sábado, 26 de agosto de 2017

Muçulmanos dizem estar “fartos” dos cristãos da Europa após atentados


Imagem redimensionada
Muçulmanos dizem estar “fartos” dos cristãos da Europa Após os ataques terroristas em Barcelona, parece que a Espanha é o novo alvo do Estado Islâmico (EI). Pela primeira vez, a organização islâmica publicou um vídeo em espanhol. Trata-se de uma clara ameaça de retaliação pelo “sangue muçulmano derramado”.

O material divulgado pelo EI Espanha engrandece a figura Younes Abouyaaqoub, motorista da van que atropelou as pessoas em La Rambla. Ele foi morto pela polícia junto com 4 outros terroristas.

No vídeo divulgado ontem (23), aparecem notícias sobre o ataque em Barcelona, bem como a imagem de autoridades. A maior parte são as ameaças de dois jihadistas que falam espanhol com sotaque árabe. Um deles é Abu Lais Al Qurdubi.

Ele diz que os islâmicos que não podem viajar até a Síria para lutar pelo Estado Islâmico que façam jihad [guerra santa] onde estiverem, pois, insiste, “a jihad não tem fronteiras”.

“Alhah ficará satisfeito com vocês”, acrescenta, assegurando que “Al Andalus voltará a ser o que era, uma terra do califado”. Andalus, ou Andaluzia, era o nome da Península Ibérica quando ela estava sob o domínio do Califado Omíada, no século VIII.

Abu manda ainda um recado aos cristãos espanhóis: “não nos esquecemos do sangue derramado dos muçulmanos da Inquisição espanhola. Iremos vingar esse massacre e o que estão a fazer agora com o Estado Islâmico”.

O outro jihadista, que tem o rosto coberto e se chama Abu Salman al Andalusi, diz que “nossa guerra com vocês durará até o fim do mundo”. Também alerta os islâmicos para ficarem “longe da união com os cristãos” e reforça a ameaça aos espanhóis: “nunca deixaremos vocês tranquilos”.

No final do vídeo, a imagem de um cartaz em árabe diz: “A primeira gazw”. Ou seja, os ataques recentes foram “a primeira incursão militar” na Espanha. O país faz parte da coligação internacional que luta contra os jihadistas na Síria.

“Farto dos cristãos”
Embora a mídia geralmente tente desassociar os atentados terroristas da motivação religiosa, o Canal “Antena 3” da Espanha, decidiu visitar a região de Mililha, conhecida pelo domínio de grupos jihadistas.

O repórter Raúl García havia feito a matéria antes dos ataques em Barcelona. Ao tentar conversar com os moradores, ouviu frases desconcertantes para quem não está familiarizado com o Islã.

Um dos homens afirma que, antes de ser espanhol era muçulmano e por isso não precisava respeitar as autoridades seculares, como os policiais. Vestido com roupas típicas do Islã, ele reclamou da prisão de vários amigos seus, acusando as forças do governo de “perseguição”.

Outro homem, que usava roupas ocidentais, foi mais enfático, alegando que “os muçulmanos estão fartos dos cristãos da Europa, pois eles tornam nossa vida impossível”. Em seguida, disse que é totalmente compreensível quando “alguém perde a cabeça e usa um caminhão para atropelá-los”. Com informações Daily Mail

Fonte: Gospel geral

"Jesus é o salvador para mim", diz Claudia Leitte em debate sobre intolerância religiosa

Imagem redimensionada

O programa Encontro com Fátima Bernardes recebeu nesta quinta-feira (24) a cantora Claudia Leitte, a atriz Heloísa Perissé e o professor Pasquale para falar sobre intolerância religiosa.

"Eu tenho religião e falo tranquilamente [sobre isso], até porque eu decidi ter uma forma de falar da minha religião, que é uma coisa diferente de uma religiosidade ou dogma. Hoje eu me considero discípula de Jesus", disse Heloísa no início do programa.

"Eu creio em Jesus como salvador do mundo e respeito absolutamente tudo, até porque isso é um desejo Dele", a atriz acrescentou.

"Jesus foi crucificado para salvar o mundo, mas também muito em função da quebra de dogmas. Ele comia com as prostitutas, com os cobradores de impostos e foi o primeiro a dizer: 'Eu não vim para julgar'. O julgamento é uma coisa que eu quero fora da minha vida em relação a qualquer coisa", afirmou Heloísa.

Claudia Leitte preferiu afirmar que não pertence a uma religião. "Existe uma necessidade muito grande de colocarem rótulos na gente. Jesus veio ao mundo e não deixou rótulos. Ele não disse: 'A religião certa é essa; siga'. Ele disse: 'Eu sou o caminho, a verdade e a vida'", definiu a cantora.

"Ele é o salvador para mim, eu acredito Nele. Eu acho que isso merece respeito, assim como qualquer ser humano do mundo merece respeito", Claudia destacou.

A cantora aproveitou o tema para explorar sua visão sobre o cristianismo. "[Jesus] já se fez carne para mostrar que vamos pecar, mas existe salvação; para mostrar que a gente pode resistir ao pecado. Ele ama, ele não fez distinção. Ele pregou para todo mundo sem internet e sem microfone. Estamos em 2017 depois de Cristo. Ele é o cara", disse ela.

O debate ainda contou com a participação do babalawo Ivanir dos Santos e do pastor Marcos Amaral, que fazem parte da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa. Enquanto o líder do candomblé sugeriu que grande parte da intolerância religiosa vêm dos evangélicos, o pastor esclareceu que os cristãos sofrem uma exposição intensificada.

"É preciso afirmar que os evangélicos não são intolerantes", disse o pastor. "É preciso desvincular o comportamento histérico da figura de Cristo. A intolerância é um sintoma de uma mente que desconhece o cristianismo".

Confira o programa completo:




Fonte: Guia-me

Polícia prende pastor líder de quadrilha que assaltava igreja

Imagem redimensionada

Agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) prenderam, nesta quinta-feira (24), um pastor evangélico de Cubatão (SP) suspeito de ser chefe de uma quadrilha que assaltava igrejas e templos no litoral e interior de São Paulo.

De acordo com as investigações, Givanildo Borges, de 37 anos, foi preso em uma farmácia onde trabalhava na capital paulista. Ele pregava pela Igreja Mundial do Poder de Deus.

“Eles escolhiam a igreja, chegavam ao fim do culto evangélico, com veículos roubados ou furtados, e esperavam o local esvaziar. O pastor entrava na igreja com alguns fiéis, que ficavam organizando a igreja após o culto. Esse pastor entrava, se dirigia ao pastor do local e pedia uma benção, dizia que estava com problemas, fazia uma oração e aproveitava para fazer uma verificação do ambiente, ver onde havia objetos de valor”, afirma o delegado Antonio Messias.

Segundo informações do G1, o pedido de prisão temporária do grupo foi deferido pela Justiça. Os demais integrantes da quadrilha são considerados foragidos.

Ao todo, a quadrilha efetuou seis roubos em templos evangélicos, sendo um na Igreja Mundial do Poder de Deus, da qual o pastor Givanildo fazia parte, e outros cinco na Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), nas cidades de Peruíbe, São Roque, Cubatão, Guarujá e Mongaguá. Além disso, o bando roubou uma empresa de produtos eletrônicos em Santos e uma casa em Bertioga.

Fonte: Notícias ao Minuto

BAMBOLÊ MODA BEBE DE JAGUARIÚNA