quinta-feira, 17 de março de 2016

“Não tem problema se ser otário é seguir os passos de Jesus”, diz Tiririca


tiriricaO deputado federal Francisco Everardo, mais conhecido pelo nome “Tiririca” teve seu nome citado na delação feita pelo Senador Delcídio do Amaral que não demorou mais do que dois dias preso para começar a considerar a delação premiada.
Na última terça-feira, 15, o documento foi homologado pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF). O senador não poupou correligionários, nem adversários nas 254 páginas e 21 termos.


Filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT), o Senador delatou a atual presidente Dilma, o ex-presidente Lula, diversos ministros e muitos nomes da oposição. Entre os nomes citados está o senador Aécio Neves, que também passará a ser alvo das investigações. E no meio de tantos nomes, Tiririca protagoniza um fato curioso e surpreendente da delação diante um cenário nacional de corrupção.
De acordo com o documento, o deputado Tiririca teria sido convidado para fazer parte dos da lista de políticos que teriam como missão barrar a CPI da Petrobrás. Para Francisco Everardo foi oferecido o valor de R$ 500 mil para ele votar contra a instauração da Comissão Parlamentar de Inquérito que investigaria o escândalo da estatal.
Então, imediatamente ele teria se alterado e ameaçado bater no operador que já estava com a mala de dinheiro para tentar suborna-lo. Com xingamentos e empurrões, o operador foi expulso do local. Foi então que logo em seguida, Tiririca mandou para o senador a seguinte mensagem:
“Delcídio, não te chamo de excelência, porque você não é excelente. Nunca mais mande ninguém pra me oferecer dinheiro em troca de votos. Voto com minha consciência pensando no que pode ser melhor pro povo. Nem meu partido tem moral de me fazer mudar um voto, quanto mais seu dinheiro sujo.
Não entrei pra política atrás de dinheiro. Já passei fome na época do circo. Fiz sucesso e ganhei muito dinheiro. Perdi todo meu dinheiro e todo meu sucesso. Voltei pro circo sem nenhum constrangimento porque lá é minha casa. Me reergui graças ao povo e ao Tom Cavalcante. Mesmo na miséria não roubei dinheiro de ninguém. Não seria agora que sujaria minhas mãos e minha história.
Posso estar sendo chamado de otário por todos os outros deputados que aceitaram fazer isso. Não tem problema se ser otário é seguir os passos de Cristo, eu serei pra sempre um otário. Só que meus filhos nunca irão precisar me visitar num presídio. Entendeu, Delcídio?”.
Manifestações
No último domingo, 13, centenas de milhares de pessoas saíram às ruas pedindo a renúncia da presidenta Dilma. Em uma manifestação pacífica, o evento de nível nacional foi organizado pela parceria de diversos grupos, como o Movimento Brasil Livre e o Patriotas.
Considerado o primeiro grande protesto do ano (2016) contra o atual governo federal, as manifestações ocorreram não apenas nas capitas, mas também em diversas cidades do interior dos estados, somando centenas de municípios e já comprovando uma adesão maior que os últimos protestos de 2015.
(Guiame)

Nenhum comentário: