sexta-feira, 6 de maio de 2011

Proteste agora! União homoafetiva não é entidade familiar!




"Envie agora e-mails para os 11 ministros do Supremo Tribunal Federal com a mensagem: RELAÇÃO HOMOAFETIVA NÃO É ENTIDADE FAMILIAR. VOTE CONTRA ESSA LEI INCONSTITUCIONAL! O STF continuará a julgar no início desta tarde (05/05) uma ação que reconhece a união entre casais do mesmo sexo como uma “entidade familiar”.

Até a suspensão do julgamento na noite da última quarta-feira (04/05), somente o relator do projeto, ministro Carlos Ayres Britto, votou a favor. Faltam ainda os votos dos outros dez ministros. Caso o Supremo reconheça os casais homossexuais como entidade familiar, a decisão garante a estes os mesmos direitos das uniões estáveis de heterossexuais, tais como herança, comunhão parcial de bens, pensão alimentícia e previdenciária.

O que está em jogo é a célula mater da sociedade, a família. Não se trata apenas de defender os princípios bíblicos, mas de apregoar o que prevê a Constituição Federal, a qual reconhece como entidade familiar a união estável entre homem e mulher. Não adianta só orarmos enquanto temos de agir. Vamos somar forças!

Segue a relação de e-mails de todos os ministros do STF: mluciam@stf.jus.br; gabcob@stf.jus.br; beatriz@stf.jus.br; audienciagabmmam@stf.jus.br; audienciaellengracie@stf.jus.br; audienciasgilmarmendes@stf.jus.br; gabminjoaquim@stf.jus.br; gabinete-lewandowski@stf.jus.br; emilias@stf.jus.br; gabmtoffoli@stf.jus.br e gabineteluizfux@stf.jus.br."


Pr. Silas Malafaia

BISPO ROBERTO TORRECILHAS APOIA A MARCHA CONTRA A APROVAÇÃO DA LEI DA MORDAÇA E CONTRA A PL 122/06


Como um país democrático deveria encarar um ato contra direitos para negros? Guarde a resposta para o seguinte fato: o pastor Silas Malafaia organiza uma marcha na frente do Congresso Nacional para criticar o projeto de lei que criminaliza a homofobia (PL 122/06).
A data da manifestação é emblemática: quarta-feira 29 de junho, imediatamente após o Dia Internacional do Orgulho LGBT. A razão, de acordo com Malafaia, é “protestar contra uma lei que é inconstitucional e contra a família”.
Em seu programa de tevê, transmitido em diversas emissoras, o religioso incentiva  “os que defendem a família” a pedir folga ou trabalhar até o meio-dia de forma a integrar a marcha, marcada para as 15h.
A proposta é ele se reunir com parlamentares enquanto pessoas protestam fora do Congresso Nacional contra a proposta de lei. Enfim, qualquer semelhança com atos da Idade Média, com a Inquisição não é mera coincidência!


SIGAM ME NO TWITTER
http://twitter.com/#!/bispo_roberto

SIGA ME EM MEU TWITTER

http://twitter.com/#!/bispo_roberto

Marcelo Aguiar quer ouvir Ecad sobre denúncias

O deputado federal Marcelo Aguiar (PSC-SP) ficou apreensivo diante de denúncias publicadas no jornal O Globo, nos últimos dias, a respeito de irregularidades no sistema de arrecadação e distribuição dos direitos autorais no Brasil. Membro da Comissão de Ciência, Tecnologia e Comunicação da Câmara dos Deputados, Marcelo apresentou requerimento para convocar o diretor presidente da Associação Brasileira de Música e Arte (Abramus), Roberto Correa de Mello, e a superintendente do Escritorio Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), Gloria Braga, para prestar esclarecimentos à Comissão sobre as denúncias.

Instituição privada sem fins lucrativos criada durante a ditadura militar, o Ecad reúne diferentes associações de músicos, algumas presididas por artistas como Dorival Caymmi e Fernando Brant. Seu papel é cobrar, arrecadar e, por fim, distribuir. Nos últimos anos o Ecad avançou muito e a arrecadação avança no mesmo ritmo, foram R$ 439 milhões somente em 2010. Algo em torno de 2,3 milhões de músicas estão no cadastro da instituição e mais de 340 mil artistas estão cadastrados na entidade.

A instituição enfrenta críticas constantes, de artistas que não se julgam representados pela entidade – cuja distribuição alcançaria só os "mais tocados" – e empresas que se acham exploradas pelo órgão.

Nos últimos dias a situação piorou. Denúncias feitas pelo jornal O Globo apontam irregularidades em casos como o de Milton Coitinho dos Santos, de Bagé (RS), e o de uma certa família Silva, de Belo Horizonte (MG), que receberiam por músicas que não compuseram, têm causado certa perplexidade. Coitinho, um suposto autor desconhecido, recebeu, por meio de fichas técnicas enviadas à União Brasileira dos Compositores (UBC), nos últimos dois anos, R$ 127,8 mil relativos a direitos autorais de 24 trilhas sonoras de cinema. O Ecad já afirmou que não haverá qualquer prejuízo aos verdadeiros autores.

Outra reportagem demonstra, em trocas de e-mails, relação de proximidade entre diretores de associações que compõem o Ecad com a atual gestão do Ministério da Cultura. Os dois lados vêm negando essa proximidade, mas, nos e-mails publicados na reportagem do jornal O Globo, diretores das Associações que compõem o Ecad usam termos como "nossa amiga" e "novo momento político" quando se referem à atual gestão do Ministério da Cultura (MinC).

A série de nove e-mails mostra como a mudança de governo foi encarada com otimismo pelos dirigentes do Ecad. É histórico o posicionamento contrário do Ecad às intenções dos ex-ministros Gilberto Gil e Juca Ferreira de alterar a Lei do Direito Autoral.

Um dos pontos mais polêmicos do projeto de reforma trata justamente da criação de um órgão fiscalizador do Ecad. Ao assumir a pasta, Ana de Hollanda, disse que não via possibilidade de criar o órgão porque não via como subordinar uma entidade de classe ao Poder Executivo. Os e-mails, além de revelar a suposta vontade do MinC de ter “uma interlocução mais próxima” com o Ecad, trazem acusações a diretores de associações que repartiriam honorários de advogados.

As denúncias fizeram o MinC se posicionar em relação à entidade. Agora já se fala em supervisão, mas não em fiscalização. Em nota enviada aos jornais, o Ministério afirmou que, “desde sempre, apontou a possibilidade da existência de falhas na gestão coletiva e a necessidade de supervisão do Ecad pelo Estado”. A nota repudia, ainda, quaisquer insinuações de que seus integrantes atendam a interesses ilegítimos ou ilegais. Mas a troca de mensagens preocupa os parlamentares.

"Na audiência proposta queremos ouvir, então, de Roberto Correa de Melo e da senhora Glória Braga, informações sobre a arrecadação que vem sendo feita pelo Ecad, como têm sido feitos os cadastros, qual é o destino dos valores retidos nos últimos anos e como será feita a fiscalização e punição dos casos descobertos", explicou Marcelo Aguiar.

Os parlamentares também querem informações sobre a suposta proximidade da instituição com o comando da pasta de Cultura e sobre a reforma da Lei do Direito Autoral.

Futuramente, poderá existir a necessidade desta Comissão ouvir os envolvidos na troca de e-mails: José Antonio Perdomo, diretor superintendente da União Brasileira dos Compositores (UBC), Jorge Costa (diretor administrativo e financeiro da Sociedade Brasileira de Administração e Proteção de Direitos Intelectuais, a Socinpro), Marcus Vinicius de Andrade (presidente da Associação de Músicos Arranjadores e Regentes, a Amar), Fernando Brant (presidente da UBC), Ronaldo Bastos (diretor de comunicação da UBC), Sandra de Sá (diretora vogal da UBC) e Danilo Caymmi (diretor da Abramus).

Além dos esclarecimentos acerca das denúncias que, por si só, já justificam a necessidade de audiência pública para debater o problema, outras dúvidas preocupam os deputados. Uma delas diz respeito à taxa que o Ecad quer cobrar das rádios comunitárias e educativas. As entidades tentam comprovar que a referida taxa não é devida porque elas não têm como finalidade o lucro. O Ecad afirma que decisões judiciais garantem a cobrança da taxa com base na Lei nº 9.610/98, em seu artigo 68, que dispõe sobre a necessidade do pagamento de direitos autorais nas execuções públicas de obras musicais independentemente de obtenção de lucro, direto ou indireto, pelo executor.

Para o Ecad, a “Lei do Direito Autoral vigente no Brasil assegura que somente os autores tem o direito de utilizar, fruir e dispor de sua obra, bem como autorizar a sua utilização por terceiros. Ao utilizar músicas sem a prévia autorização, as rádios comunitárias infringem a lei”.

Por conta da divergência, os parlamentares desta Comissão pretendem, com a audiência pública requerida, obter mais informações sobre esta taxa e sobre a situação das rádios comunitárias e educativas.​

"A despeito das evidências apontadas e dos esforços que diversas casas legislativas empreenderam na elucidação de problemas e irregularidades no sistema de arrecadação e distribuição de direitos autorais, o que se verifica é a manutenção de uma insatisfação geral da classe artística", lembra o parlamentar. Na Câmara dos Deputados a CPI do Ecad, em 1995, e outras duas CPI´s, uma na Assembléia Legislativa do Mato grosso do Sul e outra na Assembléia de São Paulo, tentaram investigar o problema, mas suas conclusões foram desconsideradas pela entidade.

O requerimento foi protocolado na Comissão e deve ser votado nos próximos dias, mas já conta com a assinatura de parlamentares como Pastor Eurico, Silas Câmara, Júlio Campos e Sandro Alex.
Alessandra Flach
Assessoria de Imprensa

Marcelo Aguiar quer ouvir Ecad sobre denúncias

O deputado federal Marcelo Aguiar (PSC-SP) ficou apreensivo diante de denúncias publicadas no jornal O Globo, nos últimos dias, a respeito de irregularidades no sistema de arrecadação e distribuição dos direitos autorais no Brasil. Membro da Comissão de Ciência, Tecnologia e Comunicação da Câmara dos Deputados, Marcelo apresentou requerimento para convocar o diretor presidente da Associação Brasileira de Música e Arte (Abramus), Roberto Correa de Mello, e a superintendente do Escritorio Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), Gloria Braga, para prestar esclarecimentos à Comissão sobre as denúncias.

Instituição privada sem fins lucrativos criada durante a ditadura militar, o Ecad reúne diferentes associações de músicos, algumas presididas por artistas como Dorival Caymmi e Fernando Brant. Seu papel é cobrar, arrecadar e, por fim, distribuir. Nos últimos anos o Ecad avançou muito e a arrecadação avança no mesmo ritmo, foram R$ 439 milhões somente em 2010. Algo em torno de 2,3 milhões de músicas estão no cadastro da instituição e mais de 340 mil artistas estão cadastrados na entidade.

A instituição enfrenta críticas constantes, de artistas que não se julgam representados pela entidade – cuja distribuição alcançaria só os "mais tocados" – e empresas que se acham exploradas pelo órgão.

Nos últimos dias a situação piorou. Denúncias feitas pelo jornal O Globo apontam irregularidades em casos como o de Milton Coitinho dos Santos, de Bagé (RS), e o de uma certa família Silva, de Belo Horizonte (MG), que receberiam por músicas que não compuseram, têm causado certa perplexidade. Coitinho, um suposto autor desconhecido, recebeu, por meio de fichas técnicas enviadas à União Brasileira dos Compositores (UBC), nos últimos dois anos, R$ 127,8 mil relativos a direitos autorais de 24 trilhas sonoras de cinema. O Ecad já afirmou que não haverá qualquer prejuízo aos verdadeiros autores.

Outra reportagem demonstra, em trocas de e-mails, relação de proximidade entre diretores de associações que compõem o Ecad com a atual gestão do Ministério da Cultura. Os dois lados vêm negando essa proximidade, mas, nos e-mails publicados na reportagem do jornal O Globo, diretores das Associações que compõem o Ecad usam termos como "nossa amiga" e "novo momento político" quando se referem à atual gestão do Ministério da Cultura (MinC).

A série de nove e-mails mostra como a mudança de governo foi encarada com otimismo pelos dirigentes do Ecad. É histórico o posicionamento contrário do Ecad às intenções dos ex-ministros Gilberto Gil e Juca Ferreira de alterar a Lei do Direito Autoral.

Um dos pontos mais polêmicos do projeto de reforma trata justamente da criação de um órgão fiscalizador do Ecad. Ao assumir a pasta, Ana de Hollanda, disse que não via possibilidade de criar o órgão porque não via como subordinar uma entidade de classe ao Poder Executivo. Os e-mails, além de revelar a suposta vontade do MinC de ter “uma interlocução mais próxima” com o Ecad, trazem acusações a diretores de associações que repartiriam honorários de advogados.

As denúncias fizeram o MinC se posicionar em relação à entidade. Agora já se fala em supervisão, mas não em fiscalização. Em nota enviada aos jornais, o Ministério afirmou que, “desde sempre, apontou a possibilidade da existência de falhas na gestão coletiva e a necessidade de supervisão do Ecad pelo Estado”. A nota repudia, ainda, quaisquer insinuações de que seus integrantes atendam a interesses ilegítimos ou ilegais. Mas a troca de mensagens preocupa os parlamentares.

"Na audiência proposta queremos ouvir, então, de Roberto Correa de Melo e da senhora Glória Braga, informações sobre a arrecadação que vem sendo feita pelo Ecad, como têm sido feitos os cadastros, qual é o destino dos valores retidos nos últimos anos e como será feita a fiscalização e punição dos casos descobertos", explicou Marcelo Aguiar.

Os parlamentares também querem informações sobre a suposta proximidade da instituição com o comando da pasta de Cultura e sobre a reforma da Lei do Direito Autoral.

Futuramente, poderá existir a necessidade desta Comissão ouvir os envolvidos na troca de e-mails: José Antonio Perdomo, diretor superintendente da União Brasileira dos Compositores (UBC), Jorge Costa (diretor administrativo e financeiro da Sociedade Brasileira de Administração e Proteção de Direitos Intelectuais, a Socinpro), Marcus Vinicius de Andrade (presidente da Associação de Músicos Arranjadores e Regentes, a Amar), Fernando Brant (presidente da UBC), Ronaldo Bastos (diretor de comunicação da UBC), Sandra de Sá (diretora vogal da UBC) e Danilo Caymmi (diretor da Abramus).

Além dos esclarecimentos acerca das denúncias que, por si só, já justificam a necessidade de audiência pública para debater o problema, outras dúvidas preocupam os deputados. Uma delas diz respeito à taxa que o Ecad quer cobrar das rádios comunitárias e educativas. As entidades tentam comprovar que a referida taxa não é devida porque elas não têm como finalidade o lucro. O Ecad afirma que decisões judiciais garantem a cobrança da taxa com base na Lei nº 9.610/98, em seu artigo 68, que dispõe sobre a necessidade do pagamento de direitos autorais nas execuções públicas de obras musicais independentemente de obtenção de lucro, direto ou indireto, pelo executor.

Para o Ecad, a “Lei do Direito Autoral vigente no Brasil assegura que somente os autores tem o direito de utilizar, fruir e dispor de sua obra, bem como autorizar a sua utilização por terceiros. Ao utilizar músicas sem a prévia autorização, as rádios comunitárias infringem a lei”.

Por conta da divergência, os parlamentares desta Comissão pretendem, com a audiência pública requerida, obter mais informações sobre esta taxa e sobre a situação das rádios comunitárias e educativas.​

"A despeito das evidências apontadas e dos esforços que diversas casas legislativas empreenderam na elucidação de problemas e irregularidades no sistema de arrecadação e distribuição de direitos autorais, o que se verifica é a manutenção de uma insatisfação geral da classe artística", lembra o parlamentar. Na Câmara dos Deputados a CPI do Ecad, em 1995, e outras duas CPI´s, uma na Assembléia Legislativa do Mato grosso do Sul e outra na Assembléia de São Paulo, tentaram investigar o problema, mas suas conclusões foram desconsideradas pela entidade.

O requerimento foi protocolado na Comissão e deve ser votado nos próximos dias, mas já conta com a assinatura de parlamentares como Pastor Eurico, Silas Câmara, Júlio Campos e Sandro Alex.
Alessandra Flach
Assessoria de Imprensa

NÃO PODERIA FICAR SEM DAR UMAS BOAS RISADAS

este seria o vôo fretado do Palmeiras depois da goleada. Foto 
montagem. 

MUITO BOA MESMO , KKKKKKKKKKKKKKK

em um momento de discontração .

Bispo Roberto.

Osama morreu, e daí?


Fico espantado com o enfoque dado a certos temas na atualidade, hoje acordei, ligeui a TV, e qual era o assunto?, a morte de Osama, mudei para a Record News, qual o assunto?, a morte de Osama, apertei o botão de meu controle remoto e fui conferir o que estava passando na CNN, qual assunto?, a morte de Osama. Os principais canais de notícias ao redor do mundo estavam falando do mesmo assunto

Mas o que muda com a morte de Osama?
O mundo ficou mais seguro?
As pessoas podem finalmente viverem em paz?
Os americanos podem descansar, porque afinal de contas Osama "o terorista morreu?
O que muda para o mundo?
Nada.
Nada muda, tendo em vista que o que esteve em jogo até então sempre foi e vai ser a reputação dos EUA.
Bin Laden foi um líder com capacidade de inferir nos seus liderados um sentimento de distorcido, maquiavélico, frio e calculista no tocante ao resto do mundo (os não islâmicos)
Entretando, esse sentimento malígno, (malígno porque é bau para a humanidade, malígno porque não respeita a vida nem tampouco os valores inerentes à pessoa humana), não se deve atribuir ao  Bin Laden. Isso deve ser atribuído ao Islamismo, cujas ideologias (sem generalizar) não passam de um estágio de doença psico-degenerativa, posto que acreditam que matar lhes trará alguma vantagem numa outra dimensão ou estágio da vida.

Nada muda porque sua morte não aniquila a Al Qaeda.
O egípcio Ayman al-Zawahri, o número 2 da organização terrorista, há muito tem desempenhado um papel crucial como chefe de operações da Al Qaeda. E a Al Qaeda é mais uma rede de células frouxas e espalhadas do que uma organização bem estruturada.
Nada muda porque sua morte não aniquila as demais organizações terroristas.
A AQIM, a versão da Al Qaeda no Norte da África, é uma ameaça real em países como Mali e Mauritânia, mas matar Bin Laden provavelmente terá consequências negligenciáveis por lá.
Os terroristas da AQIM podem admirar Osama e se inspirar nele, mas eles também tem autonomia. Anwar al-Awlaki, o terrorista ligado à Al Qaeda no Iêmen, também não se sentirá intimidado pela morte de Bin Laden. A capacidade de Awlaki de orquestrar atos terroristas será muito mais afetada pelas convulsões políticas que ocorrem agora no Iêmen.


Nada muda porque sua morte não vai aniquilar a existência de um Islamismo distorcido, com ideias dontias, motivado por um sentimento egoísta e altamente egocêntrico, cujos ideiais não passam de um estágio do que há de mais patético monstruoso atualmente no mundo religioso.
O que fará os EUA com os outros "Osamas"? instalados ao redor do mundo, frutos do islamismo (não de Osama, este era apenas  um no meio de um todo), cujas ideias doentias continuam a ameçar  a integridade e o bem da humanidade?

Lamentavelmente meus amigos, NADA.


Fonte .

Al dajjal, o anticristo AL DAJJAL







Este governante único é uma pessoa com poder para criar o governo global ou para dirigi-lo, pois o governo já está sendo criado pelos governantes ocultos deste mundo.
Ele permanece oculto na Síria até o momento de se manifestar ao mundo, aguarda sua hora enquanto o mundo caminha para as suas mãos.
Ele é o centro de toda conspiração é para ele que os governantes ocultos criam o que está sendo criado em oculto, o feto do governo global.

Ele nasceu na Europa, Polônia, estudou nas ordens ocultas no Egito e na Turquia e agora está oculto na Síria esperando a hora de governar o planeta.
O mundo caminha para as suas mãos, eles acreditam que este reinado dele durará 1.000 anos. Ele tem o mesmo sonho de Hitler do Reich de 1.000 anos, mas as profecias indicam que durará apenas 7 anos e tudo acabará num banho de sangue onde a humanidade viverá seus piores dias e mais de 4 bilhões de pessoas será eliminado.
Será o maior desafio para nossa humanidade já sofrida por tantas guerras e tantos conflitos.


Dajjal
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Masih ad-Dajjal (árabe: المسيح الدجال, literalmente "O Messias Impostor") é uma figura do mal na escatologia islâmica, onde será o impostor que irá se passar pelo Messias, antes do Dia da Ressurreição. Na linguagem ocidental, seria o anticristo da teologia cristã.
Dajjal é uma palavra árabe comum, utilizado no sentido de "falso profeta", mas al-Masih ad-Dajjal, com o artigo definido, refere-se ao "impostor", “enganador”.
O termo al-Masih ad-Dajjāl (árabe para "o falso messias") é uma tradução literal do termo Siríaco - Mšīḥā Daggālā, do vocabulário comum do Oriente Médio e adaptado em língua árabe 400 anos antes do Alcorão através da Peshitta, a Bíblia em aramaico, que usa esse termo em vez do grego “Anticristo” (αντί + Χριστός).
Dajjal
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.






Portanto Dajjal não é um texto islâmico e sim algo que o Islã pegou do cristianismo primitivo árabe, Anticristo para eles era Dajjal, o Impostor.




Atualmente a Al Qaeda é usada para atingir os objetivos do Dajjal, semeando o terrorismo e com isso forçando o mundo a entrar numa nova ordem, onde o cidadão será monitorado 24 horas e a tecnologia eles já tem para isso, é o chip de controle global, o chip que será implantado na pele, o 666.


Uma grande desculpa que eles terão para quem não aceitar o 666 é que esta pessoa é um terrorista e por isso vão eliminar a pessoa da terra, vão torturar e matar esta pessoa. Por isso os governantes ocultos deixam a Al Qaeda se fortalecer no mundo, pois ela é a desculpa que eles querem para o controle total, o 666.


O crente que ficar no arrebatamento e não aceitar o chip será chamado de terrorista, perseguido e morto.Falando em crente não estou falando apenas em evangelico, mas do que crê nas palavras da santa biblia sobre APOCALIPSE, Besta, etc, falo de evangelicos, catolicos, judeus e arabes que acreditam que deve haver uma resistencia contra o Anticristo.

ALERTA - OVNIS, HUMANóIDES, ANJOS E DEMóNIOS - Os filhos da morte infiltrados nas igrejas

Na cabeça do governo da besta, do governo oculto que está se formando, estão os satanistas que controlam o mudo por magia. Há várias irmandades satanistas na terra, todas elas ligadas ao governo oculto do mundo, o poder das irmandades sinistras da escuridão.
Os seres que controlam o mundo por magia mantém as almas sobre controle, uma magia é feita, um anzol colocado na àgua (simbolicamente), muitas almas são pegas pelo anzol, se ferem nele. Como alguém pode ser tão mal ao ponto de controlar o mundo por magia? Este controle é antigo, eles detém o principado das trevas sobre a terra, no tempo de Jesus o Príncipe deste mundo: Satanás, tinha seus adeptos para levar Jesus ao madeiro. Hoje seus adeptos são milhares em todo o mundo e estão prontos para torturar os crentes que ficarem no arrebatamento. Eles tem sede de sangue da igreja de Jesus, não eles, mas o maligno que os usa como vasos, como obreiros do inferno.

Cada ordem satanista tem sua função, cada ramo do satanismo tem um papel na terra. O encaixe de todas as peças domina o mundo, forma a besta de 7 cabeças e 10 chifres, que liga várias ordens menores, partidos políticos, confrarias, multinacionais, etc.

Lembro de minha vó, de saudosa memôria, o quanto ela era perseguida pelo misticismo, não podia nem sair de casa, eles sempre enviavam alguém para persegui—la. Estas ordens convivem com a sociedade, e ninguém as nota, elas estão em toda parte, preparando o reinado da besta, mas ninguém observa, quem descobre sobre elas pode correr o risco de ser mais um perseguido. Daniel Mastral se aprofundou na Ordem Satanista ou Irmandade Satanista de La Vey, mas existe outras ordens satanistas terríveis também, controlando o mundo de forma oculta. No caso de minha vó uma vez o Comando Ishtar, outra vez o Cavalo Marinho a perseguiu. Houve outras perseguições, citei estas duas pra revelar como estamos frágeis diante de ordens sinistras. Frágeis até certos pontos, pois o Eterno guardou ela em tudo e nenhum mal tocou sobre ela, pois ele a protegeu com suas mãos de poder.
O mundo rola para o governo de Satã e suas ordens misticas...
Como lutar contra eles? Só Jesus nós dá forças para enfrentar o exército das trevas...
As ordens do misticismo estão em toda parte, e já se infiltraram na igreja a muito tempo, como escreve Judas, nos versos 3 e 4;

Amados, quando empregava toda diligência em escrever—vos acerca da nossa comum salvação, me senti obrigado a corresponder—me convosco, exortando a batalhardes, diligentemente, pela fé, que uma vez por todas foi entregue aos santos. Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais desde muito foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens impios que transformam em libertinagem a graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, negando—o;



Na época de Judas os gnósticos e outros hereges estavam se infiltrando nas igrejas, corrompendo a sã doutrina. Hoje, igualmente, seres enviados por Satã: se fazendo passar por seguidores de Cristo, porém negando em oculto o verdadeiro Cristo, entram nas igreja e arrastam comunidades inteiras para o abismo. Iludindo o rebanho de Jesus com liberalismo e com altas somas de dinheiro.
Não podendo destruir a igreja Satã agora se faz passar por evangélico infiltrando ordens misticas no seio da igreja.


Os filhos da morte estão em toda parte. Uma das maiores políticas destes intrusos na igreja é evitar que se pregue a verdade sobre o apocalipse e sobre a vinda de Jesus, como está na carta de II Pedro 3,3, em diante:


Amados, escrevo-vos agora esta segunda carta, em ambas as quais desperto com exortação o vosso ânimo sincero;
2 Para que vos lembreis das palavras que primeiramente foram ditas pelos santos profetas, e do nosso mandamento, como apóstolos do Senhor e Salvador.
3 Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências,
4 E dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação.
5 Eles voluntariamente ignoram isto, que pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus, e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste.
6 Pelas quais coisas pereceu o mundo de então, coberto com as águas do dilúvio,
7 Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios.
8 Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.
9 O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.
10 Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão.
11 Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade,
12 Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão?
13 Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça.
14 Por isso, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz.
15 E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada;
16 Falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição.
17 Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que, pelo engano dos homens abomináveis, sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza;
18 Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém.



Estes seres infiltrados na igreja, não querem que se fale sobre isso, pois vivem engodados pelo dinheiro, por que falar no Apocalipse, tragédia, destruição? Profetizam prosperidade enquanto o mundo é arrastado vertiginosamente para as garras da besta. Se as ordens místicas estão ligadas a hierarquia da morte: como a morte conseguiu entrar nas igrejas? Pelo sono: o irmão lembra do sono das 10 virgens? É a morte espiritual diante deste mundo imundo, pervertido. Pouco a pouco este mundo vai nos tirando da presença do Pai e a situação piora até que nós podemos estar na igreja, mas somos como cadáveres, longe de Cristo, dormindo no seio da igreja, dormindo o sono da morte.

Esperamos portanto o despertamento, quando muitos serão tirados do sono. E então, num momento, num abrir e fechar de olhos seremos levados. Aqui só restará a dor e o espanto. Porém outra opinião dos teólogos é que o despertamento já ocorreu com o pentecostalismo, só não buscou quem não desejou. Neste caso agora só falta a vinda do Cordeiro. Além disso o fato das noivas estarem dormindo, quando o noivo veio, mostra o estado da igreja atual, dormindo um sono profundo diante de um mundo que está mudando aceleradamente, rumo ao apocalipse, enquanto o povo de Deus se preocupa com os bens materias, com os prazeres terrenos.
Ai daquele que não subir em sua vinda...
Os intrusos satanistas que hoje se infiltram nas igrejas, receberão o sinal e perseguirão o crente fraco, que hoje não consegue se preparar para o arrebatamento, mas ama a obra do eterno. De entre a apostasia dentro da igreja sairão os maiores inimigos do irmão simples que ficar. Uma perseguição terrível estourará em todo o nundo, piór do que o Holocausto Nazista e do que a Tragédia do Comunismo Maoista e Stalinista.
O intruso na igreja esta encaixado em Mateus 22, 10;
A sala do banquete (a igreja) ficou repleta de convidados;
Entrando porém o rei para ver os que estavam ali notou um homem que não trazia veste nupcial: perguntou-lhe:
— Amigo, como entraste aqui sem veste nupcial?
Ele emudeceu.
O rei ordenou aos serventes:
— Amarrai-o de pés e mãos e lançai—o para fora nas trevas, ali haverá choro e ranger de dentes. Porque muitos são chamados, mas poucos são escolhidos.

O joio na igreja geralmente não tem envolvimento com satanismo, mas está ali apenas para atormentar o rebanho. Ainda não está livre dos prazeres deste mundo. Quando Cristo vier e o sinal da Besta for instalado entre os crentes que ficarem, o joio aceitará o sinal e perseguirá seus irmãos que resistirem. Existe satanistas infiltrados fisicamente, mas a maior parte da infiltração é espiritual, demoníaca, usando o joio.



“Vieram a ele no templo, cegos e coxos e os curou. Mas vendo os principais sacerdotes, e os escribas, essas maravilhas que Jesus fazia, e os meninos clamando: Hosana ao filho de Davi, indignaram—se;
Mateus 21,14 à 15;

BESTA, VERY CHIP, ANTICRISTO , O que está por trás da guerra na libia





O objetivo iluminatti da guerra na Libia
O que eles querem não é ajudar o povo, isso é mentira.
O que as tropas da OTAN guiadas por iluminattis, pelo lobby do petroleo, empresa de armas e banqueiros, é destruir as peças que não se encaixam na nova ordem global como o Kadafi.

Eles estão usando apenas uma desculpa para criar o governo global.
Pode ver, não há só rebelião na Libia, ela ocorre em todo o mundo árabe, mas só na Libia há bombardeio em massa da OTAN.


mais uma vez eles manipulam o povo dizendo que estão salvando o mundo, mentira, querem controlar os estoques de petroleo e as demais riquezas da Libia, rumo ao governo mundial que estão planejando.
Saiba mais no nosso grupo.
http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=19771491


nosso site é
www.lamech.com.br



O proximo alvo apos a derrubada de Kadafi é Chavez ou o Irã.

as potencias iluminattis não vão descansar sem que imponham o governo global, o suposto mundo globalizado, que só vai beneficiar uma elite poderosa.

Conferência Jesus The Way - 16 julho de 2011 - Onde Deus estará operando maravilhas

http://www.ministerioadorandoopai.com.br/index2.jpg
Clique no folder para maiores informações

Notícias » Notícias Bolsonaro: após união gay, próximo passo é legalizar pedofilia

Veja como votou cada ministro sobre união estável gay

. Foto: Carlos Humberto - STF/DivulgaçãoSupremo retomou julgamento sobre união estável homoafetiva nesta quarta-feira
Foto: Carlos Humberto - STF/Divulgação


Claudia Andrade
Direto de Brasília
O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) ironizou nesta quinta-feira a decisão do Supremo Tribunal Federal favorável à união estável homossexual. "Agora virou bagunça. O próximo passo vai ser a adoção de crianças (por casais homossexuais) e a legalização da pedofilia", disse.
No final de março, Bolsonaro se envolveu em uma polêmica após proferir frases supostamente racistas e homofóbicas durante o programa CQC, da TV Bandeirantes. Em outra ocasião, o político disse estar "se lixando" para o movimento gay.
Hoje, o parlamentar reforçou sua posição contrária a casais homossexuais terem filhos dizendo que a criança "vai ver a mãe crescer usando cueca e o pai usando calcinha" e que depois disso vai ter "passeata gay mirim". Bolsonaro afirmou ainda que o Supremo extrapola sua competência ao julgar um tema já previsto na Constituição, que reconhece a união estável entre homem e mulher como entidade familiar para efeito da proteção do Estado.
O argumento também foi usado por um dos filhos do deputado, Flávio Bolsonaro, deputado estadual pelo mesmo partido, em seu microblog. Segundo ele, "cabe ao Congresso Nacional e não ao STF criar direitos".
Outro filho do parlamentar Carlos Bolsonaro, vereador no Rio de Janeiro, publicou várias mensagens sobre o julgamento em sua conta na rede de microblogs Twitter. "Não concordar com o estímulo ao homossexualismo é ser ignorante?", questionou. "Então p/ ser inteligente é preciso ser gay? Isso é heterofobia!"(sic).
STF decide a favor de união gay
Por unanimidade, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu no dia 5 de maio de 2011 pelo reconhecimento de união estável entre pessoas do mesmo sexo. Todos os dez ministros aptos a votar foram favoráveis a estender a parceiros homossexuais direitos hoje previstos a casais heterossexuais - o ministro Dias Toffoli se declarou impedido de participar porque atuou como advogado-geral da União no caso e deu, no passado, parecer sobre o processo.
Com o julgamento, os magistrados abriram espaço para o direito a gays em união estável de terem acesso a herança e pensões alimentícia ou por morte, além do aval de tornarem-se dependentes em planos de saúde e de previdência. Após a decisão, os cartórios não deverão se recusar, por exemplo, a registrar um contrato de união estável homoafetiva, sob pena de serem acionados judicialmente. Itens como casamentos civis entre gays ou o direito de registro de ambos os parceiros no documento de adoção de uma criança, porém, não foram atestados pelo plenário.
Terra

Veja perguntas e respostas sobre o julgamento da união gay pelo STF Supremo reconheceu a união estável entre casais do mesmo sexo. Presidente do STF disse que Congresso precisa votar leis sobre o tema.

O Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu, por unanimidade, a união estável entre casais do mesmo sexo como entidade familiar. Veja perguntas e respostas sobre a decisão.

O que o Supremo decidiu?
Os ministros entenderam que a união estável entre casais do mesmo sexo deve ser reconhecida como entidade familiar. Com isso, homossexuais podem ter os mesmos direitos previstos na lei 9.278/1996, a lei de união estável, que considera como entidade familiar “a convivência duradoura, pública e contínua”.

O que a Constituição diz sobre união estável?
Conforme a Constituição de 1988 “para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento”.

Quais são os direitos garantidos na lei de união estável, a lei 9.278/1996?
Divisão da guarda e sustento dos filhos, possibilidade de pensão alimentícia, herança em caso de morte, partilha de bens em caso do fim da união e facilidades para conversão da união estável em casamento. A união estável tem o mesmo peso do casamento civil para efeitos de inclusão do companheiro em plano de saúde, por exemplo.

Por que o Supremo se manifestou sobre o assunto?
O STF foi provocado em duas ações, uma proposta pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e outra pelo governo do estado do Rio de Janeiro. A ação da PGR, de caráter mais amplo, pediu o reconhecimento dos direitos civis de pessoas do mesmo sexo. O governo do Rio queria que o regime jurídico das uniões estáveis fosse aplicado aos casais homossexuais, para que servidores do governo estadual tivessem assegurados benefícios, como previdência e auxílio-saúde. Nos dois casos, a decisão favorável foi unânime.

A decisão do STF é garantia de que todos os homossexuais terão os direitos  assegurados?
Não, para isso seria necessário o Congresso modificar a lei, e a Presidência da República sancionar. Somente a partir de uma lei o direito passa a ser automático.

Com base na decisão, os casais homossexuais podem ir ao cartório para solicitar o casamento civil?Em tese, sim, de acordo com o relator do processo, ministro Ayres Britto. No entanto, como não se trata de uma lei, o cartório não é obrigado a aceitar o entendimento do Supremo e agendar o casamento. Com a decisão, porém, quem não conseguir tem a opção de ir à Justiça requerer o direito.

Quais as diferenças entre união estável e casamento civil?
A diferença é que a união estável acontece sem formalidades, de forma natural, a partir da convivência do casal, e o casamento civil é um contrato jurídico formal estabelecido em cartório entre suas pessoas.

Órgãos públicos são obrigados de imediato a reconhecer a união homossexual?Não. No entanto, os casais que se sentirem prejudicados podem procurar a Justiça.

A Justiça de primeira instância vai conceder o direito de imediato por conta da decisão do Supremo?Não, pois não se trata de uma decisão vinculante (quando sua aplicação é obrigatória a todos os agentes da administração pública). Porém, caso as instâncias inferiores da Justiça se recusem a conceder o direito, os casais podem recorrer aos tribunais superiores.
A partir de agora, os casais homossexuais podem se candidatar à adoção?

Há atualmente casos pontuais em que a Justiça permitiu que a adoção por homossexuais. Com a decisão do STF reconhecendo a união estável, é possível que a Justiça passe a conceder a guarda em nome dos dois.

Quais são os direitos já adquiridos pelos homossexuais?
A Receita Federal permite que os casais homossexuais declarem o Imposto de Renda em conjunto ou que um deles seja considerado dependente. O INSS também tornou permanente a regra que reconhece os benefícios previdenciários a dependentes, como pensão por morte ou auxílio-reclusão. Nos dois casos, é preciso comprovar a vida em comum.

Atualmente, há dados sobre a quantidade de casais homossexuais no país?
De acordo com o Censo Demográfico 2010, do IBGE, o país tem mais de 60 mil casais homossexuais.

O que deve acontecer após a decisão do Supremo?
O presidente do Supremo, ministro Cezar Peluso, disse que o Congresso precisa discutir e votar leis que delimitem os direitos em consequência do reconhecimento da união estável.


G1

STF reconhece a UNIÃO GAY no Brasil


Em um julgamento histórico e por unanimidade, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu nesta quinta-feira (5) reconhecer as uniões estáveis de homossexuais no país. Os dez ministros presentes entenderam que casais gays devem desfrutar de direitos semelhantes aos de pares heterossexuais, como pensões, aposentadorias e inclusão em planos de saúde. A decisão pode ainda facilitar a adoção, por exemplo.

Foram analisados dois pedidos no julgamento: um deles do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), para que funcionários públicos homossexuais estendam benefícios a seus parceiros, e o outro da Procuradoria-Geral da República (PGR), para admitir casais gays como “entidade familiar”. A decisão do Supremo terá efeito vinculante, ou seja, será aplicada em outros tribunais para casos semelhantes.

Na sessão de hoje não votou apenas o ministro José Antônio Dias Tóffoli, que se declarou impedido de participar, já que atuou no processo quando era da Advocacia-Geral da União. O ministro Carlos Ayres Britto foi o relator, acompanhado pelos demais colegas para definir a vitória dos movimentos homossexuais. 

O julgamento começou na quarta-feira (4), quando falaram o relator e cinco defensores da iniciativa, além de dois adversários –um deles representante da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). Os ministros, no entanto, evitaram listar todos os benefícios que os casais gays passariam a receber.

Em sua decisão, o ministro Ricardo Lewandowski aprovou a união, mas ponderou que o Congresso deve legislar em temas ainda não previstos pela Constituição ou reservados a pares formados por um homem e uma mulher. O presidente da Corte, Cezar Peluso, afirmou que existem similitudes entre casais heterossexuais e uniões homossexuais, não igualdade.

Diante de um plenário menos disputado do que na quarta-feira (4), quando o julgamento começou, os ministros evocaram o combate ao preconceito para votarem a favor da união estável gay. “A homossexualidade caracteriza a humanidade de uma pessoa. Não é crime. Então por que o homossexual não pode constituir uma família? Por força de duas questões que são abominadas por nossa Constituição: a intolerância e o preconceito”, disse o ministro Luiz Fux.

“O reconhecimento de uniões homoafetivas encontra seu fundamento em todos os dispositivos constitucionais que tratam da dignidade humana”, afirmou o ministro Joaquim Barbosa, em uma decisão que durou menos de dez minutos.

O Congresso foi criticado pelos ministros da mais alta corte do país. Peluso ergueu o tom da voz para fazer uma "convocação que a decisão da Corte implica, para que o Poder Legislativo assuma essa tarefa [de discutir direitos dos homossexuais], a qual ele não parece ter se sentido propenso a exercer". "O Poder Legislativo tem que se dispor e regulamentar", completou o presidente do STF.

O ministro Gilmar Mendes afirmou que os políticos vivem "um quadro de inércia" para legislar sobre o assunto. Lewandowski também fez críticas ao Poder Legislativo e admitiu que o Supremo assumiu uma função que caberia à classe política.

Entenda o julgamento

Entre as novas garantias que podem ser dadas após a decisão do Supremo estão pedidos de aposentadoria, pensão no caso de separação e uso de plano de saúde. Algumas decisões para estender direitos aos parceiros do mesmo sexo já foram tomadas por tribunais, mas o STF nunca tinha se pronunciado sobre o assunto.

Em seu voto proferido ontem, quando a questão começou a ser discutida, Ayres Britto também cogitou, sem se aprofundar, a possibilidade de adoção de crianças por casais homossexuais.

Antes de relatar os casos, Ayres Britto pediu um levantamento nos Estados para saber se a união civil de homossexuais já era reconhecida. O ministro detectou que isso aconteceu em tribunais de dez unidades federativas: Acre, Alagoas, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Piauí, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Essas decisões, de primeira ou segunda instâncias, podem pesar a favor do movimento gay no julgamento no STF. As decisões judiciais autorizaram não apenas as uniões civis homossexuais, mas também pleitos de pensão e herança.

Mais de 20 países de todo o mundo reconheceram a união civil de homossexuais antes do Brasil, incluindo o Uruguai. Outros, como a Argentina e várias partes dos Estados Unidos, permitem casamentos gays –uma decisão ainda mais condenada pela Igreja Católica.

Fonte: UOL

Paquistão: Cristãos mortos durante culto

No início da semana, 21, um grupo de muçulmanos armados abriu fogo contra cristãos em uma reunião de oração ao ar livre no Paquistão. Dois cristãos foram mortos.
O tiroteio ocorreu durante a celebração anual da Igreja do Exército da Salvação, em Hurr Camp, uma colônia de cristãos da classe trabalhadora em Hyderabad.
O tumulto começou quando o grupo de jovens muçulmanos invadiu o culto reclamando das músicas que estavam sendo tocadas. Insatisfeitos eles começaram a insultar as mulheres presentes na reunião. Alguns dos irmãos não aceitaram a provocação para com as mulheres. Eles mandaram que os jovens fossem embora. E eles foram, dando uma aparente sensação de tranquilidade.
Um pouco mais tarde, cerca de 12 muçulmanos voltaram com armas e abriram fogo contra os cristãos. Dois homens, Younas Masih, 47, e Jamil Masih, 22, foram mortos. Outros dois, Sadiq, 45, e Isaac, 20, ficaram feridos.
Younas era casado e pai de quatro filhos. Jamil estava casado há apenas um mês. Os dois foram enterrados na terça-feira, 22.
Cerca de 4 mil cristãos protestaram nas ruas antes da cerimônia de enterro, exigindo que a polícia prendesse os assassinos.
Cooperadores da Missão A Voz dos Mártires estão visitando as famílias dos dois cristãos assassinados e também seus amigos feridos. Ajuda médica já foi disponibilizada para eles.
Orem para que a saúde dos dois irmãos feridos seja restabelecida. Em especial, ore pelas famílias dos mártires para que sejam confortadas pelo Espírito Santo.

Perseguição contra cristãos aumenta 14% na China

O governo chinês intensificou a sua pressão contra os cristãos pelo quinto ano da escalada de perseguição, segundo ChinaAid Association, uma organização cristã de direitos humanos com sede em Washington.
O relatório atual documentou que 3.343 pessoas foram perseguidas em 2010, um aumento de 14% em comparação a 2009. As detenções aumentaram 43% e 336 líderes de igrejas domésticas foram perseguidos. Globalmente, o relatório diz que a perseguição foi mais do que 193% em 2010 em comparação a 2006.

Espancamentos, torturas, detenções e demolições igreja assédio estão entre os 90 casos registrados de perseguição, um aumento de 17% ao longo de 2009, segundo um relatório divulgado pela ChinaAid em 31 de março.

Os casos "são apenas a ponta do iceberg", de acordo com uma nota de imprensa ChinaAid. "O governo chinês retém as informação e age de forma autoritária para repreender as medidas de segurança que visam facilitar a obtenção de uma imagem real da perseguição. No entanto, o fato de que as perseguições documentadas vinham de todas as partes da China e pessoas envolvidas em todos os níveis da sociedade, o relatório é um guia útil".

O relatório sugere que o aumento da perseguição pode ter sido provocado pela concessão do Prêmio Nobel da Paz ao dissidente chinês Liu Xiabao e o atendimento frustrado por mais de 200 delegados de igrejas domésticas chinesas no Congresso de Lausanne de Evangelização Mundial na África do Sul.

O relatório afirma que as autoridades chinesas, além de continuar perseguindo as igrejas e seus líderes em áreas urbanas, estão adotando táticas mais três de perseguição:

• O governo é severo ao reprimir os advogados de direitos humanos cristãos, que perseguia os cristãos têm defendido cada vez mais no país o sistema judicial. Mais de dois terços dos casos de perseguição em Pequim envolveu esses advogados, que são vítimas de violência e rapto.

• Enquanto o governo está a diminuindo a pena de prisão oficial contra os cristãos que podem se defender contra essas medidas no sistema jurídico, violência, máfia e intimidação (algumas pessoas simplesmente desapareceram), o que deixa os cristãos nenhum recurso legal.

• O governo está punindo três movimentos; patriótico das Igrejas (igrejas oficiais) que não conseguiram submeter a seu controle total. Fiéis são espancados, igrejas forçadas a licenciar-se, e alguns edifícios derrubados.

Fonte: Christian Examiner / CPAD News

DE OLHO NA PERSEGUIÇÃO AOS CRISTÃOS



A situação é critica para os cristãos em vários lugares do mundo

Em pleno fim de século XX, houve verdadeiros massacres em nome da fé na Indonésia e Nigéria. Mas há muitos outros contextos em que milhares de pessoas têm seus direitos violados e são impedidas, totalmente ou em parte, de praticar sua escolha religiosa com liberdade.

Alguns são perseguidos, torturados e mortos. Outros vivem em constante pressão do governo, da sociedade, da família. São pessoas obrigadas a superar seus limites para continuar vivas, para trabalhar ou ter acesso à escola, para realizar seus cultos sem impedimentos, exercer sua fé sem preocupar-se com a polícia.


LUGARES ONDE A FÉ TEM SEU MAIS ALTO CUSTO

Mais de 200 milhões de cristãos enfrentam intensa perseguição neste momento. Mais de 250 milhões sofrem alguma forma de discriminação, sendo os governos comunistas e alguns regimes islâmicos os responsáveis mais flagrantes.

O problema está-se espalhando pelo mundo todo rapidamente. O aumento da perseguição ao redor do mundo é um sinal para os cristãos ficarem alertas quanto ao chamado de Deus para a Igreja e para cada um de nós.


A PERSEGUIÇÃO EM REGIÕES DIFERENTES

. África - Há esperança em meio a uma fome devastadora, terrível miséria, conflitos militares e perseguição na África. Essa esperança surge porque talvez esteja acontecendo lá o maior crescimento do cristianismo de que se tem notícia! Portas Abertas está envolvida no treinamento de alguns dos futuros líderes cristãos da África, dando-lhes as ferramentas necessárias de que precisam para levar o seu continente a Cristo. A missão também quer ter a certeza de que esses novos cristãos possuem Bíblia e outras literaturas cristãs de que precisam para crescer na fé e pregar a Palavra de Deus!

. Ásia - Mais de 55% da população do mundo vive na Ásia. Durante anos, há perseguição e o martírio de cristãos nessa região. Apesar disso, a Ásia está passando por um incrível crescimento espiritual. Que grande testemunho do poder da Palavra de Deus! Portas Abertas provê Bíblias e literatura para a Ásia, sempre tendo como alvo as igrejas domésticas clandestinas da China. Também dá cursos de treinamento extensivo para os líderes da Igreja para equipá-los com um completo conhecimento da Palavra.

. América Latina - Ao contrário do que mostram os roteiros de viagem, há mais na América Latina do que sol, areia, águas mornas e gente boa. Os cristãos de Cuba, Colômbia, México e do Peru sofrem entre revolucionários, barões da droga e extremistas religiosos. É por isso que Portas Abertas estabeleceu a Rede Ágape. São pequenas equipes que dão aulas de treinamento, realizam reuniões evangelísticas e organizam centros locais para produzir literatura cristã.

. Mundo muçulmano - O Oriente Médio é o berço da Igreja Cristã, ainda que, em algumas regiões, a Igreja quase tenha sido eliminada sob a pressão muçulmana. A principal prioridade de Portas Abertas no mundo muçulmano é treinar uma nova geração de líderes cristãos para fortalecer a Igreja. A missão também tenta garantir que todos os que queiram um exemplar da Palavra de Deus possam ter uma Bíblia.


ESTATÍSTICAS BÁSICAS SOBRE RELIGIÃO NO MUNDO. DE CADA 100 INDIVÍDUOS...

. 19 são muçulmanos (o islamismo é a religião que cresce mais rápido no mundo)

. 18 não têm religião ou são ateus

. 17 são católicos

. 17 são cristãos não-católicos (ortodoxos, anglicanos, protestantes, evangélicos, pentecostais)

. 14 são hindus

. 6 são budistas

PERSEGUIÇÃO CONTRA CRISTÃOS

. Um em cada três cristãos sofre perseguição.

. Em cada dez pessoas do mundo uma é um cristão perseguido.

MUITA EMOÇÃO NO ÚLTIMO DIA DO QUADRO "TEM UM CANTOR GOSPEL LÁ EM CASA". PROGRAMA FOI VICE EM AUDIÊNCIA E CONTOU COM A PARTICIPAÇÃO DA BANDA KADOSHI.


 
 
Marcelo Rebello, Vânia Souza e Arnaldo Saccomani - Foto: Décio Figueiredo

No último domingo, 1º de Maio, foi ao ar a decisão do concurso "Tem um cantor gospel lá em casa", apresentado pelo Programa Eliana do SBT em parceria com a Expo Music Gospel, atual Salão Internacional Gospel. Num clima de muita emoção, os candidatos Bia, Bruna, Sabrina, Geiber, Ruth, Tiago e Vânia, a grande ganhadora do concurso, levando para casa um CD com uma produção orçada em R$ 60.000,00 mais R$ 5.000,00 oferecidos pelo Salão Internacional Gospel, se apresentaram ao vivo com banda e depois à capela, sendo avaliados pelos jurados Marcelo Rebello (Idealizador do Salão Internacional Gospel e do Museu da Música Gospel), Regis Danese e Arnaldo Saccomani (jurado do programa Qual é o Seu Talento?), elevando o programa a vice-lider de audiência. Outro grande momento foi a participação da consagrada Banda Kadoshi, que numa atitude de humildade a ser seguida por muitos cantores e bandas, acompanhou os candidatos em suas apresentações e, depois, representada pelo seu vocalista Pr. Silas Furtado, cantaram um sucesso do grupo encerrando o quadro numa chuva de balões com a canção "Oh, Happy Day!". Marcelo Rebello explanou após o programa: "Ficamos muito felizes com esses dois meses do Programa Eliana. Todos que passaram por aqui são vencedores mas, infelizmente, tivemos que escolher um e democraticamente o fizemos! Agradecemos à Deus por essa oportunidade, à todos os músicos, ao Maestro Marcelo Tyrese, aos artistas Marina de Oliveira, Aline Barros, Irmão Lázaro, Bruna Karla, Fernandinho, Regis Danese, Fernanda Brum, Damares, Ana Paula Valadão, Cassiane, Roddes Valadão e Kadoshi, que abrilhantaram o quadro com seus talentos e participações. Aos estúdios Valvulando e Moving Sound, que gravaram as bases dos artistas. Ao fotógrafo Décio Figueiredo, que registrou a Grande Final. À apresentadora Eliana e ao SBT pelo profissionalismo e pelo carinho com que fomos tratados e pela parceria de sucesso.", conclui.
Para o jurado Arnaldo Saccomani, a final foi emocionante. Ele declarou: "É diferente julgar um concurso desse. Os cantores seculares cantam para o público, os Gospel para Deus".

BANDA KADOSHI CONFIRMA PRESENÇA NO SALÃO INTERNACIONAL GOSPEL


 


Depois da emocionante participação da Banda Kadoshi no quadro chamado "Tem um Cantor Gospel Lá em Casa", do Programa da Eliana no SBT, a banda já confirmou presença no Salão Internacional Gospel. O Kadoshi teve início no começo dos anos 70, na cidade de São Paulo e tornou-se um dos grupos mais importantes da música moderna evangélica. O primeiro na mistura da música congregacional com o pop americano e britânico e a black music, o Kadoshi influenciou diversas bandas hoje famosas, como Oficina G3, Katsbarnea e Resgate, com muitos hits que qualquer cristão sabe, músicas como "Há momentos", entre muitas outras serão lembradas na feira, que aconte de 31 de Maio à 4 de Junho no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo.
 

CID MOREIRA VAI SER HOMENAGEADO EM CERIMÔNIA DE ABERTURA DO SALÃO INTERNACIONAL GOSPEL

 
No dia 31 de Maio, às 9:00 horas, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo, acontece a Cerimônia de Abertura Oficial do Salão Internacional Gospel, a maior feira de Música Gospel da América Latina. O evento vai contar com a presença de autoridades, expositores, empresários, pastores, imprensa e artistas. Na ocasião, o jornalista Cid Moreira, da Rede Globo, vai ser homenageado por ter sido o primeiro brasileiro a gravar em CD a Bíblia na íntegra, sendo também o primeiro, em todo o mundo, a gravar o Livro dos Salmos em DVD, com imagens, em uma brilhante produção da MD Art e direção geral de Marcelo Legey.

Outra novidade sobre Cid vai ser, durante o Salão Internacional Gospel, o lançamento no segmento evangélico do Livro "Boa Noite", escrito pela também jornalista Fátima Moreira. A biografia, sem dúvida, é um relato emocionante da vida da mais famosa voz da comunicação brasileira. A autora descreve toda a trajetória de Cid, desde sua infância em Taubaté, interior de São Paulo, passando por sua consagração na televisão brasileira como âncora do Jornal Nacional até seu novo trabalho com a narração de textos bíblicos. Enquanto acompanhamos a vida profissional e pessoal de Cid Moreira, somos levados a conhecer um pouco da história do Brasil e da comunicação brasileira, passando pela Era de Ouro do Rádio, que resgata um pouco da história da música e da radiodifusão e relembra grandes momentos da humanidade, sempre narrados pela incrível voz do jornalista.
 
"Se eu tive um momento marcante na minha carreira, foi a primeira vez que vi a lenda de perfil. Quanto todo mundo via o Cid só de frente, eu tive o privilégio de vê-lo em três dimensões, sentado ao meu lado na bancada do JN. Isso foi um grande choque para minha cabeça há quase 20 anos." - Willian Bonner
 
"Mais difícil do que improvisar o texto foi ouvir Cid Moreira chamando meu nome pela primeira vez em uma participação no Jornal Nacional. Se eu não morri naquele momento, nada mais me faria tremer. Esse foi o meu batismo na profissão e um momento que jamais esqueço." - Fátima Bernardes

"Lembramos quando alguns anos atrás numa entrevista com Cid Moreira perguntamos para ele, após gravar as passagens bíblicas, quais seriam os planos e sonhos para o futuro, e ele respondeu: "Gravar a Bíblia na íntegra." Hoje é um prazer recebê-lo na Cerimônia de Abertura do Salão internacional Gospel e poder homenageá-lo pela realização de sonhos que difundem a palavra do nosso Deus!" - Marcelo Rebello e Luciana Mazza, Organizadores do Salão Internacional Gospel

VEM AI CANTA RECIFE 2011 - LOUVOR - ADORAÇÃO - PALAVRA DE DEUS

boj8.jpg 
via Gritos de Alerta

Líderes de igrejas pedem investigação na violência pós-eleições


   
Líderes cristãos estão pedindo uma investigação em razão das violências políticas das quais igrejas e casas de cristãos estão sendo alvos. Um pastor disse que os atentados islâmicos foram premeditados devido à eleição de um presidente cristão.

O pastor Emmanuel Nuhu Kure, do ministério Throneroom Trust, que fica no estado de Kaduna, declaradamente disse que o componente religioso da violência política não deveria ser descartado.

Os cristãos estão sofrendo muitas baixas no centro-norte do estado de Kaduna depois que o candidato muçulmano à presidência Muhammudu Buhari perdeu as eleições no último dia 16 de abril para Goodluck Jonathan, um cristão. Primeiro, os revoltosos muçulmanos disseram que as eleições foram fraudulentas, embora observadores internacionais tenham elogiado o processo em diversas pesquisas, afirmando que foi o melhor desde 1999.

“Como os combatentes muçulmanos foram cuidadosamente em silêncio até os muros da catedral anglicana e até a casa do pastor batista Yoruba, colocaram fogo e depois atiraram sem se deparar com nenhuma resistência? Será que isso não foi premeditado ou planejado?” diz o pastor Kune.

Cerca de 300 cristãos foram mortos em Kaduna, e 14 mil estão fugindo de suas casas após ataques islâmicos.

“A violência é política e religiosa; nossas igrejas e propriedades são os principais alvos de destruição pelos perpetuadores dessa violência,” diz o presidente da Associação Cristã da Nigéria (CAN), Peter Jatau.

A violência aumentou em alguns estados do norte com protestos de jovens muçulmanos seguidos de tumultos, atacando principalmente os cristãos. Alguns retaliaram. Não existem dados confiáveis do total de cristãos mortos, pois os líderes das igrejas não conseguem determinar ao certo; alguns que foram dados como mortos reaparecem depois nos campos de reassentamento.

A população da Nigéria chega a mais de 158 milhões e é divida entre 51,3% de cristãos que vivem principalmente no sul, e muçulmanos, que somam 45% da população e ficam ao norte. As porcentagens podem ser menores, pois mais de 10% da população vive na prática de religiões tribais, de acordo com a Operation World.

Tradução: Lucas Gregório



Fonte: Compass Direct

Extremistas hindus agridem pastor na Índia

No começo do mês de abril, extremistas hindus agrediram um pastor e evangelista em frente a seus filhos, até que ele ficasse inconsciente.

Ramesh Devda, 30 anos, da cidade de Dhadhniya, no distrito de Meghnagar, declarou que ele foi atacado em 4 de abril após liderar um encontro de oração na vila de Chikklia. Ele disse que estava indo em direção a Bhajidongra, na fronteira dos estados de Madhya Pradesh e Gujarat, em sua motocicleta com seus dois filhos, Elias, 10, e Shimon, de 8 anos, para liderar outro encontro de oração.

Quando ele chegou à vila de Raseda, disse ele, de repente três pessoas em duas motocicletas bloquearam seu caminho e o forçaram a parar.

“De repente, estes três homens apareceram em duas motocicletas – eles me bloquearam e derrubaram minha motocicleta,” disse o pastor Devda. “Nós caímos. Eles estavam carregando grandes pedaços de bambu e porretes. Eles começaram a me bater, e então chamaram mais três homens que começaram a me atacar.”

Ele disse que ficou agradecido, pois seus filhos foram poupados, apesar de que o mais velho machucou a perna durante o ataque.

“Eles estavam furiosos comigo e me ameaçaram de morte e me avisaram para não voltar mais na área deles,” ele declarou. “Meus filhos estavam gritando o mais alto possível, pois estavam com medo. Um dos homens me atingiu na testa com um grande pedaço de bambu, ferindo minha cabeça. Os outros também bateram em meu corpo, especialmente nas minhas costas, com pedaços de bambu.”

Um golpe na testa o cegou temporariamente.

“Meus olhos ficaram escuros, e eu caí, então eles continuaram me batendo ainda mais”, declara. “Os homens foram também abusivos no linguajar e eles estavam bêbados”.

As pessoas que passavam ouviram os dois meninos chorando e vieram ajudar, e os agressores fugiram, deixando o pastor inconsciente.

“Eu não sei quem me ajudou, pois estava inconsciente”, disse o pastor Devda. “Mas eu soube depois que cristãos locais também vieram e chamaram a emergência. Como resultado, uma ambulância veio e me levou para o hospital”.

Ele foi levado para o Hospital Cirúrgico Anita, em Dahod, Gujarat. Lá, um médico identificado somente como Dr. Bharpoda lhe disse que ele tinha fraturado o crânio.

“Eu estou sendo tratado dos meus ferimentos agora, mas ainda tenho muita dor”, disse o pastor Devda.

Cristão há 15 anos, o pastor Devda é líder há 11 anos e agora trabalha com a Associação Cristã Reformada da Índia. Ele tem outros dois filhos, Ashish e Sakina de 4 anos, e sua mulher Lalita, 28 anos, é ativa junto com ele no ministério.

O pastor Devda lidera congregações nas vilas de Chikklia, Bhajidongra e Dhadhniya.

Fonte: Missão Portas Abertas

Silas Malafaia e Magno Malta estão entre os dez inimigos dos gays em 2011


Uma revista voltada para o público homossexual elegeu os dez maiores inimigos dos gays para 2011. Na lista, cinco são evangélicos.

Segundo a revista, a seleção foi por meio de uma indicação feita por 10 militantes gays convidados, e publicada por ordem de importância, as 10 pessoas que mais se destacaram na mídia por, destratar homossexuais e por barrar ações que elevem a igualdade de direitos da comunidade gay, ou ainda, que agiram com homofobia em suas palavras ou ações.

Apenas três nomes na lista deste ano estiveram na listagem do ano passado. São eles, o senador Magno Malta (que em 2010 liderou a lista mas desta vez aparece em 5º lugar), o pastor Silas Malafaia (que se manteve como o 2º maior inimigo dos homossexuais no país) e o blogueiro Julio Severo (que saiu da 5ª para a 10ª posição).

A revista diz ainda que a quantidade de políticos evangélicos mostra claramente que o entrave dos direitos homossexuais nasce de uma fonte única: o discurso intolerante, muitas vezes apoiado por um livro sagrado [Bíblia] para seus seguidores.

Confira abaixo quem são os 10 inimigos públicos dos gays no Brasil em 2011 e os motivos alegados pelos militantes gays:

Deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ)O deputado do PP do Rio de Janeiro, vem combatendo na mídia o Projeto Escola sem Homofobia, que visa educar jovens do Ensino Médio a entender a situação da comunidade homossexual e diminuir a violência e preconceito nas escolas. Além de apelidar o material do Ministério da Educação de “Kit Gay”, o parlamentar dá declarações onde chama gays de “escória da sociedade”, “aliciadores de menores”, “promíscuos”, dizendo ainda que gays querem impor um estilo de vida imoral como normal e defendeu ainda que pais devem dar um “couro” em filhos com tendências homossexuais para que ele deixe de ser “gayzinho”. Bolsonaro enfrenta três processos na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara por homofobia e racismo, depois que afirmou que seu filho não namoraria um negra por que foi bem educado, no programa CQC, participação da qual se defendeu afirmando que se equivocou e disse que entendeu que a pergunta se referia a se seu filho namorasse um gay. Uma de suas frases mais usadas é “Não conheço uma pai ou mãe que tenha orgulho de ter um filho gay”.

Pastor Silas MalafaiaO pastor carioca da igreja Assembléia de Deus evoca a Bíblia para discriminar a comunidade gay em seus programes na televisão e diz que se as uniões homossexuais forem considerados normais, logo estaremos legalizando a pedofilia e a zoofilia. Forte combatente ao projeto 122, que visa criminalizar a homofobia, que Malafaia chama de lei da mordaça. O discurso do pastor pode ser identificado em diversos outros homofóbicos, inclusive em criminosos que cometeram assassinato de homossexuais. O pastor cita com freqüência passagens bíblicas de Romanos e Levíticos para justificar suas falas e chama a homossexualidade de “antinatural”, “aberração”, “pecado” e ainda . O pastor ainda diz que deus criou Adão e Eva, e não Adão e Ivo, mote que virou até uma música. Em 2010, Malafaia e sua igreja patrocinaram mais de 200 outdoors na cidade do Rio de Janeiro e região, com a frase “Em favor da família e preservação da espécie humana. Deus fez macho e fêmea.”

Jonathan Lauton RodriguesO rapaz de apenas 19 anos, lutador de Jiu-Jitsu, agrediu em novembro de 2010, na companhia de mais quatro menores, pessoas que julgavam serem homossexuais na região da Avenida Paulista, em São Paulo. Durante os ataques, diziam frases homofóbicas. Ao menos três ataques foram realizados pelo grupo naquela madrugada, em uma cena filmada por uma câmera de segurança, um dos rapazes acerta um rapaz duas vezes com uma lâmpada fluorescente. Os menores foram detidos e liberados, Jonathan, o único maior de idade do grupo, teve sua prisão decretada mas até o momento não se apresentou à Justiça. O seu processo está suspenso até que o rapaz seja encontrado. Por fugir da Justiça, haverá aumento da pena, se condenado.

Ministro Nelson JobimEnquanto ministro da Defesa, não se envolveu no julgamento dos sargentos gays Laci Araújo e Fernando de Alcântara, chegando a afirmar que o caso não era motivado pela orientação sexual dos mesmos no Congresso e a encobrir o descumprimento de um acordo durante a rendição e transferência de Laci de São Paulo, onde foi preso, para Brasília, no qual deveria ser acompanhado em Brasília por uma equipe do Conselho Nacional dos Direitos Humanos, exigência estipulada pelo Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe-SP), que não foi cumprida. Laci e Fernando não permaneceram juntos durante o retorno e as Forças Armadas desempenharam tortura psicológica com o então sargento Lacy que estava claramente abalado e que acusa o Exército de tortura. Ele acabou preso diversas vezes, por dois anos, antes de ser condenado por conspirar para difamar o Exército. O Conselho Nacional de Justiça negou, por duas vezes, recursos aos sargentos gays, que foram claramente vítimas de revanchismo dentro do tribunal militar.

Senador Magno Malta (PR-ES)O senador do PR-ES foi um dos primeiros parlamentares a se opor ao projeto de lei 122 e este ano afirmou que a lei legalizaria a pedofilia, do sadomasoquismo e da bestialidade. No ano passado, foi eleito o inimigo número 1 dos homossexuais por suas duras palavras contra os homossexuais. Este ano ele voltou a atacar o projeto e afirmou que ele e outros senadores esperam arquivar a proposta. Citando a Bíblia, o senador diz que defende a família e que Deus criou o homem e a mulher.

Deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ)Em 2010, o deputado federal do PMDB do Rio de Janeiro apresentou um projeto de lei que é contra a discriminação de pessoas heterossexuais. Ele afirmou que seu projeto se justifica para garantir que as pessoas “normais” sejam respeitadas. “Quando falo normal não quero dizer que eles sejam anormais. Na natureza existe o homem e a mulher, mas não acho que eles sejam anormais. Mas eles representam uma minoria.” A proposta não tem data para ser votada no Congresso e é uma retórica ao PLC 122, que visa criminalizar o preconceito aos homossexuais. O deputado faz parte da bancada de deputados contra o projeto e que defendem que criticar e ofender homossexuais é um direito garantido pela liberdade de expressão e de culto, quando usado argumentos religiosos. O deputado ainda é contra o projeto Brasil sem Homofobia, do MEC, e contra outras leis voltadas a comunidade gay.

Vereador de São Paulo Carlos ApolinárioO vereador paulistano Carlos Apolinário tentou por diversos anos remover a realização da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo da Avenida Paulista. Dono de uma rádio gospel e membro da Assembléia de Deus, Apolinário tentou ainda barrar a criação de um centro de informações turísticas para homossexuais visitantes na cidade e a distribuição de gel lubrificante na Parada Gay. Em retaliação a saída da Marcha para Jesus da Paulista, o vereador até fez um projeto para que a Paulista deixasse de receber a Parada Gay. Apolinário constantemente diz que há uma ditadura gay e que homossexuais querem privilégios.

Governador do Paraná Beto Richa (PSDB-PR)O atual governador do Paraná, Beto Richa, falou durante a campanha das eleições de 2010 que era a favor da união civil entre pessoas do mesmo sexo, porém, sobre adoção, afirmou que é contra, pois “comprovadamente, cientificamente, hoje, isso causa um abalo, um transtorno psicológico, mental, para estas crianças”. Antes, enquanto prefeito, ignorou uma agressão cometida por um guarda municipal a um casal homossexual. Tal guarda foi promovido para sua segurança após o incidente. O então prefeito Beto Richa ainda vetou o projeto de criação do Dia Municipal Contra a Homofobia. Em seus quatro meses como governador, o projeto criado por seu antecessor, Orlando Pessuti, para instituir do Conselho Estadual LGBT se encontra parado.

Deputado estadual Edino Fonseca (PSC-RJ)Em seu último mandato, o deputado do partido social cristão fluminense e pastor evangélico chegou a propor, em 2004, um projeto de lei com direito a auxílio para “homossexuais que voluntariamente quisessem tornar-se heterossexuais”. O deputado ainda teria dito que homossexuais fazem clones para dominar a sociedade. O polêmico projeto do deputado foi rejeitado pelos deputados do Rio de Janeiro e teve defesa de Flávio Bolsonaro (PP), filho do deputado federal Jair Bolsonaro (PP), que afirmou: “Se Deus quisesse que o mundo fosse homossexual não teria criado Adão e Eva, e sim Adão e Ivo”.

Júlio SeveroO blogueiro  há anos prega na internet suas idéias fundamentalistas. Cristão direitista, que se autodenomina profeta, Severo faz ataques pessoais a gays em seu site, usa a Bíblia como escudo, prega a cura da homossexualidade e de que homossexuais são pedófilos. Se diz vítima de uma perseguição política que o obrigou a sair do país e pede doações na internet para que possa dar sequência a sua missão.


Fonte: Lado A

União gay: Juristas e Igreja contestam a decisão do STF

Para o arcebispo do Rio, definição de família ''não nasce do voto ou da opinião de um grupo''; para procurador, não é matéria de jurisdição

Reunidos em Aparecida (SP) para a 49º Assembleia Geral, as lideranças da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) repetiram nesta quinta-feira (5) que têm ressalvas à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que decidiu no começo da noite, por unanimidade, a favor da união estável de homossexuais.

"A definição do que é uma família não nasce do voto ou da opinião de um grupo majoritário. É algo de direito natural, está inscrito na própria condição humana", afirmou d. Orani João Tempesta, arcebispo do Rio.

D. Orani ressaltou que a Igreja Católica não é contrária aos "legítimos direitos das pessoas". Como exemplo, afirmou que recebem apoio da Igreja leis relacionadas à partilha de bens de pessoas do mesmo sexo que construíram um patrimônio juntas. Contudo, não seria possível admitir a equiparação legal com o casamento heterossexual, com o consequente reconhecimento dos direitos associados a uma família tradicional.

Em entrevista coletiva anterior ao resultado na corte judicial, o bispo auxiliar de Belo Horizonte (MG), dom Joaquim Mol Guimarães, disse ser justo conceder aos casais gays os direitos econômicos, a repartição de bens, mas ressaltou que a preocupação da Igreja é com a entidade família.

“Penso que se pontua muito bem quando se fala de direitos econômicos, repartição de bens aos casais homoafetivos. Tudo isso tem que ser feito mesmo quando as pessoas estão conjuntamente empenhadas, mas a grande preocupação da Igreja e de muitas outras pessoas e instituições é exatamente com a base da família. Penso que esse é o grande pano de fundo do julgamento que está se dando, agora, no Supremo", afirmou.

Dom Edney Gouvêa Mattoso, bispo de Nova Friburgo (RJ), disse que é preciso diferenciar a união civil e o casamento. “Uma coisa é união civil, outra coisa é casamento”. Ainda segundo ele, “o direito de duas pessoas que conviveram e constituíram patrimônio, herdar, eu penso que é consenso, mas não se deve chamar a essa união casamento”.
“Nós sempre defenderemos a união sacramental da família: ‘os dois formarão uma só carne e o que Deus uniu o homem não separa”’, completou o arcebispo de Maringá (PR), dom Anuar Battisti.

Crítico do que qualificou como "ativismo judicial do Supremo", o jurista Ives Gandra Martins, de 76 anos, ex-professor titular de Direito Constitucional da Universidade Mackenzie, defende a mesma opinião. "Pessoalmente sou contra o casamento entre homossexuais, não contra a união. A união pode ser feita e tem outros tipos de garantias, como as patrimoniais. Minha posição doutrinária, sem nenhum preconceito contra os homossexuais, é que o casamento e a constituição de família só pode acontecer entre homem e mulher. Mas o Supremo é que manda e sou só um advogado."

Para Martins, o STF assumiu o papel do Congresso Nacional ao decidir sobre o tema. "Sempre fui contra o ativismo judiciário. O que a Constituição escreveu é o que tem de prevalecer. É evidente que não estou de acordo com os fundamentos da decisão. Entendo que o STF não pode se transformar num constituinte."

Lenio Streck, procurador de Justiça do Rio Grande do Sul, diz que a decisão sobre as uniões homoafetivas cabe ao Congresso. "Isso é o espaço para discussão do legislador, como se fez na Espanha e em Portugal. Lá esse assunto foi discutido pelo Parlamento. O Judiciário nesse ponto não pode substituir o legislador."

A partir de agora, a decisão vai prevalecer em todo o País. "Como advogado tenho de reconhecer que, indiscutivelmente, todos os julgadores terão de decidir de acordo com a decisão do STF", diz Martins.

Fonte: UOL e Estadão

UNIÃO ESTAVEL ?

Em sua decisão, o ministro Ricardo Lewandowski aprovou a união, mas ponderou que o Congresso deve legislar em temas ainda não previstos pela Constituição ou reservados a pares formados por um homem e uma mulher. O presidente da Corte, Cezar Peluso, afirmou que existem similitudes entre casais heterossexuais e uniões homossexuais, não igualdade.
Diante de um plenário menos disputado do que na quarta-feira (4), quando o julgamento começou, os ministros evocaram o combate ao preconceito para votarem a favor da união estável gay. “A homossexualidade caracteriza a humanidade de uma pessoa. Não é crime. Então por que o homossexual não pode constituir uma família? Por força de duas questões que são abominadas por nossa Constituição: a intolerância e o preconceito”, disse o ministro Luiz Fux.

“O reconhecimento de uniões homoafetivas encontra seu fundamento em todos os dispositivos constitucionais que tratam da dignidade humana”, afirmou o ministro Joaquim Barbosa, em uma decisão que durou menos de dez minutos.
O Congresso foi criticado pelos ministros da mais alta corte do país. Peluso ergueu o tom da voz para fazer uma "convocação que a decisão da Corte implica, para que o Poder Legislativo assuma essa tarefa [de discutir direitos dos homossexuais], a qual ele não parece ter se sentido propenso a exercer". "O Poder Legislativo tem que se dispor e regulamentar", completou o presidente do STF.

O ministro Gilmar Mendes afirmou que os políticos vivem "um quadro de inércia" para legislar sobre o assunto. Lewandowski também fez críticas ao Poder Legislativo e admitiu que o Supremo assumiu uma função que caberia à classe política.

Entenda o julgamento

Entre as novas garantias que podem ser dadas após a decisão do Supremo estão pedidos de aposentadoria, pensão no caso de separação e uso de plano de saúde. Algumas decisões para estender direitos aos parceiros do mesmo sexo já foram tomadas por tribunais, mas o STF nunca tinha se pronunciado sobre o assunto.
Em seu voto proferido ontem, quando a questão começou a ser discutida, Ayres Britto também cogitou, sem se aprofundar, a possibilidade de adoção de crianças por casais homossexuais.
 
Antes de relatar os casos, Ayres Britto pediu um levantamento nos Estados para saber se a união civil de homossexuais já era reconhecida. O ministro detectou que isso aconteceu em tribunais de dez unidades federativas: Acre, Alagoas, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Piauí, Rio Grande do Sul e São Paulo.
 
Essas decisões, de primeira ou segunda instâncias, podem pesar a favor do movimento gay no julgamento no STF. As decisões judiciais autorizaram não apenas as uniões civis homossexuais, mas também pleitos de pensão e herança.
 
Mais de 20 países de todo o mundo reconheceram a união civil de homossexuais antes do Brasil, incluindo o Uruguai. Outros, como a Argentina e várias partes dos Estados Unidos, permitem casamentos gays –uma decisão ainda mais condenada pela Igreja Católica.
 
FONTE UOL

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...