quinta-feira, 4 de junho de 2009

SATANISMO

O satanismo é a religião que divulga a Satanás, os satanistas reverenciam a satanás, fazem culto ao mesmo, oram ao diabo como se orassem a Deus. O objetivo do satanismo é acabar com os cristãos, acabar com o cristianismo e com as pessoas, esse é o objetivo do diabo; eles procuram fazer isso de diversas formas, uma delas é destruir as crianças; com nintendos, desenhos e brinquedos, incluindo outras coisas mais, eles tentam destruir as crianças dentro de suas próprias casas, se o diabo conseguir destruir as crianças, no futuro não haverá cristianismo. O missionário Dr. Josué Yrion pesquisou sobre os desenhos da Disney, que é um império satânico; para você ter idéia, Yrion conta que no final de um culto no qual ele pregou sobre a Disney, uma moça veio até ele e disse que ela havia trabalhado lá e que em cada fita há uma vela acesa, todos os vídeos são consagrados ao diabo. No desenho "A Pequena Sereia 1", a torre do castelo, na verdade, é o pênis ereto de um homem; este é só um exemplo do império satânico da Disney.


*O satanismo é comum no rock; com o som alto acima do limiar auditivo e luzes piscando, consegue-se a atenção das pessoas que assistem ao show, elas ficam sob uma forma de sujestão hipnótica, o estado perfeito para semear letras demoníacas. Os Beatles inventaram as mensagens invertidas, no disco "Revolution Number 9" um homem dizia "number 9 (número 9)" repetidamente por várias vezes seguidas, se você conseguir tocar o disco de trás para frente vai ouvir (em inglês) "quero ficar doidão homem da cruz". O grupo Black Oak Arkansas em um show, fizeram o público gritar "natas" várias vezes seguidas; eles nem se preocuparam em disfarçar, o que eles fizeram foi inverter o som do disco produzindo um som de sucção, um homem gritando "satan" e 33 mil pessoas gritando "satan" que traduzido é "satanás". No disco "Stairway to Heavem" do Led Zeppelin, um grupo que estudava sobre o ocultismo no rock fizeram o mesmo e, quando inverteram o disco, ficaram chocados, ficou "Doce satanás, satanás é deus" várias vezes seguidas.


A Rede Globo de Televisão tem demonstrado claramente que é um império satânico, todos as novelas e mini séries pregam sobre traição conjugal, sexo antes do casamento, a busca de coisas ocultas como, por exemplo, búzios. Você pode ver por diversas vezes em determinados programas do "Caldeirão do Huck" um enorme símbolo do pé-de-galinha, que é a cruz invertida de cabeça para baixo, um símbolo satanisna; no programa da Xuxa, símbolos da nova era também aparecem como, por exemplo, estátuas de um anjo sem cabeça; sem contar no nome da novela "Um anjo caiu do céu", todos sabemos que o anjo que foi expulso do céu foi Lúcifer, Satanás. Podemos ver recentemente o programa da Xuxa pegar fogo, isso é muito difícil acontecer, sabemos que naquelas circunstâncias o fogo se espalha rapidamente mas não naquela rapidez, não é normal, um pastor de uma Igreja Batista da minha cidade, quando viu o que aconteceu, imediatamente foi a Rede Coroados (Rede Globo) e pegou a fita com as imagens, no momento em que o fogo começa a se espalhar a fumaça faz um barulho estranho, então Deus deu-o discernimento e ele aumentou o volume da televisão, na verdade aquele barulho de fumaça eram risos e gargalhadas de demônios, se você pegar as imagens e aumentar o volume da televisão naquele momento poderá ouvir. Quando escrevemos determinados acontecimentos como estes ficamos até arrepiados em determinadas circunstâncias, mas toda glória e honra seja ao Senhor Jesus Cristo, louvo a Deus por que o diabo só pode rugir como leão ao nosso derredor pois ao nosso redor estão os anjos do Senhor para nos proteger, o diabo tenta de todas as formas para que estudos como este não sejam escritos mas o povo de Deus precisa ter conhecimento e discernimento entre as coisas que são e as que não são de Deus para não cair em pecado. Glórias a Ti Jesus!


Devemos tomar muito cuidado com os satanistas dentro das igrejas. Quando têm aqui na cidade eventos abençoados como a vinda de Josué Yrion, de Rebecca Brown, aparecem satanistas do lado de fora do ginásio ou até mesmo dentro do ginásio para tentarem fazer com que as pessoas não sejam abençoadas, muitas vezes eles se deixam perceber pelas roupas pretas, alguns com colares e semblante tenebroso, mas na maioria das vezes eles vêm disfarçados. Certa vez, em um grande culto, abençoado, no ginásio de esportes da cidade, o poder de Deus se apoderou de muitos ao final, haviam pessoas recebendo os dons do Espírito Santo, pessoas falando em línguas... Eu estava lá e pude perceber algo estranho em um rapaz de aproximadamente uns 21 anos, ele estava em pé com os braços e as mãos coladas ao corpo, suava bastante e seus passos não eram normais, suas pernas estavam juntas então ele dava pulinhos para andar, como se fosse um robô, sempre falando línguas estranhas. Num determinado momento ele parou em frente a uma senhora de aproximadamente 35 a 40 anos, olhou para ela fixamente, começou a levantar e abaixar os baços colados ao seu corpo até a medida do cotovelo e, dando pulinhos, dirigiu-se a mulher, deu uma volta inteira ao redor dela e, quando terminou de dar a volta inteira, esta mulher começou a pular e rodopiar com os braços levantados de forma anormal, eu estava do lado quando isso aconteceu, a mulher rodopiou, em pé, de um jeito tão estranho que atingiu muitas pessoas, minha irmã mesma levou um tapa no rosto. Posso com certeza dizer que aquela mulher não ficou cheia do Espírito Santo mas sim endemoniada. Depois conversamos com pessoas de outras igrejas e eles disseram que também acharam aquilo estranho; uma irmã que tinha o dom de revelação, lá mesmo, na mesma hora, disse que aquilo não era de Deus. Satanistas são treinados para entrar dentro das igrejas e destruí-las. No livro da Rebecca Brown "Vaso para Honra", na página 47, no 7° parágrafo, diz: "Maria (não é este seu nome real), foi uma das pessoas que me treinaram para que eu me infiltrasse nas igrejas. Essa era a sua especialidade. Estive também num dos numerosos acampamentos especiais para bruxas, onde se ensina como destruir igrejas." (OBS.: No livro, estes ditos não são de Rebecca Brown, são de uma amiga que conta a história de sua vida antes de sair do satanismo – história real.).


Nós devemos tomar cuidado com os satanistas disfarçados, geralmente são pessoas carinhosas, mui amigas (mas por trás querem destruir); em muitas vezes elas chegam como pessoas abençoadas e rápido passam à liderança da igreja, ou do ministério de louvor, ou mesmo não tendo ministério na igreja se apegam aos pastores e aos líderes e arrumam discórdias, fazendo com que os líderes obedeçam o que eles querem, por isso os líderes das igrejas devem sempre pedir a Deus muito discernimento e estar em constante oração. Novamente no livro "Vaso para Honra" da Rebecca Brown, na página 63 e 3° parágrafo, diz ainda: "Creio que você está absolutamente certa. Um satanista que sabe utilizar bem os seus demônios terá pessoas amontoando-se ao redor, pensando que ela é a pessoa mais gentil e bondosa que conhecem." Aqui na minha cidade, infelizmente, pudemos constatar a presença de satanistas dentro de igrejas para destruí-las. Em uma das igrejas, a qual fizemos até um intercâmbio certo Sábado, havia dois satanistas, alguns irmãos de minha igreja comentaram que haviam achado algo estranho, cerca de um ano depois ou mais recebemos a notícia de que aquela igreja estava em divisão porque haviam encontrado dois satanistas na liderança, um do ministério de louvor, os quais confessaram que haviam entrado para destruir a igreja; disseram-me que chegou a tal ponto de, na hora do ministério de louvor, o líder (provavelmente um dos satanistas) dizia que aquele momento era a da unção da lagartixa, então o povo começa a fingir que era este animal, ou que era hora da unção do leão, então todos começavam a rugir como leão. O Senhor repreenda toda ação do diabo em nome de Jesus! Outro caso foi em uma igreja perto de casa, há poucos dias recebi a notícia que haviam encontrado satanistas, pelas descrições que eles deram pude perceber que cheguei a conhecer tal pessoa, ela era muito legal, super carinhosa, mas sempre estava apegada com o pastor, quando a igreja queria decidir algo importante, ela convencia o pastor de que aquilo não era correto, e, infelizmente, muitas vezes o pastor impedia a igreja.


Gostaria de dizer a todos os que lêem este resumido estudo que o diabo quer fazer de tudo para destruir as pessoas, ele não queria que este estudo saísse, neste exato momento em que escrevo está chovendo, percebi que o diabo quis que a luz se apagasse para eu não continuar, mas o Senhor dos exércitos sabe todas as coisas, Ele conhece tudo e seu Poder é maior do que tudo que conhecemos. As vezes alguém pode contestar perguntando como é feito um estudo sem citar ao menos um versículo da Bíblia, no entanto, procurei passar histórias e relatos reais para que o povo de Deus fique ciente do que está acontecendo, este estudo foi baseado na Palavra de Deus e, ao final, colocarei os versículos nos quais o estudo foi basedo.


Queremos alertar a vós das ciladas do diabo, o povo de Deus não pode se perder por falta de conhecimento, Jesus Cristo é o Rei dos Reis, Senhor dos Senhores, Ele está acima dos céus e da Terra, e Seu poder é maior do que todas as coisas e maior do que todo o poder do diabo. Em Jesus temos o poder de pisar em serpentes, Ele pode nos livar, se você quer ser liberto de algum ataque demoníaco entregue sua vida a Cristo, se você quer ter alegria e paz em sua vida, se entregue a Cristo, se você quer ter vitórias, entregue-se a Jesus. Devemos sempre nos revestir da armadura de Deus, para que possamos estar firmes contra os ataques malignos, como diz em Efésios 6:10-18: "Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; porque nossa luta não é contra o sangue e a carne e, sim, contra os principados e as potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Portanto, tomai toda a armadura de Deus para que possais resistir o dia mau, e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade, e vestindo-vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamáveis do maligno. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito, e para isto vigiando com toda súplica por todos os santos..."


Que Deus vos abençoe!

por: Andrei Olak Alves

O vermelho e o negro


Tenho tentado evitar escrever sobre as asneiras e idéias criminosas da esquerda e da versão gospel de seus cúmplices: os tais "evangélicos progressistas", "cristão de esquerda", "socialistas cristãos" e afins. Quem se alinha com terroristas, narcotraficantes, teóricos e escritores que legitimam o uso da violência, da falsificação histórica, da segregação classista, do aborto e das matanças institucionalizadas que alguns paspalhos ainda teimam em dizer que "aquilo não é o socialismo real", será o quê, senão cúmplice?

Pois bem, novamente vou eu escrever sobre essa gente. A resenha do romance Le Rouge et le Noir, de Stendhal, fica para outro dia, até porque, ao contrário de muitos de nossos sabidões da nossa mídia anticristã, não escrevo sobre o que desconheço. Mas conheço bem esquerdistas e politicamente corretos, e alguns desses agora me aparecem afirmando que "os negros evangélicos" (sim, eles gostam de falar por todos, pelo povo, por mais que você, amigo negro, não os subscreva. "Democráticos", não?) EXIGEM um "pedido de perdão por parte das igrejas históricas". E claro que a revista Ultimato prontamente se fez de megafone para a ladainha dos ressentidos. Jesus mandou seus discípulos perdoarem 490 vezes o irmão ofensor num único dia. Já a “esquerda evangélica” prefere desenterrar agressões de mais de um século atrás e chegar ao limite ridículo e vulgar da sanha acusadora e auto-vitimizatória: exigir um pedido de perdão daqueles que são, em grande parte, os responsáveis pela libertação de suas próprias vidas de uma escravidão muito pior: a do pecado, a das trevas, a do príncipe deste mundo, Satanás.

É lógico que deve haver negros evangélicos que caem nessa lorota que só serve para jogar irmãos contra irmãos, e, com o frisson gerado, enfiar outras tantas esquerdices na cabeça dos evangélicos brasileiros. Burrice não tem cor nem preferência por quantidades específicas de melanina. A esses eu recomendaria a leitura de artigos dos negros Walter Williams e de Thomas Sowell, que, não sendo evangélico, sabe dos estragos causados pela agenda politicamente correta e o quanto é descabido o clichê "a culpa é do homem branco".

Graças à hegemonia cultural conquistada pelos fãs de Fidel, Lênin e Guevara no Brasil, os evangélicos brasileiros têm cada vez mais dificuldades em pensar em política e cultura em termos bíblicos e livres de ranços ditos "progressistas". Se a igreja brasileira não despertar e não se posicionar, não só continuará vendo alguns de seus segmentos serem feitos de idiotas por parte de inimigos declarados da fé cristã, como acabará por ver-se reduzida à irrelevância cultural, política e espiritual: o objetivo confesso de teóricos comunistas como Antonio Gramsci, mentor da estratégia da revolução cultural, e Giörgy Lukacs, que via a cosmovisão judaico-cristã como o principal obstáculo ao sucesso de sua mórbida ideologia.

A corrupção e a apostasia começam pelos detalhes, pelos aspectos considerados periféricos, pelos "pontos menores". Mas o desgaste que a infiltração esquerdista já gerou à igreja brasileira, sobretudo no que concerne ao zelo pela "sã doutrina", é de difícil mensuração, por ser gigantesco. Que o Senhor levante, em todos os cantos desse Brasil de muitas misturas, homens e mulheres prontos a desmascarar essas ideologias diabólicas forjadas por racistas confessos como Karl Marx, e reafirmem com toda a coragem que "em Cristo, não há bárbaro ou cita, judeu ou grego, circunciso ou incircunciso, mas Cristo é tudo em todos".
Labels: cristianismo, esquerda, evangélicos, liberalismo teológico, racismo, Revista Ultimato


Edson Camargo

Para avaliar a crítica à Igreja

Todo cristão sabe que viver o Evangelho não é tão simples. Tudo que é real, verdadeiro, é complexo, como complexa é a realidade, já observava C. S. Lewis. É só com a presença do Espírito Santo em sua vida, que o homem pode viver segundo os preceitos de Cristo, e perfeição, só com a Redenção plena consumada. Mesmo assim, estou pra ver um esporte tão irresponsavelmente praticado, algo ser feito de forma tão leviana quanto a crítica à Igreja. E aí estão as grandes publicações evangélicas, com gente séria, sim, disposta a exortar e a servir a seus irmãos, repartindo conhecimento, mas também com batalhões de pitaqueiros e suas colunas fixas, que não me deixam mentir.

Sem querer repetir o ar professoral dos textos insossos de muitos desses presunçosos, apresento aqui algumas perguntas que faço quando busco avaliar a qualidade do trabalho de alguns destes auto-nomeados guias da igreja brasileira. Algumas óbvias, algumas difíceis. Necessárias, mas não sei se suficientes. Mas que valem também para todas as outras leituras. Reportagens, aulas, ensaios, documentários, colunas de jornais, de revistas não-cristãs, etc.. Ao identificar fragilidades no meu método, aí está minha caixa de comentários. Me ajude.

1 - Quem a faz?

2 - De quê ele reclama?

3 - Como o faz? Ele está alicerçado numa visão de mundo realmente cristã, bíblica? Como é a sua argumentação? Há rigor lógico e conceitual na exposição de suas teses, ou tudo se reduz a opiniões pessoais? Aqui há uma questão fundamental: se você identificar uma lógica manca, falácias, conclusões que não condizem com as premissas, há boa probabilidade de você estar lendo um picareta. Outro ponto a ser destacado: o importante é que o colunista enxergue o objeto, o assunto do seu artigo com clareza. Às vezes uma argumentação aparentemente rigorosa esconde desconhecimento sobre aspectos elementares do assunto. Quem já leu o Delfim Neto sabe do que estou falando.

4 - De qual perspectiva? (teológica, política, filosófica, etc...)

5 - Quando a fez? Em que momento está, com quais contextos históricos faz comparações e qual é sua interpretação histórica?

6 - Por que a faz? O quê o motiva a fazê-la. (Se confessa suas motivações, comparar com os possíveis desdobramentos e conseqüências de tal crítica. Se o crítico não faz isso, seu histórico e posicionamentos intelectuais esclarecem muita coisa. Apelar para sub-freudismos chulos – mania nacional – do tipo: "ih, esse aí brigou com a mulher", não resolve o problema e evidencia mais a SUA tosquice intelectual do que a do crítico em análise. Tentar "ler as entrelinhas", no sentido de tentar identificar motivações de forma puramente subjetiva, fazendo eisegeses (impor sentidos ao texto) grosseiras – outra mania comum, que pegou graças ao freudismo tido em boa conta por muita gente, também confunde mais do que esclarece.)

7 - Como se dá a relação entre: identificação com o problema/intercessão/sentimentos/posições intelectuais que se evidenciam na crítica. A igreja é o Corpo de Cristo, a família com muito irmãos na qual Jesus é o primogênito, é a noiva do Senhor. Tendo sempre isso em mente, pode-se perceber se o autor escreve com o intuito de servir à igreja, com amor, ou apenas para aparecer, o que é muito comum.

8 – Qual o histórico, no campo da idéias, e o perfil dos entusiastas do posicionamento do crítico. Quem são, quem são seu mentores, quem são seus comparsas, o que pensam. Vale lembrar a promessa de Cristo sobre a possibilidade de conhecimento objetivo e certeiro quanto a isso: “Pelos frutos os conhecereis”. Glória somente ao Cordeiro!

Para concluir, mais duas observações:

1 - Se há dificuldades em tentar responder para si mesmo algumas dessas questões, e não é fácil mesmo – e se você considera fácil, cuidado -, busque cristãos sérios que possam orientar suas leituras, participe de grupos de estudo bíblico, teológico e filosófico. Eu faço parte de um, e ajuda muito. Lembre-se dos grandes heróis da fé, pregadores e avivalistas da história: sempre sedentos por Deus, e incansáveis na busca por conhecimento.

2 – Sim, a mula pode falar a Balaão. Deus pode usar quem menos imaginávamos, para nos mostrar fatos e verdades importantes do que tem acontecido à igreja e sobre o que ela tem feito. Por mais que discordemos de tudo mais que a mula defenda. Mas a mula falar é a exceção, não a regra, e cautela é necessária.

Se você quiser fazer crítica eclesiológica:

Sem buscar discernimento e sabedoria da parte de Deus, e sem base nas Escrituras, nem comece. Você será parte do problema, e só contribuirá para o diagnóstico como amostra, evidenciando sintomas. Nesse sentido, todo cristão dá sua contribuição, queira ou não. Já o número dos que têm algo a acrescentar, a edificar, é muito menor.
E só faça isso se você tem tal chamado. Não imite esses intelectualóides frívolos que são pagos para encher de letrinhas as páginas de certas revistas ditas evangélicas. Não se exponha ao ridículo, você é filho do Rei do Reis.

Fonte: Blog Profeta Urbano


O arcebispo Desmond Tutu apoiou a decisão da Igreja da Escócia de nomear um homossexual abertamente




EDINBURGO, ESCÓCIA, 29 de maio de 2009 (LifeSiteNews.com) — O arcebispo Desmond Tutu apoiou a decisão da Igreja da Escócia de nomear um homossexual abertamente praticante para o ministério. A Assembléia Geral da Igreja da Escócia, conhecida como Kirk, num voto sábado de 326 a 267 confirmou a nomeação de Scott Rennie, um homossexual abertamente praticante, como pastor na Igreja Queen’s Cross em Aberdeen.

Na quarta-feira, Desmond Tutu, ganhador do Prêmio Nobel da Paz e bispo anglicano emérito da Cidade do Cabo, em seu discurso na Assembléia Geral, disse que ele ficou estupefato que as igrejas estejam debatendo “quem vai para a cama com quem” quando pessoas estão morrendo de fome, AIDS e em guerras.

Rennie disse para a BBC domingo a noite que ele não achava que esse voto é o “fim da discussão” dentro da Igreja da Escócia. “A Igreja está numa viagem de descoberta, de conversação um com o outro sobre homossexualidade”.

A Assembléia Geral mais tarde votou por uma moratória de dois anos em quaisquer outras ordenações de pastores homossexuais e concordou em não discutir a questão publicamente durante esse tempo.

Tutu comparou a ordenação de homossexuais à ordenação de mulheres na Comunhão Anglicana, dizendo: “Eu acharia impossível ficar parado quando pessoas estão sendo perseguidas por algo sobre o qual elas nada podem fazer — sua orientação sexual”.

O caso de Scott Rennie é semelhante ao caso de Gene Robinson, bispo episcopal americano cuja confirmação como bispo de New Hampshire foi o ponto de partida para a crise em andamento na Comunhão Anglicana Mundial. Robinson tinha naquele ponto sido casado e pai de dois filhos. Rennie também esteve casado durante cinco anos e teve uma filha. Ruth e Scott Rennie se separaram e se divorciaram e Scott Rennie está agora num relacionamento atual com outro homem.

Ruth Rennie disse para o jornal Scotsman que aqueles que se opuseram à eleição de seu ex-marido como pastor da Igreja Queen’s Cross “não têm compaixão” “Em seu ministério”, disse ela, “Scott é por natureza uma pessoa sensível e caridosa, e o que ele tem enfrentado provavelmente o tornou um pastor ainda melhor”.

Em 2008, depois que Scott Rennie disse para a congregação de Queen’s Cross que ele é um homossexual praticante que vive com outro homem, eles o elegeram como seu pastor por 140 votos a 28. Essa seleção foi mais tarde sustentada pelo Presbitério de Aberdeen por 60 votos a 24. Isso fez de Rennie o primeiro pastor abertamente praticante a ser confirmado na Kirk.

A decisão, porém, foi posteriormente contestada por um grupo de 12 pastores e presbíteros em Aberdeen e a questão foi adiada para a Assembléia Geral deste ano, o tribunal mais elevado da igreja e seu órgão governante, que se reuniu de 21 a 27 de maio.

Como com as principais denominações protestantes, a Kirk está experimentando profundas divisões sobre a questão da homossexualidade. Em 1994, um relatório do Conselho Doutrinário da Kirk concluiu: “Casais que coabitam, quer heterossexuais ou homossexuais, podem muito bem demonstrar todas as marcas de uma parceria de compromisso, amor e fidelidade e não devem ser vistos como em estado de pecado”.

Com ataque à Globo, Domingo Espetacular debate a arte com apologia à pedofilia

Programa Domingo Espetacular, na Record TV O debate sobre as exposições de arte com apologia à pedofilia e outros temas no Brasil marc...