terça-feira, 18 de abril de 2017

Jaguariunenses madrugam em frente ao posto Jardim Fontanella para tomar vacina da febre amarela

Febre capa 1563Sob chuva e frio, 150 pessoas se aglomeram no posto de saúde do Jardim Fontanella com guarda-chuvas e cadeiras para aguardar a vacina contra a Febre Amarela na madrugada desta sexta-feira (7). Em média, são disponibilizadas 90 doses de segundas e sextas-feiras, no período da manhã das 8h00 às 12h00 e à tarde das 13h30 às 15h30.

O cabeleireiro morador do Nassif, Divino Torres, de 50 anos, foi o primeiro a chegar às 00h25 para garantir a vacinação do filho de cinco anos. “Vamos para Minas Gerais daqui dez dias, meu filho é o único da casa que não está protegido”.
O posto do Fontanella é o único que oferece a vacinação na cidade. De acordo com o polo de saúde, a concentração das doses em único local se deve ao fato de que quando os frascos são abertos as quatro cápsulas devem ser utilizadas no mesmo dia para evitar desperdícios.
Apesar de ter saído muito cedo de casa, o líder de produção, Vagner Aparecido de Soares, de 39 anos, morador da Roseira de Cima se surpreendeu com a imensidão de pessoas ao chegar no Posto. “Não achava que chegaria a ser o último, sai de casa às 5h15 porque pretendo viajar para Capitólio, em Minas”.
Segundo a Secretaria de Saúde, foram aplicas 3000 vacinas contra a doença neste ano em Jaguariúna, em média 800 por mês. Até o momento nenhum caso de febre amarela houve na cidade. A pasta também afirma que realiza mapeamento diário, qualquer suspeita de casos positivos a população será alertada e a quantidade de vacinas disponibilizada será maior.
Aflito, o aposentado Oliveira Silva, de 63 anos, morador do Jardim Gastaldo, perdeu a dose na semana passada porque havia esgotado o estoque, que segundo ele a fila também estava gigantesca. “Vim semana passada e estava entre os últimos, porém entrou muita gente na frente e fiquei de fora”. Silva saiu de casa às 4h30 e pretende viajar nos próximos dias para São Lourenço, desta vez conseguiu garantir a prevenção.
Em comunicado oficializado na terça-feira (4), a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu Campinas (SP) na lista de cidades com recomendação para vacina contra a febre amarela aos estrangeiros que planejam vir ao Brasil. Em Souzas foram encontrados três macacos mortos pela doença.
Segundo a OMS, adultos que possuem uma dose da vacina registrada em carteira de vacinação é considerado imune para toda a vida, e, portanto, não necessitam de dose de reforço.
AMPARO
Na sexta-feira (7), a Secretaria de Saúde de Amparo confirmou o primeiro óbito por febre amarela no município neste ano, por meio do diagnóstico do Instituto Adolpho Lutz. De acordo com a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Vanessa Coelho, um homem de 69 anos se deslocou para áreas endêmicas de Minas Gerais e havia falecido no final de março.
Seis macacos morreram com a febre amarela na cidade. Assim como os humanos, os primatas não são transmissores diretos da doença, apenas receptores. O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos haemagogos e o sibethes infectados.
Em Amparo, desde 1° de abril, foram realizadas aproximadamente 24 mil doses de vacina de febre amarela. No sábado (8), está marcado o dia “D” de vacinação contra a doença em todas as Unidades de Saúde da Família, das 8h às 17h.
Os sintomas iniciais causados pelo vírus da febre amarela são calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. O índice de mortalidade nos estágios graves alcança de 20% a 50% dos doentes.


http://www.gazetaregional.com.br/?p=5841

Nenhum comentário: