sexta-feira, 19 de maio de 2017

Silas Malafaia defende impeachment de Temer horas antes da reunião marcada com o presidente



As declarações dadas por Joesley Batista, dono da JBS, comprometem a permanência de Michel Temer como presidente do Brasil. Já há milhares de brasileiros pedindo o impeachment do presidente e o pastor Silas Malafaia faz parte deste coro.

Após tentar manter a normalidade, o presidente Temer manteve a sua agenda desta quinta-feira. O peemedebista chegou ao Planalto pouco antes das 8h e, em seguida, se reuniu com o coordenador da bancada do Acre no Congresso Nacional, senador Sérgio Petecão (PSD), e parlamentares do estado. Por volta das 10 horas, toda a sua agenda do dia foi cancelada.

Com reunião marcada com o presidente para esta quinta-feira, onde discutiriam sobre a Reforma da Previdência, Malafaia resolveu pedir a saída de Michel Temer da presidência.

“Não adianta chorar! Comprovada a denúncia contra Temer, impeachment!”, escreveu o líder religioso no Twitter. Ele comentou também sobre as denúncias contra Aécio: “Contra Aécio, cassação!”.

Ciente que os deputados da oposição já entraram com pedidos de impeachment contra Temer, Malafaia afirmou que eles não têm moral para tal ato, pois foram contra a saída de Dilma Rousseff.

“O PT vai pedir a renúncia de Temer. Porque não pediram a renúncia de Dilma? Cambada de oportunistas que não tem moral para falar de ninguém”, declarou.

Contra o deputado Alessandro Molon, que protocolou o pedido de impeachment assim que o jornal O Globo noticiou as denúncias contra o presidente, Malafaia também fez ironias.

“Essa é a moral do deputado Molon> Foi contra o impeachment de Dilma, é o 1º a pedir o impeachment de Temer. Não tem moral! Cínico!”

Para Malafaia todos os deputados que foram a favor da saída de Dilma podem pedir a saída de Temer, os que foram contra não têm esse direito. “qualquer deputado tem moral de pedir o impeachment de temer, menos os deputados do PT, PSOL, Rede, PC DO B. Cambada de cínicos oportunistas!”

NÃO ADIANTA CHORAR! Comprovada a denúncia contra Temer, IMPEACHMENT ! Contra Aécio, CASSAÇÃO!




Governo corre atrás de evangélicos e católicos por respaldo a reformas

O apoio às reformas trabalhista e previdenciária pode não cair dos céus –já das igrejas é uma possibilidade no radar do Palácio do Planalto.

O governo Michel Temer intensificou o contato com líderes religiosos nos últimos meses, após detectar resistência ao tema por parte da Igreja Católica e de ministérios evangélicos —que juntos representam 80% da população brasileira.

O presidente ou emissários como o ministro Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) vêm povoando suas agendas com lideranças do meio.

Do lado católico: o presidente da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), dom Sérgio da Rocha, o embaixador do Vaticano no Brasil, Giovanni d'Aniello, e o arcebispo de Diamantina (MG), dom Darci Nicioli —que comparou a CLT "a uma senhora muito antiga que precisa de atualização", o que porém deve ser feito com "participação do povo".

Na seara evangélica, televangelistas como R.R. Soares, Valdemiro Santiago e Samuel Câmara. Nesta quinta (18) seria a vez de Temer receber no em Brasília Silas Malafaia, voz simpática às reformas —quando a trabalhista foi aprovada na Câmara, o pastor felicitou os deputados no Twitter: "PARABÉNS! [A nova lei] acaba com o império do sindicalismo. Os que não gostaram são os petralhas e esquerdopatas". 

Como já informado, toda a agenda do dia do presidente Temer foi cancelada.

À Folha o pastor aposta em Temer: "Alguém tem que fazer o jogo sujo e pagar o preço da impopularidade para não deixar o troço [Estado] quebrar em alguns anos". Está afinado com o bispo e ex-deputado Robson Rodovalho, da Sara Nossa Terra (ex-igreja de Eduardo Cunha).

"O remédio é amargo", mas "entendemos que as reformas são importantes para o equilíbrio financeiro do país", diz Rodovalho, que preside a Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil (uma entre várias entidades que falam pela classe, dada a descentralização do poder evangélico).

Malafaia e Rodovalho divergem da maioria da bancada evangélica na Câmara. Presidente da frente (com cerca de 90 deputados), Hidekazu Takayama (PSC-PR) diz que ainda não se convenceu a votar "sim" pela nova Previdência. Seus colegas, idem. "Hoje, a tendência é o governo perder."

O deputado Ronaldo Fonseca (Pros-DF), ligado à maior das Assembleias de Deus, o ministério Belém, afirma que "Temer é indigesto" para o fiel padrão. "A bancada tem muita penetração em camadas menos favorecidas. Esse povo está com medo, pois não vive de aluguel, de renda complementar. Vive de aposentadoria. Chega o governo com terrorismo, dizendo que [seus benefícios] vão acabar..."

O Planalto detectou uma pressão grande de religiosos sobre o debate, que estaria contaminado pela versão original da reforma da Previdência. Com lideranças, Temer e correligionários adotam o discurso de que o texto mudou, agora beneficia instituições filantrópicas ligadas a igrejas e se alinha à doutrina cristã.

A estratégia surtiu efeito, segundo avaliação do Planalto, que coleta menos relatos de críticas em missas e cultos.

O receio com mudanças que comprometam os mais pobres conduziu nota divulgada em março pela alta cúpula católica no país. O texto evoca passagem do Antigo Testamento ("ai dos que fazem do direito uma amargura e a justiça jogam no chão") ao criticar modificações na aposentadoria.

Em carta a Temer, o próprio papa Francisco disse que são sobretudo "os mais pobres" que pagam "o preço mais amargo" por "soluções fáceis e superficiais para crises", sem explicitar quais seriam estas.

Há duas semanas, Temer disse que a oposição vinha de "uma parte da CNBB e nada mais do que isso", apesar de assinarem notas contrárias às suas propostas o presidente, e o vice da CNBB. Também signatário, o secretário-geral da entidade, dom Leonardo Steiner, reconhece "visões [internas] diferentes", mas discorda que "a contrariedade seja apenas de parte do episcopado".

Voz dissonante : o arcebispo de SP, dom Odilo Scherer, defensor das reformas. "É necessário fazê-las e fazê-las bem."

Fonte: JM Notícia e Folha de São Paulo

Nenhum comentário:

Pastor diz que igreja está aberta para Naldo, se ele quiser

Jaime Soares, pastor da Assembleia de Deus de Bonsucesso, igreja da Zona Norte do Rio que era frequentada por Naldo Benny desde antes da...