segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

7 livros cristãos que todos os pais deveriam ter

Os relacionamentos entre pais e filhos estão cada vez mais complexos. Para muitos, é uma questão de autoridade. Para outros, uma questão de amizade. A discussão ultrapassa gerações e, na maioria das vezes, são pouco conclusivas.  
 
Para ajudar os internautas a buscarem soluções práticas para que este relacionamento seja uma experiência leve e enriquecedora, o iGospel fez a seleção de sete livros cristãos. Veja a seguir:
 
 
 
“Transforme seu filho até sexta”: Se você anda esgotado e frustrado por ter perdido o controle efetivo sobre seu filho e as coisas com ele andam muito distantes do que você tanto sonhou, considere seriamente a oportunidade de virar o jogo a seu favor. Parece incrível que um criaturinha de um metro de altura consiga nos tirar do sério com tanta frequência. Por mais que alguém nos contasse que poderia ser assim, nunca pareceu que um ser angelical pudesse assumir o papel de líder sindical raivoso e intransigente.
 
Pois é, o fato é que você tem um problema a resolver. E precisa tomar o controle da situação antes que seja tarde. Numa época em que as crianças estão sob forte influência da TV e do computador, e os pais passam cada vez menos tempo com seus filhos por causa do trabalho, a educação dos pequenos tem se tornado um grande desafio. E muitos pais e mães estão perdendo esta batalha. Para auxiliar os pais a retomar as rédeas da situação e mudar as atitudes, controlar os comportamentos e moldar o caráter da criança, Kevin Leman escreveu Transforme seu filho até sexta.
 
O livro, escrito por Kevin Leman, é um guia prático para que pais e mães, independente do tempo que passem ao lado dos filhos, cortem pela raiz as gritarias, birras, manhas, escândalos, atos violentos e outros comportamentos inadequados e indesejados das crianças.
 
 
“A fé começa em casa”: Mais da metade das crianças que nasceram dentro da igreja vai abandonar a fé quando chegar à vida adulta. Acreditando que a melhor estratégia para evitar esse êxodo é o fortalecimento da espiritualidade infantil dentro da família, os autores Kurt Bruner e Steve Stroope escreveram este livro.
 
Como líderes experientes, ambos fornecem uma estratégia eficaz e um plano simples para que casais, pais, avós e orientadores, entre outros, possam orientar as crianças nos primeiros caminhos da fé.
 
 
“Mães confiantes, filhos realizados”: Toda mãe quer que o filho cresça feliz, saudável e realizado. Mas o caminho para alcançar essa tríade aparentemente impossível no mundo real pode ser repleto de indecisão, preocupação e erro.
 
Pergunte a qualquer mãe ― pode ser a sua! ― se ela acha que está fazendo um bom trabalho e você receberá as mais confusas respostas.
 
Em quase 30 anos de experiência no campo da maternidade, a psicoterapeuta Catherine Hickem já ouviu muitas dessas respostas e muitos pedidos de socorro de mães preocupadas em acertar na educação do filho para que ele possa ter um futuro realmente brilhante.
 
Neste livro, Hickem mostra como ter um relacionamento saudável com seu filho por meio do respeito, do companheirismo e da confiança.
 
A autora oferece sete princípios para uma boa criação, na qual as crianças possam construir a saúde emocional necessária para, finalmente, se transformarem em adultos confiantes, equilibrados e seguros.
 
 
“Mais velho, do meio ou caçula”: Os irmãos mais velhos são sempre os mais sérios, certinhos, perfeccionistas. O do meio é o oposto! É competitivo, mas tenta sempre buscar a paz nas situações de conflito. Já os caçulas são bem-humorados, descomplicados e divertidos. Por outro lado, sempre ficam com as sobras dos anteriores e recebem apelidos não muito legais.
 
Os filhos únicos se parecem com os mais velhos, mas são ainda mais precoces (parecem miniaturas de adultos por volta dos sete anos de idade!) e têm nos livros seus melhores amigos. Como é possível que dois, três, quatro, sete indivíduos, filhos do mesmo pai e da mesma mãe, sejam tão diferentes? Para Kevin Leman, há uma explicação: a ordem do seu nascimento.
 
O seu lugar na família determina quem você é. Se você é o primeiro filho, do meio ou último, o cuidado e trato dos seus pais com você foi diferente dos seus irmãos. E se você é filho único, todas as atenções e esforços foram voltados para você, inclusive os erros e acertos. Descubra quais são as características da sua ordem de nascimento e aprenda a usá-las em seu favor.
 
 
“Comece hoje a desenvolver o talento dos seus filhos”: Neste livro, o premiado autor Kenny Luck oferece dezenas de sugestões simples e eficientes para pais que desejam cultivar e potencializar as habilidades naturais de seus filhos e, como benefício adicional, criar interação e laços de amor ainda mais consistentes.
 
 
“Pais admiráveis educam pelo exemplo”: A máxima "Faça o que eu digo, não faça o que eu faço" não funciona quando o assunto é criação de filhos. As crianças, desde muito pequenas, observam e se espelham nas atitudes e no comportamento dos pais, muito mais do que em seus ensinamentos verbais ou broncas.
 
Todo pai e toda mãe deseja que os filhos sejam amorosos, alegres, pacíficos e pacificadores, pacientes, tolerantes, amáveis, bondosos, fiéis, mansos e que tenham domínio próprio. Então lembre-se: eles precisam ver essas características em você primeiro!
 
Neste livro, Cris Poli vai ajudar você em sua enorme responsabilidade de transmitir os valores mais importantes que existem a seus filhos, com a didática que eles compreendem melhor: seu exemplo pessoal.
 
 
“Pai Herói”: O escritor best-seller Max Lucado reúne seus conselhos e suas histórias mais valiosas sobre a paternidade, tudo compilado num livro que pode se transformar em uma homenagem ou o presente ideal para o Dia dos Pais, aniversário ou qualquer momento em que se queira mostrar ao pai o quanto ele é especial.

Confira a reportagem do lançamento do Renascer Praise 19

Muito louvor, adoração, alegria e unção invadiram a Renascer Arena na noite deste sábado (19), no lançamento do Renascer Praise 19.
 
O local foi palco de um show de luzes, vozes, danças, orquestra e muitos louvores, inaugurando as comemorações de final de ano.
 
Apóstolo Estevam abriu o evento por volta das 20h40 com uma oração. “Nesta noite, nós vamos apresentar um canto que reflete a nossa verdade”, afirmou. “Este CD tem uma unção diferenciada. Nosso objetivo é adorar, glorificar e exaltar o nome que é sobre todo o nome. Estamos aqui para louvar a Jesus Cristo”, complementou.
 
Na sequência, o líder da Igreja Renascer anunciou uma grande conquista para o grupo de louvor: “O Renascer Praise 19 já é disco de ouro! Mais de 20 mil cópias foram vendidas. É tudo para a honra e glória de Deus!”.
 
Em seguida, sob muitos aplausos, Renascer Praise e Bispa Sonia Hernandes subiram ao palco e iniciaram a apresentação tão esperada. Para o show, o grupo de louvor escolheu seguir faixa a faixa o repertório do novo CD.
 
Ministração
 
Depois de agitar o público com “Daniel”, música-título do novo projeto, Apóstolo Estavam trouxe uma breve ministração. “Nesta semana, Deus falou comigo: ‘Leia Isaias 43’. Eu não sei quantas vezes eu li essa passagem, mas eu fui ler mais uma vez. Ali, o Senhor diz: ‘Não temas, porque eu sou contigo. O meu plano é superior a tudo o que o homem pode fazer’. Daniel foi para a cova como qualquer outro mortal. Ele não era um super-homem. Daniel era um homem de Deus. Ele não tinha um poder, mas ele tinha o poder que vem de Deus. Esse poder não é temporário e destrutível, é permanente”, disse.
 
“Quando Deus coloca seu servo na cova, não é para expô-lo ou para fazê-lo sofrer, mas para um propósito superior. O propósito de Deus não se manifesta só nas coisas boas, mas em todas as coisas. Você está aqui hoje, porque Deus tem um propósito para sua vida. Seja em momentos bons ou em ruins, uma coisa é certa: assim como aconteceu com Daniel, os propósitos de Deus terminam em vitória. O nosso Deus é o Deus de Daniel”, concluiu.
 
No meio do show, a pedido do líder da Igreja Renascer em Cristo, que estava acompanhado da família, Thalles Roberto, um dos produtores do Renascer Praise 19, cantou o sucesso “Uma História Escrita pelo Dedo de Deus”. “Olha quantas coisas boas Deus fez para nós neste ano”, celebrou o Apóstolo.
 
A Resposta
 
Um dos pontos altos da noite foi o momento em que o Renascer Praise cantou “A Resposta”, nona música do show, com a participação do coral do Renascer Kids – ministério infantil da Igreja Renascer em Cristo –. A canção composta por Thalles foi fruto de uma experiência de oração.
 
“Não tem uma vez que eu não entre neste lugar que eu não saia com resposta. Todas as vezes que eu entro neste lugar, eu recebo solução e vida. Não tem lugar melhor do que este lugar. É a porta do céu”, afirmou Bispa Sonia na introdução do louvor.
Na sequência, depois do louvor “Propósito”, Thalles Roberto e Marcelo Aguiar fizeram um dueto na canção “Eu Não Sei Viver sem Jesus”. “Tu és o meu futuro. O passado que apagou. Tu és meu melhor presente”, diz um trecho da música, que ganhou um toque sertanejo.
 
Renascer Praise encerrou o show com “Viver na Dependência”, “Mostra-me Sua Glória”, “Toma a Minha Vida” e “Aleluia”.
 
O evento, que durou por volta de 1h30, lotou a Renascer Arena. Como cada ingresso dava direito a um CD, todos saíram motivados a fazer de suas casas um ambiente de louvor e adoração. A Rede Gospel de Televisão fez a cobertura completa do evento. Acompanhe a reportagem a seguir:
 
 
 
Redação iGospel
Fotos: Sarah Brito, Pedro Flausino, Abdiel Silva e Fellipe Pupo

Israel pressiona Brasil para aceitar embaixador ligado a assentamentos

A relutância do governo brasileiro em aceitar a indicação do embaixador israelense ligado aos assentamentos em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia, Dani Dayan, gerou uma crise diplomática entre os dois países e a preocupação no governo israelense de que a disputa possa encorajar ativismo pró-Palestina e contra o país.
A indicação, há quatro meses, do empresário de origem argentina naturalizado israelense, um antigo líder do movimento de assentamentos judaicos, não foi bem vista pelo governo brasileiro, que tem como parte da sua política externa o apoio à criação de um estado palestino. Assim como a maior parte das potências internacionais, o Brasil considera os assentamentos judaicos em terras palestinas ilegais.
O embaixador anterior de Israel em Brasília,  Reda Mansour, deixou o país na semana passada e o governo israelense afirmou neste domingo (27) que o Brasil arrisca degradar o relacionamento bilateral se Dayan não for autorizado a sucedê-lo. "O Estado de Israel deixará o nível de relacionamento diplomático com o Brasil a um nível secundário se o apontamento de Dani Dayan não for confirmado", afirmou a vice-ministra de Relações Exteriores Tzipi Hotovely ao canal de tevê Channel 10, acrescentando que Dayan é o único indicado. Ela afirmou ainda que o governo de Israel fará lobby através da comunidade judaica no Brasil, pessoas próximas à presidente Dilma Rousseff e apelos diretos do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu.
O governo brasileiro evitou comentar oficialmente se a presidente irá ou não aceitar a indicação. Mas um diplomata brasileiro de alto escalão disse à Reuters: "Não vejo isso acontecendo". Falando em condição de anonimato por não ter sido autorizado a tratar do tema, afirmou que Israel teria que escolher outro embaixador ou iria piorar relações que já são ruins desde 2010, quando o Brasil decidiu reconhecer a Palestina como estado com territórios incluindo Jerusalém Oriental, Cisjordânia e Faixa de Gaza.
Israel deixou Gaza em 2005, mas reivindica Jerusalém como sua capital indivisível e quer manter parte dos assentamentos na Cisjordânia como parte de qualquer negociação de paz com os palestinos.
'Anão diplomático'
As tensões com o Brasil aumentaram no ano passado, quando o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel chamou o Brasil de "anão diplomático" depois do país retirar seu embaixador como forma de protesto pela ofensiva militar em Gaza.
O governo brasileiro também se irritou com a forma que Israel anunciou a indicação de Dayan, em um post de Netanyahu na rede social Twitter, no dia 5 de agosto, antes mesmo de Brasília ter sido informada ou ter concordado com a indicação. De acordo com uma fonte do governo brasileiro, a maneira como o anúncio foi feito não apenas fere as regras diplomáticas como foi considerado pelo Brasil como uma tentativa de impor um nome que Israel sabia que não seria aceito.
Nesses quatro meses, o governo brasileiro fez silenciosamente uma série de gestões diplomáticas tentando convencer Israel a trocar a indicação de Dayan, sem sucesso. À Reuters, a fonte governista afirmou que não há possibilidade à vista de a presidente Dilma Rousseff aceitar a indicação de Dayan, mesmo sob pressão de Israel.
Este final de semana, Dayan iniciou uma ofensiva pela defesa de sua indicação, dizendo a jornalistas que o governo de Netanyahu não estava fazendo o suficiente para pressionar o Brasil a aceitá-lo. O diplomata afirmou que isso abre um precedente que impedirá moradores de assentamentos de representar Israel no exterior.
Emmanuel Nahshon, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, afirmou que os laços com o Brasil são "bons e importantes", apontando o fato de o país ter acerto recentemente mais um consulado no Brasil e as oportunidades de negócios para empresas israelenses de segurança durante os jogos olímpicos do Rio de Janeiro, em agosto.
Israel também é um dos principais fornecedores de tecnologia para as indústrias de aviação e de defesa do Brasil. Na última sexta-feira, Celso Amorim, ex-ministro das Relações Exteriores no governo Lula e de Defesa no primeiro governo Dilma, afirmou que a disputa com Israel mostra a necessidade do Brasil reduzir sua dependência dos equipamentos israelenses.

G1.COM

Cristãos se recuperam aos poucos do último ataque na República Centro-Africana

Cristãos se recuperam aos poucos do último ataque na República Centro-Africana
Muitos irmãos escreveram cartas para os cristãos que foram atacados na República Centro-Africana, dando apoio espiritual, moral e emocional. "Eles se sentem importantes e dizem que saber que outros irmãos de outras partes do mundo pensam neles, é o maior presente de Deus nos momentos difíceis", comenta um dos analistas de perseguição.
A equipe da Portas Abertas está com eles, dando suporte de várias formas, e encorajando-os a aceitar a situação atual, alimentando suas forças em Cristo. "Às vezes, ouvimos um choro de aflição e vemos a correria deles para socorrer os feridos e encaminhar para as ambulâncias. O cenário não é encorajador, mas eles se mostram fortes o tempo todo e vemos que o nosso trabalho aqui tem muita importância", diz o analista.
As explosões mataram sete pessoas e deixaram pelo menos 33 feridos gravemente, entre eles várias crianças. "O momento é de recuperação e adaptação, já que muitos perderem alguns membros, como braços, mãos e pernas. As próteses foram providenciadas, mas eles precisam trabalhar na mente primeiro, para chegar num nível de aceitação que os favoreçam a seguir em frente sem muito questionar. Eles devem seguir pela fé e nós estamos 

JACO - ISRAEL

De todos os relatos da Torá, este é um dos mais envoltos em mistério. Conta-nos a história da luta entre um ser humano e um anjo e a da ...