terça-feira, 4 de dezembro de 2012

O Brasil oficializou a Israel sua posição contrária à nova expansão de assentamentos judaicos em área na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, áreas reconhecidas pela ONU como território palestino


Convocado pelo Ministério das Relações Exteriores, o embaixador de Israel em Brasília, Rafael Eldad, esteve na manhã desta terça-feira reunido com o embaixador Paulo Cordeiro, o subsecretário de África e Oriente Médio do Itamaraty, que expressou a posição brasileira contrária à expansão dos assentamentos.
O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, não participou da reunião, segundo informou a pasta. No final da tarde de hoje, ele se pronunciou sobre o encontro, afirmando que foi uma reunião de rotina, mas reforçou que o Brasil não apoia a decisão de Israel.
- O secretário de Assuntos de Oriente Médio conversou com o embaixador de Israel. Faz parte da rotina. Temos uma relação amistosa com Israel. Agora, também temos uma posição oficial contrária aos assentamentos. Consideramos que isso não contribui para a paz - afirmou Patriota.
De acordo com a assessoria de imprensa do Itamaraty, na reunião desta manhã, o Brasil manifestou sua posição tradicional em relação aos crescimento dos assentamentos, "de que eles constituem uma prática ilegal e que não contribuem para o processo de paz entre Israel e Palestina". Na reunião, o subsecretário brasileiro ainda afirmou a Eldad que a segurança do estado de Israel é ponto "fundamental" para o Brasil.
Segundo o órgão, o embaixador israelense não fez comentários sobre o posicionamento brasileiro, mas tomou conhecimento dessa manifestação do órgão. Ele reiterou apenas, segundo informou o Itamaraty, que Israel avalia que não contribui para o processo de paz a elevação do status da Palestina a Estado não membro da ONU, decisão aprovada pela Assembleia Geral na semana passada com o apoio de 138 países, entre eles o Brasil.
Segundo a edição on-line do jornal israelense "Haaretz", além do Brasil, Austrália, Irlanda, Finlândia e Egito também reportaram sua contrariedade a Israel, seguindo ação semelhante adotada na véspera por pelo menos cinco países europeus.
A expansão dos assentamentos foi anunciada pelo governo israelense um dia depois de a Palestina ser reconhecida como um Estado observador não membro na Assembleia Geral da ONU, na última quinta-feira. Na segunda, Reino Unido, França, Suécia, Dinamarca e Espanha chamaram os embaixadores israelenses em seus países para manifestar o descontentamento com a decisão, vista como mais um obstáculo ao processo de paz. A Rússia também emitiu um comunicado na segunda-feira encorajando Israel a suspender a ampliação dos assentamentos.
As colônias, principalmente na chamada região E-1, tornam praticamente impossível um território palestino contínuo. O governo holandês, que se absteve na quinta-feira, comunicou ao chanceler Avigdor Lieberman que não apoiará Israel em futuras votações na ONU se a construção nessa região for avante, informou o "Haaretz". O vice-embaixador alemão transmitiu uma mensagem semelhante, acrescentou o jornal.

VIA  GRITOS  DE ALERTA  / INF. YAHOO

Homem invade igreja tentando matar esposa e acaba atacando o pastor


Homem invade igreja tentando matar esposa e acaba atacando o pastorHomem invade igreja tentando matar esposa e acaba atacando o pastor
Fiéis de uma igreja evangélica do bairro São Sebastião, Porto Velho (RO), ficaram apavorados quando durante o culto do último domingo (2) um homem invadiu o local procurando sua esposa e acabou atingindo o pastor com uma facada.
Identificado como Glimoaldo Monteiro, o jovem de 25 anos chegou armado com uma faca e começou a procurar sua esposa no meio dos fiéis. Como ela não estava ali ele ficou insatisfeito e quebrou o vidro da porta do templo. O pastor tentou interferir, mas acabou sendo agredido com um golpe de faca.
No meio do ataque muitas mulheres, principalmente idosas, desmaiaram com medo da ação criminosa. Os relatos do boletim de ocorrência também afirmam que o acusado usou uma enxada para danificar outros objetos da igreja.
Depois de destruir o templo, Glimoaldo tentou fugir, mas foi seguido por moradores que só não o lincharam porque uma equipe policial chegou para levá-lo à delegacia. As informações são de Rondônia Ao vivo.

GOSPEL PRIME / VIA  GRITOS  DE ALERTA

ATENÇÃO , ESSE GOVERNO LIGADO AO ILLUMINATI QUEREM INTERVIR NA EDUCAÇÃO DE NOSSOS FILHOS . DIGA NÃO A LEI DAS PALMADAS - DIGA NÃO A LEI DA PALMADA.


Essa “lei da palmada” é uma violação do direito familiar dos Pais poderem educar os seus filhos.
Discorde
 de mais essa interferência do Estado em nossas vidas.
Em vez de se preocuparem em dar educação para o povo aprender a ter ética e equilíbrio ficam querendo se intrometer no modo como os pais criam seus filhos.
A grande questão é: O estado vai começar a ditar tudo que devemos fazer? 
E nós vamos permitir isso?
Esses deputados precisam se preocupar com a educação.
Ignorantes é que não sabem educar seus filhos.
Cada família é uma família. 
Cada caso é um caso.
Uns espancam, mas outros tem equilíbrio.
Este tipo de lei não tem necessidade.
É necessário diferenciar violência doméstica de palmadas de advertência.
Não cabe ao Estado a função de educador. 
Vamos ter um fiscal em cada residência?
Ou filhos delatando pais?
E vizinhos interferindo?
Uma palmada não quer dizer que um pai não tem estrutura psicológica para criar um filho, tendo que ser advertido e ter até acompanhamento psicológico.
O que o Congresso precisa é fazer cumprir as leis que já existem em vigor e que podem colocar na cadeia pais que espancam e abusam dos seus filhos.
Aliás, o que já está previsto na Constituição Brasileira no parágrafo 4 do Art. 227.
Precisam se preocupar mais com a Segurança Pública e com o combate as drogas.
Essa “lei da palmada” tira a autoridade dos pais.
Assine esse abaixo assinado e aumente a força dessa petição. 
Os políticos foram colocados lá pra fazer o que é melhor para o povo e quando tiverem dúvida de alguma coisa consultarem a opinião popular.
E isso não está sendo feito dessa vez.
Assine e ajude a impedir que entre em vigor essa lei que é invasiva e que sutilmente é uma interferência no “modus vivendi” de cada família.
A lei da palmada ainda tem que ser aprovada pelo Senado Federal e pela Presidente Dilma.
Ainda dá tempo de impedir que ela entre em vigor.
Assine e ajude nessa petição.
EU JÁ ASSINEI!

VIA  GRITOS  DE ALERTA

Padre é preso no DF acusado de estuprar 6 crianças


imagem ilustrativa da ueb
No momento da prisão, religioso estava na cama com a secretária de uma igreja; no local, polícia também encontrou uma arma.
A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu na última sexta-feira o padre Evangelista Moisés Figueiredo, acusado de estupro e atentado violento ao pudor contra seis crianças, sendo cinco irmãos. O padre trabalha há dez anos na Igreja São Francisco de Assis, na cidade-satélite de São Sebastião, e frequentava a casa dos pais das crianças. Segundo os menores - cinco meninas e um menino -, os abusos aconteciam há um ano.
 
No momento da prisão, Figueiredo estava na cama com uma mulher nua - a secretária da Igreja São Camilo, onde o padre também trabalhou durante nove anos. Na casa foi encontrada uma cartucheira, calibre 36.
O padre negou a acusação de estupro e atentado violento ao pudor. Afirmou que a arma era de outra pessoa, mas não explicou as razões de ela estar na sua casa. Ele também será acusado por porte ilegal de armas.
As investigações começaram há três semanas, quando uma mães foi à delegacia denunciar abusos contra seus cinco filhos. O pai das crianças é caseiro de uma propriedade próxima da igreja liderada por Figueiredo. A outra criança, uma menina, é filha de um pedreiro que também trabalha e mora na região.
"Ele atraía os menores com a promessa de ajudar nos deveres de casa e de pagar R$ 20. O dinheiro nunca foi recebido", afirmou o diretor-geral da Polícia Civil do DF, Onofre Moraes.
As crianças afirmaram que os abusos eram cometidos na casa do padre e em suas casas. "Ele fazia visitas com frequência. Almoçava, era amigo dos pais, que também frequentavam a igreja."
As crianças disseram que eram ameaçadas. "Segundo elas, ele falava que os pais seriam demitidos e sempre mostrava a arma que tinha em casa", disse a delegada Valéria Raquel Martirena, que acompanha o caso
A versão das crianças são coerentes entre si. Elas relataram que o padre, antes do estupro, mostrava um vídeo pornográfico no celular. O telefone foi apreendido e as cenas descritas pelas crianças, reconhecidas.
História. Ordenado padre em 1993, Figueiredo, de 49 anos, exibia uma atuação marcante na vida eclesiástica. Celebrou missas na ala psiquiátrica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo, integrou a pastoral de saúde da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Em Brasília, antes de trabalhar na Paróquia de São Francisco de Assis, trabalhou na Igreja São Camilo, em uma nobre de Brasília, Asa Sul. "Não há acusações confirmadas em outras paróquias. Mas investigações continuam", disse Moraes.
Após a prisão, o padre foi apresentado aos jornalistas. Descalço, com bermuda, camiseta e algemado, ele não falou com jornalistas. Figueiredo está com a prisão preventiva decretada, e o inquérito deve ser concluído em dez dias. O Ministério Público tem até dez dias para avaliar se as provas são suficientes para pedir uma ação na Justiça.
A Diocese de Brasília informou que só se manifestará quando os fatos forem esclarecidos. A assessoria de imprensa da CNBB afirmou que não está definido se o assunto será discutido pelo colegiado na próxima reunião ordinária.

(Estadão)

JÁ COMEÇOU - LÍDERES EUROPEUS CONTRA ISRAEL


 

Engrossa a voz de alguns dos mais influentes líderes europeus contra Israel. A causa é a decisão do governo israelita de permitir a construção de 3.000 casas no território israelita de Jerusalém, a sua eterna capital.
Europa esta - com a honrosa excepção da República Checa, que merece o nosso grande aplauso - que está a navegar em águas muito perigosas, desconhecendo que está a cavar a sua própria sepultura!
Tanto o Reino Unido como a França e agora a Suécia, a Espanha e a Dinamarca convocaram os embaixadores de Israel nos seus países como protesto pelas novas construções a meio de informações de que estes países estarão considerando outras medidas anti-israelitas. A Alemanha e a Rússia e  contribuíram igualmente com críticas a Israel.
Segundo informações recentes, os embaixadores israelitas nas capitais destes países receberam "duras reprimendas" da parte dos respectivos governos.
Segundo a cadeia de TV Sky News, entre as sanções em consideração pelo Reino Unido estará a suspensão de acordos comerciais com o estado judaico. Um porta-voz do primeiro-ministro britânico já veio entretanto desmentir estas informações.
 
ALDEAMENTO ISRAELITA NA JUDEIA
A Alemanha apelou a Israel para que refreasse a expansão de novos aldeamentos e a Rússia informou que vê com séria preocupação os planos para a colocação de novas casas na Judeia e em Jerusalém oriental. O ministro dos Negócios Estrangeiros sueco também verbalizou este mesmo sentimento no seu blog. 
Fontes diplomáticas disseram que tanto Londres como Paris estavam considerando o passo sem precedentes de convocarem os seus embaixadores a Tel Aviv, mas ambos os países assinalaram que ainda existia espaço de manobra para se evitar uma crise profunda com Israel.
Obviamente a Autoridade Palestiniana não perdeu tempo a aplaudir e a "abençoar" estes países europeus, desejando até que eles não se fiquem pelas "reprimendas" a Israel...

A "CAUSA" DESTA ATITUDE DA EUROPA
Logo que Israel confirmou a aceitação do estatuto de "estado observador não membro para a Palestina" por grande parte dos países representados na ONU, o governo decidiu retaliar contra esta medida palestiniana que obviamente violou por completo os acordos de Oslo. 
A decisão de construir mais 3.000 casas em Jerusalém oriental irou muitos países do mundo ocidental, incluindo os próprios EUA, numa atitude de completa hipocrisia, uma vez que aceitaram a proposta de um estado não-existente, aceitaram a violação dos acordos de Oslo, e agora não aceitam que Israel construa na sua terra e no seu território...
Israel tem obviamente o direito de construir onde quiser no seu território, e nenhum país do mundo tem que interferir nas decisões internas de um estado soberano, como é o caso de Israel.

Shalom, Israel!

Colunista da Veja critica postura 'intolerante' de militantes gays com Silas Malafaia em audiência pública


Reinaldo Azevedo, jornalista e colunista da revista Veja publicou um artigo levantando a questão sobre a cura gay e a intolerância observada na audiência pública, realizada para debater o Projeto de Decreto Legislativo 234/11, na última quarta-feira, dia 28.

O decreto, de autoria do deputado federal João Campos (PSDB-GO), pretende revogar parte de uma resolução do Conselho Federal de Psicologia que impõe regras aos profissionais da área na relação com pacientes homossexuais.
De acordo com o colunista, participaram do encontro militantes de movimentos gays, representantes de igrejas cristãs e profissionais da área.
Para o colunista, o debate foi “um espetáculo grotesco. A intolerância mais rombuda, envergando as vestes da liberdade, gritou, injuriou, espezinhou, partiu para a baixaria”.
O colunista revela não ser a favor da hipótese de uma cura gay, já que não considera a homossexualidade uma doença. No entanto, ressalta que não acredita também ser uma opção: “sexualidade não é uma opção — se fosse, a esmagadora maioria escolheria o caminho da maior aceitação social (...)”, comentou.
Entre alguns trechos do projeto de lei que julga apropriados, ele cita alguns que “avança o sinal”, abrindo “as portas para a caça às bruxas”.
Reinaldo cita o trecho: “Os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades”; e “Os psicólogos não se pronunciarão, nem participarão de pronunciamentos públicos, nos meios de comunicação em massa, de modo a reforçar os preconceitos sociais existentes em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica”.
“Qual é o principal problema desses óbices?” questiona o colunista. Ele próprio conclui que, “cria-se um ‘padrão’ não definido na relação entre o psicólogo e a homossexualidade”.
Para ele, tais trechos são “tão estupidamente” subjetivos que se torna possível enquadrar qualquer profissional punindo-o com base no simples "achismo", na mera opinião de um eventual adversário.
Com base em uma pesquisa, o colunista da Veja diz que não encontrou evidências de resolução parecida em nenhum lugar do mundo, considerando esta discussão no Brasil uma forma de “usar o discurso da liberdade para solapar a própria liberdade, não se dão a desfrutes dessa natureza”.
Ele cita como exemplo os governos da Califórnia e dos Estados Unidos que proibiram a terapia forçada de “cura” da homossexualidade em adolescentes, o que julga ser “muito diferente do que fez o conselho no Brasil”.
Intolerância
Reinaldo reafirma não acreditar na cura gay por não considerar a postura uma doença. Porém, ressalta que deve haver respeito no debate entre as pessoas com diferentes opiniões.
“O sentido de um evento assim é confrontar opiniões, é permitir que as várias vozes da sociedade se manifestem.”
Reinaldo faz uma crítica a posturas dos militantes gays que defendem a tolerância, mas que agiram com intolerância no pronunciamento do pastor Silas Malafaia. Segundo o jornalista, o associaram à “suástica nazi”. “Ei-la: esta é a intolerância dos tolerantes”.
“Cartazes de puro deboche e achincalhe eram exibidos enquanto ele emitia os seus pontos de vista; ele mal conseguia articular palavra sem que a tropa de choque do sindicalismo gay o interrompesse com vaias e apupos”, comentou Reinaldo.
Reinaldo ainda critica a postura do deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), que de acordo com ele estava “a comandar o espetáculo”. Para ele, o parlamentar que defende a tolerância aos homossexuais deveria inspirar a atitude de tolerância nos seus seguidores, oposto ao que observou.
“Custa a esse parlamentar - que fala em nome da tolerância - inspirar a tolerância naqueles que o seguem, para que ouçam com respeito os que divergem?”
“Se é inaceitável - e é - que um gay seja alvo de discriminação, objeto de deboche - por que estimular comportamento semelhante contra aqueles que consideram seus adversários?”

fonte. http://portugues.christianpost.com/news/colunista-da-veja-critica-postura-intolerante-de-militantes-gays-com-silas-malafaia-em-audiencia-publica-13636/

REPUDIO AO LIXO DE PROGRAMAÇÃO DA REDE RECORD DE TELEVISÃO

Infelizmente e  REDE RECORD DE TELEVISÃO , emissora que deveria ser totalmente voltada para pregação da palavra de DEUS , volta a exibir badernas .
O novo participante e já expulso da fazenda de verão ameaça um outro participante com um machado .

COMO PODE UMA EMISSORA QUE FOI COMPRADA COM UMA BOA PARTE DE DINHEIRO ORIUNDO DE OFERTAS ,(FALO E PROVO ,POIS EU PARTICIPAVA DOS CULTOS E POR DIVERSAS VEZES EU OUVIA OS PASTORES PEDIREM OFERTAS PARA PAGAMENTO DAS PARCELAS DA TELEVISÃO) , MANDAR PARA O AR , EM HORÁRIO EM QUE CRIANÇAS ESTÃO ASSISTINDO A TV , UM SUJEITO TOMANDO BANHO NU ?

UM SUJEITO QUE AMEAÇA OUTRO COM  O USO DE UM MACHADO ?  
QUE COLOCA MULHERES QUASE NUA ?

SERÁ QUE PRECISAMOS FAZER IGUAL O MUNDO .

ISSO AI É UMA EMISSORA CHUCHU ,SEM GOSTO PRÓPRIO , SE ASSEMELHANDO A QUALQUER GOSTO QUE SE ENCOSTA .


SÓ UMA FRASE ME RESTA .


UM LIXO DE PROGRAMAÇÃO.


OBS . POVO CRISTÃO DO BRASIL , DIGA NÃO A ESSE LIXO DE PROGRAMAÇÃO DA REDE RECORD DE TELEVISÃO .


BISPO ROBERTO TORRECILHAS

O VERDADEIRO NATAL





“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” . (Isaías 9:6-7).
O nascimento de Jesus Cristo, embora não se possa afirmar com exatidão a data certa, é um fato histórico, irrefutável e inegável, que trouxe profundas implicações para todos os homens. A importância da vida e obra de Jesus é tão marcante que a história humana foi dividida em duas partes bem definidas: antes e depois dele.
Como disse Oscar Cullmann “a ação de Cristo se estende ao longo de toda a História. Ela é orientada, centralizada e conduzida. Cristo não é apenas um ponto cronológico do tempo; é ele quem dá sentido a cada uma das grandes divisões da história da salvação”. O grande pregador Charles H. Spurgeon disse que“Cristo é o grande fato central da história. A partir dele olha-se para frente ou para trás".

O Antigo Testamento – primeira parte da Bíblia – traz em seu bojo diversas profecias que diziam: - Ele virá! Há, inclusive, indicação do local do nascimento do Messias: ”E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade”

O Novo Testamento nos alerta: - Jesus Cristo veio, nasceu em Belém, viveu entre nós, morreu crucificado por causa de nossos pecados, ressuscitou ao terceiro dia e breve voltará! Maranata!
Muitos querem celebrar no Natal o nascimento de Cristo. Mas, teria ele nascido em 25 de dezembro? 
Se ele não nasceu nessa data, quem nasceu e a quem as pessoas estão celebrando sem o saber? 
 O termo Natal quer dizer nascimento – daí outros vocábulos como natividade, natalício, etc. O dia 25 de dezembro é uma data simbólica. 
O que se sabe é que o referido dia era dedicado no calendário romano à celebração do Natal do Sol invicto - festa dos adoradores do sol.
 Como o Cristianismo prevaleceu em Roma, a data foi escolhida para celebrar o nascimento de Cristo. Este tema tem merecido a atenção de muitos teólogos ao longo da história e gerado muita controvérsia. Os ortodoxos comemoram o natal em 06 de janeiro e os armênios no dia 19 do mesmo mês.
O dia 25 de dezembro foi escolhido porque coincidia com festivais pagãos que celebravam o solstício de inverno, em adoração ao deus-sol. Também neste dia, segundo a Enciclopédia Britânica, comemora-se o nascimento de Tamuz. 
Seus sacerdotes faziam sacrifícios, ouseja, cortavam as cabeças de bebês e penduravam em pinheiros e outras árvores.
Alguns dizem que o natal é a mais linda festa. Mas que tipo de festa - pagã, idolátra, católica, mística? Muitos símbolos foram acrescidos à festa natalina ao longo dos anos, tais como: - a árvore de Natal, Papai Noel, troca de presentes e de cartões, presépio, dentre outros.

 Todos estes símbolos muitas vezes desviam o verdadeiro sentido do natal e ainda são exacerbados pela cantilena capitalista. Nos grandes shoppings e no comércio em geral abusa-se do chamado “espírito natalino” e pouco se fala do Cristo – suposto aniversariante.
Num momento em que as pessoas querem comemorar o nascimento de Cristo, é importante lembrarmos que mais do que uma festa com bastante comida, bebida e presentes, o nascimento de Jesus é a manifestação da misericórdia e do amor de Deus que nunca desistiu dos homens. 

Nossa postura, então, deveria ser como a dos reis magos que vieram de longe para adorá-lo e ainda trouxeram seus presentes (Mt 2.1-12).
É perigoso dar-se o fato de, no meio de tantas luzes, ficarmos no escuro sem aquele que é a luz do mundo ; em meio a tanta comida, ficarmos com fome daquele que é o pão da vida ; no meio de tanta bebida, ficarmos sedentos daquele que é a água da vida.
Precisamos, pois, aceitar a humanidade de Cristo ( um menino nos nasceu...), reconhecê-lo como o Filho amado de Deus (um filho se nos deu ...) e o verdadeiro Deus que se fez homem para resgatar a humanidade perdida, como escreveu o Apóstolo Paulo aos crentes de Filipos: “ De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. 

Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra e toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai” (Fp 2.5-11).
Se Jesus Cristo nos “visitasse” hoje, com certeza ficaria indignado com tudo o que se tem feito em seu nome, mas sem nada de seu Espírito e daquilo que ele ensinou. Tanta corrupção, violência, criminalidade, injustiça, miséria, imoralidade e incredulidade – ao lado de uma igreja omissa e alienada, outras vezes triunfalista, causariam nele a mesma indignação que teve contra os religiosos de seu tempo.

 Por outro lado, o mesmo Jesus hoje, também, choraria de compaixão por tantas ovelhas que não têm pastor.
Para muitos homens, chamados de mestres e doutores, Jesus é mais um mito; outros o vêem como um líder carismático, um iluminado ou até um rebelde e louco visionário. Alguns dizem que foi um homem perfeito e dotado de uma sabedoria singular. Grande parte quer apenas contato com o Jesus histórico.
Para Thomas Brooks “o chocalho sem o seio materno não satisfará a criança; a casa sem o marido não satisfará a esposa; o mundo sem Cristo não satisfará a alma” .

 Para o reformador Martinho Lutero “Cristo, em sua vida é um exemplo que nos mostra como viver; em sua morte, um sacrifício satisfatório por nossos pecados; em sua ressureição, um vencedor; em sua ascenção, um rei; em sua intercessão, um sumo sacerdote".
Para J. Blanchard “quando Jesus desceu à terra não deixou de ser Deus. Quando voltou ao céu, não deixou de ser homem”. No dizer de A F. Hughes “Cristo, como homem, dormiu no barco. Como Deus, acalmou a tempestade. Como homem, chorou. Como Deus, disse a lázaro: - vem para fora! – como homem foi posto no sepulcro. Como Deus, se levantou".
João Batista o viu como o cordeiro sem mancha e sem defeito, perfeito para o sacrifício – o agnus dei – o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (João 1.29).
Pôncio Pilatos o apresentou – Ecce-homo – “Eis aqui vo-lo trago fora, para que saibais que não acho nele crime algum” (João 19.4).
A Bíblia Sagrada apresenta Jesus como o logos – o verbo - o único caminho para Deus, a verdade, a vida, a porta, o sumo Pastor, o agnus dei – o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo - a primícia dos que dormem, o Leão da tribo de Judá, o Rei dos Reis, o Senhor dos Senhores, o alfa e o ômega, aquele que salva o pecador, que cura os enfermos, que liberta dos oprimidos, que consola os tristes, e que nos fez mais do que vencedores. A Ele, nosso único Senhor e suficiente Salvador, toda honra, glória, louvor e adoração para sempre.
Porque veio Jesus ao mundo? Podemos enumerar diversos motivos:
- Para ser a luz dos gentios e trazer salvação : “também te dei para luz dos gentios, para seres a minha salvação até à extremidade da terra” (Isaías 49:6);
- Para anunciar o ano aceitável do Senhor: “O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração, a pregar liberdade aos cativos, e restauração da vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor. liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor” ( Lc 4.18,19).
- Para anunciar o evangelho do Reino de Deus : “Ele, porém, lhes disse: Também é necessário que eu anuncie a outras cidades o evangelho do reino de Deus; porque para isso fui enviado” (Lc 4.43);
- Para trazer vida eterna aos que nele crêem: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16);
- Para salvar o mundo: “porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele” (João 3:17);
- Para desfazer as obras do diabo: “Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo” (1 João 3:8);
- Para aniquilar o diabo, que tinha o império da morte: “E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo” ( Hebreus 2:14);
- Para tirar os nossos pecados: 

”E bem sabeis que ele se manifestou para tirar os nossos pecados; e nele não há pecado” (1 João 3:5).
Portanto, quer comemoremos ou não o Natal , o importante não é a data e nem a festa, e sim o fato singular: - Jesus nasceu! Ouçamos, então, a sua doce voz:

 ”Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.” (Apocalipse 3:20).
Celebre, então, o Filho de Deus, que nasceu, cresceu, operou milagres, morreu em nosso lugar e ressuscitou para nos dar um lugar no céu. A ele, Jesus Cristo, seja a honra, glória e louvor para todo o sempre.




VIA  GRITOS  DE ALERTA  / inf. http://www.betuel.org.br

O que o relato da criação ensina a respeito do estilo de vida homossexual?


Os Fatos Sobre a Homossexualidade


Os relatos de Gênesis (Gênesis 1.27; 2.18,21-24) e Mateus 19.4-6 ensinam que Deus criou a humanidade de uma maneira específica (macho e fêmea) com propósitos específicos relativos a isso (casamento, unidade sexual e procriação subentendidos).
O lugar mais adequado para começar uma avaliação bíblica sobre o homossexualismo não é com textos que o rejeitam, mas com textos que sustentam e apóiam essas passagens condenatórias.[1] Essa abordagem de pano de fundo é algo que quase todos os escritores pró-homossexuais falham em suprir.
A consideração do relato da criação é vital por muitas razões. Para começar, é um relato dacriação. Homens e mulheres não são o produto cego de uma evolução ao acaso em que, literalmente, nada é normativo e os indivíduos são livres para escolher sua própria moralidade ou sexualidade. Os homens devem prestar contas ao Deus que os criou; eles não são o produto de uma natureza impessoal que não se importa com o estilo de vida deles.[2]
Abaixo estão cinco razões pelas quais o relato da criação é decisivo para qualquer discussão bíblica sobre a homossexualidade.

Primeiro, a aceitação da homossexualidade viola a ordem e a essência da própria criação humana.

Deus declarou que não era bom que o homem estivesse só. Para remediar essa situação, Ele criou a mulher como complemento divino e contrapartida da masculinidade. A comunhão sexual íntima foi pretendida somente para o homem com a mulher. Isso quer dizer que a homossexualidade distorce e desordena as intenções de Deus na criação e que a prática da homossexualidade contradiz o padrão da heterossexualidade em seu nível mais básico. O estilo de vida homossexual nega e desafia as polaridades do sexo de tal maneira que nem mesmo comportamentos heterossexuais, tais como fornicação e adultério, o conseguem.

Segundo, os homossexuais não podem obedecer ao mandamento de Deus quanto à procriação.

Em Gênesis 1.28, Deus ordenou a Adão, Eva e seus descendentes: "sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra". Se Adão tivesse decidido ser homossexual, ninguém jamais teria nascido.

Terceiro, a homossexualidade constitui uma rebelião consciente contra a ordem divinamente criada.

De acordo com Romanos 1.32 e outras passagens bíblicas, os homossexuais sabem que seu comportamento é pecaminoso. A escolha contínua da prática de tal atividade é, portanto, uma rebelião intencional contra Deus e a ordem da criação.

Quarto, a Bíblia está repleta de premissas do relato da criação.

Se a homossexualidade fosse de alguma maneira legítima, as Escrituras não assumiriam uma inclinação heterossexual, mas incluiriam a opção homossexual. Se Deus tivesse a intenção de que o homem fosse bissexual, ou homossexual, ou se Ele tivesse criado o homem andrógino, o fato de criá-lo dessa maneira seria evidente em outros relatos das Escrituras relacionados à natureza do homem. Mas, o único padrão mantido e defendido é o heterossexual. "Do primeiro capítulo de Gênesis até o livro de Apocalipse, o significado duplo de expressão sexual-genital – a saber, procriação e união – é claramente manifesto... Javé é descrito como o noivo fiel, e Israel, como a noiva fiel, indicando que o amor heterossexual pode ser a base para se expressar o mistério de Deus em amar a raça humana... Além disso, o autor de Efésios reitera a mesma verdade revelada sobre a sexualidade humana, no contexto da sublime comparação em que o marido é comparado a Cristo e a mulher à Igreja. Quando o autor deseja descrever o amor que Cristo tem pela Sua Igreja, ele se volta para o amor heterossexual do marido e da mulher. [Efésios 5.25,28]."[3]
Em outras palavras, as Escrituras estão impregnadas com premissas concernentes à adequação da heterossexualidade; por comparação, a homossexualidade está conspicuamente ausente exceto quando se trata de condenação.

Quinto, a homossexualidade distorce a imagem de Deus.

Gênesis 1.27 ensina claramente que a imagem de Deus compreende tanto macho e fêmea – uma complementaridade que é eterna e existirá para sempre. Afirmar que a homossexualidade é bíblica e normal é distorcer a imagem de Deus e, conseqüentemente, insultar a natureza e o próprio Ser de Deus.
Ao entendermos o propósito divino da criação e o fato de que a criação reflete o próprio Ser de Deus, podemos entender mais claramente as razões para as condenações bíblicas da homossexualidade moderna e porque elas são tão rígidas.

O que 2 Pedro 2.1-10 e Judas ensinam a respeito do estilo de vida homossexual?

Essas passagens estão repletas de referências ao homossexualismo e, implicitamente, também ao movimento homossexual cristão. As passagens paralelas ao trecho de Romanos são dignas de nota. Em 2 Pedro 2, observe que o contexto envolve "falsos mestres entre vós" (i.e. dentro da igreja) que ardilosamente introduzem "heresias destrutivas" até mesmo negando o Mestre (Jesus) que os comprou. Note, além disso, que muitos seguirão sua "sensualidade" (v. 2) ou "caminhos vergonhosos", e por causa de tais mestres o caminho da verdade será "difamado" ou distorcido.
Tais pessoas são consideradas como repletas de ganância e descritas como sendo aquelas que exploram os cristãos com "palavras falsas" ( v. 3) ou "fábulas".
Até aqui, a passagem é aplicável tanto a homossexuais quanto a "homossexuais cristãos" que promovem os tipos de argumentos que temos considerado no livro Os Fatos Sobre a Homossexualidade. Note também que nessa passagem é a homossexualidade que é diretamente citada como ilustração de todos acima. Sodoma e Gomorra são mencionadas especificamente por terem sido destruídas como "um exemplo para aqueles que viessem a viver vidas impiedosas depois disso."
O livro de Judas continua a rejeitar a homossexualidade:
"Como Sodoma e Gomorra e as cidades circunvizinhas que, havendo-se entregue à prostituição como aqueles seguindo após outra carne, são postas para exemplo do fogo eterno, sofrendo punição... Ora estes da mesma sorte, quais sonhadores alucinados, não só contaminam a carne, como rejeitam governo e difamam autoridades superiores... Estes, porém, quanto a tudo que não entendem, difamam... Estas são as coisas que os destroem... São estes os que promovem divisões, sensuais, que não têm o Espírito" (Judas 7-19).
Essas palavras dispensam qualquer explicação e requerem pouco comentário.
Examinamos os principais e mais explícitos versículos das Escrituras relacionados ao homossexualismo. Aquele que afirma que a questão bíblica contra a homossexualidade é baseada em alguns textos "isolados" e "obscuros", simplesmente não entende o peso desses trechos das Escrituras. Além dos versículos acima, há um grande número de versículos adicionais que são aplicáveis às práticas homossexuais apesar do termo em si não ser usado (por exemplo, Romanos 6.11-21; Romanos 12.1-2; 1 Coríntios 6.19-20: Filipenses 1.20; Colossenses 3.5-8, Apocalipse 21.8).

Como se pode deixar o estilo de vida homossexual?

Deixar o estilo de vida homossexual pode ser relativamente fácil ou difícil, dependendo de diversos fatores. O passo mais importante é este – aceitar que o estilo de vida homossexual é moralmente errado e resolver mudar. Como comentamos no livro "Os Fatos Sobre a Homossexualidade", a mudança é claramente possível para homossexuais que queiram mudar, e Deus concederá graça e poder àqueles que se voltarem para Ele com fé, desejosos de agradá-lO com seu comportamento sexual. Nesse caso, a chave é uma oração de arrependimento diante de Deus, resolvendo deixar o estilo de vida homossexual, o incentivo e o aconselhamento daqueles que já fizeram isso.
Para aqueles que verdadeiramente desejam deixar o estilo de vida homossexual, nós recomendamos a seguinte oração:
Querido Deus:
Eu agora reconheço que a minha homossexualidade tem Te desagradado. Confesso meu pecado diante de Ti e peço o Teu poder e Tua graça para deixar o meu estilo de vida anterior, de forma final e completa. Entendo que o Senhor é Santo e que meu pecado me separou de Ti. Portanto, agora recebo a Cristo como meu Senhor e Salvador pessoal, crendo que Ele morreu na cruz por todos os meus pecados e que ressuscitou dentre os mortos ao terceiro dia. Agradeço-Te que, pela fé no Teu Filho, posso agora saber que todos os meus pecados foram perdoados, – passados, presentes e futuros. Não preciso mais temer o Teu julgamento por causa do que Cristo consumou na cruz. Com a Tua ajuda, eu agora resolvo buscar qualquer ajuda e aconselhamento necessários para obedecer à Tua vontade para a minha vida. Em nome de Jesus, amém.
Aqueles que fizeram essa oração devem entender que a entrega a Cristo é um assunto sério e envolve fazer dEle o Senhor de cada área de sua vida. Vocês devem saber também que inclinações para o mesmo sexo podem, mas provavelmente não vão, cessar automaticamente. O pecado da homossexualidade é igual a qualquer outro pecado sexual e requer tempo e paciência para ser vencido. Outro passo importante é um rompimento explícito e permanente de todos os laços com a comunidade homossexual, incluíndo, se necessário, todas as amizades anteriores. Nenhuma brecha de tentação deve ser permitida. Toda rejeição ao pecado equivale à auto-negação e, é claro, é algo doloroso, mas o simples fato da dificuldade não nos isenta da responsabilidade diante de Deus de amá-lO como Ele nos amou. Milhares de homens e mulheres gays testemunharam que existe vitória – vitória completa – e aqueles que acabaram de começar seu novo estilo de vida devem ser encorajados por esse fato. (John Ankerberg e John Weldon - http://www.chamada.com.br)

Notas

  1. John Stott, “Homosexual Partnerships”, Involvement, vol. 2, p. 226.
  2. Veja John Ankerberg e John Weldon, Os Fatos Sobre Criação e Evolução (Obra Missionária Chamada da Meia-Noite, 1995).
  3. John F. Harvey, The Homosexual Person (San Francisco: Ignatius, 1987), p. 95-97.
John Ankerberg é apresentador do premiado programa “The John Ankerberg Show” em rede nacional nos EUA. Ele é orador internacional e diplomou-se em teologia, história da igreja e pensamento cristão.