domingo, 8 de abril de 2018

PT . O DESTRUIDOR DO BRASIL .

,

Corrupção, corrupção e mais corrupção. Foi assim que o PT quebrou o Brasil.

Tudo começou no primeiro dia de governo de Lula em seu primeiro mandato em 2003 com a implantação de um plano de poder que tinha a corrupção como instrumento de financiamento. Logo, o PT se converteu na maior organização criminosa do país.

1 - O PT infiltrou agentes corruptos em diretorias estratégicas da Petrobras e organizou uma parceria criminosa com empreiteiras, que formaram um cartel para assumir o controle sobre as licitações e combinar sobrepreços. De acordo com o levantamento da ex-presidente da estatal, Graça Foster, o esquema de corrupção na empresa provocou prejuízos que totalizaram R$ 88,6 bilhões até 2014.

2 - Além de nomear corruptos para as estatais, o plano de poder do PT contemplava ainda o total aparelhamento do Estado. Quando assumiu o poder, Lula encontrou 19 mil servidores contratados. Em 8 anos, o ex-presidente elevou o quadro para 205 mil. Dilma ampliou ainda mais este número e apenas no primeiro mandato, contratou 115 mil pessoas..

3 - Durante a gestão do PT, a maioria dos cargos e ministérios não foram criados com o objetivo de prover os serviços para a população, mas sim para contemplar interesses políticos e desviar dinheiro. A meta era alcançar cerca de 500 mil militantes pagos com o dinheiro do contribuinte.

Graças à esta política, os governos do PT conseguiram multiplicar por cinco as despesas com o funcionalismo. O Orçamento previa que o pagamento de servidores federais consumiria R$ 252,6 bilhões, superando pela primeira vez na história do país todo o valor disponível para investimentos no ano.

4 - Para ganhar a eleição em 2014, a ex-presidente Dilma Rousseff promoveu uma série de desonerações sem nenhum planejamento. Para assegurar a vitória nas eleições, o governo aprovou redução nas tarifas de energia, redução de IPI para a venda de automóveis, eletrodomésticos, móveis e outros setores. Deixou ainda de ajustar o valor dos combustíveis. O rombo estimado para estas políticas superou a cifra dos R$ 500 bilhões. Nenhum país do mundo sai impune de um rombo deste tamanho.

5 - A gota d'água veio com a Operação Lava Jato, que começou a desvendar todo o esquema de corrupção na Petrobras, iniciado no primeiro mandato de Lula, em 2003. Com a investigação, dezenas de empreiteiras começaram a demitir funcionários e provocando a perda do emprego de mais de 400 mil chefes de família. O efeito dominó atingiu outros setores e empresas prestadoras de serviços, elevando para 850 mil o número de demitidos. Numa terceira onda que atingiu duramente o comércio e o consumo, outros 300 mil perderam seus empregos. Por fim, o PT deixou o governo com 12 milhões de desempregados em todo o país.

6 - As consequências para a economia foram devastadoras, com a queda vertiginosa no consumo que provocou demissões e falências em praticamente todos os setores do mercado. Segmentos como o de vestuário, eletrodomésticos, automóveis, mercado imobiliário e serviços apresentam queda superior à 20%. Além do aumento de demissões, a crise tem provocou queda recorde na arrecadação federal, estadual e municipal.

7 - Diante da decadência dos indicadores econômicos e da descoberta que Dilma maquiou as contas públicas, as agências de classificação de risco internacionais rebaixaram a nota do Brasil até chegar ao nível de risco de calote. Investidores estrangeiros começaram a retirar seus investimentos do país, provocando a desvalorização das empresas no mercado de ações e a paralisação em novos investimentos em produção no país.

8 - As incertezas se refletiram no aumento da inflação, do dólar e dos juros. Estes aumentos ainda ocasionaram a queda na produção agrícola, gerando novos aumentos que explodiram em 2016. A alta inflação de 2015 ainda deixou reflexos no próximo ano, mesmo após a cassação do mandato de Dilma.

Este é um apanhado apenas superficial do estrago provocado pelos governo de Lula e Dilma ao longo dos últimos treze anos. Os danos mais dramáticos ficaram mesmo por conta de Dilma envolvendo outros aspectos técnicos que foram negligenciados durante seu governo por uma simples questão de incompetência. 

A situação tornou-se tão crítica que a população se mobilizou e realizou as maiores manifestações da história mundial para remover um chefe de governo. Pressionados, os políticos reconheceram que não havia mais condições de governabilidade. Como não havia jeito de pedir o impeachment de Dilma por suas pedaladas de 2014, relativas ao seu mandato anterior, foi necessário esperar chegar 2016 para condená-la por crimes fiscais relativos ao ano de 2015, já referentes ao seu segundo mandato.

Além dos graves problemas econômicos, Dilma ainda arrastou o país para uma das mais graves crises institucionais e políticas de que se tem notícia na história recente. É um milagre que o presidente Michel Temer tenha conseguido estancar boa parte destes processos degenerativos dos indicadores do país em pouco mais de cem dias à frente do governo. Os desafios ainda persistem, tamanho foi o estrago provocado por Dilma, Lula e o PT, mas pelo menos já é possível ver uma luz no fim do túnel.


FONTE http://www.imprensaviva.com/2016/09/veja-como-o-pt-destruiu-economia-do.html

o Brasil governado por ladrões

Resultado de imagem para OS POLITICOS LADRÕES
Evidências empíricas e históricas demonstram que a corrupção (também no Brasil) não é, nem nunca foi, um fenômeno isolado. O disparatado e exótico, no nosso tropicalizado território, é a “licença” que as bandas podres das classes dominantes cleptocratas se dão (estamos falando das bandas podres dos donos do poder econômico, financeiro, político, administrativo e social) para roubar (pilhar) o patrimônio assim como o próprio poder público. Nem todo agente público, evidentemente, é um ladrão do dinheiro público. Mais de 230 mil processos estão, no entanto, tramitando na Justiça brasileira. O que é mais estarrecedor é que essa “licença” está naturalizada por grande parcela da população, que se coloca acrítica e subservientemente “no seu devido lugar hierárquico”.
O Brasil se modernizou, é inegável, mas esse processo ainda não se completou: tem democracia eleitoral, mas está longe da democracia cidadã (plena eficácia dos direitos); tem Constituição, mas incontáveis direitos e garantias para a maioria da população só existem no papel; tem economia de mercado, mas fortemente cartelizada; tem Justiça, mas bastante inacessível e ineficaz (falta o império da lei para todos); tem sociedade civil, mas 150 milhões ainda são analfabetos funcionais etc. Nosso inconcluso processo de “europeização” ainda convive com a “etiopização” das classes populares (subalternas e marginalizadas), que vivem das migalhas dos programas sociais clientelistas, sem nenhuma consciência crítica. Não há terreno mais fértil para a disseminação da corrupção cleptocrata (das bandas podres dos donos do poder), que não é percebida por essas classes como um prejuízo para elas (no fundo, dizem, “todos os políticos são iguais”).
A eleição ou reeleição frequente de políticos comprovadamente corruptos evidencia o quanto a sociedade civil, que sempre legitimou a extrema desigualdade, é também responsável pela “licença para roubar” que as bandas podres dos dominantes assumem como “direito adquirido”, sobretudo as que exercem o poder político inteiramente sequestrado pelo poder econômico por meio do financiamento das suas campanhas eleitorais.
São as classes dominantes que têm acesso e direta influência na divisão do Orçamento Público, daí a canalização para os bolsos das bandas podres cleptocratas (as que governam ou influenciam no governo do País) de muito dinheiro ilícito que poderia ser objeto de políticas públicas de interesse geral (como é o caso da educação de qualidade para todos em período integral).
A corrupção cleptocrata é uma pratica generalizada no Brasil em todos os níveis de governo: federal, estadual, distrital e municipal. Quem está conectado com as mídias só enxerga o lado visível do problema (escândalos da Petrobras e do metrôSP, por exemplo). Mas por detrás dessa superfície há um imenso iceberg de corrupção e de improbidade administrativa. Mais de 230 mil processos, em 2014, estavam na fila do Judiciário para julgamento.

O INICIO DO REINADO DO ANTI CRISTO

O Anticristo trará paz ou guerra?

O Anticristo será um líder que busca a paz e trava guerras. Na busca de paz ele será bem-sucedido e enganador; ao travar guerras ele será destemido e destrutivo. O Anticristo geralmente é descrito na Bíblia como um guerreiro. Suas atividades são resumidas em Daniel 9.27:
"Ele fará firme aliança com muitos, por uma semana; na metade da semana, fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares; sobre a asa das abominações virá o assolador, até que a destruição, que está determinada, se derrame sobre ele."
Em Apocalipse 6.2, João apresenta o Anticristo ao escrever: "Vi, então, e eis um cavalo branco e o seu cavaleiro com um arco; e foi-lhe dada uma coroa; e ele saiu vencendo e para vencer."
Nosso mundo precisa desesperadamente de paz, pessoas sinceras de vários contextos de vida trabalham e oram diariamente por uma paz duradoura. Na verdade, como crentes, somos incentivados pela Bíblia a orar por paz. Ainda assim, a instabilidade política é profunda em muitas regiões do mundo. A busca de uma paz permanente no Oriente Médio exige muita atenção e produz muitas manchetes; muitas vidas e carreiras foram sacrificadas na tentativa de trazer paz à região. Em última análise, no entanto, não haverá paz duradoura no mundo enquanto ele não for governado por Jesus Cristo, o Príncipe da Paz.
Quando o Anticristo emergir, será reconhecido e aceito por causa de sua habilidade como pacificador. Como líder da confederação multinacional, ele imporá paz a Israel e ao Oriente Médio, iniciando e formulando um tratado de paz para Israel. O Dr. Walvoord escreve sobre essa paz:
Quando um gentio, líder de dez nações, apresentar um tratado de paz a Israel, este será imposto com força superior e não como um tratado de paz negociado, ainda que aparentemente inclua os elementos necessários para tal acordo. Ele incluirá a delimitação das fronteiras de Israel, o estabelecimento de relações comerciais com seus vizinhos – algo que Israel não tem atualmente, e, principalmente, oferecerá proteção contra ataques externos, o que permitirá que Israel relaxe seu estado de constante alerta militar. Também é possível prever que algumas tentativas serão feitas para abrir áreas sagradas de Jerusalém para todas as religiões a elas relacionadas.[1]
No decorrer dos séculos, cristãos e judeus fiéis seguiram a exortação de Salmo 122.6 de"orar pela paz de Jerusalém." Mas a falsa paz do Anticristo não é a "paz de Jerusalém." O tratado ou aliança de paz do Anticristo só trará uma paz temporária e superficial à região. A princípio ela poderá ser eficaz e reconfortante, mas não durará. Depois de três anos e meio ela será quebrada e os gritos de alegria serão substituídos por gritos de aflição. Como todas as obras de Satanás, a vitória proclamada acabará em dor e violência:
Apesar dos detalhes da aliança não serem revelados na Bíblia, aparentemente ela trará grande alívio para Israel e para todo o mundo. O tempo de paz é previsto nas profecias de Ezequiel que descrevem Israel como um povo "em repouso, que vive seguro" nessa época (Ez 38.11). Em 1 Tessalonicenses 5.3 a frase que estará na boca do povo antes da Grande Tribulação cair sobre eles é: "Paz e segurança." ...A paz de que Israel desfrutará por três anos e meio se transformará tragicamente numa paz falsa e no prelúdio de um tempo de angústia incomparável, quando dois de cada três israelitas morrerão na terra (Zacarias 13.8).[2]
Num determinado ponto, por volta da metade da Tribulação, a paz de Israel será desafiada por exércitos invasores do norte (Ezequiel 38-39). Esses exércitos atacarão Israel, desafiando a paz estabelecida pelo Anticristo e sua autoridade. Mas Deus intervirá a favor de Israel, protegendo-o e aniquilando os exércitos invasores (Ezequiel 38.19-39.5). Isso se realizará em parte por um terremoto (38.19,20), em parte por confusão militar (38.21), e por uma praga acompanhada de granizo e fogo (38.22).
Depois desse conflito e da quebra da aliança com Israel, o Anticristo se declarará líder mundial. Isso poderá ser resultado da sua vitória sobre os exércitos invasores. O Dr. Walvoord escreve que "o líder da confederação de dez nações se encontrará numa posição em que poderá proclamar-se ditador mundial, e aparentemente ninguém será forte o suficiente para lutar contra ele. Sem ter que lutar para conseguir isso, ele governará o mundo como instrumento de Satanás."[3] Seu poder e força aumentarão, assim como sua tirania, e isso resultará num desafio final da sua força militar e política, que culminará na batalha de Armagedom (Apocalipse 16.14-16). Como tantos líderes e governantes antes dele, o Anticristo prometerá paz e travará guerras. Ele entrará num conflito de conseqüências globais – um conflito definitivo do tipo "quem ganhar fica com tudo" – e será derrotado e destruído por Jesus Cristo (veja Salmo 2).

Panelaço e foguetório! Prisão de Lula é comemorada pelo Brasil

O ex-presidente Lula deixou o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, em São Paulo, às 19h e se entregou à Polícia Federal. Ele saiu por um dos portões do sindicato, atravessou a rua a pé e se dirigiu ao local onde estavam os carros da Polícia Federal. Durante esse curto trajeto, Lula caminhou com dificuldade e sob proteção de seguranças do sindicato e apoiadores.
A repercussão pelo país foi imediata. Muitos carros buzinaram, pessoas gritaram em tom de comemoração, panelas batidas e foguetório. Veja:
Aqui já diminuiu bastante o barulho, mas ainda tem gente fazendo festa.

LULA PRESO CARAIO!!!!
Algumas pessoas ficaram incrédulas e fizeram brincadeiras no Twitter.

Acaboooou!!!! o lula

https://bhaz.com.br/2018/04/07/panelaco-foguetorio-prisao-lula/ 

NO COLO DO BIXO . Suspeito de envolvimento na tentativa de latrocínio do Cabo Garcia, é morto durante troca de tiros com a Polícia Militar em Rio Claro, SP

O indivíduo foi alvejado com cinco disparos, sendo solicitado o socorro junto ao SAMU. Na madrugada desta quinta-feira (07), um indivídu...