quinta-feira, 11 de junho de 2015

FILHOS DO DIABO - Estado Islâmico ensina a decapitar cristãos, como `fins educacionais´

Objetivo é uma lavagem cerebral para fazer das crianças uma rede de jihadistas de últimas gerações

Estado Islâmico ensina a decapitar cristãos, como `fins educacionais´
Terroristas do Estado Islâmico (ISIS, por sigla em Inglês) na Líbia, decapitaram um membro do exercito cristão em uma praça, enquanto várias crianças assistiam e lhes eram ensinadas a matar os infiéis e apóstatas, um termo usado pelos muçulmanos para se referir aos cristãos e a todos aqueles que não praticam o Islã.
A execução brutal e selvagem aconteceu no porto da cidade de Derna, que foi tomado por militantes do ISIS em outubro do ano passado. E as imagens mostram o soldado Abdulnabi Shurgawi com vestimentas de cor laranja, ajoelhado na frente dos jihadistas em praça pública antes de ser executado.
Em uma segunda foto é mostrado um militante islâmico radical segurando a cabeça do soldado cristão, enquanto as crianças pequenas estão ao redor do corpo deitado no chão todo ensanguentado. Os terroristas disseram que a execução foi feita na frente das crianças para “fins educacionais”.
Acredita-se que o soldado foi capturado pelos radicais do Estado Islâmico (EI), no inicio da semana passada e acusado de “apostasia”, porque ele era um cristão e não praticava, e não aceitou se converter ao Islã.
Poucas horas após a divulgação das fotos nas redes sociais, um cartunista líbio anônimo publicou uma ilustração assustadora intitulada “Derna e o futuro de seus filhos.”
O desenho, o qual tem sido amplamente compartilhado nas redes sociais na Líbia, mostra m carrasco mascarado decapitando um homem de joelhos na frente de um grupo de crianças sorridentes. Cada criança tem uma faca, que tem por objetivo cortar a cabeça de uma boneca(o).
A ideia é que, com uma atitude insensível como esta de assassinato implacável, consigam com propaganda criminosa e anti-ocidental uma lavagem cerebral nas crianças, e assim o grupo radical ISIS está criando gradualmente uma rede de jihadistas de últimas gerações.

CPAD

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...