sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Lideranças políticas e evangélicas marcam abertura do 4ª Salão Internacional Gospel


Marcelo Rebello, organizador do evento, em conversa com Roberto de Lucena, secretário de Turismo do Estado de São Paulo. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo)
Na tarde desta quinta-feira (6) foi iniciada a 4ª edição do Salão Internacional Gospel, no Expo Center Norte, em São Paulo. Políticos e líderes religiosos foram destaques na abertura do evento, rodeada por diversos expositores e participantes.
Um dos organizadores do Salão Gospel, Marcelo Rebello, deu a primeira palavra: "O principal foco da nossa feira é fazer com que o Evangelho seja propagado", ressaltou Rebello. "Aqui não é só negócio. Aqui a presença do Espírito Santo existe."
Luciana Mazza, que também está à frente da organização, relatou sobre conquistas e dificuldades do processo de organização. "Houveram muitas lutas, muitas batalhas, muito joelho no chão e lágrimas diante de Deus. Desde o primeiro dia, pelejamos muito contra o diabo que nos atacou de diversas formas. Sofremos um acidente de carro grave, os bombeiros chegaram no local a procura dos corpos mortos", disse ela.
 
"Essa feira sempre vai acontecer para a honra e glória do nosso Deus. A evidência dos flashs são somente para Ele", apontou Mazza.
 
Depois de uma apresentação de balé, feita por um jovem casal da Companhia de dança Luciana Amancio, o prefeito de Ferraz de Vasconcelos, Acir Filló, agradeceu a Deus pelo testemunho de Mazza e elogiou a ativa atuação de Roberto de Lucena, secretário de Turismo do Estado de São Paulo, que foi ao evento como representante do governador Geraldo Alckmin.
 
Homenagem
 
Roberto de Lucena recebeu dos organizadores um quadro, com a pintura de uma pomba, que representa o Espírito Santo. Ele também ganhou, com exclusividade, o primeiro exemplar do Novo Testamento traduzido para o português diretamente do hebraico.
 
Agradecido, Lucena expressou o quanto era significativo estar nesta edição do Salão Gospel, que permaneceu mesmo em meio a um ambiente econômico e político desestabilizado. "Esse evento é fruto do sonho, orações e esforços de vocês. Eu tenho a satisfação de estar nesse magnífico evento, representando o governador Geraldo Alckmin. O salão está na agenda dele, mas pelos momentos que estamos passando, uma liderança como ele muitas vezes é demandada para agendas imprescindíveis", explicou.
 
A importante atuação da igreja
 
Roberto de Lucena ressaltou o quanto Alckmin preza pelo trabalho desenvolvido pelos evangélicos em São Paulo. "Não só no sentido da fé — porque ele e sua família são pessoas de fé, tementes a Deus — mas pelo trabalho social desenvolvido em todo o Brasil no fortalecimento das famílias, na recuperação de dependentes químicos, no trabalho com jovens, nas ministrações que vêm dos altares e levantam pessoas de suas crises. Ele respeita esse trabalho prestado pelas igrejas, e por isso me chamou para portar esse abraço", destacou.
 
"Somos 50 milhões de evangélicos. Hoje há mais evangélicos no Brasil do que argentinos na Argentina", exemplificou Lucena. "Se fôssemos um país, seríamos o segundo da América Latina. Essa população também representa um importante nicho de mercado, haja visto esse salão, que está maior que o ano passado e, certamente, colherá no próximo ano os resultados da semeadura desse ano", comentou Lucena.
 
Superando a crise
 
Roberto de Lucena aproveitou a ocasião para fortalecer os ouvintes sobre a crise que o País tem enfrentado. "O Brasil vive sim um momento difícil, mas estou absolutamente convencido de que o Brasil deixará para trás mais essa página de um capítulo difícil de sua história. Estamos vivendo um momento de transição. É um momento onde temos que ter muita lucidez e responsabilidade, principalmente as lideranças, sejam elas políticas ou cristãs".
 
"São Paulo está cumprindo seu papel, e o governador Geraldo Alckimin tem uma marca de zelo pelo estado. São Paulo, sem dúvidas, será o carro chefe da recuperação dessa crise. Vamos orar pelo nosso estado. Orem pelo Geraldo Alckmin e sua família", continuou Lucena.
 
Depois de uma apresentação do pastor Silas com a banda Kadosh, o Rabino Mário Moreno concordou com a afirmação do secretário. "Eu creio que a mudança na nossa nação virá de São Paulo".
 
Ao apresentar dois homens que tocaram shofar no início do evento, Moreno explicou: "Tocamos o shofar porque pela Torá, todas as vezes que ele foi tocado, aconteceu um milagre. Estamos diante de vários milagres aqui, que ainda terão continuidade."
 
Uma oração feita pelo Rabino finalizou o momento de celebração da inauguração, e deu início ao evento que terá duração até sábado (8).

GUIA ME

Nenhum comentário:

Mais de 1.300 crianças foram vítimas de abusos sexuais na Austrália

Pedofilia A Comissão Real para Respostas Institucionais ao Abuso Sexual Infantil, na Austrália, lançou, esta quinta-feira, um relatório ...