quarta-feira, 23 de setembro de 2015

"NÓS PRECISAMOS CURAR A ADORAÇÃO", DIZ JOEL ENGEL NA ESCOLA PROFÉTICA


"Nós precisamos curar a adoração", diz Joel Engel na Escola Profética
Restauração e consagração. Estas duas palavras podem ser bem usadas para definir a mensagem compartilhada pelo Ap. Joel Engel no primeiro dia da Escola Profética "Unção de Elias - O Manto", no último sábado (19), em Santa Maria (RS).
O evento que tem reunido mais de 1.500 pessoas, de 127 cidades e 22 estados do Brasil (somente nesta edição de 2015) conta com a organização do Ministério Engel.
Ao comentar suas impressões do primeiro dia do evento, Joel Engel destacou o grande esforço que tantas pessoas fizeram para comparecer à Escola Profética.
"Eu fiquei maravilhado de ver a quantidade de pessoas que vieram de outros estados, de outras cidades, pessoas de várias denominações. Estas pessoas pagaram um grande preço para estar aqui. Algumas pegaram 4 ou 5 voos, outras ainda precisaram pegar ônibus... Então foi um grande esforço para estarem aqui. Isto mostra a sede de estar próximo de Deus, de receber desta unção. Isso é extraordinário", disse.
Restauração
Em sua ministração, Engel alertou sobre a importância de se restaurar a adoração que é entregue no altar.
"Nós precisamos curar a adoração. Elias restaurou o altar de adoração que estava em ruínas. O nosso altar hoje, a nossa estrutura religiosa atual é simplesmente uma vergonha. Em lugares que tenho passado, muitas vezes peço perdão ao Espírito Santo, porque é possível ver o pecado no altar. Eu respeito muito os homens / mulheres de Deus e não gosto de criticar estas pessoas, mas é visível a falta da respeito no altar".
Segundo Engel, a adoração genuína é acompanhada de uma santificação física, emocional, financeira e espiritual.
"A primeira oração citada por Jesus como a mais importante - chamada Shemá - fala sobre amar a Deus em quatro níveis: com toda a força, com toda emoção, com todas as posses e com todo o coração. Se queremos adorar a Deus, de verdade, de maneira completa, é preciso ter estes quatro níveis",
Consagração
Em um dado momento de sua mensagem, o pastor Joel Engel fez um apelo aos presentes, para que se consagrassem física e emocionalmente, abandonando a vida marcada por pecados da carne.
"Pense comigo: Alguém vai chegar ao altar e, fisicamente esta pessoa está em pecado. Hoje isto se tornou a coisa mais comum dentro das igrejas - não estou nem falando dos de fora - jovens solteiros 'ficando', tendo relações sexuais, outros adulteram... todos os pecados que envolvem o físico estão acontecendo. [...] Isto gerou 'moda' e se nós não curarmos isto, Jesus está voltando e a Igreja não vai subir".
"Também convidamos as pessoas a se consagrarem emocional e sentimentalmente. Muitos estão se entregando a paixões erradas. Não é só a prática sexual, mas paixões de outras formas, também. Eu pedi que se achegassem até o altar e consagrassem seus corpos, sua vida emocional".
Finanças
O preletor da noite também lembrou a todos os presentes sobre a importância de se consagrar a área financeira de suas vidas ao Reino.
"Outro nível de consagração que propusemos foi o da vida financeira. Milhares de pessoas não dão o dízimo de seus salários, não ofertam. Passei por muitas cidades do Nordeste nas quais não chovia há quase 10 anos e o povo destes locais não dava o dízimo de seus trabalhos, de suas propriedades, mesmo vendo seus pastores passando dificuldades, suas igrejas fracas. Nós temos que consagrar nossas propriedades a Deus. No ano do Shemitá, Deus julga o povo e este julgamento recai sobre locais onde as propriedades não são consagradas", alertou.
Por fim, o pastor Joel Engel convidou a todos para consagrarem seus ministérios no altar.
"Nós não podemos usar a unção para benefício próprio, para nos promovermos, para ganhar fama, dinheiro e para fazer o nosso próprio reinado. Todas estas áreas da nossa vida têm que ser consagradas a Deus", destacou.
"Ontem nós demos a largada para o nosso ano de consagração a Deus. Durante este tempo, colocaremos no altar, estas quatro áreas das nossas vidas. Para que iniciemos o ano do Jubileu, no dia 23, com o Yom Kipur e santificação total".
*Colaborou com esta matéria, Marcos Correa
Fonte: Guiame, João Neto

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...