sexta-feira, 28 de junho de 2013

Igreja na China vence os desafios e cresce



Igreja na China vence os desafios e cresce A Igreja chinesa está mudando, mas há algo que permanece igual: tem muito trabalho a ser feito. Cristãos chineses estão em um período fundamental: vê-se mais liberdade religiosa em um país onde a economia cresce a uma velocidade altíssima.

O pastor Samuel Lam ainda é um dos pregadores mais conhecidos na China. Ele esteve na prisão no período de 1958 a 1978, porque recusou-se a pregar o que foi imposto a ele pela Igreja Três Autonomias, uma Igreja regulada pelo Estado da China. O pastor Lam tem 88 anos de idade, mas ainda prega todas as semanas com o coração e a alma. 'Você não sabe o que vai acontecer amanhã. Hoje, as autoridades não estão nos incomodando. Amanhã as coisas podem ser diferentes”, relata ele.


É necessário fazer um zigue-zague pelas ruas estreitas da cidade a fim de chegar à igreja do pastor Lam. Não é uma congregação isolada, mas um bloco de casas de três andares. Em um bloco vizinho, mais dois andares também servem como parte da igreja. Sua memória ocasionalmente o deixa na mão, mas o pastor parece muito saudável. Com um largo sorriso no rosto, ele regularmente recebe visitantes internacionais em sua igreja: viajantes que por acaso estão na área, mas também jornalistas, cônsules e outras pessoas de alto escalão.


Prisão

Samuel Lam nasceu em 1924, filho de pais cristãos. Ele foi preso pela primeira vez em 1955. Sua sentença durou quase 18 meses. Em 1958, ele foi preso novamente e acabou detido por 20 anos. Ele viu sua esposa pela última vez durante os cinco meses em que esteve em prisão preventiva. Ela morreu em 1977, apenas um ano antes dele ser solto. Após a sua libertação, ele retomou seu trabalho como pastor, e vem fazendo este trabalho até o presente momento. Inúmeras vezes, ele foi interrogado e teve de passar noites em uma cela. Sua igreja foi ameaçada de ser fechada por diversas vezes. Mas nada pode silenciar esse homem que escolheu servir a Deus acima de todas as coisas.

Um sermão por semana

Toda semana, o pastor Lam frequenta quatro cultos diferentes. Há muitas pessoas em cada dia. “Eu já não prego mais em todos os cultos, só uma vez por semana ", diz ele. Para isso, ele se senta em uma das pequenas salas no piso superior do complexo. Nos outros quartos, que estão cheios de parede a parede com bancos de madeira, há telas de televisão em que o sermão pode ser seguido.

Preparado para a perseguição

Lam consegue ver claramente como a China mudou nas últimas décadas e como foi concedida mais liberdade aos cristãos. Ainda assim, ele quer ter certeza de que nada de ruim acontecerá aos cristãos. "Devemos estar preparados para sofrer. Devemos estar preparados para o fato de que podemos ser presos. Antes de ser enviado para a prisão, eu já havia preparado uma mala com algumas roupas, sapatos e uma escova de dentes. Quando eu tivesse que ir para a delegacia de polícia, eu poderia simplesmente pegá-la e sair. Eu estava pronto. As pessoas ainda estão sendo presas. Você não sabe o que vai acontecer amanhã. Hoje, as autoridades não estão nos incomodando. Mas amanhã as coisas podem ser diferentes. Oro para que recebamos força para nos mantermos  firmes até o final”, concluiu ele.


Fonte: Portas Abertas

MARCHA PARA JESUS 2013 - TÁ CHEGANDO A HORA


A 21ª edição da Marcha Para Jesus terá como tema neste ano "Novo Tempo" e será realizada a partir das 10h deste sábado (29) em São Paulo.

A concentração será em frente ao metrô Luz. De lá, os participantes seguem para a praça Campo de Bagatelle, em Santana, na zona norte da cidade, onde ocorrem os shows.

A Marcha para Jesus realizada no ano passado reuniu cerca de 1,2 milhão de pessoas, segundo balanço da Polícia Militar.

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) vai montar um esquema especial e o motorista deve evitar a região e seguir por vias alternativas.

No local, será montada uma megaestrutura para a apresentação de várias bandas e grupos da música gospel, como Renascer Praise, Diante do Trono, Aline Barros, Ao Cubo, Inesquecível, Asaph Hernandes, Davi Sacer, Regis Danese, Mariana Valadão, André Valadão, Cassiane, Thalles Roberto, Marcelo Aguiar, Fernandinho, entre outros.

Presidida pelo apóstolo Estevam Hernandes, a Marcha Para Jesus é um evento que reúne todas as igrejas cristãs e é aberta a toda a população. "A verdade da marcha é que ela representa a união, a comunhão de todos aqueles que acreditam em Jesus Cristo como filho de Deus. Ela representa nosso desejo de expressar essa fé e declarar a bênção do Senhor sobre nosso país", afirma Hernandes.

A Marcha para Jesus faz parte do calendário oficial do país desde setembro de 2009, quando a lei federal 12.025 foi sancionada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A organização também disponibiliza um ambulatório com profissionais da área de saúde. Em 2012, foram mais de 200 pessoas divididas entre médicos e enfermeiros. Este ano, a organização contará ainda com 10 ambulâncias. Além disso, preocupada com a acessibilidade de pessoas com deficiências, o evento terá um local exclusivo para pessoas com deficiências físicas e auditivas.

Saiba mais
A marcha chegou ao Brasil em 1993 por intermédio do Apóstolo Estevam Hernandes, líder da Igreja Renascer em Cristo e que hoje é o presidente do evento no Brasil. Naquele ano, a marcha saiu da avenida Paulista, seguiu em direção à avenida Brigadeiro Luís Antônio e chegou ao Anhangabaú para a concentração.

Alguns anos depois, cerca de 10 milhões de pessoas de mais de 170 países já marcharam para celebrar o nome de Jesus Cristo em diferentes regiões do Brasil e do mundo. Cidadãos de diversas religiões, idade e raças saíram às ruas em países como Argentina, Canadá, Colômbia, Cuba, EUA, Finlândia, França, Itália, Japão, Moçambique, Rússia, entre outros. Em outubro deste ano, a archa chegará pela primeira vez a Israel.

VIA GRITOS DE ALERTA

AMEAÇAS DA AGENDA GAY FAZ PASTOR CANCELAR VISITA DO PASTOR MARCO FELICIANO

O pastor da Igreja Evangélica Ministério Semear em Cristo cancelou a visita após ameaças.

Após sofrer ameaças de pessoas contrárias a vinda do pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) à Goiânia, o pastor João Caetano, da Igreja Evangélica Ministério Semear em Cristo, localizada no setor Sonho Dourado, decidiu cancelar a visita do religioso à cidade.

Segundo o pastor, Marco Feliciano é amigo dele desde quando morava no Rio de Janeiro e afirmou que a decisão foi para preservar a integridade do palestrante.

“Pessoas entraram no Facebook da nossa igreja e começou a nos ameaçar por meio de mensagens. Minha secretária também foi ameaçada por telefone. Cheguei a entrar em contato com a polícia. Algumas pessoas postavam comentários na página da igreja dizendo que protestariam, queimariam pneus se Marco Feliciano viesse aqui”, relatou João Caetano.

Para divulgar o evento, várias faixas foram espalhadas pela cidade. Segundo João Caetano, algumas pessoas começaram a ligar no número da igreja e afirmarem que se o parlamentar viesse à cidade haveria manifestações na frente do local. O dirigente do ministério "Semear" afirmou que tentou dialogar com os ameaçadores mas não obteve êxito.

Fonte: DM

Pastor chama de engano igrejas que aceitam a prática homossexual

O reverendo presbiteriano refuta as afirmações da chamada teologia inclusiva mostrando que na Bíblia a prática homossexual é condenada por Deus.

Em um artigo no blog O Tempora, O Mores, o reverendo Augustus Nicodemus fala sobre as igrejas que aceitam a homossexualidade e diz que na luz da Palavra o sexo é permitido dentro do casamento e entre um homem e uma mulher.

“Desde o Gênesis, passando pela lei e pela trajetória do povo hebreu, até os evangelhos e as epístolas do Novo Testamento, a tradição bíblica aponta no sentido de que Deus criou homem e mulher com papéis sexuais definidos e complementares do ponto de vista moral”, diz.

O líder presbiteriano lembra que em nenhum momento a Bíblia justifica ou legitima o homossexualismo, nem há referências que “minimize ou neutralize sua caracterização como ato pecaminoso”, o que refuta os ensinamentos das igrejas que aceitam a prática.

“Em nenhum momento, a Palavra de Deus justifica ou legitima um estilo homossexual de vida, como os defensores da chamada “teologia inclusiva” têm tentado fazer”.

Ao falar dessas comunidades cada vez mais comuns no Brasil, Nicodemus diz que os argumentos usados por elas são formulados sem nenhuma sustentação exegética, teológica ou hermenêutica.

Lembrando que nessas igrejas o amor entre dois homens e duas mulheres é aceito simplesmente porque a Bíblia diz que Deus é amor, o reverendo diz que a mesma Escritura diz que Deus é santo e que sua vontade para a sexualidade humana é uma relação heterossexual.

Augustus Nicodemus refuta também a afirmação de que Jesus não falou nada sobre o homossexualismo, dizendo que na época de Jesus a orientação homossexual não era um problema da sociedade judaica.

Já o apóstolo Paulo citou a prática em suas cartas, e como os cristãos acreditam que ele foi usado pelo Espírito Santo para escrever seus ensinamentos, o que ele fala sobre a prática é verdade e determina a conduta da Igreja nos dias atuais.

No artigo o pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil também fala sobre Sodoma e Gomorra, a afirmação falsa de que Davi e Jônatas eram amantes e desmente a história de que João e Jesus tiveram um relacionamento homoafetivo. Ao contrário dos defensores da “teologia inclusiva”, Nicodemus usa citações bíblicas e suas pesquisas como teólogo para dizer que a prática homossexual é condenada pela Bíblia.

Fonte: Gospel Prime

Três tipos de discípulos que seguiram Jesus

Como devemos seguir Jesus
Três tipos de discípulos que seguiam Jesus

Em qual deles você se encaixa?

Todo discípulo de Jesus tem uma marca registrada, a renuncia.
Jesus disse quem quer vir após mim negue-se a si mesmo e siga-me.
Todos os dias somos desafiados por situações que vão me levar a decidir se vou carregar a Cruz ou não.
Este ensino de Jesus aqui é de Cruz, Ele está chamando a alguns para uma renuncia.

Qual a minha realidade como discípulo de Jesus, qual a sua realidade como discípulo de Jesus?
Tem momentos em nossa vida que precisamos questionar a nós mesmo como estamos andando, qual o nosso estado, veja como você está na fé II co 13:5.

Jesus nunca pregou um evangélho para fazer crente, a pregação de Jesus era para fazer discípulos e esse evangelho é um evangelho da Cruz.

O apostolo Paulo fala dos inimigos da Cruz.

1 - Discípulo precipitado - mestre eu te seguirei por onde o Senhor for, aí Jesus para e mostra as implicações de um discípulo, o filho do homem não tem onde reclinar a cabeça, Jesus está apontando para uma vida de cruz.

Tem que se parar para ver o preço que se paga para ser discípulo de Jesus, não raciocina o preço para se chegar no futuro.
O discípulo precipitado não para para calcular o preço para se tornar um discípulo.

Discípulo precipitado sempre vai ficar pelo meio do caminho, quando vem as lutas ele fica desanimado, porque não calcularam o preço para ser um discípulo vencedor.

O discípulo precipitado no ardor da batalha, quando você mais precisa d'Ele, ele te abandona.

Jesus disse a raposa tem morada para si, as aves ninho mas o filho do homem não tem onde reclinar a cabeça, Ele está falando da Cruz, da vida de renuncia que um discípulo tem que ter.

Nenhum discípulo precipitado permanece no propósito, porque na hora que vem as dificuldades ele não vai abrir mão do conforto.

O discípulo precipitado não quer abrir mão daquilo que ele tem de melhor, toda renuncia é exatamente em cima dos direitos legítimos que eu tenho, o conforto é um direito legitimo, porém é ele que preciso renunciar.

O discípulo precipitado não agüenta pressão do discipulado, quando é confrontado ele cai fora.

2 - discípulo indeciso - a pior coisa que tem é trabalhar com alguém indeciso, hoje ele quer uma coisa amanhã ele já não quer mais.

Imagine um discípulo que você quer conduzi-lo, dando metas e ele não sabe se é isso mesmo que ele quer.

Se dá muitas opções a ele mas ele não dá resposta em nenhuma delas, decida bem ou decida mal, mas decida, a pior coisa é um discípulo que não decide.

Jesus disse deixe os mortos sepultar os mortos e você venha e me segue. Você já viu um indeciso conquistar algo na sua vida, ele não tem planos, nem projetos para sua vida.

3 - discípulo consciente - os dois primeiros se ofereceram, mas o terceiro foi chamado, Jesus disse a Mateus vem e me segue, diz a palavra que ele largou tudo e prontamente o seguiu, provavelmente Mateus sabia quem era Jesus e quando ele foi chamado ele tinha consciência do que ele queria.

É esse tipo de discípulo, consciente, que precisamos ter, porque ele sabe o que vai enfrentar, não pula fora quando a batalha se torna mais ferrenha.

Ele sabe muito bem qual é o seu chamado, o grande problema de muitos lideres é não ter consciência do seu chamado, sisca para todo lugar mas não sabe para onde vai.

O discípulo consciente é perseverante, Hb 10:36. Ele não vai retroceder no seu chamado, ele vai perseverar até o fim, porque seus olhos estão no futuro e não no presente, nas circunstancias.

II Co 4:18 ele vê as circunstancias como uma oportunidade para glorificar a Deus, e jamais desiste. Mateus entendia o principio da Cruz, o que era renuncia.

Depois disso vemos Jesus escolhendo ele para ser um dos doze de sua equipe, os dois primeiros, indecisos, e precipitados, não tem nome na Bíblia.

Coronel do Exército afirma que o Brasil está a três passos da guerra civil



Os rumos que seguimos apontam para a probabilidade de guerra intestina.
Falta ainda homologar no Congresso e unir as várias reservas indígenas em uma gigantesca, e declarar sua independência. Isto não poderemos tolerar. Ou se corrige a situação agora ou nos preparemos para a guerra.
Quase tão problemática quanto a questão indígena é a quilombola. Talvez desejem começar uma revolução comunista com uma guerra racial.
O MST se desloca como um exército de ocupação. As invasões do MST são toleradas, e a lei não aplicada. Os produtores rurais, desesperançados de obter justiça, terminarão por reagir. Talvez seja isto que o MST deseja: a convulsão social. Este conflito parece inevitável.
O ambientalismo, o indianismo, o movimento quilombola, o MST, o MAB e outros similares criaram tal antagonismo com a sociedade nacional, que será preciso muita habilidade e firmeza para evitar que degenere em conflitos sangrentos.

Pela primeira vez em muito tempo, está havendo alguma discussão sobre a segurança nacional. Isto é bom, mas sem identificarmos corretamente as ameaças, não há como nos preparar para enfrentá-las.
A crise econômica e a escassez de recursos naturais poderão conduzir as grandes potências a tomá-los a manu militari, mas ainda mais provável e até mais perigosa pode ser a ameaça de convulsão interna provocada por três componentes básicos:
— a divisão do povo brasileiro em etnias hostis;
— os conflitos potenciais entre produtores agrícolas e os movimentos dito sociais;
— e as irreconciliáveis divergências entre ambientalistas e desenvolvimentistas.

Em certos momentos chega a ser evidente a demolição das estruturas políticas, sociais, psicológicas e religiosas, da nossa Pátria, construídas ao largo de cinco séculos de civilização cristã. Depois, sem tanto alvoroço, prossegue uma fase de consolidação antes de nova investida.
Isto ainda pode mudar, mas infelizmente os rumos que seguimos apontam para a probabilidade de guerra intestina. Em havendo, nossa desunião nos prostrará inermes, sem forças para nos opormos eficazmente às pretensões estrangeiras.
A ameaça de conflitos étnicos, a mais perigosa pelo caráter separatista
A multiplicação das reservas indígenas, exatamente sobre as maiores jazidas minerais, usa o pretexto de conservar uma cultura neolítica (que nem existe mais), mas visa mesmo a criação de "uma grande nação" indígena. Agora mesmo assistimos, sobre as brasas ainda fumegantes da Raposa-serra do Sol, o anúncio da criação da reserva Anaro, que unirá a Raposa/São Marcos à Ianomâmi. Posteriormente a Marabitanas unirá a Ianomâmi à Balaio/Cabeça do Cachorro, englobando toda a fronteira Norte da Amazônia Ocidental e suas riquíssimas serras prenhes das mais preciosas jazidas.
O problema é mais profundo do que parece; não é apenas a ambição estrangeira. Está também em curso um projeto de porte continental sonhado pela utopia neomissionária tribalista. O trabalho de demolição dos atuais Estado-nações visa a construção, em seu lugar, da Nuestra América, ou Abya Yala, idealizado provavelmente pelos grandes grupos financistas com sede em Londres, que não se acanha de utilizar quer os sentimentos religiosos quer a sede de justiça social das massas para conservar e ampliar seus domínios. O CIMI, organismo subordinado à CNBB, não cuida da evangelização dos povos indígenas segundo o espírito de Nóbrega, Anchieta e outros construtores de nossa nação. Como adeptos da Teologia da Libertação, estão em consonância com seus colegas que atuam no continente, todos empenhados na fermentação revolucionária do projeto comuno-missionário Abya Yala.
O processo não se restringe ao nosso País, mas além das ações do CIMI, a atuação estrangeira está clara:
— Identificação das jazidas: já feito;
— atração dos silvícolas e criação das reservas sobre as jazidas: já feito;
— conseguir a demarcação e homologação: já feito na maior parte;
— colocar na nossa Constituição que tratados e convenções internacionais assinados e homologados pelo congresso teriam força constitucional, portanto acima das leis comuns: já feito;
— assinatura pelo Itamarati de convenção que virtualmente dá autonomia à comunidades indígenas: já feito.

Falta ainda homologar no congresso e unir as várias reservas em uma gigantesca e declarar a independência, e isto não poderemos tolerar. Ou se corrige a situação agora ou nos preparemos para a guerra.
O perigo não é o único, mas é bastante real. Pode, por si só, criar ocasião propícia ao desencadeamento de intervenções militares pelas potências carentes dos recursos naturais — petróleo e minérios, quando o Brasil reagir.
Quase tão problemática quanto a questão indígena é a quilombola
A UnB foi contratada pelo Governo para fazer o mapa dos quilombolas. Por milagre, em todos os lugares, apareceram "quilombolas". No Espírito Santo cidades inteiras, ameaçadas de despejo. Da mesma forma em Pernambuco. A fronteira no Pará virou um quilombo inteiro.
Qual o processo? Apareceram uns barbudos depiercings no nariz, perguntando aos afro-descendentes: "O senhor mora aqui?" "Moro." "Desde 1988?" (o quilombola que residisse no dia da promulgação da Constituição teria direito à escritura). "Sim". "Quem morava aqui?" "Meu avô." "Seu avô por acaso pescava e caçava por aqui?" "Sim" "Até onde?" "Ah, ele ia lá na cabeceira do rio, lá naquela montanha." "Tudo é seu." E escrituras centenárias perdem o valor baseado num direito que não existe. Não tenho certeza de que isto não seja proposital para criar conflitos.

Tem gente se armando, tem gente se preparando para uma guerra. Temos de abrir o olho também para esse processo, que conduz ao ódio racial. Normalmente esquerdistas, talvez desejem começar uma revolução comunista com uma guerra racial.
Certamente isto vai gerar conflitos, mas até agora o movimento quilombola não deu sinal de separatismo.
Os Conflitos Rurais — talvez os primeiros a eclodir
O MST se desloca como um exército de ocupação, mobilizando uma grande massa de miseráveis (com muitos oportunistas), dirigidos por uma liderança em parte clandestina. As invasões do MST são toleradas e a lei não aplicada. Mesmo ciente da pretensão do MST de criar uma "zona livre", uma "república do MST" na região do Pontal do Paranapanema, o Governo só contemporiza; finge não perceber que o MST não quer receber terras, quer invadi-las e tende a realizar ações cada vez mais audaciosas.
É claro que os produtores rurais, desesperançados de obter justiça, terminarão por reagir. Talvez seja isto que o MST deseja; a convulsão social, contando, talvez, com o apoio de setores governamentais como o Ministério do Desenvolvimento Agrário. Segundo Pedro Stédile: "O interior do Brasil pode transformar-se em uma Colômbia. A situação sairá de controle, haverá convulsões sociais e a sociedade se desintegrará."
Este conflito parece inevitável. Provavelmente ocorrerá num próximo governo, mas se ficar evidente a derrota do PT antes das eleições, é provável que o MST desencadeie suas operações antes mesmo da nova posse.
O ambientalismo distorcido, principal pretexto para uma futura intervenção estrangeira
Já é consenso que o ambientalismo está sendo usado para impedir o progresso, mesmo matando os empregos Caso se imponham os esquemas delirantes dos ambientalistas dentro do governo, com as restrições de uso da terra para produção de alimentos, um terço do território do País ficará interditado a atividades econômicas modernas.
Há reações, dos ruralistas no interior do País, nas elites produtivas e até mesmo em setores do governo, mas as pressões estrangeiras tendem a se intensificar. Se bem que raramente o meio ambiente serviu de motivo para guerra, hoje claramente está sendo pretexto para futuras intervenções, naturalmente encobrindo o verdadeiro motivo, a disputa pelos escassos recursos naturais.
No momento em que a fome ronda o mundo, o movimento ambientalista, a serviço do estrangeiro, mas com respaldo do governo e com apoio de uma massa urbana iludida, chama de "terra devastada" àqueles quadrados verdejantes de área cultivada, que apreciamos ver na Europa e nos Estados Unidos, e impede a construção de hidrelétricas para salvar os bagres. Com a entrada da Marina Silva na disputa eleitoral, nota-se, lamentavelmente, que todos os candidatos passarão a defender o ambientalismo, sem pensar se é útil para o País.
A três passos da guerra civil
O ambientalismo, o indianismo, o movimento quilombola, o MST, o MAB e outros similares criaram tal antagonismo com a sociedade nacional, que será preciso muita habilidade e firmeza para evitar que degenere em conflitos sangrentos.
Várias fontes de conflito estão para estourar, dependendo da radicalização das más medidas, particularmente do Ministério da Justiça:

— Roraima não está totalmente pacificada;
— o Mato Grosso do Sul anuncia revolta em função da decisão da Funai em criar lá novas reservas indígenas;
— no Rio Grande, os produtores rurais pretendem reagir às provocações do MST;
— Santa Catarina ameaça usar a PM para conter a fúria ambientalista do ministro Minc, que queria destruir toda a plantação de maçã.

Uma vez iniciado um conflito, tudo indica que se expandirá como um rastilho de pólvora. Este quadro, preocupante já por si, fica agravado pela quase certeza de que, na atual conjuntura da crise mundial o nosso País sofrerá pressões para ceder suas riquezas naturais — petróleo, minérios e até terras cultiváveis — e estando dividido sabemos o que acontecerá, mais ainda quando uma das facções se coloca ao lado dos adversários como já demonstrou o MST no caso de Itaipu.
Bem, ainda temos Forças Armadas, mas segundo as últimas notícias, o Exército (que é o mais importante na defesa interna) terá seu efetivo reduzido. Será proposital?
Que Deus guarde a todos vocês.

O cel. Gelio Fregapani é escritor, atuou na área do serviço de inteligência na região Amazônica, elaborou relatórios como o do GTAM, Grupo de Trabalho da Amazônia.
Fonte: Conservadorismo Brasil.

Comercial de TV usa o “diabo” para educar crianças

A rede RBS vai usar os personagens Bicho-Papão, a Mula Sem Cabeça, o Diabo, a Bruxa e o Boi da Cara Preta para educar as crianças.

A rede RBS está lançando uma campanha com foco na educação para crianças usando cinco monstrinhos e seus filhos. Os personagens escolhidos já foram usados em uma campanha de 2003 que são: Bicho-Papão, a Mula Sem Cabeça, o Diabo, a Bruxa e o Boi da Cara Preta.

Através de cartazes e vídeos, os personagens enviarão mensagens de incentivo dentro do tema “Educação para as crianças”. O objetivo da empresa em usar esses desenhos é engajar o público como explica o presidente do Conselho de Administração do Grupo RBS, Nelson Sirotsky.

“Acreditamos que, ao trazer de volta personagens tão queridos, vamos engajar um público mais amplo, especialmente as crianças e os adolescentes, sem perder a consistência de conteúdo que requer esse assunto tão relevante para o desenvolvimento do nosso país”, disse ele.

Os temas desta campanha serão: Educação para crianças, Toda criança na escola, O papel dos pais na educação, Os professores e o espaço da escola e Educação, compromisso de todos. Cada personagem, juntamente com seu filhote, representará um desses temas.

“A educação abre as portas para um mundo de inovação e conhecimento e é o que faz diferença e dá condições de realização na vida das pessoas.
Com os monstrinhos, queremos conquistar a adesão da comunidade para essa bandeira”, disse o presidente-executivo da empresa, Eduardo Sirotsky.

A campanha de 2003 que usou os mesmos personagens teve uma resposta positiva, o tema abordado na época era “O amor é a melhor herança. Cuide das crianças” e tratava, entre outras coisas, sobre a violência e o abuso infantil.

Fonte: Gospel Prime com informações de Clic RBS

BOICOTE TOTAL - McDonald's se nega a abrir loja em assentamento judaico na Cisjordânia

Empresário diz que tomou esta decisão por razões ideológicas. Ministro da Habitação reagiu pedindo aos israelenses para boicotar o Mc Donald's.

O proprietário da marca McDonald's em Israel, Omri Padan, rejeitou uma oferta para abrir uma unidade da cadeia de fast-food em um centro comercial no assentamento judaico de Ariel, localizado no território ocupado da Cisjordânia.

O diário "Haaretz" informou nesta quinta-feira que o empresário, um dos fundadores do principal grupo pacifista de Israel, Shalom Ajshav (Paz Agora), tomou esta decisão por razões ideológicas.

Representantes do McDonald's Israel disseram ao jornal econômico "Calcalist" que a decisão de não abrir uma franquia no território ocupado da Cisjordânia "sempre foi a política da cadeia de restaurantes".

O ministro da Habitação, Uri Ariel, membro do partido de extrema direita Casa Judaica, reagiu, pedindo aos israelenses para boicotar o Mc Donald's. "Aqueles que nos boicotam devem saber que também serão boicotados", afirmou Ariel em entrevista a uma rede de televisão.

A empresa já tinha rejeitado outra oferta para inaugurar um restaurante em um bairro judaico ao norte de Jerusalém, localizado no território ocupado, em 1967.

Entenda o conflito
A região da Cisjordânia está localizada entre o território israelense e a Jordânia, e é alvo de disputa entre israelenses e palestinos desde o estabelecimento do Estado de Israel.

Inicialmente, o território pertencia aos palestinos, mas começou a ser parcialmente ocupado por israelenses após a derrota dos árabes em duas guerras: o conflito árabe-israelense (1948) e a Guerra dos Seis Dias (1967).

Após tentativas de negociação em 1993, durante os Acordos de Oslo, Israel concordou em transferir o controle de algumas partes da região para os palestinos, mas exigiu a manutenção de seu controle sobre a segurança interna e externa da região e a responsabilidade sobre a manutenção da ordem pública nos assentamentos judeus na Cisjordânia.

O prazo para implantação dos acordos foi adiado por causa de impasses sobre o retorno de refugiados palestinos, atentados terroristas e os assentamentos judaicos.

As negociações foram retomadas em 1999, mas os debates foram interrompidos em setembro do ano seguinte, por causa do movimento popular contra a ocupação israelense conhecido como Segunda Intifada, liderado pela Frente Popular pela Libertação da Palestina.

A colonização é o principal ponto de bloqueio do processo de paz entre Israel e os palestinos. As autoridades palestinas pedem uma moratória como condição para voltar à mesa de negociações, mas Israel rejeita qualquer tipo de condição prévia.

A comunidade internacional considera ilegais todas as colônias nos territórios palestinos ocupados, independente de terem sido autorizadas ou não pelo governo israelense.

Mais de 360.000 colonos israelenses vivem na Cisjordânia e quase 200.000 nas zonas de colonização de Jerusalém Leste.

Fonte: UOL

Filhos de pastor sofrem ataque na República Centro-Africana

"Ao chegar à casa do pastor Seguele, meu coração se compadeceu junto aos de tantas pessoas que lotavam o lugar. Sua esposa estava com os olhos inchados e vermelhos de tanto chorar"

Um colaborador da Portas Abertas relatou: "Uma semana antes de nosso encontro, o casal se tornou mais uma família cristã vitimada por rebeldes que ainda aterrorizam Bangui [capital da República Centro-Africana]".

O pastor Seguele e sua esposa estavam na igreja quando a invasão aconteceu. O casal entrou na casa da família, onde os seus três filhos, uma adolescente de 16 anos e dois meninos de 9 e 7 anos, estavam, sob os cuidados de uma empregada.

"Eles bateram na minha filha, além de intimidarem indecente e humilhantemente para que ela os levasse onde era guardado o nosso dinheiro. Ela não sabia nem se tínhamos dinheiro. O seu queixo ainda está inchado da surra."

Os rebeldes são conhecidos por sua brutalidade contra civis, e o casal é grato pela situação não ter acabado de maneira bem pior. Porém o medo que eles têm vivido é ainda muito forte e permanecerá por algum tempo.

A família precisará de tempo para se recuperar da perda de material que eles sofreram. "Nossa casa ficou de cabeça para baixo, por conta da busca pelo dinheiro. Nossos pertences - a TV, utensílios de cozinha, freezer, tapetes, gás, fogão e muitos outros aparelhos foram levados. Eles foram de cômodo em cômodo levando roupas pessoais e roupas de cama."

No complexo que é todo cercado, onde a casa está situada, estava o carro do pastor Seguele. Lá, alguns de seus amigos também estacionaram seus carros na tentativa de escondê-los dos rebeldes. A tentativa de roubar o veículo foi sem sucesso, mas com grandes prejuízos.

Conforme narrou ao colaborador da Portas Abertas, o pastor Seguele acredita que o ataque foi direcionado: "Alguém mandou que viessem até nós, principalmente porque ninguém mais foi saqueado."

Embora a população em geral sofra com a ilegalidade dos rebeldes, as instituições governamentais e os cristãos têm suportado o peso disso. Antes da crise, os cristãos na República Central da África gozavam de relativa liberdade. No entanto, desde o início da marcha dos rebeldes em Bangui, no início do ano, os cristãos têm enfrentado grande incerteza. A Portas Abertas informou sobre uma carta em que a Igreja Católica pediu ao presidente Djotodia, um ex-líder rebelde, para que ele se declarasse contra estupros, saques, extorsão e roubo, e para que explicasse a existência de uma carta onde ele mostra o desejo de transformar a República Central Africana numa república islâmica.

Pedidos de oração

Ore pela recuperação completa dos traumas dos filhos do pastor Seguele.

Interceda pela esposa do pastor Seguele que está fortemente abalada por tudo o que aconteceu. Peça para que Deus supra as necessidades por causa da enorme perda material que sofreram


Apresente ao Senhor o pastor Seguele e a igreja local, para que eles permaneçam firmes e fortes em sua fé em Cristo.


Fonte: Portas Abertas Internacional

Três homens são presos em investigação no Vaticano

As prisões foram feitas durante investigação sobre uma tentativa frustrada de levar por avião 20 milhões de euros da Suíça para a Itália.

A polícia da Itália prendeu hoje o monsenhor Nunzio Scarano, clérigo do Vaticano, além de um corretor financeiro e um membro dos serviços secretos do país em uma investigação sobre uma tentativa frustrada de tentar levar por avião 20 milhões de euros (US$ 26,1 milhões) em dinheiro da Suíça para a Itália, disse um porta-voz da polícia.

O inquérito foi aberto pelo escritório do procurador-geral de Roma, enquanto ele fazia uma investigação paralela sobre o Instituto de Obras Religiosas, o Banco do Vaticano, que está sob pressão de reguladores internacionais para melhorar a sua transparência. O porta-voz, porém, nega que a investigação envolva o banco."É um desdobramento."

Os suspeitos estão sendo investigados por crimes como fraude e corrupção. O advogado de Scarano, Silverio Sica, confirmou a prisão. O clérigo foi suspenso de seus deveres com a Igreja após o início de outra investigação sobre lavagem de dinheiro.

Em fevereiro, o papa Bento XVI nomeou um novo presidente do banco para restabelecer a confiança do público na forma como o Vaticano lida com suas finanças. No início desta semana, o Papa criou uma comissão especial que promoverá uma reforma na instituição financeira. Os promotores estão investigando se o banco violou as leis de lavagem de dinheiro da Itália, uma alegação que o Vaticano nega.

Fonte: Estadão

Cindy Jacobs pede para a igreja orar contra a anarquia


Profetiza Cindy Jacobs pede para a igreja orar contra a anarquia 
Através de seu Facebook oficial, Ana Paula Valadão enviou um recado aos seus seguidores repassando a mensagem da profetiza Cindy Jacobs sobre as manifestações que estão acontecendo no país.
A pastora americana pediu para que os evangélicos façam uma campanha de oração para repreender o espírito de anarquia. “A profetiza Cindy Jacobs me ligou com recado importante da parte do Senhor. Como Igreja precisamos repreender a anarquia”, escreveu a líder do ministério Diante do Trono.
O propósito foi incluído na campanha de jejum que a Igreja Batista da Lagoinha iniciou na terça-feira (25). A IBL estará realizando campanhas de oração em Belo Horizonte, nos dias 13 e 14 de julho, os fiéis estarão se reunido em pontos estratégicos e nas igrejas e no dia 15 os líderes estarão orando em Brasília.
Foi Jacobs que profetizou as manifestações populares que aconteceriam no país, dizendo que Deus estava levantando uma geração de “Joãos Batistas”. Enquanto ministrava aos presentes do 14º Congresso de Louvor e Adoração Diante do Trono que aconteceu no mês de março, a pastora americana profetizou que Deus estaria acabando com a corrupção no Brasil.
“Assim diz o Senhor: É o meu desejo abater o principado da corrupção”, disse ela durante o evento revelando que algo novo aconteceria no país. O vídeo com esta profecia ganhou grande repercussão nas redes sociais depois que os protestos começaram a ganhar as ruas de Norte a Sul do Brasil.

GOSPEL PRIME

Feliciano crê que “cura gay” não passa e vê deboche contra evangélicos

Feliciano crê que “cura gay” não passa e vê deboche contra evangélicos

Feliciano crê que "cura gay" não passa e vê deboche contra evangélicos
Através do Twitter, o deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) se pronunciou sobre a votação do PDC 234/2011, chamado de ‘cura gay’, que vai acontecer na próxima semana na tentativa de barrar e enterrar a proposta do deputado João Campos (PSDB-GO).
Como presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, Feliciano administrou os debates da proposta que foi votada pelos integrantes da comissão sendo aprovada. No processo normal o projeto passaria ainda por duas comissões antes de chegar ao Plenário, mas por conta das manifestações populares o presidente da Casa, Henrique Alves (PMDB-RN), conseguiu adiantar a votação.
Para Feliciano a tentativa do deputado peemedebista é de humilhar os evangélicos que são considerados como preconceituosos, fundamentalistas e homofóbicos. Se sentindo vítima de preconceito por ser evangélico, o deputado reclamou que os manifestantes que estiveram em Brasília no dia 5 de junho não tiveram o mesmo tratamento que os demais.
“A presidenta Dilma se reuniu com a CNBB e a OAB; o presidente Henrique Alves se reuniu com diversos representantes e irá atender os pleitos. E nós? Onde Ficamos? Como ficamos? No limbo do esquecimento cobertos pelo preconceito religioso, humilhados, esquecidos”.
Organizada pelo pastor Silas Malafaia, a manifestação pacífica reuniu 70 mil pessoas, que defendiam a família tradicional, a não liberação do aborto, a não liberação das drogas, a prisão dos deputados envolvidos com o mensalão e a liberdade religiosa e de expressão.
Não houve tentativa de negociação com os evangélicos, mas com os demais líderes populares o governo aceitou conversar e se movimentou para atender suas reivindicações.
A votação da semana que vem sobre o PDC 234/2011 faz parte desse processo do governo de evitar novos protestos pelo país. “Covardia! Nós sempre soubemos que este projeto não passaria, pois o PT e outros tem maior número e derrubariam o projeto na Seguridade e na CCJC, pois eles têm uma maioria esmagadora, mas pra eles não basta derrubar um projeto de um evangélico, é preciso humilhar”, desabafou.
Em um vídeo divulgado por sua assessoria, Marco Feliciano explica que o PDC 234/2011 entrou em pauta por ser o único projeto que já tinha uma relatoria pronta. Ao falar sobre a proposta de João Campos, Feliciano diz que não se trata do paciente, mas dos profissionais de psicologia que são impedidos de atuar quando o assunto é o homossexualismo.

GP

JUSTIÇA FEITA - Justiça anula desligamento de Samuel Câmara da CGADB

Justiça anula desligamento de Samuel Câmara da CGADB A Mesa Diretora terá que reintegrar o pastor ao seu quadro correndo o risco de ser multada
O desligamento do pastor Samuel Câmara da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) foi anulado pela justiça do Estado do Amazonas nesta quarta-feira (26).
A decisão da Mesa Diretora havia excluído o pastor da AD de Belém (PA) por suposta quebra de decoro, mas a decisão assinada pelo juiz José Renier da Silva Guimarães suspendeu e reintegrou Câmara no quadro de pastores da convenção.
Além disso, ficou determinado o pagamento de uma multa no valor de R$20.000,00 para cada dia que a Mesa Diretora demorar em revogar a primeira decisão.
Samuel Câmara foi desligado no mês de maio depois de uma reunião do Conselho de Ética e Disciplina que julgou as ações de quebra de decoro cometidas pelo pastor e outros aliados durante a AGE que aconteceu em 2012 no estado de Alagoas.
Os pastores Sóstenes Apolos, Jônatas Câmara e Ivan Bastos também foram acusados, mas não chegaram a ser julgados. Sóstenes estava doente e veio a falecer, Jônatas também alegou motivos de saúde e não compareceu no julgamento. Já Bastos só poderá ser julgado durante uma Assembleia Geral Ordinária porque ele foi eleito como 1º Tesoureiro da Mesa.
A justiça também precisou interferir na data destes julgamentos que estavam marcados para acontecer em janeiro deste ano, meses antes da eleição da CGADB. Como os pastores acusados estavam concorrendo a cargos dentro da convenção, a justiça do Amazonas adiou a reunião do Conselho que aconteceu um mês após as eleições.


GP

BANALIZAÇÃO TOTAL : ladrões invadem casa e matam criança de 5 anos por chorar demais


Um menino de cinco anos foi morto durante um assalto a uma residência na madrugada desta sexta-feira na zona leste de São Paulo. O incidente aconteceu na viela Três, no bairro de São Mateus e, segundo a polícia, a criança foi assassinada com um tiro na cabeça porque Bryan Yanarico Capcha chorava demais e a família, composta por imigrantes bolivianos, tinha pouco dinheiro – foram levados da casa R$ 4,5 mil. De acordo com o investigador Pinto, da 49ª Delegacia de Polícia, seis homens armados, cinco deles encapuzados, participaram da ação. 


Crianças e adolescentes


Os suspeitos chegaram a pé ao local e renderam o pai, Ediberto Yanarico Quiuchaca, 28 anos, e o tio da criança, Carlos, quando entravam na residência. Eles estavam armados com quatro facas e dois revólveres. Entre oito e 10 pessoas que estavam na casa foram mantidas reféns. Inicialmente, foram dados R$ 3,5 mil aos ladrões, que pediram mais. Como a família continuava sendo ameaçada, o pai foi até o carro e entregou mais R$ 1 mil. Ainda sim, os criminosos insistiram que havia mais dinheiro no local.

Assustadas, as crianças choravam e faziam barulho, e os bandidos ameaçavam os reféns caso os gritos não parassem. Segundo o investigador Pinto, foi nesse momento que Bryan foi atingido com um tiro na cabeça. "Ele estava no chão, agachado com a mãe (Verônica Capcha Mamani, 24 anos)", contou o policial.

Familiares ainda tentaram levar a vítima a um hospital de São Mateus, mas o menino chegou morto ao local. Todos os bandidos fugiram a pé com o dinheiro e seguem foragidos. Uma das possibilidades investigadas pela polícia é que os bandidos suspeitavam que a família não tinha conta em banco e guardavam o dinheiro em casa. Os pais deverão fazer o retrato falado do suspeito que não usava capuz. O caso deverá ser investigado também pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

TERRA

quinta-feira, 27 de junho de 2013

PT PREPARA GOLPE CONTRA O BRASIL -Ministro diz que maioria dos partidos da base apoia plebiscito

Após reunião na manhã desta quinta-feira (27) da presidente Dilma Rousseff com os presidentes dos partidos da base aliada do governo federal no Palácio do Planalto, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que é presidente do PSB, disse que a base aliada pretende ajudar a presidente e que "majoritariamente" os partidos concordaram com a ideia de fazer um plebiscito sobre a reforma política.
O ministro da Educação Aloizio Mercadante, que falou em nome do Planalto, também disse haver consenso na base aliada. "Vamos tratar do que é essencial, das balizas. O plebiscito vai nortear e balizar a reforma. Tem que ir no cerne do problema", disse Mercadante

Todos entendem que reforma política é necessária, diz Campos

"Dá para fazer uma reforma política sem ouvir a sociedade? Todos foram unânimes em dizer que temos que ouvir. Pode ser até que tenha alguém que pense em ouvir depois, mas, majoritariamente, entende-se que é preciso ouvir antes", disse Campos em referência à realização do plebiscito, que ouve a população antes que o assunto se torne lei, sobre a reforma política.
Já o referendo, alternativa defendida pelos partidos da oposição, ouviria a sociedade depois que a reforma já tivesse se tornado lei.

Qual a melhor maneira de fazer a reforma política no Brasil?


O governador evitou, no entanto, declarar apoio abertamente ao plebiscito. "O Congresso vai poder, em decidindo pelo plebiscito,  ouvir objetivamente a sociedade brasileira", disse.
"A disposição nesse momento dos partidos da base é de ajudar a presidente Dilma a dar sequência ao esforço que tem feito de ouvir e dar consequência aos reclames das ruas do Brasil. Que a gente possa fazer com toda essa energia faça bem ao Brasil", declarou o governador pernambucano, que é tido como provável candidato nas eleições presidenciais de 2014.
Participaram também da reunião os ministros Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e José Eduardo Cardozo (Justiça), além do vice-presidente, Michel Temer. 

Plebiscito x referendo

  • Caio Guatelli/Folhapress Plebiscito é uma consulta direta ao cidadão em que ele se manifesta sobre um assunto antes que uma lei sobre o tema seja estabelecida. Leia mais
    Referendo
    é uma forma de consulta ao cidadão sobre um determinado tema. No entanto, ele ocorre quando o povo é chamado a manifestar-se sobre uma lei após ela ter sido elaborada e aprovada pelos órgãos competentes do governo federal. Leia mais
  • Arte/UOL Quem é a favor do plebiscito: O governo federal. "É muito importante que o povo opine. A reforma política se arrasta há anos. É necessário que o povo diga qual o sistema que ele quer", disse o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.
    Quem é a favor do referendo:
    A oposição ao governo. Os oposicionistas afirmam que o referendo tem maior facilidade de ser colocado em prática porque os temas da reforma são complexos para serem respondidos de forma simplificada pela população em um plebiscito 
Entre os presidentes de partidos, estiveram presentes, além de Campos, Gilberto Kassab (PSD), Alfredo Nascimento (PR), Carlos Lupi (PDT), Renato Rabelo (PC do B), Rui Falcão (PT), Valdir Raupp (PMDB), Ciro Nogueira (PP), Marcos Pereira (PRB) e Benito Gama (PTB).

Encaminhamento do plebiscito

Segundo Mercadante, que falou em nome do Planalto, o modo pelo qual a consulta será feita, assim como o conteúdo, ainda estão em aberto. Ele disse que não houve tempo ainda para discutir as perguntas do plebiscito, mas que dois temas surgiram como principais: financiamento e sistema eleitoral (forma de votação).
Mercadante afirmou ainda que a decisão do governo é pelo plebiscito e que o governo está aguardando definição do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) uma definição sobre a melhor data para a realização da consulta.
O ministro voltou a afirmar que a palavra final sobre a realização da consulta é do Congresso Nacional. "Mas não acho que qualquer partido vai negar a vontade manifestada pelo povo."
Questionado pelos jornalistas sobre a partir de quando as decisões do eventual plebiscito valeriam, Eduardo Campos disse que não há definição sobre o assunto. "Esta é uma decisão que será dada no debate do Congresso. Pode ser objeto inclusive do próprio plebiscito."
Procurado pela reportagem do UOL, o TSE informou que a área técnica está preparando um estudo a ser entregue à ministra Cármen Lúcia, presidente do tribunal. Só depois disso é que ela deve se pronunciar, segundo a assessoria do TSE.
A agenda de reuniões de Dilma sobre a reforma política continua: às 14h, a presidente se encontra com líderes partidários da Câmara e, às 16h, com os líderes do Senado.
Após anunciar um plebiscito sobre a reforma política e um pacto com cinco itens para a melhoria dos serviços públicos, a presidente foi criticada por ter tomado a decisão sem ouvir o Congresso.
Na terça-feira, Renan disse que talvez a presidente "não tenha tido tempo" de consultar os parlamentares sobre seu projeto de reforma política.
Depois do pacto, Dilma já se reuniu com o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, e com o presidente do Congresso nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL).

VIA GRITOS DE ALERTA / FONTE E INF.UOL.COM.BR

Marcha para Jesus 2013: evento será realizado no dia 29 de junho com o tema “Novo Tempo”

A Marcha para Jesus 2013 será realizada no dia 29 de junho com o tema “Novo Tempo”, com a participação de diversas denominações.
Marcha para Jesus 2013: evento será realizado no dia 29 de junho com o tema “Novo Tempo”A maior Marcha do mundo terá início às 10h00, com saída da estação Luz do metrô, seguindo o já conhecido trajeto que leva à praça Heróis da Força Expedicionária Brasileira, próximo ao aeroporto Campo de Marte, na zona norte de São Paulo, onde é montada a concentração para as apresentações dos cantores convidados.
A Marcha para Jesus 2013 contará, de acordo com a assessoria de imprensa do evento, com uma estrutura de grande porte no palco da concentração.
Confirmaram presença no evento os cantores Thalles Roberto, Regis Danese, Davi Sacer, Cassiane, Marcelo Aguiar, Mariana Valadão, Asaph Borba e Fernandinho, além das bandas Ao Cubo, Inesquecível, Renascer Praise e DOPA, entre outros.
Segundo o apóstolo Estevam Hernandes, líder da Igreja Renascer em Cristo e presidente da Marcha para Jesus, o evento é uma reunião de todas as igrejas cristãs: “A verdade da Marcha é que ela representa a união, a comunhão de todos aqueles que acreditam em Jesus Cristo como filho de Deus e nosso desejo de expressar essa fé!”, explica.
Desde 2009 a Marcha para Jesus é um evento que faz parte do calendário oficial da cidade do Brasil. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou, neste ano, a Lei Federal 12.025 que estabelece o evento como uma celebração nacional.
A Marcha para Jesus em São Paulo conta com o apoio da Prefeitura, além dos órgãos municipais SPTrans, Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), SPTuris e também da Polícia Militar.
Dentro da estrutura do evento, haverá um ambulatório com profissionais de saúde, e dez ambulâncias à disposição dos participantes. Em 2012, mais de duzentas pessoas, entre médicos e enfermeiros trabalharam neste tipo de atendimento.
Os portadores de necessidades especiais contarão com um local exclusivo na concentração, com todos os itens de acessibilidade garantidos.
Marcha Para Jesus 2013
29 de Junho
Início: saída da estação Luz do metrô
Concentração: praça Heróis da FEB
Início: 10h00
Previsão de término: 21h30
Informações em marchaparajesus.com.br

Senado aprova projeto de lei que transforma corrupção em crime hediondo

O Senado Federal aprovou nesta quarta-feira (26) a alteração no Código Penal que aumenta a punição para a corrupção no país, tornando-a crime hediondo, o de maior gravidade na lei brasileira.

De acordo com o projeto de lei aprovado no Senado, a corrupção ativa, configurada quando é oferecida vantagem indevida a um funcionário público para a prática de algum ato, deixa de ter pena de 2 a 12 anos de reclusão e passa a ser de 4 a 12 anos, com inclusão de uma multa.

Além do aumento do tempo de reclusão, a configuração do crime como hediondo faz com que não haja possibilidade de concessão de liberdade condicional ou progressão de regime mediante pagamento de fiança.

Após aprovação do Senado, o projeto de lei será encaminhado para votação na Câmara dos Deputados.

CRITICAR GAYS UMA OVA.

Virou moda agora essa onda de que não se pode falar mal de gay .
Se o cara é ladrão pode , mas se é ladrão gay não , Se o cara é matador pode , mas se é matador gay não , Se a mulher é traficante pode , mas se é lésbica não.
Isso aqui esta virando uma Sodoma e Gomorra.
Vivemos em uma democracia marcada pela estrela vermelha da corrupção e do comunismo.
E pior de tudo , esses mesmos pilantras que estão no poder , e hoje sendo os maiores corruptos das história do Brasil , chegaram até ai , no poder, com a desculpa que estariam lutando contra o mesmo.
Poder esse que destrói tudo .
Inclusive , lideres evangélicos que eram para serem exemplos , mas se debandaram para o lado escuro da podridão politica Brasileira.
Hoje eu via a lista dos deputados que apoiavam a pec 37  e que mudaram de ideia depois das manifestaçãos , e fiquei estarrecido com os nomes de Cristãos lá no meio .
Mas os mesmos , depois dos manifestos mudaram de ideia.


CONFIRA A LISTA VOCÊ TAMBÉM . http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=0AC4AB5F7389B04AB4C0774466FC4EFE.node1?codteor=886679&filename=Tramitacao-PEC+37%2F2011

 Agora a nova onda é falar mal da tal cura gay.
Em primeiro lugar esse projeto não é do deputado Marco Feliciano.
Em segundo lugar não tem nada a ver com cura gay.
Em terceiro lugar , trata apenas da liberação para atendimento psicológico para gays que precisam de ajuda psicológica ,pois hoje a pessoa passa a ser gay com todo apoio do governo , mas se quer parar é quase que barrado pelo mesmo.

Mas como a imprensa do Brasil esta rendida a agenda gay ,  quanto mais falarem sobre isso ganham ibope.


CHEGA DE IMPRENSA MENTIROSA E POLITICO LADRÃO .

FORA COMUNISTAS , DETESTAMOS O VERMELHO ,POIS SOMOS VERDE E AMARELO.


BISPO ROBERTO TORRECILHAS

Usada como prostituta, fêmea de orangotango é salva na Indonésia

Pony, a orangotango prostituta

Não, você não leu nada errado. É inacreditável onde a perversidade humana pode chegar, não é mesmo?

Parece que na Indonésia alguma rapaziada não fica satisfeita com o fato dos orangotangos poderem estar extintos já em 2015 devido à destruição massiva do seu habitat natural causada pelo crescimento desenfreado de plantações de óleo de palma, e muito menos com o fato disto ter causado a morte a 50,000 orangotangos em apenas duas décadas. Não, para o bicho homem isto não chega. Então o que fazer? “Ah já sei” – diz um iluminado indonésio de olho fisgado numa orangotango fêmea mais roliça e felpuda- “vamos pegar nas “macacas”, abrir um bordel e violá-las como se não houvesse amanhã até que caiam para o lado mortas de exaustão”. E assim foi. As fêmeas são capturadas, presas em casas preparadas para o efeito e abusadas sexualmente por tudo o que é taradinho da região. Uma lástima.
news-11-2
Escrava sexual, uma orangotango fêmea chamada “Pony” foi salva pela Associação Protetora dos Orangotangos, na vila de Borneo Apes na Indonésia. Pony foi encontrada com o pelo raspado e cheia de picadas de mosquito, numa casa de saliência. Maltratada, ela estava presa por uma corrente de aço a uma parede e deitada num colchão todo manchado. Segundo o “Jornal de Notícias”, Pony era a preferida dos homens que frequentavam o local, em busca de sexo.
Há um ano, a associação tentava resgatar a fêmea. Considerada a “galinha dos ovos de ouro”, ela tinha segurança forte. Sempre que alguém tentava salvá-la, sofria ameaças com armas.
A associação conseguiu arrecadar dinheiro suficiente para pedir ajuda a 35 policiais e contratar homens armados com fuzil Ak 47, para, enfim, convencerem a “dona” de Pony e os homens da vila a deixarem a orangotango ir embora.




FONTE . http://www.issoebizarro.com/blog/mundo-bizarro/usada-como-prostituta-femea-de-orangotango-e-salva-na-indonesia/

ESTRATÉGIA DE ORAÇÃO E JEJUM PELO BRASIL - IMPACTANDO O BRASIL PELO PODER DA ORAÇÃO

“Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua Terra”. (2 Crônicas 7.14)
“Eu vou transformar o Brasil. Mas vocês devem transformá-lo a partir dos seus joelhos primeiro”
“Tocai a trombeta em Sião, promulgai um santo jejum, proclamai assembleia solene”. (Joel 2.15)
Estamos vivendo dias históricos. Anos de clamores, jejuns e lágrimas em favor da nação já provocaram mudanças e livramentos. Mas ainda há muito a ser transformado. A Igreja brasileira carrega o peso da responsabilidade. Temos a chave da autoridade que move os céus e a terra. As promessas de Deus para a cura da nação pertencem a nós e exigem nosso posicionamento. Estamos experimentando o fortalecer no comprometimento em jejuns e oração pelo país. Os intercessores sentem as “dores de parto” se intensificar. Cremos que estamos no limiar de um novo tempo, da hora de dar à luz a um Brasil transformado.
Na páscoa deste ano mais de onze mil adoradores e intercessores se reuniram em um Congresso cujo tema foi Adoração e Transformação. Ouvimos testemunhos sobre a transformação de Uganda, país antes assolado pela guerra e pela Aids. Circunstâncias que pareciam impossíveis de serem solucionadas, até mesmo pelo governo do país, foram transformadas pela postura da Igreja em unidade, em arrependimento e em oração.
A profetiza Cindy Jacobs entregou uma mensagem: “Assim diz o Senhor: Estou dando ao Brasil uma segunda chance. Estou dando a vocês uma janela, diz o Senhor, por onde vocês vão começar a orar. E assim diz o Senhor: Se vocês não se apropriarem desta janela eu vou começar a abalar a economia. O Senhor diz: Eu vou transformar o Brasil. Mas vocês devem transformá-lo a partir dos seus joelhos primeiro. Comecem a clamar dia e noite. Eu edificarei a Casa de Oração para todas as nações a partir do Brasil. Eu vou começar nos campos universitários, nas escolas, nos prédios do governo. Assim diz o Senhor: É o meu desejo derrubar o principado da corrupção e o principado da pobreza porque virei e abalarei tudo o que pode ser abalado. Estou preparando uma geração pioneira. Que se levantem os Joões Batistas! Levantem-se os Joões Batistas! Levantem-se os abridores do caminho que prepararão o caminho do Senhor para a transformação do Brasil.”
Nos últimos dias assistimos o povo brasileiro saindo às ruas e pressionando as autoridades para que haja mudança. A profecia de Jacobs foi relembrada e espalhou-se pelas redes sociais. A Igreja reconhece o mover do Espírito impulsionando a história. O amor pelo Brasil está sendo renovado nos corações dos brasileiros, que cantam o Hino Nacional, vestem verde e amarelo e carregam a bandeira, com um sentimento que vai muito além do futebol, mas como um protesto por dias melhores na pátria amada. Como escreve Isaías 62:5: “Porque, como o jovem desposa a donzela, assim teus filhos te desposarão a ti; como o noivo se alegra da noiva, assim de ti se alegrará o teu Deus”. O povo brasileiro está amando e se comprometendo com a sua terra.
Em meio a tudo isso Cindy Jacobs falou comigo ao telefone. Ela teve uma visão espiritual com o símbolo da anarquia, a letra A dentro de um círculo. O Senhor disse a ela que a Igreja brasileira precisa paralisar o espírito de anarquia que veio para ferir o país. O inimigo sempre tentará macular o que Deus está fazendo, e este é o momento em que Deus está levantando o Brasil como um testemunho entre as nações. Jacobs se reuniu com Lou Engle (Fundador do movimento The Call, que desperta e reúne a Igreja nas nações, em ajuntamentos solenes de adoração, intercessão e proclamação da Palavra). Eles discerniram que precisamos de uma estratégia de oração pelo Brasil e conclamaram um jejum de 21 dias, culminando com um dia nacional de oração pelo país, no domingo, 14 de Julho.
Após este telefonema com Jacobs conversei com a Pastora Ezenete Rodrigues, que está à frente de um exército de intercessores em Lagoinha e em todo o Brasil. Há alguns dias o Senhor também lhe disse que deveria acontecer um dia de mobilização nacional de oração pelo Brasil nas igrejas. A proposta do dia 14/7 veio confirmar isso. Os intercessores também discerniram que a Igreja precisa ir para as ruas, não com passeatas ou marchas, mas a lugares estratégicos das cidades e orar.
Foi então que o Senhor me conduziu a compartilhar essas direções com a Apóstola Valnice Milhomens, que é reconhecida por sua consagração e jejuns, há mais de 20 anos, a favor do país. As palavras de Valnice foram: “Esta é a agenda do Espírito”. Percebemos que esta estratégia não nasceu na mente ou no coração de uma pessoa ou ministério, mas é algo que o próprio Deus planejou.
As confirmações foram impressionantes. Em uma Convenção esse ano o Senhor disse a Valnice que a Igreja deveria ir às ruas, às praças. Disse que o avivamento vem das ruas, vem de fora para dentro. Essa palavra foi entregue por um profeta antes mesmo das recentes manifestações populares. Já estava sendo organizada uma mobilização para que a Igreja ore nas ruas no sábado, dia 13/7. Além disso, na manhã do dia em que conversamos houve uma conferência com diversos líderes da nação. Foi definido que no dia 15 de Julho eles se encontrariam em Brasília para orar. Ficamos impressionadas, pois a contagem dos 21 dias de jejum acabam exatamente no dia 15/7, dia deste ajuntamento de pastores, profetas e apóstolos do país.
Compartilho agora a estratégia para a Igreja neste momento crucial na história do Brasil:
21 dias de jejum e oração: de 25/6 a 15/7.
O jejum pode ser feito de diversas maneiras. Por exemplo, há o jejum em que a pessoa ingere apenas alguns tipos de alimentos, o jejum em que a pessoa retira uma refeição, o jejum em que a pessoa se alimenta apenas à noite, o jejum de líquidos (apenas bebendo líquidos), o jejum integral (apenas bebendo água).

Se você já está fazendo um período de jejum, continue até o dia 15 de julho para estar em unidade com as demais igrejas do Brasil.
13/7 – sábado: A Igreja Nas Ruas, orando em lugares estratégicos. Grupos de crentes orando na Prefeitura, na Câmara dos Vereadores, na Assembleia Legislativa, em praças e lugares de monumentos, em frente a hospitais, escolas, universidades, TVs e rádios, e todo lugar estratégico onde o Espírito do Senhor direcionar.
14/7 – domingo: Cada igreja fará seus cultos como reuniões de adoração, oração e proclamação da Palavra a favor do país. O ideal é que sejam feitas 12 horas ininterruptas de adoração, oração e proclamação da Palavra.
15/7 – segunda-feira: Em Brasília, pastores, apóstolos, profetas, intercessores e líderes de todo o Brasil se reunirão para 12 horas de adoração, oração e proclamação da Palavra em favor do país. Local: No Templo da INSEJEC, que fica no centro do Distrito Federal, a partir de 8 horas da manhã.
“Por amor do Brasil não me calarei e não me aquietarei. Sobre os teus muros, ó Brasil, pus guardas, que todo o dia e toda noite jamais se calarão; vós, os que fareis lembrado o Senhor, não descanseis, nem deis a ele descanso até que restabeleça o Brasil e o ponha por objeto de louvor na terra”. (Isaías 62.1a, 6 e 7) *adaptado
Ana Paula Valadão

A MENTIRA DA IMPRENSA SOBRE A CURA GAY

Imagem: divulgaçãoA mentira da imprensa sobre a ‘cura gay’; Pr. Silas comenta

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara aprovou nesta terça-feira (18) o projeto de lei que determina o fim da proibição, pelo Conselho Federal de Psicologia, de tratamentos que se propõem a tratar a homossexualidade. A sessão foi presidida pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), depois de várias semanas de adiamento por causa de protestos e manobras parlamentares contra o projeto.
De autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), a proposta suspende dois artigos de uma resolução de 1999 do conselho. Um deles impede a atuação dos profissionais da psicologia para tratar homossexuais. O outro proíbe qualquer ação coercitiva em favor de orientações não solicitadas pelo paciente e determina que psicólogos não se pronunciem publicamente de modo a reforçar preconceitos em relação a homossexuais.

É um absurdo, uma afronta à inteligência humana, como a imprensa brasileira na sua grande maioria engole tudo o que o ativismo gay promove, como verdade absoluta, sem o mínimo de análise imparcial, sem ao menos buscar a opinião de partes contrárias, como se a verdade absoluta pertencesse ao ativismo gay.
Vejamos:
1) O projeto não visa curar ninguém. E pelo que me consta, a psicologia não se utiliza deste termo “cura”.
2) O projeto tem a ver com Direitos Humanos. Nenhuma entidade de classe profissional, religiosa ou quem quer que seja, pode impedir uma pessoa de buscar ajuda se ela assim desejar e decidir. O que o Conselho Federal de Psicologia fez ao impedir que psicólogos tratem de homossexuais que vão pedir ajuda sobre a sua sexualidade, é uma afronta a Constituição e a própria ciência. Por que um heterossexual pode pedir ajuda a um psicólogo sobre sua sexualidade e um homossexual não? Em que parâmetros científicos e também legais você pode impedir um profissional de ajudar quem o procura?
3) O Conselho Federal de Psicologia está ideologizado pelos “esquerdopatas” e pelo movimento gay. Pasmem os senhores: NENHUM CONSELHO OU SOCIEDADE DE PSICOLOGIA NO MUNDO TEM UMA RESOLUÇÃO TÃO IMBECÍL E ESDRÚXULA COMO ESTA. Em nenhum lugar do mundo o psicólogo é impedido de tratar quem o procura. É vergonhoso ver as ciências humanas virarem ciências exatas e servir ao ativismo gay.
4) Um princípio que rege o atendimento profissional a pessoas na área das ciências humanas é que o indivíduo é quem decide se quer ajuda ou não. Em hipótese alguma o terapeuta.
5) Uma outra questão: quem falou que o ativismo gay tem o monopólio do homossexualismo? É a mesma coisa se nós, pastores evangélicos, tivéssemos o monopólio dos evangélicos e por consequência o poder de determinar se um evangélico pode ou não pedir ajuda a um psicólogo porque esta com problemas em relação a sua religiosidade. Claro que nem os ativistas gays, nem nos pastores, temos o monopólio sobre ninguém. É uma afronta aos direitos de cidadania! A pessoa é livre, seja homo, hétero, católico, evangélico e etc, de pedir ajuda a quem quiser.
6) A safadeza da questão é que querem passar para a sociedade como se alguém estivesse obrigando os homossexuais a mudarem o seu comportamento, porque todos nós sabemos que qualquer psicólogo e médico que queira impor um tratamento a uma pessoa que não o deseja, é passivo de punição.
7) A verdade é a seguinte: homossexualismo é um comportamento que um indivíduo pode desejar ser ou não ser, da mesma forma que a religiosidade também é um comportamento do ser humano que ele pode deixar de ser ou vir a ser da religião que ele bem quiser. DIREITOS HUMANOS JÁ! LIBERDADE EXPRESSÃO JÁ!

EM VEZ DE CRITICAR SEUS LIDERES , AJUDEM ELES NOS MOMENTOS DE LUTA.


Rejeição da PEC 37 é uma perda para a sociedade, diz João Campos

    Rejeição da PEC 37 é uma perda para a sociedade, diz João Campos



O deputado federal João Campos (PSDB-GO) foi um dos nove deputados que votaram a favor da PEC 37, projeto de lei que tentava retirar o poder investigativo do Ministério Público, passando estes trabalhos para as polícias federal e civil.
O projeto de autoria do deputado Lourival Mendes (PT do B-MA) foi muito criticado e por pressão popular foi incluso nas pautas do Plenário da Câmara e votado na noite desta terça-feira, onde acabou sendo derrubado.
Ao justificar seu voto favorável à PEC, João Campos, que faz parte da Bancada Evangélica, disse que tem seus conhecimentos jurídicos para desejar que ela fosse aprovada.
“Votei SIM à PEC 37. Votei segundo minhas convicções, meus conhecimentos jurídicos. Entendo que a rejeição da PEC é uma perda para a sociedade”, disse.
O próprio Lourival Mendes, que também faz parte da bancada, defendeu seu projeto e disse que ele estava sendo mal interpretado. Ao ver que a proposta não terá sequência, Mendes disse que as manifestações populares contra a PEC 37 foram “um erro de percurso”.
“Mantivemos nosso posicionamento até o fim. Saio de cabeça erguida, com a consciência tranquila que defendi até o último instante, a Constituição Federal do meu país. Sei que combati o bom combate com apoio de várias entidades e personalidades do meio jurídico”, disse ele.
Na primeira apuração foram nove votos a favor da PEC, contra 430, mas o deputado Sérgio Guerra (PSDB-PE) afirmou que apertou o botão errado e que seu voto era contrário, se tornando então oito votos a favor e 431 contrários.

Votação de propostas polêmicas

A votação da PEC 37 aconteceu diante dos protestos que tomaram conta do Brasil nas últimas semanas. A proposta era uma das reivindicações dos manifestantes que a chamavam de “PEC da Impunidade”.
O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) se moveu para que os projetos criticados nos protestos fossem derrubados no Plenário.
Além da PEC 37, outro projeto que entrará na votação será o PDC 234/2011 chamado pejorativamente de “cura gay”. A emenda é de autoria do deputado João Campos que já tentou explicar sua proposta para mostrar que ela não fala sobre a cura de homossexuais, mas sobre a liberdade dos psicólogos.

GOSPEL PRIME

Vereadores evangélicos rompem com Fernando Haddad

O prefeito petista Fernando Haddad vetou hoje a “brecha” aprovada pela Câmara Municipal de São Paulo, que reduzia a exigência de documentação para que que surjam novos templos religiosos. Com isso, a bancada evangélica de São Paulo, liderada pelos vereadores Souza Santos (PSD) e Jean Madeira (PRB), uniu-se à oposição para aprovar a CPI dos Transportes na capital paulista.
Os vereadores, que também são pastores da Igreja Universal, foram enfáticos. “Tem de ter palavra. Eu tenho palavra com o governo e com a população”, insistia Madeira. Os evangélicos reclamam que havia um acordo com o governo para sancionar o artigo do Projeto Simplificado, que desburocratizava o processo de construção de imóveis comerciais e residenciais para até 600 pessoas. Isso incluía os templos religiosos. Contudo, Haddad sancionou a lei vetando o artigo que favorecia as igrejas.
A Frente Parlamentar Cristã, que reúne 17 dos 55 atuais vereadores, é liderada por Eduardo Tuma (PSDB), e conseguiu a adesão de vereadores evangélicos governistas para a CPI que pode gerar dor de cabeça ao prefeito Haddad. O governo e a bancada do PT, que reúne 11 vereadores, tentou a todo custo barrar a criação da comissão
Arselino Tatto (PT), líder da gestão Haddad, reclamou “Não existem argumentos sólidos e nem denúncia nova para que seja criada uma comissão”. Mas estavam presentes na Câmara cerca de 20 representantes estudantes e líderes do Movimento Passe Livre acompanham os trabalhos. Responsáveis pelo inicio das manifestações em São Paulo que tomaram o país, ele pediam a instalação da investigação e vaiaram Tatto. “É difícil ver que o Partido dos Trabalhadores, ao invés de ficar do lado do povo, prefere ficar do lado dos empresários, protegendo eles”, disparou um dos lideres do MPL. “Já vamos avisando que protesto para nós não tem recesso.”
Essa foi a segunda ação da Igreja Universal contra o PT este mês, e mais uma vez foi lembrada a ação politica petista contra o candidato Celso Russomanno, do PRB, ligado à IURD. “Trabalharam com o medo e o preconceito dos incautos, fizeram uma campanha desleal, mais suja e desesperada do que a que sofreram em 2010″, diz um texto publicado semana passada, que associava os protestos conta o aumento das tarifas do transporte público da cidade.
“O que eles não sabiam era o preço que teriam que pagar. Ao nos amaldiçoar, amaldiçoaram a si mesmos. (…) Porque não pode ser coincidência que o tema das passagens tenha sido o que eles mais bateram na campanha do PRB ano passado, envolvendo o nome da Igreja para desconstruir a candidatura de Russomano.” Diz o texto de uma jornalista postado no blog do bispo Edir Macedo. O rompimento com o PT, por enquanto, é só em São Paulo. O PRB é aliado de Dilma e assumiu o Ministério da Pesca ano passado.  Com informações Estadão.

Polícia prende pastor suspeito de tráfico de drogas


Polícia prende pastor suspeito de tráfico de drogas
Agentes da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) prenderam nesta segunda-feira (24) um pastor evangélico de 43 anos que está sendo acusado de praticar tráfico de drogas na região da cidade de Franca, interior de São Paulo.
O pastor estava em sua mercearia, localizada no Jardim Luiza, quando foi flagrado por policiais do Dise que apreenderam papelotes de cocaína, porções de crack e um tablete de maconha que estava escondido dentro de um recipiente de arroz.
Na operação policial também foram apreendidos R$1.040, uma moto que supostamente era usada pelo pastor para levar drogas aos usuários e ainda uma nota falsa de R$100.
O acusado é pastor de uma igreja em Restinga (SP), e por 15 dias foi investigado pelos agentes do Dise. Depois da prisão ele foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória de Franca. Seu nome não foi divulgado.

GP

Denúncia: Crianças são incitadas a beijar meninos e meninas nas escolas

DSC00681.jpgHá mais de 10 anos o Brasil encabeça a lista da ONU de exploração sexual infantil no país. Em relatório emitido pelo Disque 100 – principal canal de combate à pedofilia –, só em 2011 foram mais de 35% de denúncias de violência contra crianças. Ontem, a Comissão de Direitos Humanos e Minorias reservou o dia em Audiência Pública para falar sobre o assunto e, principalmente, sobre políticas públicas e materiais que fazem apologia à erotização precoce de crianças e adolescentes.
Estiveram com a palavra a pastora e doutora, Damares Alves, assessora da Frente Parlamentar Evangélica, Dr Guilherme Schelb procurador regional da República e coordenador do Programa Proteger e a promotora de Justiça do Mato Grosso, Dra. Lindinalva Rodrigues.

O Estado investindo na sexualidade precoce de crianças
Com imagens chocantes de cartilhas e livros distribuídos em escolas públicas do país, doutora Damares falou sobre a necessidade da casa se levantar para uma ação mais efetiva de fiscalização das ações do Estado, com enfoque na educação básica. Em todos os casos em que os materiais foram encontrados, os órgãos ou entidades responsáveis afirmavam não saber como haviam parado nas mãos de crianças entre 9 e 13 anos.
Para apresentar mais evidências das ações realmente estruturantes na educação para tratar a sexualidade da forma mais liberal possível, sem restrições de idade, Damares apresentou as cartilhas e livros de secretarias estaduais de educação, deste ano, que ensinam meninas de 9 anos a se masturbarem com a ajuda de um espelho e falam sobre o “ponto G” na mulher. A advogada falou, ainda, sobre as páginas de cadernos scanneados que recebe de pais assustados, ao verem a tarefa de casa de seus filhos: “beijar três meninos e três meninas no fim de semana e relatar a experiência”.
Após os relatos, o promotor Guilherme Schelb, mesmo com os muitos anos de luta e conhecimento da causa, iniciou suas palavras, emocionado, relatando caso de um professor que, para ensinar o ato sexual, projetou um filme pornô em sala de aula para crianças entre 10 e 12 anos.
A naturalização da pedofilia
Um dos materiais que, misteriosamente, apareceram nas mãos de crianças, foi financiado pelo Governo Holandês em uma campanha de apoio à diversidade LGBT.  Veja o vídeo com a cartilha. O material é tão obsceno que apenas uma página pode ser mostrada na TV e, mesmo assim, continha uma piada de duplo-sentido.
É preciso lembrar que a Holanda é um país fortemente conhecido pela legalização da prostituição e o paraíso das drogas, além de ser o primeiro país a contar com um partido que defende, em bancada, o direito a homens adultos terem relações sexuais com crianças e animais.
        frase-guilherme-schelb.jpg Damares alerta como, no Brasil, em alguns lugares como nas regiões Ribeirinhas do Amazonas, já se houve falar em “cultura do incesto”, são regiões em que o abuso de criança ocorre há muito tempo e a lei é difícil de chegar. Mesmo assim, a pastora lembra “É preciso combater essa normalidade”.
No Brasil já tem se falado sobre a “autonomia de vontade sexual da criança” que, nada mais é, reconhecer que a criança tem desejos e ela deve realizá-los. Mas o procurador chama a atenção para o fato de que a criança não distingue o que é informado, sugerido ou ordenado. Por isso, incitar o sexo nela como fonte de prazer é ir de frente à sua natureza biológica, assim como, obrigar meninos a beijar meninos ou vestirem-se como meninas.  Para Guilherme, Nem o Estado, nem mesmo os pais têm o direito de impor a sexualidade sobre seus filhos, até o momento em que a psique está sendo formada, é preciso proteger a identidade biológica da criança, ou seja, “menina é menina e menino é menino!”, repetia o promotor.
No fim, Damares chamou atenção ainda para as festinhas realizadas em família, como neste vídeo, em que crianças dançam de forma extremamente sensual entre si, enquanto pais, tios e avós acham toda a cena engraçada. “A erotização da criança prepara o caminho para a aceitação social do sexo entre adultos e crianças”, concordou o promotor.

Fonte: Fé em Jesus