domingo, 17 de abril de 2016

Igrejas Assembleia de Deus continuam a se enfrentar em batalha judicial


A defesa da igreja Adna-BR (Assembleia de Deus Nova Aliança do Brasil), entrou com pedido de providências em ação que move contra a Igreja Evangélica Assembleia de Deus Nova Aliança, fundada pelo vice-prefeito de Campo Grande (MS) afastado, Gilmar Olarte (PP). A alegação é de que a decisão da juíza Silvia Eliane Tedardi da Silva, da 2ª Vara Cível de proibir que o pastor use a marca e o nome, proferida no final do ano passado, não está sendo respeitada.
Imagem redimensionadaPor isso solicita a aplicação de multa diária de R$ 5 mil fixada pela magistrada em caso de descumprimento. Além disso, argumenta que até hoje não foi apresentada argumentação por parte da requerida, portanto quer o julgamento dos autos como estão.

“Considerando a necessidade de preservação da honra objetiva e da imagem da Requerente, Requer que Vossa Excelência determine ao Cartório de Registro de Pessoas Jurídicas que proceda a alteração do Estatuto da Ré, retirando qualquer menção à marca registrada ADNA, assim como aos símbolos que a distinguem”.

Também pede “a retirada da marca registrada Adna das fachadas dos templos sob sua administração, tanto no templo central, nesta capital, quanto nos templos das congregações nesta capital e no interior deste Estado (frise-se que no interior do Estado são vinte e dois templos)”.

Confusão

A defesa da igreja usa, ainda, matéria veiculada na semana passada sobre um pastor preso por aplicar golpes milionários em bancos e comércios de Campo Grande supostamente ligado à Assembleia de Deus Nova Aliança. Porém, integrantes do templo comprovaram por meio de lista oficial que o detido nada tem a ver com a Adna.


Fonte: MidiaMax

Nenhum comentário:

Com ataque à Globo, Domingo Espetacular debate a arte com apologia à pedofilia

Programa Domingo Espetacular, na Record TV O debate sobre as exposições de arte com apologia à pedofilia e outros temas no Brasil marc...