terça-feira, 10 de março de 2015

Franklin Graham critica Obama e diz que presidente é influenciado pelo Islã

A forma como o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, tratou o primeiro-ministro israelense na semana passada fez com que o pastor Franklin Graham viesse a público criticar o líder político e acusá-lo de ter influências muçulmanas em seu governo.
Benjamin Netanyahu esteve nos Estados Unidos a pedido dos republicanos dizendo ao país norte-americano que não aceitasse negociar com o Irã a respeito das armas nucleares, mas Obama rejeitou o pedido e ironizou a presença no premiê israelense.
Esse foi o ponto principal para as declarações do Franklin Graham. “Há muçulmanos que têm acesso a ele na Casa Branca. Vemos o primeiro-ministro de Israel sendo esnobado pelo presidente, pela Casa Branca e pelos democratas, por causa da influência do Islã. Eles odeiam Israel e odeiam os cristãos, e assim a tempestade está chegando, eu acredito.”
O filho de Billy Graham, conferencistas cristão de muita influência na política americana, relembrou o passado de Barack Obama que é filho de muçulmano e foi criado em uma escola islâmica quando morava na Indonésia. “Sua influência quando jovem foi o Islã, não foi o cristianismo”, disse.
Graham foi além e disse que essa ligação com o Islã impede Obama de se posicionar contra o Estado Islâmico, grupo terrorista que tem matado milhares de cristãos na Síria e no Iraque. “A verdade é que seus assassinos bárbaros disseram abertamente que os mataram porque eles eram o povo da cruz. Porque é que o presidente continua protegendo o Islã e se recusando a abrir os olhos para a verdade?”, questionou.
Essa não é a primeira vez que o passado de Obama com o Islã é colocado em pauta, em outras vezes o presidente precisou dizer que é cristão e que ser ligado a uma religião diferente do cristianismo não é uma coisa ruim.
“Em nossas vidas, Michelle e fomos fortalecidos pela nossa fé cristã. Ainda assim, a minha fé tem sido questionada por pessoas que não me conhecem. Eles dizem que eu aderi a uma religião diferente, como se isso fosse, de alguma forma, uma coisa ruim”, afirmou Obama em outra ocasião.





Com informações Guia-me

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...