domingo, 6 de setembro de 2015

ILLUMINATIS , QUEM SERIA O LIDER DELES NO BRASIL ?



TEXTO COPIADO DA INTERNET .



Há tempos muita gente se esforça para denunciar os planos Illuminati para a instauração da Nova Ordem.
Governo Único, Moeda Global, Redução da População e Fim das Liberdades Pessoais.
Tanto esforço fez com que muitos acordassem para a verdade, mas, o reverso da moeda, foi fazer o assunto virar papo de maluco, de conspiracionista que não tem o que fazer.

Paciência. Os homens rejeitam qualquer possibilidade de estarem sendo manipulados, muito embora a história mostre que a “Vida de Gado” foi o que sempre norteou os governos a conduzirem o rebanho humano à condições de escravização consentida.
É exatamente como vivemos ainda hoje: uma Vida de Gado, escravos de um sistema corrupto que nos manipula a servi-lo.
Mas, as coisas estão prestes a mudar...para pior. A Nova Ordem chegou !
O Novus Ordo Seculorum, a nova ordem dos séculos, o governo dos governos, vem sendo implantado ao longo de muitas gerações com a finalidade do grande golpe final, que será a tomada total do planeta.

Somos, enfim, sete bilhões de pessoas no mundo. Sete é o número da perfeição.
É a hora certa para o resgate e entenda-se por isto que 6,5 bilhões de pessoas devem ir embora daqui...


Há sinais nos céus, na Lua e nas estrelas.Os terremotos estão mais violentos, o bramido das ondas ecoa pelo planeta, o desamor infesta as famílias, os vulcões explodem, chuvas inundam tudo, secas prolongadas e um cometa entrou no sistema solar trazendo consigo algo que ninguém sabe o que é.
Precisamos de mais alertas ?


Se você procurar e pesquisar sobre a Ordem Illuminatis, em busca de nomes o rostos, vai sempre encontrar uma enxurrada de nomes de celebridades e políticos famosos, só que na realidade , não é assim que a coisa funciona...isso é pura desinformação, induzindo o observador desatento, a olhar para direção oposta...ignorando a origem da realidade.

Estas celebridades (cantores, grupos musicais,atores e famosos), usam em seus trabalhos (vídeoclip’s, fotos , letras de música etc...) a simbologia da desinformação sem a consciência do intuito, e sim por que da mesma maneira que o restante da população mundial, acha que são símbolos válidos...significativos... misteriosos, não com a ideologia por trás destes, mas sim, por achá-los enigmáticos e chocantes , tendo como referencia o suposto significado e referencia (Maçonaria/Illuminti), não porque pertençam à uma (Maçonaria) ou a outra (Illuminati), mas só com o objetivo de chocar, causar polemica...e portanto...virar notícia, divulgar seu trabalho, com um único objetivo...o lucro financeiro causado pela exposição na mídia , e devido a curiosidade inerente ao ser humano, aumentando assim suas vendas.

Um verdadeiro Illuminati deve agir de maneira sutil, discreta e difusa no meio social, infiltrado nos mais diversos setores da sociedade...setores estratégicos, nos quais possam influenciar e tomar decisões que afetem as populações locais, regionais, nacionais e mundiais.

A Maçonaria e a Ordem Illuminati, são sementes provenientes da mesma árvore, pois uma complementa a outra.

Há no Brasil um dos  que dizem  ser o  líder Illuminati  é Flávio Kotrin , ele é de São Paulo e dirige a Fundação Delta , que atua na área de pesquisas em ciência e tecnologia, mais especificamente, em nanotecnologia, genética humana e biotecnologia. Este como líder Illuminati, é responsável pelo setor de Inteligência e Contra-inteligência que coordena a segurança das Ordens e Lojas Maçônicas e Illuminatis. É um homem extremamente ardiloso e poderoso, que tem contatos políticos , religiosos e institucionais.

Você nunca verá um verdadeiro Illuminati se expondo desnecessariamente, eles estão sempre nos bastidores...influenciando...induzindo...são mestres do ardil e da coerção.
Procurei conhecer para Falar mais sobre o Flávio Kotrin. Procurei referencias sobre ele, e realmente achei poucas. Até foto é difícil.













O Segredo Illuminati



Os Illuminati e suas ideologias e metas, são o resultado de uma cisão de um acordo de cooperação entre ordens iniciáticas ocorrido há mais de 1.500 anos.
Tal separação ocorreu em 425 d.C , como resultado de diferenças de crenças e metas, até então compartilhados entre : Maçonaria, Priorado de Sião, Iluminati , Sentinelas e a Família .
A Lenda Urbana
Foi criada uma lenda urbana refernte a origem dos Illuminati, que seriam provenientes da Bavária, fundada em 1776 por um Jesuíta Adam Weishaupt… isto simplesmente não é um fato, pois os Illuminati são muito mais antigos, e de forma alguma sua origem é Bávara, e tão pouco vem do século XVIII.
Ideologias e Metas
Após a cisão, a Ordem Illuminati apurou seu foco na fusão do Oculto com a Ciência e Tecnologia . Assim, incentivando e investindo recursos na pequisa e aplicação de novas descobertas e tecnologias, nas mais variadas áreas .
Parte de seus recursos são provenientes de patentes, que vão do microchip à processos bioquímicos.
No Brasil , dizem que  um dos líderes illuminati é Flávio Kotrin, é diretor da Fundação Delta, que investe e faz pesquisas em Ciência e Tecnologia. Entre as quais estão ; Genética (DNA humano) e nanotecnologia, entre outros. Sua sede fica em São Paulo – capital


O nome dele é relacionado a muita coisa sobre magia, ocultismo, tudo ao redor.

Realmente uma pessoa de influência longe dos olhares da mídia.

OBS. INFORMAÇÕES BUSCADAS NA
 INTERNET E  SITES PARTICIPANTES 


ATENÇÃO. NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS DE ANÔNIMOS 

ATENÇÃO - COMENTÁRIOS DE ATAQUE PESSOAL SERÃO EXCLUIDOS .

A Mulher Etíope de Moisés

Do livro de mesmo título (apenas um capítulo).
A mulher de Moisés. Aquele temperamento terrível de mulher, era mais ou menos o temperamento da mulher de Moisés, conhecida como Zípora, tataraneta de Quetura, a segunda esposa de Abraão, das terras de Midian, do outro lado do Mar Vermelho. O problema é que ela jamais esteve no Egito como esposa de Moisés de acordo com a Bíblia.
Observando o livro de Êxodo, capítulo 4, lemos um pouco da história deste casal que nada têm em comum.
É o capítulo do chamado de Moisés (Êxodo 4: 17-28):
 17. Tomarás, pois, na tua mão esta vara, com que hás de fazer os sinais.18. Então partiu Moisés, e voltando para Jetro, seu sogro, disse-lhe: Deixa-me, peço-te, voltar a meus irmãos, que estão no Egito, para ver se ainda vivem. Disse, pois, Jetro a Moisés: Vai-te em paz.19. Disse também o Senhor a Moisés em Midiã: Vai, volta para o Egito; porque morreram todos os que procuravam tirar-te a vida.20. Tomou, pois, Moisés sua mulher e seus filhos, e os fez montar num jumento e tornou à terra do Egito; e Moisés levou a vara de Deus na sua mão.21. Disse ainda o Senhor a Moisés: Quando voltares ao Egito, vê que faças diante de Faraó todas as maravilhas que tenho posto na tua mão; mas eu endurecerei o seu coração, e ele não deixará ir o povo.22. Então dirás a Faraó: Assim diz o Senhor: Israel é meu filho, meu primogênito;23. e eu te tenho dito: Deixa ir: meu filho, para que me sirva. mas tu recusaste deixá-lo ir; eis que eu matarei o teu filho, o teu primogênito.24. Ora, sucedeu no caminho, numa estalagem, que o Senhor o encontrou, e quis matá-lo.25. Então Zípora tomou uma faca de pedra, circuncidou o prepúcio de seu filho e, lançando-o aos pés de Moisés, disse: Com efeito, és para mim um esposo sanguinário.26. O Senhor, pois, o deixou. Ela disse: Esposo sanguinário, por causa da circuncisão.27. Disse o Senhor a Arão: Vai ao deserto, ao encontro de Moisés. E ele foi e, encontrando-o no monte de Deus, o beijou:28. E relatou Moisés a Arão todas as palavras com que o Senhor o enviara e todos os sinais que lhe mandara.29. Então foram Moisés e Arão e ajuntaram todos os anciãos dos filhos de Israel;30. e Arão falou todas as palavras que o Senhor havia dito a Moisés e fez os sinais perante os olhos do povo.
 Nenhum ministério será próspero se sua esposa não estiver afinada à visão de Deus e à obediência de seu marido. O casamento de Moisés com Zípora foi fruto de uma fuga do Egito, foi um jugo desigual. Zípora jamais teria amor pela missão que lhe foi confiada, não era hebréia e nem se importava com os hebreus no Egito. A missão de Moisés era a missão de Moisés. Não tinha nada a ver com ela, sendo de Midiã. Parece muito estranho no decorrer da leitura bíblica que de repente o Senhor queira matar a Moisés (ver o verso 24). “Ora sucedeu no caminho numa estalagem, que o Senhor o encontrou, e quis matá-lo.” Como podemos entender isto se no contexto Deus estava chamando a Moisés para uma missão, lhe havia feito promessas e de repente o queria matá-lo? Qual seria a razão para tamanho desastre?
A razão está clara: Moisés havia falado da circuncisão de seus filhos para sua mulher. Este é o primeiro grande problema do jugo desigual: a desigualdade de obediência a Deus.
Zípora jamais entenderia a circuncisão sendo ela gentia. A impressão que ela mesma disse que tinha de seu marido era esta: homem sanguinário. Deus quis matá-lo porque ele deixou a decisão nas suas mãos. Ela não queria a circuncisão. Quando ela viu que Moisés morreria por não obedecer a Deus, ele mesma circuncidou o seu filho (outro erro). Seu marido deveria ter feito a circuncisão. A que ela fez não teve valor. Por outro lado, a falta de respeito a visão de Deus que ele tinha e a ele mesmo como esposo no texto é visto claramente: “tomou uma faca de pedra, circuncidou o prepúcio de seu filho e, lançando-o aos pés de Moisés, disse…” Sua atitude é terrivelmente grosseira e sem nenhum respeito. “Lançou-o aos pés de Moisés”. A opinião que ela tinha de Moisés era esta: “és para mim um esposo sanguinário”.
 Vejamos aqui várias coisas:
 1.   A desobediência de Zípora que quase causou o aborto de sua missão.
2.   A desobediência que quase causou a morte de Moisés.
3.   A Precipitação de Zípora no estabelecimento da doutrina por sua conta.
4.   A falta de respeito em lançar o prepúcio do menino nos pés do marido.
5.   A opinião que tinha de seu esposo.
6.   Não seguiu com ele como havia proposto (v. 24) e voltou para a casa de seus pais (Êx 16        ).
Deus teve que enviar Arão para ajudar a Moisés no deserto. A localização de Midiã em relação ao Egito é tremenda (v. 27). Moisés estava desolado no monte Horebe, triste quando Arão, seu irmão chegou. Para onde foi sua esposa? Para a casa de seu pai.
Quero começar a formar uma realidade, na qual Moisés viveu longos anos de sua vida. Ele seguiu para o seu povo, mas Zípora jamais considerou os hebreus seu povo. Ela jamais pôde dizer como Rute “o Deus será o meu Deus e o teu povo será o meu povo”.
Quando Moisés chegou à casa de Jetro, pai de Zípora, tinha aparência de egípcio. Lá Deus foi tratando com ele, pois a família de Jetro era uma família sacerdotal. Mas isto não garantia a santidade da filha. Ele não podia queixar-se de falta de oportunidade, pois Jetro tinha sete filhas. Ele pode escolher dentre sete mulheres.
A falta de companheirismo no ministério é um grande perigo à vista para o matrimônio. Quando uma mulher decide ausentar-se da vida de seu marido por razões tais como 1) cuidado da casa, 2) criação dos filhos, 3) metas pessoais, 4) cuidado dos pais, etc., está dando brecha para desestruturação do seu matrimônio.
Zípora decidiu ausentar-se da vida de Moisés e de seu ministério. Ele nunca comprou a briga pelo seu ministério, nunca se interessou nele. Moisés era importante enquanto estivesse na casa de seus pais, no seu país, na sua cultura, For a disso era um homem sanguinário. A opinião que tinha de Moisés estava formada há muito tempo. Não era simplesmente pela atitude de circuncidar a seu filho, mas estava lançando em rosto a sua vida passada. Naturalmente ele havia contado algo sobre o seu passado, quando havia morto o egípcio, razão pela qual estava ali em Midiã, como fugitivo. Esta atitude é mais natural partindo do homem maligno, mas em vindo de uma mulher é ainda mais cruel.
Conviver com Zípora no ministério requer abnegação, humildade e consciência de um chamado indestrutível. O coração de Moisés estava ferido em Horebe quando Arão veio encontra-lhe. Qualquer outro homem foge para os braços de outra mulher, justificando todas as circunstâncias adversas que passa e na maioria das vezes de forma injusta. Moisés fugiu para o monte de Deus. Quando Deus avisou Arão para que viesse, Moisés estava sofrendo em Horebe, repensando toda a sua vida. Que tipo de situação estava enfrentando o grande libertador! Não é fácil ter em seus ombros a responsabilidade de conduzir o povo de Deus quando os colegas acusam a Moisés que ele não pôde administrar a sua casa. Na maioria das vezes utilizamos textos bíblicos somente para justificar atitudes de outros, nunca as nossas próprias atitudes. O grande libertador estava sem família, sem filhos, e sozinho chorava no Horebe (Êx 4. 27.
Buscar ajuda no meio da família nestes momentos é a melhor saída. Os irmãos de fato nunca nos abandonam. Deus agora estava levando seu irmão Arão para consolá-lo, abraça-lo e ajudá-lo.
Moisés não se queixou de sua mulher para seu irmão, ele relatou seu chamado, de como deus o havia chamado. Ele deveria ter-lhe confidenciado alguma coisa, deveria ter pedido ajuda. A maioria dos líderes ministeriais tomam atitudes isoladas, precipitadas quando a si mesmos e por esta razão são maus vistos depois porque nunca fizeram saber a sua cobertura ministerial os problemas maus resolvidos de seus ministérios. Um grande amigo, um dia em seu gabinete me disse: “Se você houvesse buscado ajuda antes de tomar esta decisão, Nelson, nós poderíamos comprar tua briga, mas agora é muito tarde. Não podemos fazer nada por você.” Havia tomado decisões precipitadas no meu ministério, e depois procurei ajuda. Não fui ao monte de Deus, por isso estava sendo mal compreendido. O monte de Deus nestes momentos e a ajuda de nossos amigos ministros a altura de Arão, será de grande ajuda. Mas Moisés não lhe falou nada. Lá na frente, quando ele tomar uma decisão sentimental mais forte, Arão não lhe compreenderá (Nm. 12:1-16), e murmurará contra Moisés. Moisés se fechou e nunca procurou ajuda sacerdotal. Deus lhe havia enviado ajuda, mas o orgulho profético não permitiu ser ajudado. Quanto mais sábio é o ministro, mas orgulhoso tende a ser nestas horas quando é frágil como um pote de barro. Busque ajuda na sua cobertura, busque o monte de Deus antes de tomar qualquer decisão na sua vida matrimonial. Os apóstolos de sua vida não poderão simplesmente usar sua autoridade se não orarem a este respeito, se não conhecerem o problema a fundo.
Somente depois que Moisés havia estado no Egito, depois que havia passado as dez provações que sobrevieram sobre aquela nação, quando o povo já estava em frente de Midiã, na volta, quando os rumores de que Deus havia tirado seu povo do Egito (coisa que Zípora não cria muito acontecer), Jetro vem ao encontro de Moisés, trazendo com ele sua mulher e seus filhos de volta, pois a Bíblia claramente diz que ele a enviou a seu pai (Êx. 12:1-7).
 1. Ora Jetro, sacerdote de Midiã, sogro de Moisés, ouviu todas as coisas que Deus tinha feito a Moisés e a Israel, seu povo, como o Senhor tinha tirado a Israel do Egito.
2. E Jetro, sogro de Moisés, tomou a Zípora, a mulher de Moisés, depois que este lha enviara,
3. e aos seus dois filhos, dos quais um se chamava Gérson; porque disse Moisés: Fui peregrino em terra estrangeira;
4. e o outro se chamava Eliézer; porque disse: O Deus de meu pai foi minha ajuda, e me livrou da espada de Faraó.
5. Veio, pois, Jetro, o sogro de Moisés, com os filhos e a mulher deste, a Moisés, no deserto onde se tinha acampado, junto ao monte de Deus;
6. e disse a Moisés: Eu, teu sogro Jetro, venho a ti, com tua mulher e seus dois filhos com ela.
     7. Então saiu Moisés ao encontro de seu sogro, inclinou-se diante dele e o beijou; perguntaram um ao outro como estavam, e entraram na tenda.
No verso 1 vemos como a notícia havia chegado a Midiã. No verso 2 temos conhecimento de que maneira ele voltou a estar com seus pais, desde aquela despedida triste de Êxodo 4. Pois eles, a família inteira estava de viagem para o Egito, quando o incidente da separação aconteceu e eles discutiram e ela voltou a Midiã. Jetro, sabiamente, veio ao encontro de Moisés e no verso 6 (cap. 12), recorda:   “Sou teu sogro Jetro, venho a ti, com tua mulher e seus dois filhos com ela.” Veja que a Bíblia diz “seus dois filhos”. Ele estava só, viveu aqueles dias sem considerar a Moisés como seu esposo. Ela não esperava aquela situação. Agora já não eram mais filhos de Moisés, eram seus filhos. A atitude de Moisés em relação a ela foi fria. Ele entrou na tenda com o sogro, quando deveria entrar na tenda com sua mulher. Muitos dias havia passado desde que se separaram. Quando se encontram, a frieza dominava aquele relacionamento (v.7).
Todos os homens que estavam no acampamento se deram conta de como a situação estava. Havia um cheiro de polêmica no ar entre a família. O coração entristecido de Jetro estava a ponto de explodir torcendo por uma reconciliação.
Infelizmente não houve reconciliação.
Mais de seiscentas  pessoas que estavam ali haviam passado 430 anos como escravos no Egito. Todos ali haviam marcado as portas de sua tenda para não ver a morte entrar nas suas casas; todos ali haviam obedecido as ordens de saída de forma incondicional, todos ali se sentiam felizes porque haviam passado o Mar Vermelho por causa da liderança e obediência de um homem que havia sofrido pela liberdade de seu povo e pelo cumprimento de sua missão em atenção ao chamado exclusivo de seu Deus, o grande Eu Sou. De repente, no meio do caminho, chega uma mulher incrédula em tudo aquilo, desobediente às ordens de Deus (e não era pelo fato de ser ímpia, pois seu pai era homem de Deus também e sacerdote), que jamais havia passado o batismo do Mar Vermelho, querendo entrar na Terra da Promessa… Ah! Mais essa é muito boa, essa é sim!
Dentro da missão de uma chamado os dois têm um compromisso de viverem juntos as decisivas situações que a vida em comum lhes reserva. Zípora jamais entraria no gozo da promessa sem ter passado o Mar Vermelho, sem ter marcado a porta de sua casa para salvar o seu primogênito (usando sangue de novo – mais uma razão para chamar-lhe sangüinário). O Anjo da morte andava por ali.
Embora Jetro tivesse habilidade de um grande mestre e conselheiro não pode fazer muito por aquela situação.
Infelizmente, Zípora regressou com o seu Pai para Midiã. Não quis ficar ali no deserto com eles. A visão ainda era para muitos dias, sem contar os 38 anos de Cades Barnéia. Ela não suportaria a luta. Nenhuma mulher que não passar lado a lado com seu marido o Mar Vermelho de seu Êxodo Ministerial, jamais terá condições de atravessar um deserto de quarenta anos até chegarem juntos na terra da promessa.
Antes de Jetro Hobab  regressar de volta, Moisés intercedeu que ele fosse o seu guia. Não pareceu bem ao Senhor isto, pois a nuvem os guiava até então (Num 10:36). A vinda de seu sogro naqueles momentos foram de grande bênção. Pelo seu conselho, até um grande exército foi formado (Num 10). Por isso havia muita afinidade entre Moisés e seu sogro. Mas ele amava sua parentela (Num 10:30) e Zípora também. Isto acontece no capítulo 10. Já no capítulo 11, Moisés toma uma esposa etíope, “cusita” (Num 12:1). Por causa desta mulher etíope, Arão e Miriã se rebelarão contra Moisés e por esta causa haverá uma reunião diante de Deus.
É claro que há casamentos desfeitos por safadezas e infidelidade proposital, mas este não é a razão de meu livro, nem quero tratar desde assunto. Estou falando de outras situações, de pessoas verdadeiramente sinceras e que vivem circunstâncias que os aprisionam de tal forma que por não encontrar uma explicação honesta e clara biblicamente perdem a razão de viver ou de ministrar. Minha razão é nobre e o assunto é sério e é para este tipo de pessoas que estou escrevendo. Jesus dirá naqueles dias “estive preso e não me visitastes, tive fome e não me destes de comer”. Quando aquele que liberta está preso? Quando o pão da vida tem fome? Jesus está preso quando vive na vida de pessoas que sofrem a pena de Moisés, tem fome quando vive na vida de quem não tem resposta quando clama por justiça. Este Jesus preso deve ser visitado. Este Jesus faminto deve ser saciado. Não pior prisão do que a prisão sentimental. Quem os libertará?
Se o Filho vos libertar verdadeiramente sereis livres.
A solidão de Moisés, o bispo das tribos, líder de Arão, pela falta dos filhos, da esposa que com seu caráter agressivo e desobediente volta com seu pai. Não era a primeira vez (Êx 12:1).
Depois disso haverá um sentimento de ódio contra Israel por causa disso. Vemos estampado sobre este sentimento em Números 25. Especialmente nos versos 6-18. A separação de Jetro que volta para Midiã acontece no capítulo 10, no capítulo 25 Deus manda ferir os Midianitas. Como você crer que estava o coração de Moisés, pai de dois midianitas? (Num 25:16). Tudo isso aconteceu porque Moisés não tinha autoridade para repreender a um jovem que tomou a uma midianita. Que iria dizer? Ele havia se casado com uma? (Num 25:6). Há preços que uma pessoa paga no ministério por não ter um Finees que veja conforme o coração de Deus, e destrua o mal que entra no meio do povo (Num 25:7,8).
Voltando ao capítulo 12 de Números, verso 1, vemos que Miriã e Arão, como membros de sua família deveriam entender a situação de seu irmão; considerar a honestidade de seu ministério e de seu exemplo de fidelidade até aquele momento. Os frutos de seu ministério haviam sido aprovados por Deus.
Na consideração psicológica e ministerial de Arão Moisés, pelo fato de ter tomado uma mulher como esposa em lugar de Zípora, está caído.Moisés não adulterou com ela para depois tomá-la como esposa, e isto é o que geralmente acontece. Não.
Mesmo assim, Moisés estava caído na concepção deles. Agora eles estavam preparando caminho para assumirem a posição de liderança do povo, em conseqüência da recente queda de Moisés...  Observem que eles não eram estranhos, eram seus irmãos de sangue. Haviam visto tudo o que Deus havia feito através de seu irmão, Moisés. Veja que os inimigos do homem são os da sua própria casa.
A primeira atitude que tomam as pessoas quando encontram-se em situações semelhantes é questionar a unção de Moisés, e comparar a habilidade espiritual a fim de justificar um golpe de estado ministerial (Num 12:1-3). “Deus tem falado somente por Moisés? O senhor porventura não fala através de nos?”
O assunto está em que Deus ouviu e viu a murmuração deles. Viu a sutileza de seus corações e veio para julga-los.
Estar preparado para ser hipocritamente tratado, é um dos preços que uma pessoa que quer ver decidida sua demanda sentimental tem que pagar por anos. Moisés estava sendo julgado pelo seu ministério: Deus não fala mais. As pessoas pequenas não estão preocupadas enquanto o casal vive seus problemas, o muito que se escuta é: vamos orando, vamos orando. Quando há uma separação de fato e de direito, todos se importam, se importam demais, mas com a posição que poderia ser tomada: o lugar de Moisés. Nessas horas é que agente sabe quantos inimigos tínhamos pelo acampamento, quando numa única oportunidade demonstram como nos  respeitavam com a sua inveja. Arão e Miriã estavam se preparando para serem os “libertadores do Egito”, vejam só! Para isso era necessário derrubar todo o prestígio de Moisés como profeta, não importa se ele era seu irmão de sangue. Miriã havia ajudado a arca de juntos chegar ao palácio do rei, foi tipo do Espírito Santo, agora queria afundar o transatlântico com um sopro.
“E é porque tem outra mulher”. Disseram seus irmãos ministros. A dirigente do louvor e o sumo-sacerdote murmurando, preparando caminho para um golpe. Foi ai que interveio Deus. Chamou os três em audiência e fez questão de vir pessoalmente e nada de mandar anjos. “Vou resolver isto agora, e diante da tenda do testemunho.” Isto era coisa séria. O resultado seria fatal. Chegou irado. Desceu numa nuvem e ficou à porta da tenda. Quando os três foram convidados à tenda, ele já estava lá no meio da nuvem (Num 12:5). Foi um julgamento que os anjos quiseram ver. O assunto em pauta era: A mulher etíope de Moisés. Por que a tomou? O advogado de acusação: Arão. Assistente, Miriã. O reú: Moisés. O jurado, os anjos.
Antes de passar por ali, espíritos de lepra pediram permissão para tocar-lhes. O Diabo é sujo, ele acusa os irmãos (Ap. 12:10-12). Intriga de irmãos é com ele. Ele ama famílias desunidas. Quando o Anticristo assumir, a característica familiar será esta: filhos contra pai, irmão contra irmão.
A promotoria estava revestida de acusações. Moisés não falou nada.
- Fique aqui na tenda, Eti (é a que mulher dele não tem nome), vou regressar, disse Moisés.
Não espere ser julgado por Deus, os anjos e a Palavra requererão veredicto e o veredicto é morte, enfermidade, entrega a Satanás. Você tem que ser muito macho para enfrentar um juízo quando acusar um ungido de Deus. Deus não vai questiona-lo, mas ordenará o ataque. Se for forte prevalecerá, mas não sairá sem mancar como Jacó. Ele não admite outro tribunal que não seja o autorizado por ele para julgar ungidos. Arão e Miriã se sentiam no direito de formar um tribunal particular na mesa de sua tenda. A lepra rondava e não era a lepra simplesmente, eram espíritos familiares que desejam assumir através de suas injustiças o controle de  cadeias hereditárias familiares.
Moisés era um homem mui manso, mais do que todos que havia sobre a face da terra (Num 12:3). Ele havia aprendido muitas grandes lições. O Homem irrepreensível não é aquele que não erra, ou aquele que demonstra à Igreja certo grau de “santidade” franciscana. O homem irrepreensível é aquele que ninguém consegue repreende-lo, porque se auto-repreende. Não entenda isso como auto-disciplina, mas auto-repreensão. É concertar-se antes que outros publicamente venham a tomar partido de forma a contrariar-nos.
Deus veio e chegou logo dizendo:
“Ouvi agora as minhas palavras: se entre vós houver profeta, eu, o Senhor, a ele me farei conhecer em visão, em sonhos falarei com ele. Mas não é assim com o meu servo Moisés, que é fiel em toda a minha casa; boca a boca falo com ele, claramentee não em enigmas ; pois ele contempla a forma do Senhor. Por que não temestes falar contra o meu servo, contra Moisés? Assim se acendeu a ira do Senhor contra eles; e ele se retirou; também a nuvem se retirou de sobre a tenda; e eis que Miriã se tornara leprosa, branca como a neve; e olhou Arão para Miriã e eis que estava leporosa.” (Nm 12:6-10).
Quando a nuvem se retira é que vemos o quanto leprosos somos, quão branco estamos e sob a ira de Deus. Enquanto Miriã estava sob a nuvem, ainda que leprosa e sem saber, a lepra não foi vista. Quando a nuvem saiu, a lepra se manifestou de forma visível. Quantos não estão leprosos por dentro e escondem sua murmuração. Um dia a nuvem sairá da porta de sua tenda.
A fidelidade foi questionada. A fidelidade matrimonial foi questionada? Zipora estava em Midiã. Zípora iria ser julgada. As terras de Jetro seriam destruídas. A sedução de Midiã alcançaria o povo. Moisés foi o primeiro a sofrer. Mas nem todos são contra Moisés, não se engane. Haviam homens desconhecidos por nós por ali. Conheça-o: o sobrinho de Moisés,  Finéias.
 11. Finéias, filho de Eleazar, filho do sacerdote Arão, desviou a minha ira de sobre os filhos de Israel, pois foi zeloso com o meu zelo no meio deles, de modo que no meu zelo não consumi os filhos de Israel.
12. Portanto dize: Eis que lhe dou o meu pacto de paz,
13. e será para ele e para a sua descendência depois dele, o pacto de um sacerdócio perpétuo; porquanto foi zeloso pelo seu Deus, e fez expiação pelos filhos de Israel.
14. O nome do israelita que foi morto com a midianita era Zinri, filho de Salu, príncipe duma casa paterna entre os simeonitas.
15. E o nome da mulher midianita morta era Cozbi, filha de Zur; o qual era cabeça do povo duma casa paterna em Midiã.
 O texto citado pode trazer confusão ao leitor, mas me refiro a algo mais profundo, à ocasião em que Deus mandou ferir os Midianitas. Em Números 25, 6 mostra-nos que o israelita que tomou mulher midianita o fez à vista de Moisés e de todo Israel. O zelo de Finéias não respeitou preceitos de homens, ele respeitou a Deus. Sabia que as mulheres midianitas eram um laço, Haviam sido para Moisés. Moisés não tinha autoridade para resolver aquela situação, mas Finéias, em nome de Deus, tinha. Ele era amigo de Moisés. Por isso, aproveitou a oportunidade para ser sacerdote pactuado. Não há espaço para falar sobre isto. Mas as bênçãos por seu ato serão vistas em Ezequiel 40-48. Tudo isto aconteceu treze capítulos depois da rebelião de seu avô. Arão.
“Afligi vós os midianitas e feri-los”(v.17).
Agora observe comigo: que seria de Zípora, Gerson e seu irmão. Moisés, numa ocasião daquelas se via sem autoridade. Midiã o havia acolhido no ex;íclio, quando há oitenta naos se refugiou nos braços de Jetro. Mas por causa da chamada divina, dos preceitos e das doutrinas divinas Zípora perdeu a chama de seu amor, abandonou Moisés no início da carreira. Veio encontrar-se com ele somente depois que o povo havia passado o Mar. Não quis ficar com seu marido, amava sua parentela, nunca havia se comprometido com o chamado de seu marido. Somente agora, com o incidente do capítulo 25, depois que o povo ver mortos mais de 24 mil pessoas por causa de uma mulher midianita é que passaram a compreender o coração de Deus, sua tristeza e dor por causa do jugo desigual. Quando Moisés toma a sua mulher verdadeira, a etíope, com a permissão divina, e é abençoado por Deus que jamais questionou sua posição, Miriã sem entender muito bem, começa a murmurar. Somente depois na atitude de Finéias é que vemos que nem todos estão contra nós  e por causa de certas circunstâncias não se manifestam. Mas aqueles que se manifestam recebem bênção de um pacto eterno e jamais a lepra chegará a sua tenda.
Para que sintam como é duro o julgamento de Deus, como é duro aparecer num tribunal sem peitoral de juízo, principalmente quando temos uma acusação contra um servo de Deus fiel na sua casa.
Por que o juízo de Deus veio contra os dois: “contra eles”, mas somente Miriã ficou leprosa. As doze pedras podem não estar no peito, mas a uncão das doze pedras que formam o peitoram seguem com o ungido, mesmo que aparentemente não carregue no peito o peitoral. Isso quer dizer que a unção das doze pedras do peitoral e mais as duas pedrinhas urim e tumim que representam o Espírito Santo garantem a unção do ungido. Quando a ira de Deus se acendeu contra os dois, Deus estava tão irado contra eles que não tomou em conta a o peitoral que levava Arão.
O peitoral rebateu automaticamente a ira de Deus e Arão foi salvo. Isto quer dizer que nem as setas de Deus conseguem atravessar a escuderia do peitoral de juízo que Deus lhe deu para usar no seu sacerdócio.
Quando deus virou-se para traz, somente Miriã estava leprosa.
-         Ó, o peitoral, o peitoral!
Essa foi boa. Nem Deus pode atravessar a unção do peitoral de juízo que ele mesmo cria sobre seus ungidos. Quando mais um macumbeiro espiritual que se diz pentecostal e que ser dono da cocada preta na congregação, que sabe que a oração para ele não é comunhão com Deus, mas um elemento falso de feitiçaria, que sabe que sua reputação faz com que todos acreditem nele sem questionar, mas um dia a casa cai, cai sim! Quando a nuvem sair da tenda Miriã vai ser vista branquinha… e Moisés justificado orando por ela,  que Deus a cure da lepra.
Quando Deus viu que Arão estava limpo. Aí estava o assunto dos próximos capítulos. A Morte de Arão. Deus quis mata-lo. Dá um avisinho no capítulo 17. Manda pôr a vara junto com as outras varas, e a re-enverdece, faz que brote amêndoas, mostra-a ao povo e é colocada de novo no santíssimo. Arão iria ter sua autoridade renovada, o povo iria ver, mas iria morrer logo a seguir, porque Deus não tem prazer em que o seu ungido morra na vergonha de seu pecado. Oito capítulos depois morreu. Muitas vezes Deus  restaura o seu ungido e o mata em glória. Sabe por que isto aconteceu? Todo mundo no acampamento ficou sabendo da rebelião dos dois. A autoridade sacerdotal de Arão foi tocada e a de Moisés aumentou. Esta é a grande colheita que ceifa o injustiçado: o prestígio de Deus no nome dele; porque o povo sempre fica sabendo quem é aquele que recebe veredicto favorável. 
O aviso de Deus foi dado em Números 17, Miriã morre a seguir e Deus convida a Moisés que tire as roupas de Arão num lugar separado, no monte, e isto incluía o peitoral de juízo. Se puder, depois, leia Números 20:22-29. E depois conclua por você mesmo o que significa “e despe Arão e suas vestes, porque Arão morrerá” (v.25,26). Deus não pode matar o seu ungido enquanto em um lugar santíssimo, em separado do público carnal, não tiver entregue suas roupas e seu peitoral. O peitoral é a nossa salvação e o peitoral do sacerdote  do Novo Testamento tem muito mais pedras preciosas, pois o seu sacerdócio é segundo a ordem de Melquisedeque.

Aldery Nelson Rocha.

Os tipos de Fogo do altar do Senhor .



Fogo nos dá algo tremendo na palavra de Deus , a manifestação viva de Deus conosco “ 421 referências sobre a palavra fogo “
31 referências só no livro de levítico o fogo simboliza a presença de Deus


A) Foi em uma coluna de fogo que Deus ia diante do povo de Israel no frio do deserto
B) Foi com fogo que Deus destruiu a cidade de Sodoma e Gomorra
C) Foi com fogo que Deus utilizou Sansão para pegar as raposas e incendiar a seara dos filisteus
D) Foi com fogo que Elias destruiu seus inimigos que queriam o matar
E) Foi com tochas de fogo que Gideão derrotou o exército dos midianitas
F) Foi com Fogo que Deus recebeu o holocausto no monte carmelo , e derrotou os profetas de Baal
G) Foi com Fogo que Deus batizou os discipulos no dia de pentecoste, e as nações reberam o fogo
H) E vai ser com fogo que Deus vai trazer juízo a essa terra pois ele é um fogo consumidor , isso representa o fogo do Senhor

E a palavra do Senhor diz que o fogo arderá continuamente , Deus quer fazer ela arder na sua vida mais e mais

Por outro lado Altar significa ;  Altar - lugar de encontro com Deus , a bíblias menciona 322 referências sobre a palavra altar , o altar era o ponto culminante de encontro com Jeová . Altar fala de entrega total , como está seu altar diante do Senhor Deus ?


A) Abel tinha um altar diante de Deus
B) Noé tinha um altar diante de Deus
C) Abraão tinha um altar diante de Deus
D) Jacó tinha um altar diante de Deus
E) Moisés tinha um altar diante de Deus
F) Josué tinha um altar diante de Deus
G) Arão tinha um altar diante de Deus
H) Gideão tinha um altar diante de Deus
I) Samuel tinha um altar
J) Davi tinha um altar
K) Salomão tinha um altar
L) Zorobabel , Esdras , Neemias

Altar fala de concerto
Altar fala de sacrifício
Altar fala de Fogo e é sobre o fogo do altar que estamos falando


A Biblia fala que do altar do Senhor vem o fogo. O profeta Isaías recebeu brasa do altar de Deus , Ezequiel viu as brasa serem espalhadas na cidade ,do trono de Deus, João na revelação do Apocalipse viu o anjo espalhar fogo Ap 8 .5 e o anjo tomou o incensário, e o encheu do fogo do altar, e o lançou sobre a terra; e houve depois vozes, e trovões, e relâmpagos, e terremotos.

Vamos falar sobre os 3 Tipos de fogo do altar do Senhor

Deus quer manda r esse fogo para nós vai agora ajeitando, arrumando, concertando seu altar pois Deus há de se manisfestar com poder na sua vida

FOGO DE BENÇÃO.

1) FOGO PURIFICADOR – É o fogo que prova a joia preciosa , e Deus está tirando as sua impurezas pois ele quer que voce seja um vaso de ouro e prata , não de pau , madeira , de palha , mas sim de ouro e prata para ser usado nas mãos dele. Esse fogo tocou em Isaías também e ele recebeu a confirmação da sua chamada profética , Deus hoje quer te purificar , com fogo purificador , te deixar branco de glória .

2) FOGO CONSUMIDOR- É o fogo que consome , onde vai destroi , devasta , arrasa , mas esse fogo na vida do crente não consome , por causa da misericórdia de Deus , e por isso que eu e voce não somos consumidos . Mas esse fogo como eu disse ele quer destruir as doenças , as enfermidades os problemas , as angústias , a tristeza , a depressão ,os seus inimigos , os demonios que lutam contra tua vida, Deus já está mandando fogo e eles vão cair por terra.

3) FOGO DO AVIVAMENTO – fogo que aviva a sua obra , o Profeta Habacuque , queria esse fogo , o profeta Joel profetizou , em Pentecoste eles receberam , e hoje não é diferente , a não ser que voce não quer , saia da frieza espiritual , crente laudicéia , crente consul ,crente iceberg e entra no fogo , Deus quer nos avivar , Deus quer capacitar voce com poder e fogo do Espírito Santo , e derramar nas nossas vidas , voce quer , então prepara pois Deus vai mandar do céu, Jesus disse Eu vim mandar fogo sobre a Terra.



4) FOGO DE PALHA . -fogo que cresce muito rapido , mas logo se apaga.







O “fogo de palha” toma decisões por impulso, por favorecimento imediato, movido por alguma circunstancia ou para agradar outras pessoas, mas que na realidade não era a quilo que ele queria.
Temos que ser pessoas decisivas e firmadas em realidades, não em aparentes ilusões que só nos levam à lugares inseguros ou a um final derrotado e de tristeza, chamados de caminhos de morte, veja o que a Bíblia diz: “Há caminho que parece direito ao homem, mas afinal são caminhos de morte.” Provérbios 16:25. O “fogo de palha”não toma decisões sábias e concretas vindas da parte de Deus, mas, toma segundo a sua própria imaginação, voltada para sua satisfação própria e egoísta. O que mais caracteriza o “Fogo de Palha” é que ele não tem paciência, tem uma mente curta, como podemos comparar à mentalidade da galinha, somente enxerga o que momento, ou seja, não tem sonhos quanto ao futuro, vive somente o presente.
Creio que agora mesmo esta pensando em alguns fogos de palha que surgiram e já acabaram , ou melhor apagaram .


05) FOGO ESTRANHO . fogo desconhecido , fogo que é banido por DEUS.

“Ora, Nadabe, e Abiú, filhos de Arão, tomaram cada um o seu incensário e, pondo neles fogo e sobre ele deitando incenso, ofereceram fogo estranho perante o Senhor, o que ele não lhes ordenara. Então saiu fogo de diante do Senhor, e os devorou; e morreram perante o Senhor.” Números 10:1,2

O Senhor escolheu um pai e seus filhos para serem sacerdotes em Seu tabernáculo. Disse-lhes o que deveriam fazer, qual era a tarefa de cada um, como deveriam estar vestidos, como deveriam apresentar as ofertas e sacrifício no altar do Senhor.

Deus fez mais ou menos como sua mãe faz em casa, distribuindo as tarefas que cada um deve fazer como quem vai lavar a louça ou quem vai levar o lixo, ou ainda quem vai varrer o quintal.

De repente, dois dos filhos de Arão, Nadabe e Abiú resolveram fazer algo que Deus não os havia mandado fazer. Tomaram seus incensários e colocaram fogo neles.

Antes de continuarmos, vamos ver se você sabe o que é um incensário. É uma vasilha onde se coloca essência aromática ou óleo perfumado e se coloca fogo para que a fumaça perfumada se espalhe no lugar onde é colocado.

Muito bem, agora que você entendeu isso, vamos ver o que aconteceu.

Por fazerem algo contrário àquilo que o Senhor lhes havia mandado fazer, saiu fogo de diante do Senhor e os consumiu. Nadabe e Abiú morreram queimados pelo fogo do Senhor, por terem trazido fogo estranho ao Seu altar.

Agora vamos tentar entender o que é um fogo estranho para Deus. É tudo aquilo que está fora dos princípios que Ele nos deu. Quando assistimos a filmes de bruxaria, feitiçaria, violência, e depois subimos no altar do Senhor para tocar, cantar, dançar ou ministrar, estamos trazendo ao altar do Senhor fogo estranho. Não estamos em santidade como o Senhor ensinou. Quando nos contaminamos com as piadas indecentes dos nossos colegas, as fofocas, as novelas, e vamos à presença do Senhor, estamos cheios de fogo estranho em nossa alma, entendeu?

O que aconteceu com os filhos de Arão? Foram mortos!

E o que acontece conosco?

Provavelmente você está pensando: Ah! Mas hoje ninguém morre mais porque desobedeceu a Deus. Será mesmo?

Hoje podemos até não ver morte física, mas quantos problemas vêm por desobediência aos princípios de Deus. Quantos jovens morrem no trânsito por desobedecerem à ordem de não andar em alta velocidade; quantas pessoas morrem de câncer por causa de cigarro; quantas crianças estão nas ruas cheirando cola ou usando outros tipos de droga por causa de colegas que os levaram para esse mau caminho. E tantas outras situações que você vê diariamente na sua rua ou na televisão.

Deus mandou que se fizesse uma faixa e nela escrevesse “Santo ao Senhor” (Êxodo 39:30) e colocassem na testa de Arão e seus filhos, como uma forma de eles lembrarem sempre que não poderiam estar na presença do Senhor se não estivessem em santidade.

Quem está em santidade está em obediência aos princípios do Senhor não apresenta fogo estranho diante dEle.

Hoje não tem faixa amarrada na testa para nos lembrarmos que o Senhor nos quer santos diante dEle, mas temos o Espírito Santo que nos ensina, nos corrige e nos lembra de quem nós somos para o Senhor.

Seja santo! Não leve fogo estranho ao altar de Deus


VIA GRITOS DE ALERTA.

OS TRÊS TIPOS DE PASTORES DOS DIAS ATUAIS .

obs. por ser um tema enorme , vou colocar apenas um resumo básico .

Meditando em Lucas 10, versos do 30 ao 37 me deparei com uma passagem muito atual , mostrando claramente o que vem acontecendo em muitas igrejas nos dias de hoje .
No versículo 30 me deparo com uma situação de um homem que viajando fora atacado por ladrões .
O viajante ferido e roubado encontrava-se longe de casa e da família, quando de súbito necessitou ajuda urgente. E onde se encontrava, dependia da assistência do primeiro estranho que ali passasse. Corria grande perigo e, sem ajuda, não teria sobrevivido.
O homem  desta parábola caminhava numa estrada isolada entre Jerusalém e Jericó. Era uma estrada sinuosa que, 30 km mais longe, descia cerca de 900 metros de Jerusalém até ao vale do Jordão. Devido os muitos buracos no chão, o viajante muitas vezes encontrava-se fora da vista dos outros  viajantes , pois precisava se desviar , e por isso as vezes saía da estrada ´principal . Por isso era fácil aos ladrões pois se escondiam  ao longo do caminho para  atacarem e roubarem quem passava. O homem da parábola foi atacado e quase morto , foi espancado , sendo-lhe roubado tudo quanto levava consigo. O ferido, que nem sequer se podia pôr de pé e continuar a viagem, foi abandonado à beira da estrada.
O que ele precisava naquele momento era de ajuda e não de palavras.
Existem os que somente falam , são bons na palavra , mas fracos no socorro , e roubam o direito de ajuda ao qual muitos tem.
Bem, sabemos que existem ladrões em todos lugares , mesmo até onde não imaginamos .

(Em algumas igrejas nos deparamos com alguns , tipo ...

LADRÕES DE UNÇÃO = AQUELE QUE DERRUBA UM LÍDER PARA ASSUMIR O POSTO DELE , AQUELE QUE COM MEDO DE VER O OUTRO CRESCENDO MAIS AINDA , FAZ DE TUDO PARA O DESTRUIR E O DEIXAR CAÍDO .

LADRÃO DE RECURSOS = AQUELE QUE VIVE DE ROUBAR RECURSOS ORIUNDOS DE CAMPANHAS , OFERTAS E DÍZIMOS PARA SEU PRÓPRIO GASTO.

LADRÃO DE FÉ = AQUELE QUE VIVE DESTRUÍDO A FÉ DE QUEM ACREDITA , MAS DEPENDE DO AVAL DELE , POIS COMO LÍDER DEVE SER RESPEITADO . etc)

O viajante estava , por algum motivo fazendo essa viagem , quando fora atacado .

É nesse ponto que quero analisar os três tipos de pastores que atuam nos dias de hoje.


PRIMEIRO = O SACERDOTE .

A palavra de Deus nos relata que naquele momento , descia pelo mesmo caminho  um sacerdote , que vendo aquela situação passou de largo .
Passar ao largo quer dizer:
Ao largo de. = 1. Longe de; a distância; afastadamente (Aurélio)

Portanto passar longe de qualquer lugar/coisa.


Vemos o sacerdote se desviando daquele homem , que machucado precisava de um socorro urgente .

A passagem que se refere ao papel sacerdotal como distinto do rei e de profeta (Dt 18:1-8) não define o papel nem prescreve os deveres dos sacerdotes. Isso pode ser prontamente compreendido; o papel, a seleção, a unção, os deveres e os privilégios dos sacerdotes tinham sido claramente apresentados antes. No coração do papel sacerdotal servem ao Senhor Deus no Tabernáculo, e mais tarde no templo de Deus e em outros lugares de adoração (Dt. 12,16). Eles pertencem ao Senhor Deus e o povo. Eles representam o povo diante de Deus, eles oferecem sacrifícios e de animais, cereais e incenso em favor do povo. Os sacerdotes são os intercessores perante Deus em favor de seus adoradores e servos. Moisés, quando descreveu os vários aspectos da vida civil de Israel, não somente reconheceu a presença do papel sacerdotal, como também estabeleceu que os detentores da posição sacerdotal tinham um papel legítimo na economia de Israel. Eles não possuíam terras (Dt 18:1) nem herança. Israel recebeu ordens de trazer sacrifícios para atender as justas necessidades dos levitas e sacerdotes, muitos deles mestres e expositores da Lei.

Existe um tipo de pastor que age dessa mesma maneira , pois ocupado com seus afazeres , se coloca como intocável , como aquele que não chega perto de ninguém e ninguém perto deles .
O tabernáculo era habitação de Deus e somente os sacerdotes podiam entrar ali.

Talvez acostumado com sua função , ele se coloca acima do bem e do mal e não quer saber de chegar até o homem caído , tinha sangue , estava machucado , não queria se contaminar.
Ele era sacerdote , vivia dentro do tabernáculo , então não poderia fazer nada .
Você conhece algum tipo de pastor que se coloca como o intocável , aquele que não pode fazer nada , aquele que vive pregando que ovelhas gera ovelhas , e que a função dele não é evangelizar , e sim somente ficar no altar ? Que vive de uma forma que apenas gosta de ser servido , mas não serve a ninguém ?  Eu aprendi que quem não vive para servir , não serve para viver.
Jesus é descrito de vários modos nas Escrituras. Ele é o bom pastor, o Pastor Supremo (João 10:11; 1 Pedro 5:4), Rei (Apocalipse 19:16; Atos 2:29-36), profeta (Deuteronômio 18:17-19; Atos 3:22-23; Lucas 13:33), Mediador (Hebreus 8:6) e salvador (Efésios 5:23). Cada uma destas descrições salienta alguma função que Jesus desempenha no plano da salvação. Talvez a mais completa descrição de Jesus com respeito a sua obra redentora seja a de sumo sacerdote , e como sacerdote celeste parou seus afazerem para nos socorrer.

SEGUNDO =  LEVITA

Levitas eram os membros da tribo de Levi, terceiro filho do patriarca Jacó. Formavam uma tribo separada, sem território, sem herança terrena porque gozavam do alto privilégio de ter o Senhor como seu quinhão, sua posse (Dt 10.9). Era a tribo dos sacerdotes (cohanim), descendentes de Arão, por sua vez descendente de Levi (Ex 29.44; Nm 3.10). Isso quer dizer que todo sacerdote (cohen) era levita levi), mas nem todo levita era sacerdote (Nm 3.6s).  



       Os levitas (leviim) tinham, entre outros privilégios:

  • servir no santuário (Nm 3.6; 1Cr 15.2) ajudando nos sacrifícios (Jr 33.18,22), na recepção de oráculos (Nm 3.38; 2Rs 12.9ss;
  • transportar a arca da aliança (aron haberith);
  • a responsabilidade do ensino da lei (Dt 31.9; 22.10);
  • autoridade para abençoar. Grande privilégio pela associação como o Nome de Deus (Nm 6.27).

         Gozavam os levitas de alto prestígio, de elevada estima aos olhos do Senhor a ponto de lhes ser dito pelo Senhor, "... os levitas serão meus" (Nm 8.14b). Por esse motivo, no deserto, quando da apostasia do povo de Deus, os levitas puniram os apóstatas (Ex 32.25-29).
         Deuteronômio 10.8 resume o ministério levítico, e nos aponta de modo sugestivo um plano de trabalho para nós mesmos, levitas da Nova Aliança: levar a arca da aliança, estar diante do Senhor e abençoar em Seu Nome.


Então como levita , ele se achou no direito de deixar aquele ferido caído ali , pois também não era a função dele socorre lo .

Quer dizer , eles não podem lavar banheiro da igreja , não podem participar da arrumação do salão , da ajuda , da doação etc.
São também da classe dos intocáveis .

TERCEIRO = O SAMARITANO


Samaritanos

       Vem da Samaria que chamava-se a principio Shamron que quer dizer lugar de vigília, guardiã, sentinela,
      
E parecia muito apropriada a uma cidade situada no alto de um monte. Possuía um vale muito fértil com bosques e terras boas para o plantio.
      
Eram desprezados pelos Judeus pelo fato de ser uma raça misturada com Babilônicos. E árabes. Estes elementos estrangeiros, levaram consigo a sua idolatria. Levantavam imagens de seus deuses nos lugares altos de Israel combinando a idolatria com o culto de Jehovah (Deus ).
      
Oculto pagão crescia e os judeus sentiam repugnância em manter relações sociais e religiosas com os samaritanos. E não permitiam a adoração deles no Templo de Jerusalém.
      
Eles então se insularam na Samaria e fundaram o seu próprio templo, sobre o monte Garizim e declaravam não pertencer a mesma raça. E agradavam aos estrangeiros mostrando desejo de que seu templo fosse dedicado a Júpiter. Defensor dos estrangeiros.
      
Mais tarde o motivo que levou os Samaritanos a receberem o Evangelho foi a pregação
       De Felipe através dos milagres operados por ele. Outro motivo , foi Jesus admitir –lhes os mesmos privilégios de que gozavam os Judeus convertidos ao Evangelho.


Certa vez Jesus disse: Graças te dou oh! Pai, porque os teus ensinos tu o revelastes aos pequeninos e humildes. E os escondestes aos sábios e orgulhosos.

 O que queria dizer Jesus com isso?
Que muitos, como o Fariseu , o Sacerdote e o Levita que eram os intelectuais da época ficariam sem entender a profundidade da filosofia Cristã ao passo que homens simples como o Samaritano que não tinha cultura , mas possuía um bem inestimável que era o coração bem formado para o amor ao semelhante.

        O Samaritano não perguntou, não investigou, não suspeitou, apenas ajudou. Não lhe interessou saber se o pobre irmão possuía esta ou aquela posição social esta ou aquela religião se era rico ou pobre. Somente viu nele um irmão necessitado de auxilio e mediato.
       
Então o Samaritano foi misericordioso . Não julgou mal, Foi paciente, foi benigno .Não se conduziu inconvenientemente, não procurou interesses pessoais, não se exasperou, não se sentiu superior, entristeceu-se com a injustiça .

Como diz o Apóstolo Paulo: O AMOR È O DOM SUPREMO.
       
O Samaritano não falava a língua dos anjos, não profetizou, não demostrou conhecer ciências e filosofias, e entretanto foi realmente o anjo do Próximo, como disse Jesus.O maior, Dom é o amor ,  e o Samaritano possuía esse Dom.

Hoje , conhecemos pastores que também tem esse dom , são homens e mulheres que amam de verdade , que dão a vida pelas ovelhas , que entram madrugada a fora , correm perigo , em quanto não veem suas ovelhas guardadas no aprisco .

.
Os 10 pastores que respeito e admiro


1- O que não é perfeito, mas que busca ser exemplo do rebanho  = Esse pastor sabe de suas limitações, sabe que não é melhor do que ninguém, sabe que é um pecador resgatado pelo sangue de Cristo. Ele, porém, sabe também da missão que Deus lhe deu e busca conduzir suas ovelhas no caminho dado pelo Supremo Pastor, sendo, antes de todos, o primeiro a vivenciar a Palavra de Deus em sua vida para testemunhar a outros. Ele tem todo cuidado nessa questão e pode-se ver em sua vida um homem que busca viver o evangelho e não somente falar dele. É humano, tem seus erros, e não faz questão de passar uma imagem de todo poderoso.
2- O que faz cultos cristocêntricos  = Esse pastor busca glorificar a Cristo nas ministrações que preside. Busca conduzir todas as coisas para que Cristo cresça e todo o resto diminua. Do primeiro ao último minuto de seus cultos busca apresentar a Cristo e conduzir as pessoas a Ele. É sensível ao observar e corrigir coisas que tentam competir com a centralidade de Cristo nos cultos.
3- O que não tem medo de pregar a Palavra de Deus = Esse pastor não faz média, antes, entrega a palavra de Deus conforme a Bíblia a revela. Ele não usa de técnicas melodramáticas para tocar o coração dos seus ouvintes. Ele busca antes de tudo, que o Espírito Santo revele a Palavra aos seus ouvintes, conduzindo-os à presença viva de Deus. Sabe que muitas vezes irá desagradar pessoas na sua pregação, mas é fiel às verdades que Deus lhe manda pregar.
4- O que não crê que os fins justificam os meios = Esse pastor é totalmente dependente de Deus em seu ministério. Ele conduz a igreja a andar nos caminhos corretos de obediência ao Senhor e não nos caminhos tortuosos que o coração humano propõe e que visam, antes de tudo, resultados que premiam o trabalho realizado. Para ele o mais importante é fazer a vontade de Deus usando os meios dados por Deus.
5- O que é obediente a Deus mesmo não vendo resultados palpáveis = Esse pastor gosta de ver os resultados de seu trabalho, porém, não é guiado por esses resultados. É guiado pela obediência e direção de Deus. Mesmo, às vezes, não vendo resultados pontuados pelas pessoas como o ‘sucesso’, continua sendo fiel e o pastor responsável por certo número de ovelhas dadas por Deus. Para ele, cumprir a missão de Deus não é encher a igreja de gente a qualquer custo, mas sim obedecer a Deus e confiar a Ele os resultados do trabalho, seja quais forem.
6- O que não faz a si mesmo o “bam-bam-bam” da igreja = Esse pastor sabe fazer suas ovelhas entenderem a diferença entre admiração e bajulação. Ele não aceita ser bajulado e até adorado como se fora mais do que os outros ou até mesmo um quase deus. Coloca-se na posição de servo, tem prazer de trabalhar em equipe e de ver suas ovelhas se desenvolvendo em seus ministérios, e sempre reitera que ele também é ovelha do rebanho de Deus. Não deixa o ego assumir o controle. Ele não é um ídolo dentro de sua igreja.
7- O que não explora financeiramente suas ovelhas = Esse pastor não é ignorante, não acredita que as dívidas da igreja são pagas como que por milagre. Ele sabe das possibilidades da sua igreja e não usa ameaças e nem promessas que a Bíblia não faz para que suas ovelhas contribuam com o trabalho. Ele sabe instruir corretamente sua igreja sobre o que a Bíblia diz a respeito das contribuições para o reino de Deus. Não faz dos momentos de ofertório o momento mais importante do culto e nem do dinheiro o deus e a confiança maior da igreja. Trabalha a parte financeira da igreja com dignidade, ética e transparência.
8- O que não tem medo de ensinar profundamente a Bíblia às suas ovelhas = Esse pastor não faz doutrinas em cima de textos isolados da Bíblia, por isso, não tem medo de ensinar suas ovelhas a serem questionadoras, estudantes profundas da Bíblia. Ele tem porta aberta ao diálogo e aos questionamentos. Por isso, os cultos que preside são banquetes de aprendizado e quebrantamento, onde a Palavra de Deus reina soberana como fonte de ensino e a regra de fé e prática. Por ser assim ele sabe que precisa sempre beber dessa fonte para também poder dar de beber cada vez mais aos seus discípulos.
9- O que ora sempre buscando em seus pedidos que seja feita a vontade de Deus em primeiro lugar = Esse pastor não ousa sequer pronunciar palavras de ordem a Deus. Ele sabe quem é Deus, sabe de Seus atributos grandiosos. E mais, sabe exatamente que ele é apenas um homem imperfeito, que está de pé pela graça de Deus. Por isso, em suas orações ele é dependente de Deus e não o chefe de Deus.
10- O que tem cheiro de ovelha = Esse pastor é pastor que pastoreia de verdade. A sua missão de vida é pastorear e não fazer fortuna com o rebanho vendendo suas peles e carnes! Chegue perto dele e sentirá o cheiro das ovelhas. Isso porque ele fica muito perto, ele acompanha, ele se preocupa com elas. Ele as ama de verdade, mesmo que elas não tenham nada para dar-lhe em troca. Ele as acolhe, ele cumpre seu trabalho cabalmente como bom trabalhador que não tem de que se envergonhar.
E VOCÊ, TEM ALGUM PASTOR QUE RESPEITA E ADMIRA?


BRISPO ROBERTO TORRECILHAS / GRITOS DE ALERTA / OBPC