quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Homem invade igreja e rouba R$ 35 mil, joias e equipamentos eletrônicos

Um homem invadiu a Igreja Batista Parque do Eldorado, em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, na madrugada de segunda-feira (4), e levou cerca de R$ 35 mil, joias e equipamentos eletrônicos.

Segundo o administrador da igreja, Sebastião Amaro, o crime foi percebido apenas quando o zelador chegou à igreja pela manhã e viu que o local estava revirado.

Além do dinheiro e das joias, uma televisão e um Playstation foram levados. Segundo o pastor Fernando Trindade, todo o dinheiro, joias e equipamentos eram fruto de doações de fiéis. Ainda de acordo com Trindade, a quantia roubada seria usada para o pagamento dos funcionários da igreja.

No local não havia sinais de arrombamento, o que, para o pastor, é um indício de que o ladrão possa ser alguém próximo à igreja –para levar os bens, ele teve que entrar na sala do pastor, onde estavam os eletrônicos, e na tesouraria, no andar superior, onde o dinheiro e as joias eram guardados.

"Era uma pessoa que conhecia a estrutura da igreja, bem orientado. Ele deve ter usado uma chave mestra para abrir a porta e ainda usou um capacete para não aparecer nas câmeras de segurança", contou.

A polícia tenta chegar ao suspeito tendo como principal pista o único momento em que é possível ver mais nitidamente o invasor no circuito interno de segurança da igreja.

O homem, ao desligar uma das câmeras usando o capacete sobre a cabeça, acabou deixando parte do rosto à vista. Contudo, segundo o pastor, nenhum funcionário reconheceu o autor do assalto no vídeo.

"Em 48 anos de igreja, a gente nunca teve um assalto. Foi uma surpresa muito grande. Até porque a igreja age em parceria com a comunidade. A comunidade ajuda muito a igreja", disse. "Nunca tivemos atos de vandalismo, depredação. Sabemos de toda a violência, mas a igreja sempre foi preservada por ser amparadora da comunidade."

O caso é investigado pela 146º DP (Guarus). Ninguém foi preso até o momento.

Fonte: UOL

Documentário mostra negligência do papa em casos de pedofilia

Documentário mostra negligência do papa em casos de pedofilia

                      
Concorrendo a um Oscar menos importante, o de “Roteiro de Documentário”, o filme “Mea Maxima Culpa – Silêncio na Casa de Deus”, não deve chegar aos cinemas do Brasil. Ele estreou nos cinemas da América do Norte em novembro de 2012, foi exibido em alguns festivais e chamou atenção pela repercussão.
Ele foi criticado pela Igreja Católica e, ao mesmo tempo, por associações de vítimas de abuso. Os católicos acham que ele foi longe demais e as vítimas acreditam que ele não foi longe o bastante.
Anunciada como uma “investigação na mais antiga e poderosa instituição do mundo”, o filme aborda casos de pedofilia na Igreja Católica Romana. Seu diretor Alex Gibney é bastante premiado e acostumado com polêmicas. Ele já ganhou um Oscar em 2008 por “Taxi para a Escuridão”, que mostra a morte por tortura de um taxista afegão numa base militar americana.
Seu novo filme, ao longo de quase duas horas, conta a história triste de Lawrence Murphy, um sacerdote, que trabalhou em uma escola para crianças surdas onde assediou mais de 200 estudantes entre 1963 e 1974. Além disso, mostra entrevistas com algumas das vítimas, agora adultos, que contam seus dramáticos testemunhos.
“Mea maxima culpa” revela como foi a primeira ação coletiva contra o abuso sexual de padres católicos nos Estados Unidos nos últimos 40 anos. Fala também sobre como o então cardeal Ratzinger (hoje papa Bento 16) tratou a questão e seu pedido oficial de desculpas alguns anos atrás.
Quando a notícia do abuso sexual foi levado ao conhecimento das autoridades eclesiásticas, Murphy, como muitos outros padres acusados ​​de abuso, foi apenas transferido para uma igreja diferente, enquanto suas vítimas eram ignorados, uma política, argumenta Gibney, determinada pelo próprio Vaticano.
Uma das polêmicas envolvendo o documentário, que já foi proibido na Itália, é justamente a visão implacável sobre o antigo e o atual papa, mostrando  como Ratzinger e João Paulo II teriam encoberto os relatórios que chegaram ao Vaticano em 2004. A falta de assistência às vítimas de abuso sexual do clero é definida como “muito pior que uma conspiração, é uma política sistemática de ocultação.”
Em entrevista ao Daily Beast, o diretor Alex Gibney declarou: “a Igreja Católica é claramente responsável por proteger os padres ‘predadores’, e não puni-los, simplesmente transferindo-os [para outras paróquias]. Por muito tempo, a igreja negou o abuso sexual clerical… Neste caso, os sacerdotes “chegaram” nos alunos surdos, porque eles eram indefesos. Algo horrível”.
Também tenta explorar a origem desse comportamento. “O que há de peculiar na Igreja Católica Romana é que no centro de sua doutrina está uma mentira, a mentira do celibato obrigatório. Um dos ex-padres fez um estudo na igreja para tentar entender a vida sexual dos padres. Ele descobriu que mais de 50% dos sacerdotes que ele investigou não cumpriam seus votos de celibato. Então, surge um sistema de sigilo e de chantagem, uma espécie de proteção mútua”. Com informações Kansas e The Daily Beast.
Assista ao trailer:


VIA GRITOS DE ALERTA / INF. GOSPEL PRIME
    

Líder muçulmano sai livre após estuprar e matar filha de 5 anos

                      
Líder muçulmano sai livre após estuprar e matar filha de 5 anosO conhecido líder muçulmano Fayhan al-Ghamdi é presença constante em programas televisivos do Oriente Médio falando sobre a fé e os costumes islâmicos. Mas passou a ser notícia na Arábia Saudita após ser preso em novembro passado, acusado de violentar e espancar violentamente sua filha até a morte.
Ele acabou liberado no final do processo, depois de ficar apenas 90 dias na prisão e ter concordado em pagar o equivalente a 100 mil reais aos familiares da menina como “compensação”. Mas a mãe já avisou que deseja apelar à Justiça, pedindo uma sentença que faça com que o ex-marido “passe o resto da vida no cárcere”. Pelas leis islâmicas, com o pagamento sua dívida está paga e ele não deve ser levado a um novo julgamento.
As motivações de Fayhan para praticar tais atos bárbaros não foram reveladas. Ano passado, durante entrevista a uma rede de televisão, afirmou que seria pela dúvida se a menina ainda seria virgem.
Segundo a polícia saudita, Lama al-Ghamdi , de 5 anos, teve seu braço, várias costelas e o crânio quebrados por Fayhan. Também apresentava hematomas e queimaduras extensas pelo corpo. A perícia apurou que ele usou uma bengala e fios elétricos para causar os ferimentos.
Randa al-Kaleeb, assistente social do hospital onde Lama foi internada, disse que a menina fora estuprada várias vezes. Três grupos de ativistas de direitos humanos estão pedindo uma revisão do caso e exigem punições mais pesadas para crimes contra crianças no país.
Também reclamam o fato de que, sob as leis islâmicas, o valor é metade do que teria sido pago se a violência fosse contra um menino. Além disso, um pai não pode ser executado por matar seus filhos ou esposa.
A campanha desses grupos chegou às mídias sociais e está ganhando força após a decisão do tribunal foi divulgada. No Twitter a hashtag “Ana Lama”, que traduzido seria “Eu sou Lama”, virou sinônimo de pedidos para maior proteção para crianças e mulheres no mundo árabe.
Algumas semanas atrás, um muçulmano de 90 anos pagou 17 mil dólares para ter o direito de se casar com menina de 15. A menina fugiu para a casa dos pais. O noivo afirmou que iria processar os pais da menina, caso eles não a enviassem de volta ou devolvessem o dote. Os pais se defenderam, dizendo que venderam a filha mais velha para salvar os irmãos menores da fome. Com informações Daily Mail.

Marília Gabriela comenta entrevista com Silas Malafaia

                      
Marília Gabriela comenta entrevista com Silas MalafaiaO tom da conversa entre o pastor Silas Malafaia e Marília Gabriela no programa “De Frente com Gabi” no último domingo (3) chamou a atenção dos telespectadores que nunca tinham visto a apresentadora se manifestar com tanta veemência.
Ao falar sobre esta entrevista com o portal UOL, a jornalista diz que se sentiu na obrigação de opinar sobre o que o pastor estava dizendo sobre os homossexuais. “Nunca tinha visto o Malafaia falando. Só havia lido. E entendi porque ele faz tanto sucesso como pastor. É muito enfático. Por isso, me senti na obrigação de dar o meu ponto de vista, uma coisa que não costumo fazer”.
O posicionamento do pastor evangélico sobre a união de duas pessoas do mesmo sexo e sobre a adoção de crianças por casais gays deixou Marília Gabriela indignada, fazendo com que ela afirmasse que Malafaia estava julgando e se colocando no lugar de Deus por dizer que casais formados por pessoas do mesmo sexo não são capazes de criar uma criança.
“Você é Deus, Silas. Você já está julgando e pré-julgando”, disse Gabi que no final da entrevista pediu para que Deus perdoasse o pastor. “Que o meu Deus, que eu não sei se é igual ao seu, te perdoe”.
Ao ouvir a declaração da apresentadora, Silas retruca dizendo: “Ele me perdoa, porque eu sou pecador”.

GOSPEL PRIME

DETECTANDO UM FALSO AMIGO ( TRAIDOR )

Creio que você que esta lendo agora essas palavras já experimentou o gosto ruim que é ter um falso amigo.
Pois falso amigo é igual a bala enganosa , que começa com um  sabor doce mas termina com um amargo horrível .

EU MESMO JÁ TIVE ESSES DESPRAZER DE CONVIVER COM FALSOS AMIGOS POR ALGUNS TEMPOS , MAS GRAÇAS A DEUS ELE ME TIRADO  DE PERTO DESSES .


VEJA AS CINCO DICAS PARA VOCÊ DETECTAR UMA FALSA AMIZADE.


Como testar um amigo de verdade? Será que existe amizade inabalável ? Faça o teste.

Como testar um amigo de verdade? Será que existe amizade inabalável? O assunto é sempre delicado, já que uma das piores sensações da vida é a de se decepcionar com alguém em quem confiamos plenamente.

Mas infelizmente todo mundo deve passar pelo menos uma vez por algo desse tipo.

O  psicólogo Alexandre Bez, especialista em relacionamentos,  separou algumas dicas que podem te ajudar a detectar uma amizade falsa antes que o "pior" aconteça - embora ninguém deva ficar neurótico com estes conselhos e desconfiar de qualquer um que se aproximar... Certo? Apenas reflita:

1 - Seus amigos abusam daquilo que você oferece? O falso amigo pode estar em qualquer lugar e se aproximar de determinada pessoa por ela possuir algo que lhe traga vantagens, como um objeto de valor, dinheiro para financiar saídas em grupo, boa aparência ou até mesmo a alguém com quem você se relaciona. O que não significa que você não deva ser generoso: essa é uma virtude das mais nobres e que certamente lhe trará a admiração (e não necessariamente a exploração) de muita gente. Só que é sempre bom abrir o olho, claro!

2 - Existe um sentimento de inveja entre vocês? Segundo o psicólogo, a inveja é o que norteia uma falsa amizade. Se você possui algo que desperta grande desejo em alguém próximo, existe o risco de essa pessoa - por mais amiga que pareça - um dia se volte contra você. Não que um sentimento forte de amizade não possa superar essas diferenças, mas nesses casos vale a pena ficar de olho nas atitudes e nos rastros deixados pelos outros.

3 - Ele(a) é uma boa influência? A amizade é algo tão importante para o crescimento do ser humano que ela chega a ser responsável pelo crescimento ou regressão de uma personalidade. Ao lado de pessoas que querem nosso bem, acontece naturalmente um crescimento mútuo entre ambos, um tende a ajudar o outro. O que não ocorre em falsas amizades, como entre usuários de entorpecentes. Apenas 1% dos dependentes de drogas iniciam o uso por vontade própria, nos outros casos são convencidos por falsos amigos a experimentar. E isso também vale para tantas outras "aventuras" em que às vezes pessoas próximas nos envolvem: se você acha que algo é errado, não faça. É clichê, mas é verdade: um verdadeiro grupo de amigos aceitará você do jeito que você realmente é.

4 - Existe alguma atração física entre vocês? Outro ponto que gera bastante discussão é a possível amizade entre homem e mulher. Segundo o médico, a amizade entre o sexo oposto existe e é extremamente saudável, desde que ambas as partes não tenham intenções sexuais. Claro que não há nada de errado entre amigos que ficam sem compromisso e depois voltam a ser amigos normalmente. Porém, para algumas pessoas, isso pode abalar uma amizade para sempre. Então é importante separar atração física e amor das outras formas de carinho quando se quer apenas ser amigo de alguém.

5 - Ele(a) é leal em todos os momentos? Observe seu amigo quando ele compartilha com você momentos de vitória e conquista. Geralmente o olhar misterioso e discreto vem acompanhado de um sorriso de quem não gostou. "Um amigo falso sente-se na obrigação de cumprimentá-lo e fará com um rápido aperto de mão" diz o psicólogo. 

Outra dúvida muito comum é saber se o colega de trabalho é realmente seu amigo e quando ele deixa de ser colega para ser amigo. A partir do momento que são compartilhados intimidades e segredos, o coleguismo é substituído pelo laço de amizade. Se você possui dúvidas diante de um colega de trabalho, o psicólogo ensina a fazer pequenos testes para verificar se ele é confiável ou não. Para testar seu colega, experimente contar um segredo a ele. Se o assunto não se espalhar pelo escritório nos próximos dias, já é um sinal de que ele pode ser seu amigo verdadeiro. Para não cair no golpe de falso amigo, Alexandre Bez dá dicas de como identificar ações que podem apontar se uma amizade é verdadeira ou não:


* O corpo fala - verifique se "o amigo" se aproximou de você depois que comprou algo, como um carro, por exemplo.

* Ligações demasiadas também indicam interesse momentâneo em algo

* O tom de pele de um amigo invejoso tende a ser mais para a cor amarelada, pois conforme estudos realizados, a pessoa invejosa não controla sua produção de bile. Mas essa dica não vale para pessoas de origem oriental

Desilusões acontecem, mas claro que, fazendo por merecer, a vida nos trará muitas amizades verdadeiras.

Após ler esses conselhos você tem duas opções: revoltar-se com todos a sua volta ou valorizar ainda mais os bons amigos que tem. 

VIA GRITOS DE ALERTA

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...