segunda-feira, 13 de junho de 2016

Pelo menos 224 civis morreram na Síria na primeira semana do Ramadã

Agencia EFE
13/06/2016 07h59 - Atualizado em 13/06/2016 07h59

Pelo menos 224 civis morreram na Síria na primeira semana do Ramadã

Número foi divulgado pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos.
Ramadã, mês sagrado muçulmano, começou no último dia 6 de junho.

Da Agência Efe
Pelo menos 224 civis, entre eles 67 menores de idade, morreram na Síria durante a primeira semana do mês sagrado muçulmano do Ramadã, que começou no último dia 6 de junho, em sua maioria por bombardeios da aviação síria e russa.
Socorrista chora ao carregar corpo de uma criança que morreu após ataque aéreo em área controlada pelos rebeldes na cidade Maaret al-Numan, na província de Idlib, no domingo (12) (Foto: Khalil Ashawi/Reuters)Socorrista chora ao carregar corpo de uma criança que morreu após ataque aéreo em área controlada pelos rebeldes na cidade Maaret al-Numan, na província de Idlib, no domingo (12) (Foto: Khalil Ashawi/Reuters)
O Observatório Sírio de Direitos Humanos informou nesta segunda-feira que os ataques sírios e russos deixaram 148 mortos, dos quais 50 eram crianças e 15 mulheres, enquanto 18 pessoas morreram pela artilharia do regime de Damasco.
Outros 15 civis morreram em bombardeios aéreos da coalizão internacional, liderada pelos EUA, e 12 em ataques das facções rebeldes e islamitas e do grupo terrorista Estado Islâmico (EI).
A supressão do Observatório indica que 13 pessoas perderam a vida pela explosão de um carro-bomba e um atentado suicida com um cinturão carregado com explosivos.
Quatro cidadãos sírios morreram por disparos dos guardas de fronteiras turcos, e três sob tortura nos centros de detenção do regime sírio.
A ONG também documentou que uma criança morreu devido à falta de tratamento médico, um homem foi executado pelo EI, e dez pessoas perderam a vida pela explosão de minas, disparos e outras circunstâncias.
"A santidade do mês do Ramadã não conseguiu dissuadir os assassinos para que cessem seus permanentes crimes contra os civis sírios", lamentou em comunicado o Observatório.
O jejum em Ramadã, junto à reza, o testemunho de fé, a esmola e a peregrinação à cidade santa saudita de Meca são os cinco pilares da religião islâmica.
Durante esse mês, os fiéis devem demonstrar devoção, piedade e generosidade com os demais, por isso que devem evitar a violência ou más condutas.


http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/06/pelo-menos-224-civis-morreram-na-siria-na-primeira-semana-do-ramada.html

Nenhum comentário:

Pastor é sequestrado e queimado vivo com as mãos amarradas, na África

Martin Beneke, de 45 anos, era pastor sênior e fundador da Life in Christ Network. O corpo de um pastor sul-africano foi encontrado tot...