quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Assembleia de Deus muda estatuto para permitir divórcio de pastores

A denominação mais rígida em sua doutrina dentre as igrejas evangélicas parece que não é mais tão rígida assim: a Assembleia de Deus decidiu mudar seu estatuto para permitir que pastores e demais líderes possam se casar novamente, liberando o divórcio.
A decisão foi ratificada em julho deste ano no CONAMAD (Convenção Nacional das Assembleias de Deus Ministério Madureira), que ocorreu no mês de julho em Brasília e contou com a participação dos líderes da denominação, mas seu teor só agora foi divulgado na internet.
Pelo documento divulgado, a resolução diz que “O ideal divino para o casamento é que ele seja uma união para a vida toda”, mas pondera que devido a violência, adultério, abusos físicos e psicológicos bem como abandono emocional ou espiritual podem fazer com que seja “imperiosa a dissolução do matrimônio”.
Para tanto, caso sejam esgotadas as tentativas de reconciliação, a igreja “admite o divórcio e nova núpcia”. Ou seja: caso o pastor não consiga se reconciliar, poderá se separar de sua esposa e contrair novo casamento, sem que sofra qualquer sanção da igreja. A decisão, no entanto, não é válida para membros, mas apenas para pastores.
A Assembleia de Deus tenta conter os escândalos de separação enfrentados nos últimos tempos, onde diversos líderes de renome deixaram suas esposas por outras mais jovens, o que foi motivo de revolta por parte dos cristãos, principalmente na internet.
O documento redigido e sancionado na convenção foi assinado por um grande número de pastores, e está disponível na íntegra abaixo:
E aí, pode separar?Seguindo literalmente os evangelhos, o divórcio não é bem quisto por Deus, e nem pela maioria dos cristãos, que interpretam de forma literal as palavras de Jesus sobre estar em adultério quem casa-se de novo estando seu antigo cônjuge vivo.
Gritos de Alerta
com Portal Padom.

Nenhum comentário: