terça-feira, 22 de março de 2016

Governo fracassa e cristãos ficam cada vez mais expostos à violência na Nigéria


Governo fracassa e cristãos ficam cada vez mais expostos à violência na Nigéria
O Boko Haram é considerado um dos maiores e mais perigosos grupos extremistas da atualidade e sua principal área de atuação está na Nigéria. Com o objetivo de implantar a lei sharia, seus militantes combatem os princípios e legados ocidentais deixados pela colonização britânica no país, na tentativa de construir uma República Islâmica, e para isto, utiliza métodos radicais, como atentados violentos e sequestros de mulheres que, na maioria das vezes, são negociadas como escravas sexuais.
O nome "Boko Haram" vem do árabe e, figurativamente, quer dizer "educação ocidental ou não-islâmica é um pecado". Eles alegam que a educação ocidental incentiva a corrupção do governo, inspira a falta de pudor das mulheres, a prostituição e também os vícios e que, na maioria das vezes, os maus costumes chegam através dos cristãos, daí a perseguição religiosa. Para eles, as mulheres sequestradas têm uma chance de ter uma nova vida como suas escravas, porque consideram que esta seja a vontade de Alá.
"O grupo está cada vez mais capacitado para atacar civis nigerianos da forma mais trágica que se pode imaginar, o que tem sido motivo de constrangimento para o governo de Buhari, já que seus eleitores acreditaram que ele poderia conter as ações violentas do Boko Haram, mas é desanimador ver que os militares nigerianos estão cada vez mais vulneráveis. Se o governo não tomar providências para reforçar a segurança, principalmente dos refugiados deslocados e minorias religiosas, incluindo os cristãos, ainda teremos muitas perdas", comenta um dos analistas de perseguição.
O fracasso do governo explica o motivo pelo qual os cristãos não estão mais otimistas com as palavras do presidente, que fez muitas promessas durante suas campanhas eleitorais. A Nigéria é o 12º país da Classificação da Perseguição Religiosa de 2016 e, apesar do alto grau de perseguição, os cristãos despertaram a se mobilizar no mundo espiritual. "Os líderes não podem desistir, por pior que seja a situação. Estamos em guerra, mas temos a paz de Cristo dentro de nós. Se você, como líder, desistir, o que as outras pessoas aprenderão com você. Seja forte o tempo todo", conclui um líder cristão que não pode ser identificado por motivos de segurança. Ore por essa nação.

Nenhum comentário:

Pastor é sequestrado e queimado vivo com as mãos amarradas, na África

Martin Beneke, de 45 anos, era pastor sênior e fundador da Life in Christ Network. O corpo de um pastor sul-africano foi encontrado tot...