segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Marcha Pró-vida Reúne 40.000 Pessoas em San Francisco

pro-life-west-coast-christian-postO evento da Caminhada pela Vida da Costa Oeste, no sábado, superou as expectativas dos organizadores, ao reunir uma multidão de 40.000 pessoas, um número recorde.
  • (Foto: The Christian Post Tsuei / Hudson)
    Mais de 40.000 pessoas participaram do evento 7º Caminhada anual pela Vida costa oeste, sábado, 22 de janeiro de 2011, em San Francisco, Califórnia.
Dezenas de milhares de ativistas pró-vida lotaram o Justin Herman Plaza, no centro de San Francisco para participar da caminhada de 2,5 quilômetros ao longo da orla durante a sétima caminhada pela vida Walk for Life West Coast. A caminhada foi realizada no 38º aniversário da decisão na Suprema Corte dos EUA no caso de Roe v. Wade, que legalizou aborto.
"Estamos aqui para quebrar a escravidão da cultura da morte," disse Dolores Meehan co-presidente da Walk for Life.
A rota de caminhada começou no Justin Herman Plaza, no centro de São Francisco e terminou na Marina Green à vista da ponte Golden Gate. A linha de caminhantes se estendeu ao longo de um quilômetro de comprimento. Durante a Hora Santa do Nascimento de Jesus por volta do meio-dia, os caminhantes oraram para os bebês abortados.
Grupos como Silent No More, Priests for Life, Lutherans for Life, e Anglicans for Life entraram na caminhada para lembrar os abortados, partilhar seus testemunhos, e orar pelo fim do aborto.
Os participantes ouviram de Abby Johnson, ex-diretor de uma clínica da Planned Parenthood (Planejamento Familiar), no Texas que deixou o emprego depois de assistir a um aborto guiado por ultra-sonografia. Johnson, hoje um ativista pró-vida, disse que ela já não escolhe honras quando se trata de aborto.
"Vocês são a nova geração do movimento pró-vida e posso dizer-lhe que a Planned Parenthood está tremendo nas bases," disse Johnson.
Homens e mulheres que abortaram seus bebês também compartilharam suas histórias.
"Temos que acabar com este massacre," proclamou o reverendo Brian Walker.
Walker e sua esposa Denise abortaram uma criança de quatro meses antes de seu casamento. Ele disse que era imaturo na época. Agora, os Walkers, ambos Afro-Americano, dizem às pessoas que o aborto é um desserviço para a comunidade negra.
"Perdemos cerca de 40 por cento da nossa população para o aborto," enfatizou Denise.
Em todo o país, o Presidente Barack Obama, um auto declarado defensor da escolha, também reconheceu o aniversário da controversa decisão jurídica em um comunicado.
"Hoje marca o 38º aniversário da Roe v. Wade, a decisão da Suprema Corte que protege a saúde das mulheres e a liberdade reprodutiva, e afirma um princípio fundamental, que o governo não deve intrometer-se em assuntos familiares privados," declarou ele.
Ele tentou equilibrar a sua declaração, dizendo que está empenhado em evitar gravidezes indesejadas, apoiando às mulheres grávidas e mães, estimulando relacionamentos saudáveis, e promovendo a adoção.
Mas os oponentes do aborto dizem que a prática é uma falsa resposta para os problemas sociais da gravidez na adolescência, o abandono das crianças, e o abuso sexual.
"Nos últimos 32 anos, o aborto tem sido vendido como uma solução para os problemas sociais enfrentados pelas mulheres. Durante esse tempo, os defensores do aborto têm colocado as mulheres contra seus filhos - forçando-nos a uma situação sem saída," disse Sally Winn, vice-presidente do Feminists for Life of America, em um comunicado.
Ela continuou: "O aborto não é uma solução, mas uma reflexão de que nós não conhecemos as necessidades das mulheres. As mulheres merecem o melhor."
A Walk for Life West Coast foi fundada em 2005 por um grupo de moradores de San Francisco da Bay Area. Segundo o site, a missão da caminhada é mudar a percepção de uma sociedade que acha que o aborto é a resposta.
No ano passado, a caminha pela vida Walk for Life West Coast Coast atraiu mais de 35.000 pessoas.
A caminhada pró vida da Califórnia vem dois dias antes da maior marcha pela vida, a March for Life em Washington, D.C., na segunda-feira. Os organizadores do evento de D.C. estão esperando uma multidão superior à contagem do ano passado de 300.000 participantes.

Fonte Cristian Post

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...