segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

IGREJA NO DESERTO




O que é tipologia ?
A palavra "tipologia" é de origem grega. Deriva-se do substantivo typos, termo usado no mundo antigo para indicar :  a) a marca de um golpe; b) uma impressão, a marca feita por um cunho - daí o sentido de figura, imagem e c) modelo ou padrão, que é o sentido mais comum na Bíblia.
   Descrição – tipo de texto em que se faz um retrato por escrito de um lugar, uma pessoa, um animal ou um objeto. A classe de palavras mais utilizada nessa produção é o adjetivo, por sua função caracterizadora. Numa abordagem mais abstrata, pode-se até descrever sensações ou sentimento.
Na Bíblia o modelo é usado em dois sentidos distintos: (1) a correspondência entre duas situações históricas, tais como Adão e Cristo (cf. Rm 5.12-21); (2) a correspondência entre o padrão celestial e seu equivalente terrestre. Exemplo: o original divino por trás do tabernáculo terrestre (At 7.44; Hb 8.5; 9.24). Há várias categorias - pessoas (Adão, Melquisedeque), eventos (o dilúvio, a serpente de bronze), instituições (festas), lugares (Jerusalém, Sião), objetos (altar de holocaustos, incenso), ofícios (profeta, sacerdote, rei). "A tipologia bíblica, portanto, envolve uma correspondência análoga em que eventos, pessoas e lugares anteriores na história da salvação tornam-se padrões por meio dos quais eventos posteriores, pessoas, etc. são interpretados".

O que é um antitipo ?
Anti-Tipo é o cumprimento da pré-figuração, (gr antítypos) 1 Tipo oposto. 2 Teol Realidade de que um tipo é o símbolo profético: Cristo era o antítipo do cordeiro pascal. 3 Figuras que representa outra. antítipo é a realidade representada pela figura. Assim, Adão é o tipo e Cristo é o antítipo. O prefixo grego “antí” tem, pelo menos dois significados.
Ex: A expressão antisemita que tem o sentido de contra os semitas ( os judeus).
É um dos sentidos da palavra anticristo (I Jo.2:18), que significa contra cristo.
Mas o outro sentido da palavra “anti” é “estar no lugar de”, o que significa que o anticristo se apresentará para tomar o lugar de Cristo.
TABERNÁCULO A MORADA DE DEUS

“E me farão um santuário, e habitarei no meio deles.” (Ex 25:8)

O Tabernáculo – o tabernáculo foi erigido sob a liderança de Moisés, no deserto. E isso de conformidade com o modelo que lhe foi mostrado em visão, no monte Sinai. O tabernáculo era o lugar permanente da presença de Deus entre seu povo. “E o meu tabernáculo estará com eles, e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo”. (Ez 37:27) .
A PLANTA DO TABERNÁCULO
O tabernáculo tinha um comprimento de 100 côvados por 50 côvados de largura.
ÁTRIO:
Altar de Bronze
Pia de Bronze

LUGAR SANTO:
Altar de Incenso
Mesa dos Pães
Candelabro

SANTOS DOS SANTOS:
Arca (Vara de Arão, Tábuas da Lei, Maná)
Propiciatório
 O escritor aos Hebreus é ainda mais enfático quando declara que todos os detalhes do tabernáculo são “figura e sombra das coisas celestiais” (Hb 3:5) Quem olha para o tabernáculo vê:
-          Cristo
-          A Igreja
-          O Cristão

  “...Figura e Sombra... das coisas celestes” (Hb 8.5). 
Antiga Aliança

-          Altar de Bronze
-          Pia de Bronze
-          Candelabro
-          Mesa dos Paes
-          Altar do Incenso
-    Propiciatório (arca)



Nova aliança
Cruz de Cristo – o centro de toda a obra redentora. “Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado”. (I Co 2:2)   
O Templo de Salomão –  O templo de Salomão estava localizado na eira de Araúna, também chamada Omã (II Cr 3:1). Essa eira ficava no Monte Moriá, o local onde Isaque quase foi sacrificado por Abraão (Gn 22:2). Foi ali que Davi instalou o altar do futuro templo de Jerusalém (II Sm 24:24-25). Interessante notar que a madeira e as pedras foram preparadas de antemão (I Rs 5:18). O comprimento total do interior do templo era de, aproximadamente, trinta metros; a largura total era de, aproximadamente, quinze metros; e o Santo dos Santos ficava num nível superior ao do Lugar Santo.

O Segundo Templo – No segundo ano do reinado de Dario I, os profetas Ageu e Zacarias despertaram Zorobabel para que renovasse as suas atividades reconstrutoras (Ed 5:1). De conformidade com o decreto de Ciro, o templo de Jerusalém deveria ser reconstruído com trinta metros de altura. O templo foi completado no sexto ano do reinado de Dario I, no mês de Adar. Tornou-se conhecido como o Segundo Templo, e continuou servindo até o ano de 20 ªC., mais ou menos. Perdurou mais de cem anos do que o primeiro templo, o templo de Salomão.

O Templo de Herodes – O trabalho de reconstrução do santuário (o Lugar Santo e o Santo dos Santos), foi iniciado no décimo oitavo ano do reinado de Herodes (20-19 ªC.). As pedras usadas eram as pedras calcárias brancas, nativas da região, cortadas com precisão e polidas. A estrutura antiga foi removida até à rocha, deixando-a nua, e foram lançados novos alicerces. O Lugar Santo  tinha vinte metros de comprimento por dez metros de largura, e trinta metros de altura. No seu interior havia um candeeiro de ouro, a mesa dos pães da proposição e o altar do incenso. O Santo dos Santos estava separado do Lugar Santo por um véu, e sua dimensões eram de dez metros em quadrado, por trinta metros de altura.

A igreja no deserto:

A Igreja esta representada no Antigo Testamento por três Tipos Especiais:
1) Em Israel livre da Escravidão no Egito (Êxodo capítulos 12 a 15);
2) Na Peregrinação de Israel pelo Deserto;
3) Na Posse de Israel na Terra Prometida.
Na trajetória do êxodo ( saída) do povo de Israel no Egito, narra perfeitamente o acontecimento futuro da igreja, saindo do mundo( Egito), sua peregrinação, (Deserto) e conquistando a terra prometida, ( a nova jerusalém).O tabernaculo é o simbolo tipológico da igreja no antigo testamento, uma representação futura da igreja na dispensação da graça.  
O Tabernáculo foi uma estrutura física construída pelo povo de Israel,sob a supervisão de Moises, cerca 1450 A.C. O  Tabernáculo e os materiais de sua construção foram especificados em grande detalhe à Moisés por ordem de Deus no Monte Sinai, e isto a algumas semanas depois do povo de Israel ter saído do Egito (o Êxodo). O Tabernáculo foi uma construção portátil, feita por mãos hábeis e transportado por uma tribo (Os Levitas) através dos 40anos de peregrinação no deserto.                                                                                                                   QUEM ERA MOISÉS?
filho de Anrão, neto de Coate e bisneto de Levi. Sua mãe, Joquebede, era irmã de Coate. Moisés era três anos mais moço do que seu irmão Arão. Miriã, irmã deles, era alguns anos mais velha. — Êx 6:16, 18, 20; 2:7.
Moisés viveu 40 anos no Egito, enganado, achando que era neto de faraó, estudou nas melhores faculdades, não falava nada, vivia nos benefícios que o Egito lhe trazia.
O Egito é uma tipologia do mundo, um grande engano, ilusão, fantasia, a bíblia diz que o mundo jaz no maligno.

MOISÉS FOGE PARA O DESERTO (Ex. 2:12)
Certo dia Moisés se envolve em um assassinato, e foge para o deserto. Muitos pelas frustrações do mundo (Egito) correm para a igreja procurando socorro.
O deserto é uma tipologia da igreja. O deserto é o monte Horebe, o monte de 
Deus. saímos do mundo e viemos para a igreja procurando a Deus.                     

A SARÇA ARDIA EM FOGO, MAS NÃO SE CONSUMIA                                                  A sarça é um arbusto, uma árvore natural. Moisés via o fogo nesta árvore, porém ela não se consumia.
Um fogo que queima e não consome, só tem um: o fogo do Espírito Santo de Deus.
O verdadeiro avivamento é o fogo que ilumina e não consome.               
MOISÉS, UM TIPO DE CRISTO
E o personagem referido em maior número de livros da Bíblia. Seu nome aparece em trinta e um dos livros do volume sagrado e em 847 vezes. O historiador César Cantu disse dele: “Moisés, o maior homem que a humanidade conheceu".
E chamado: servo do Senhor (Êx 14.31); fiel em toda a sua casa (Nm 12.7 e Hb 3.5); homem de Deus (Dt 33.1); profeta que não teve igual (Dt 34.10,11); o escolhido de Deus (Sl 106.23) e outros títulos.
Como tipo de Cristo apresenta muitos pontos:
1. Ameaçado de morte e preservado por Deus (Êx 2.2-10; Hb 11.23). Jesus também (Mt 2.13-15).
2. Dominou a água do mar (Êx 14.21) - Jesus (Mt 8.26).
3. Alimentou uma multidão (Êx 16.15,16; Jo 6.31)- Jesus (Jo 6.11,12).
4. Teve seu rosto iluminado (Ex 34.35) - Jesus (Mt 17.1-5).
5. Os irmãos estiveram contra ele (Nm 12.1) - Jesus (Jo 7.5).
6. Intercedeu pelo povo (Êx 32.32) - Jesus (Jo 17.9).
7. Escolheu 70 auxiliares (Nm 11.16)-Jesus (lc 10.1).
8. Esteve a sós com Deus 40 dias em jejum (Êx 24.18) - Jesus (Mt4.2).
9. Andava com 12 tribos - Jesus com doze apóstolos.
10. Apareceu depois da morte (Mt 17.3) - Jesus (Atos 1.3).



A PEREGRINAÇÄO DE ISRAEL COMO UM TIPO DA VIDA CRISTÄ.
A escravidão no Egito. Um tipo da escravidão do pecado.
Moisés como libertador. Um tipo de Cristo.
O êxodo. Um tipo de abandono da vida de pecado.
O cordeiro da páscoa. Um tipo de Cristo, o cordeiro de Deus.
A perseguição de Israel por parte de Faraó, 14:8-9 um tipo das forças do mal que perseguem aos crentes.
A divisão do mar Vermelho, 14:21. Parte dos impedimentos é removida.
A coluna de nuvem e fogo, 14:19-20. Um tipo da presença divina com os crentes.
O cântico de Moisés, 15:1-19. Um tipo dos cânticos de vitória espiritual.
A multidão mista, 12:38. Um tipo da gente mundana na igreja.
Mara e Elim, 15:23-27. Um tipo das experiências amargas e doces da vida espiritual.
As panelas de carne, 16:3. Um tipo dos prazeres sensuais da vida passada.
O maná, 16:4. Um tipo de Cristo, o Pão da Vida.
A água da rocha, 17:6. Um tipo de Cristo, a Água da Vida, I Coríntios 10:4.
Sustentar erguidas as mãos de Moisés, 17:12. Um tipo da necessidade da cooperação entre líderes.
Na estrutura do tabernáculo - seus utensílios, suas ordenanças, as vestes sacerdotais, a arca da aliança, etc. - estão muitos tipos de Cristo e da igreja.
O MODELO DA NOSSA REDENÇÃO
Nada se constroe, - máquina, barco ou casa - sem que se elabore um plano e se esboce um modelo. Nossa salvação obedece ao plano elaborado por Deus antes da fundação do mundo, o modelo o encontramos em Êxodo. - "Êxodo é o quadro histórico que reflete a obra da Graça Divina na redenção e restauração do homem pelo próprio Deus e para Si mesmo, por meio de Jesus Cristo, nosso apóstolo (Moisés) e sumo sacerdote (Aarão)". A história do Êxodo vive em todas as almas que almejam libertar-se da influência corruptora do mundo. Partindo deste ponto, observa-se que o livro é humano desde seu primeiro até o último verso. Os fatos ai narrados são figuras e foram escritas para nossa admoestação. Estudamos o livro de Êxodo para compreender o método de Deus para salvação do pecador, e os gloriosos propósitos desse mesmo Deus na realização dessa tarefa.

Analisamos a luz das sagradas escrituras a mensagem que Deus,  nos deixou sobre a construção do tabernaculo, seus utencilios, sua trajetória e sua entrada em Canaã.No livro do exodo Deus disse a Moises no capitulo 25: 8 Os israelitas deverão fazer uma Tenda Sagrada para mim a fim de que eu possa morar no meio deles.
O Tabernáculo


O Verbo se fez carne
 João 1:1,2 No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus.O tabernaculo revela cristo encarnado , o verbo se fez carne.
A tenda  o (santuário) chamado também de tabernaculo é um tipo de cristo e também da igreja, como veremos mas adiante, percebemos que os seus utensílio representa cristo, em algum aspecto. Havia três entrada na tenda.
1)    A primeira entra dava para o átrio que ficava o altar do holocausto e a pia de bronze.
 
2)A segunda entrada dava no lugar santo e dentro dele havia o candelabro de ouro a mesa dos Paes da preposição e o altar do incenso.

  
3)Na terceira entrada dava no santo dos santos (lugar santíssimo) onde estava a arca da aliança.

Cada entrada revela-nos um segredo que fora exposto pelo apóstolo Paulo em suas epistolas.
Cada peça do tabernaculo tem um significado tipológico veremos a seguir:
O altar do holocausto - Jesus nossa sacrifico.    
A pia de bronze - Jesus o nosso purificador.
O candelabro - Jesus a luz do mundo.
A mesa dos pães da preposição - Jesus o pão  vivo que desceu do céu.
O altar do incenso - Jesus o nosso intercessor.
      A arca da aliança - Jesus o nosso salvador, simboliza a presença de Deus
João 14:6 Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida ninguém vem ao pai se não por mim.
1)    Na entrada que dava no átrio fala-nos de cristo o caminho, a porta das ovelhas .
2)    Na segunda que dava para o santo lugar Jesus é a verdade.
3)    E na terceira entrada que dava no lugar santissimo, ele é a vida

 I corintios 13:13 Portanto, agora existem estas três coisas: a fé, a esperança e o amor, mas o  maior destes  é o amor.
1)  No átrio Jesus é o autor da nossa fé. Nosso encontro  com o cristo no calvário de onde cremos por fé.
2)    No lugar santo Jesus é a nossa esperança onde obtêm mas comunhão, tambem o candelabro que nos da a luz para vermos, o pão que nos alimentar e o altar do incenso que é as nossas orações.
3)    No santo dos santos temos Jesus o amo.
       I Aos tessalonicenses5:23 Que Deus, que nos dá a paz, faça com que vocês sejam completamente dedicados a ele. E que ele conserve o espírito, a alma e o corpo de vocês livres de toda mancha, para o dia em que vier o nosso Senhor Jesus Cristo.
1)    Na entrada que nos leva ao átrio vemos a natureza humana de cristo o corpo aonde ocorreu o sacrifico.
2)    Na segunda entrada que da para o lugar santo, fala-nos da alma, a sede  das emoções, o nosso eu interior.
3)    No lugar que nos leva ao santo dos santos o espírito, que nos permite ter comunhão.

 As dez praga no Egito, demostra-nos o juízo que ocorrera após o arrebatamento da igreja a grande tribulação, o Egito era uma nação politeísta  (que tem a crença em vários deuses), assim como o mundo é politeísta. A nação de Israel estava peregrinando no Egito, como Deus falara ao patriarca Abraão no livro de Gen 15: 13:14 Então, disse a Abrão: Saibas, decerto, que peregrina será a tua semente em terra que não é sua; e servi-los-á e afligi-la-ão quatrocentos anos.  Mas também eu julgarei a gente à qual servirão, e depois sairão com grande fazenda. A nação de Israel era monoteísta. (que tem a crença no único Deus)  Deus havia feito a promessa, que iria visitar o seu povo e tira-los do Egito ,como falara ao patriarca Abraão,passados os quatrocentos anos Deus cumpri a sua promessa e levanta um libertador chamado Moises que fora educado na corte do Egito e instruído em toda a ciência do Egito. Moises é um tipo  libertou o povo de Israel do Egito, uma escravidão física, Jesus é o antitipo que nos liberta do cativo espiritual. João 8:36 Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livre   Gálatas 5:1 Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou e não torneis a meter-vos debaixo do jugo da servidão.
Na saída do povo de Israel do Egito narra a passagem bíblica que muitas outras nações estava subjugada pela política de escravidão que hávia no país, isso se percebe no livro de números no capitulo 11:4 E o vulgo, que estava no meio deles, veio a ter grande desejo; pelo que os filhos de Israel tornaram a chorar e disseram: Quem nos dará carne a comer ? Na passagem acima , que ora acabamos de ler de números 11:4 outras nações estrangeira estava saindo com a nação de Israel do Egito,conjecturo que aproveitaram a circunstancia, um Egito destruído pelo juízo de Deus. Essa nação dos midianitas e ismaelita (Vulgo, turba, populacho).Foram as que induziram Israel a pecar, E o vulgo, que estava no meio deles, veio a ter grande desejo; pelo que os filhos de Israel tornaram a chorar e disseram: Quem nos dará carne a comer? O apostolo Paulo diz que um pouco de fermento leveda toda a massa.
Ora vejamos o que Deus fala ao seu servo Moises no livro de Êxodo 16 na epigrafe assim diz (Deus manda maná). Então, disse o Senhor a Moisés: Eis que vos farei chover pão dos céus, e o povo sairá e colherá cada dia a porção para cada dia, para que eu veja se anda em minha lei ou não. E acontecerá, ao sexto dia, que prepararão o que colherem; e será o dobro do que colhem cada dia. obs: o povo de Israel era obstinado de coração desejaram, assim que saíram do Egito comer de um outro alimento essa tipologia do maná nos revela algo surpreendente, alimento do céu simbolizado pelo maná logo na saída se evidencia sua apostasia de abandonar a ordem de Deus e voltar a um lugar que acabara de estar como escravos .Mas tarde, quando o legislador, profeta e juiz e tambem sacerdote Moises, vai ao monte por ordem divina, antes mesmo de completar o tempo determinado por Deus ele recebe a ordem do Senhor para descer por que o povo já esta corrompido, num período de quarenta dias o povo já hávia se afastado de sua fé em Deus, êxodo 32 Mas, vendo o povo que Moisés tardava em descer do monte, ajuntou-se o povo a Arão e disseram-lhe: Levanta-te, faze-nos deuses que vão adiante de nós; porque quanto a este Moisés, a este homem que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe sucedeu. E Arão lhes disse: Arrancai os pendentes de ouro que estão nas orelhas de vossas mulheres, e de vossos filhos, e de vossas filhas e trazei-mos. Então, todo o povo arrancou os pendentes de ouro que estavam nas suas orelhas, e os trouxeram a Arão, e ele os tomou das suas mãos, e formou o ouro com um buril, e fez dele um bezerro de fundição.êxodo 33 ;7:8:9:10 Então, disseram: Estes são teus deuses, ó Israel, que te tiraram da terra do Egito. Então, disse o Senhor a Moisés: Vai, desce; porque o teu povo, que fizeste subir do Egito, se tem corrompido, e depressa se tem desviado do caminho que eu lhes tinha ordenado; fizeram para si um bezerro de fundição, e perante ele se inclinaram, e sacrificaram-lhe, e disseram: Estes são os teus deuses, ó Israel, que te tiraram da terra do Egito. Disse mais o Senhor a Moisés: Tenho visto a este povo, e eis que é povo obstinado. Agora, pois, deixa-me, que o meu furor se acenda contra eles, e os consuma; e eu farei de ti uma grande nação. Moises intercedeu pelo povo e Deus o senhor uso de misericórdia.:
Fica claro a fragilidade do homem mediante as ilusões do mundo, as coisas atrativas que o mundo nos oferece Jesus venceu o mundo em Matheus 4:8;9:10 a tentação no deserto satanás lhe diz: Novamente, o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostro – lhes, todos os reinos do mundo e a glória dele. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então, disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele servirás.Deus falou a Moises para que levantasse uma serpente de metal e todo aquele que fora acometido com a picada da serpente e olhar , para a serpente que esta suspensa na haste viveria. Hebreus 12:1;2 Portanto, nós também, pois, que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia e corramos, com paciência, a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus. A serpente na haste era um tipo do senhor na cruz, olhando nos para seremos salvos. Salmos 121: 1 Elevo os  olhos para os montes: de onde me virá o socorro?  meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra.

Números 21 A serpente e o escorpião no deserto tipifica, as lutas mas Jesus disse em Lucas 10: 19;20 Eis que vos dou poder para pisar serpentes, e escorpiões, e toda a força do Inimigo, e nada vos fará dano algum. Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos antes por estar o vosso nome escrito nos céus . nas águas amarga de Mara o povo não pode beber , Moises lança um tronco de arvore e as águas se tornam potável. O tronco simboliza a morte a natureza humana de cristo que se deu por nos. o povo no deserto murmura com Moises por causa da cede, Deus fala a Moises para tocar na rocha Moises fere duas vezes , Deus o reprova, a rocha tipificava cristo que foi ferido por nos, e nos deu de beber , da fonte que salta para a vida eterna.Na trajetória do povo no deserto, rumo a terra prometida. Deus fala a Moises que a geração de vinte anos para cima não entraria na terra que maná leite e mel , pela rebeldia e murmuração do povo. Jesus nos advertiu dizendo que os derradeiros seriam primeiro. Isso tipifica , representa os primeiros na fé pode ficar para traz sem salvação e os últimos a chegar na frente sendo os primeiros.O apostolo Paulo afirma que todos foram batizados na travessia do mar vermelho, simbolizando o que surgiria na dispensação da graça instituída por João batista , que veio com o batismo  para o arrependimento.haja vista que o batismo, já existia como forma de purificação no judaísmo. O povo de Israel no Jordão  passou com o pé enxuto (seco). Essa passagem tem um significado muito importante que representa um novo nascimento na pessoa de Jesus cristo. Em João 3:3;4;5 Jesus respondeu e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Porventura, pode tornar a entrar no ventre de sua mãe e nascer? Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus. A igreja esta no mundo mas não pertence o mundo ela é o sal da terra e a luz do mundo. Salmos 34:19 Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor o livra de todas J.Na epistola de João 2:15: 16: 17 Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.Matheus 24;35 O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.Como já falamos mas acima o Egito tipifica o mundo, O rei do Egito Faraó Tipifica o diabo  aquele que oprime as nações (mundo).Jesus diz: Se o mundo vos aborrece, sabei que, primeiro do que a vós, me aborreceu a mim. João 15:18: 19 Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas, porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos aborrece. A mensagem verdadeira e sem rodeios de um homem que veio para endireitar o caminho para o Senhor. "Naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia e dizia: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus" (Mt 3.1-2). João Baptista ou João Batista, também chamado de João, o Batizador foi um pregador judeu, do início do século 1, citado por inúmeros historiadores, entre os quais estão Flávio Josefo e os autores dos quatro evangelhos da Bíblia. Segundo a narração do evangelho de São Lucas, João Batista era filho do sacerdote Zacarias e Isabel, prima de Maria, mãe de Jesus. Foi profeta e considerado pelos cristãos como o precursor do prometido Messias, Jesus Cristo. Batizou muitos judeus, incluindo Jesus, no rio Jordão, e introduziu o batismo de gentios nos rituais de conversão judaicos, que mais tarde foram sustentados também no cristianismo. Esta igreja formada por João Batista tinha uma mensagem forte e ungida pelo Espírito. Os judeus acreditavam na previsão de Daniel a respeito do Messias, e consideravam que a chegada desse prometido iniciaria uma nova época – a do Reino do céu. A Igreja teve seu início no deserto, de uma forma incompreendida pelo mundo e ainda hoje sobrevive “no deserto”. Ela é um projeto de Deus que foi planejado antes da fundação do mundo e foi revelada a nós nestes “últimos dias”. No grego, a palavra igreja, é “ekklesia” cujo significado literal é “tirados para fora”. A Bíblia nos revela que “o mundo inteiro jaz no maligno” (I Jo 5:19), isto é,  a humanidade é passivamente controlada pelo diabo e seus anjos . Deus tirou para fora do mundo a Igreja – o seu povo chamado de “nação santa”, “sacerdócio real”. O diabo tem acesso ao mundo, mas “as portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja” (Mt. 16:18b). Ela tem de Deus a benção, a proteção, o amor, a sua presença, pois Jesus afirmou que ele andaria no meio da Igreja e o Espírito Santo a conduziria até o seu arrebatamento, quando a levaria para o céu. O texto de Mateus 3, nos revela que ela foi fundada no deserto pois, João Baptista, “Voz do que clama no deserto” foi o precursor de Jesus e a sua mensagem era: “arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus”. (Mt. 3:1-3). Jesus também pregava essa mensagem por onde ia, nas ruas, sob árvores em barcos, no deserto, em jardins, apesar de existirem muitas Igrejas naquela época (o templo e as sinagogas), mas Ele não “cabia” dentro delas e “o deserto” se tornou à sala principal da operação de Deus em todos os tempos. A Igreja de Deus na terra é muito mais importante para a humanidade do que foi a arca para os antes-diluvianos. Naquela ocasião, Deus anunciou o fim e disse a Noé que construísse uma arca para que Ele preservasse a vida na terra. Foram cento e vinte anos e sete dias antes que Deus aplicasse o juízo e quem entrou na arca foi salvo (Gn. 6 e 7). Jesus também alertou sobre o final dos tempos, quando voltará numa hora em que menos esperamos (leia Mt. 24:36-44) e a Igreja é “a arca” da salvação. Sabemos que Igreja hoje não é o edifício, mas a reunião de cristãos de todos os tempos e de todos os lugares, constituindo o “Corpo de Cristo”. Escrevi resumidamente sobre alguns trechos que nos revela segredos do tabernaculo que prefigura Jesus e o próprio crente, a tipologia é um assunto muito vasto no antigo testamento.
O objetivo dessa apostila é demonstrar como a igreja que é um antitipo do tabernaculo, Assim como o mesmo sairá do Egito do (mundo) faz sua trajetória e peregrina no (deserto) e entra no repouso, (Jerusalém celeste) heb 4:9 Portanto, resta ainda um repouso para o povo de Deus.O repouso que o povo de Israel obteve foi transitório e terrestre mas a igreja terá um repouso eterno na nova jerusalém apoc 21:1 Então vi um novo céu e uma nova terra. O primeiro céu e a primeira terra desapareceram, e o mar sumiu.
2 E vi a Cidade Santa, a nova Jerusalém, que descia do céu. Ela vinha de Deus, enfeitada e preparada, vestida como uma noiva que vai se encontrar com o noivo.
3 Ouvi uma voz forte que vinha do trono, a qual disse: — Agora a morada de Deus está entre os seres humanos! Deus vai morar com eles, e eles serão os povos dele. O próprio Deus estará com eles e será o Deus deles.






CARLOS NASCIMENTO / GRITOS DE ALERTA

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...