula. Não fique com ciúmes, querido Malta. Você sabe que considero você também um leal companheiro”.

A aliança dos quatrocentos e a “ilusão” conservadora

Se a unidade é que faz a diferença, Dilma conta com um apoio fabuloso. Ela tem o Bispo Manoel Ferreira e agora também a recém fundada Aliança Cristã Evangélica Brasileira (ACEB), entidade de união evangélica cuja carta de princípios não revela explicitamente motivações políticas, mas cujos integrantes principais têm histórico comprovado de ligações com o PT, inclusive Ariovaldo Ramos, Paul Freston, Ricardo Gondim, Robinson Cavalcanti. A revista Ultimato é a patrocinadora principal da ACEB desde o princípio, conforme denunciei em 2009.
Em sua edição de janeiro/fevereiro, a Ultimato traz um artigo de René Padilla, considerado o maior porta voz da Teologia da Missão Integral, versão protestante da marxista Teologia da Libertação. Essa edição da Ultimato trata abundantemente da ACEB e traz um artigo de Paul Freston, que se ocupou em manifestar uma fascinante síndrome de negação.
A mídia esquerdista informou que a questão do aborto e a participação evangélica foi relevante na eleição. Mas Freston respondeu: “Os evangélicos não foram tão decisivos na eleição quanto muitos deles (e muitos opositores) pensam” (pág. 48.).
A mídia esquerdista também informou que, desesperada, Dilma correu atrás dos evangélicos em busca de apoio durante a eleição. Mas Freston fez sinal de “não” aí também.
Sorte não terem dito para Freston que o sol é amarelo, pois seu estado de negação falaria mais alto do que a realidade: “O sol é azul!”
Portanto, esqueça tudo o que a própria imprensa esquerdista disse sobre evangélicos, conservadorismo e aborto — e esqueça o mais rápido possível, pois a união dos quatrocentos não pode sofrer nenhum abalo no apoio direto ou indireto à dona Dilma e sua ideologia.
Se algum metido a Micaías tentasse insinuar que as questões do aborto e do homossexualismo foram fatores importantes na eleição presidencial passada, o “doutor” Paul Freston, que já foi membro de carteirinha do PT, responderia: “Vou dizer isso pela milésima vez: o conservadorismo não teve nenhum papel importante na eleição!”
Será que Ariovaldo Ramos, que sempre apoiou Lula, concordaria com o companheiro Freston? Durante a eleição, Ariovaldo criou um manifestopúblico, declarando: “manifestamos as nossas rejeições diante da onda de conservadorismo que se abateu sobre o país nesse processo eleitoral”.
Freston para Ari: “Por que tanto pavor, Ari? Não houve nenhuma onda de conservadorismo! Essa resistência contra o aborto foi puramente imaginária! Não podemos deixar uma fantasia dessa atrapalhar o avanço do progressismo! Não podemos desapontar nossos quatrocentos companheiros!”
Não se surpreenda com Freston ou a própria Ultimato, que enxergam tudo pelas lentes da Teologia da Libertação. Aliás, na edição de novembro/dezembro da Ultimato, Freston disse sobre Santo Agostinho: “Agostinho acrescenta que ‘a cobiça dos ricos é insaciável’. Há uma semelhança com a Teologia da Libertação”. Por favor, não lhe peçam para interpretar Lutero ou Calvino.
Conforme as oportunidades permitirem, as mesmas “semelhanças” vão surgir na ACEB e o histórico ideológico de seus atuais líderes vai garantir que isso aconteça. Afinal, Dilma e suas políticas progressistas precisam de apoio, e a turma da Teologia Missão Integral está muito animada com a vitória dela. Nas reuniões da ACEB, Ariovaldo Ramos, Paul Freston, Valdir Steuernagel, Robinson Cavalcanti e a Ultimato só achariam prematuro demais gritar “Aleluia” para o progressismo de Dilma agora. Vão ter de esperar a hora certa.
O grande alívio da turma da ACEB é que não há concorrência. Sua voz é a única que se arroga à pretensão de representar todos os evangélicos do Brasil.
Nem mesmo a questão do aborto e homossexualismo os impedirá de serem conselheiros prestativos no palácio da Dilma. Que o diga Ari, que sempre soube apoiar Lula (e Hugo Chavez!), independente do que Lula dissesse ou fizesse sobre essas duas questões.

O antigo baalismo em moderna roupagem estatal

No antigo Israel, quando se olhava para a questão do homossexualismo e sacrifício de bebês recém-nascidos, Baal era a motivação. Baal era a divindade que prometia provisão, saúde, educação, emprego e sexo ilimitável para as pessoas. Em troca de seus favores e ajudas, Baal exigia, prostituição, sodomia e sacrifício de bebês.
Hoje, por causa da tecnologia, a sociedade não precisa mais matar bebês logo depois que nascem. Podem matá-los antes de nascer. E a mesma tecnologia permite que homens se disfarcem de mulheres, exclusivamente para as práticas da sodomia.
Quando olhamos para a questão do homossexualismo e sacrifício de bebês em gestação por meio da ideologia do aborto, vemos que o Baal antigo se transfigurou numa moderna divindade estatal que, quer você a siga ou não, promete provisão, saúde, educação, emprego e sexo ilimitável para as pessoas. Quer você a siga ou não, a divindade estatal sobrecarregará você com impostos com a desculpa de cumprir suas promessas e “ajudar os pobres”, e depois sobrecarrega você com prostituição e ofertas de aborto. Para seus filhos, haverá doutrinação homossexual nas escolas.
Quem pode enfrentar esse espírito de Baal transfigurado em divindade estatal? Quem pode desafiar o sistema de homossexualismo e sacrifício de bebês? Não os sociólogos, não os filósofos, não os ideólogos e não os teólogos, por mais evangélicos que aparentem ser. Somente os homens que são verdadeiramente movidos por Deus.
O primeiro encontro profético do rei Acabe não foi com Micaías. Foi com Elias, onde quatrocentos profetas de Baal (o deus do homossexualismo e sacrifício de bebês) desafiaram e perderam.
Os quatrocentos profetas falavam a partir de sua base de ligação com o sistema.
Micaías e Elias falavam a partir de sua base de ligação com Deus e sua palavra profética. Nenhum dos dois nunca teve carteirinha do partido do rei Acabe. Nenhum dos dois tinha ligação com um sistema que usa os pobres para cometer crimes. Suas profecias se cumpriram, e Deus julgou Israel, seu governo, seu povo e os que adulavam, em nome de Deus, governantes ímpios.

Em nome dos pobres, vale tudo

A ética socialista e progressista prega uma suposta defesa aos pobres que justifica toda e qualquer atrocidade. Assim, os mais de 100 milhões de assassinatos mundiais cometidos em nome do socialismo estão totalmente perdoados. O envolvimento de Dilma com o terrorismo comunista no passado, que tinha como objetivo implantar no Brasil uma ditadura de inspiração soviética, está também desculpado. Para eles, o que vale é a causa, não o resultado.
Enquanto as lideranças progressistas da ACEB se alegram com a suposta preocupação de Dilma com os pobres e não olham para mais nada, ela vaiselecionando ministros claramente pró-aborto e pró-homossexualismo, desrespeitando os sentimentos da vasta maioria do povo brasileiro. O show — ops, o culto! — de Baal tem de continuar.
Portanto, temos no Brasil o quadro quase perfeito do Israel antigo. Recentemente, tivemos a versão brasileira do rei Acabe. Agora, temos a versão brasileira da rainha Jezabel. Temos até a versão brasileira dos quatrocentos que, em nome de Deus, falam todas as palavras de adulação que o governo quer ouvir. São os profetas da Teologia da Libertação.
Entretanto, onde está a versão brasileira do profeta Micaías, para incomodar os governantes e seu baalismo pró-aborto e pró-homossexualismo? Onde está Micaías, para dizer todas as palavras desagradáveis que o governo não quer ouvir?
Dona Dilma não está preocupada: ela tem seus quatrocentos para apoiá-la e dar um tabefe na cara de Micaías. (Ver 1 Reis 22:24)
 
 
VIA GRITOS DE ALERTA
Fonte: www.juliosevero.com