quarta-feira, 27 de maio de 2015

Padre suspeito de desviar R$ 2 milhões de igreja em SP é preso

Osvaldo Palópito, tenente-coronel da Polícia Militar e ex-capelão da Igreja de Santo Expedito, teria bens incompatíveis com sua renda, como um apartamento duplex na Riviera de São Lourenço, praia em área nobre do litoral sul de São Paulo

Da redação
palopito.jpg
O padre Osvaldo Palópito, 60 anos, tenente-coronel da Polícia Militar e ex-capelão da Igreja de Santo Expedito, em São Paulo, foi preso na última segunda-feira (25), suspeito de improbidade administrativa e "crimes militares", segundo informações do jornal Folha de S.Paulo.
A prisão preventiva foi pedida pelo coronel corregedor da PM Levi Anastácio Félix, responsável pelo inquérito que investigava o pároco. Palópito é suspeito desviar R$ 2 milhões da Igreja de Santo Expedito, localizada na Luz, no centro da capital paulista.
 
Padre Osvaldo Paló, como é conhecido, tinha uma porção popstar. Tem seis CDs gravados e fazia shows. Ainda que tivesse uma carreira paralela à rotina paroquial, a Corregedoria da Polícia Militar identificou desproporção entre seu patrimônio e seus vencimentos. Entre seus bens estaria um apartamento duplex na Riviera de São Lourenço, praia em área nobre do litoral sul de São Paulo, cujo valor está na casa dos milhões. A Corregedoria recebeu denúncias há alguns anos, mas o inquérito só foi aberto no ano passado, após interceptações telefônicas e quebra de sigilo.
 
No dia 31 de janeiro, ele pediu transferência para a reserva. Com isso, mesmo que seja considerado culpado, conseguirá manter alguns benefícios.

Saiba mais na reportagem exclusiva "Os Escândalos do Padre Golpista", da revista ISTOÉ.

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...