sexta-feira, 18 de março de 2016

PAES E LULA CRITICAM EVANGÉLICOS QUE PARTICIPAM DA OPERAÇÃO LAVA JATO


ATENÇÃO EVANGÉLICOS DE VERDADE - NUNCA  MAIS   VOTEM  NESSES 


Por Samuel Oliveira

E a máxima utilizada no meio juvenil “the zueira never ends”, (fazendo alusão ao fato da bagunça generalizada no Brasil não ter fim), parece realmente fazer juízo a situação política brasileira. Após a sequência de fatos do enredo envolvendo Dilma Rousseff, Luiz Inácio da Silva, Partido dos Trabalhadores (PT), Sérgio Mouro, escutas telefônicas e tantos outros “detalhes”, pode-se afirmar que Holliwood está a se inspirar no país da corrupção para criar tramas tão envolventes.

Durante a manhã de ontem, (17), direto do Palácio do Planalto, (Brasília), a presidente Dilma Rousseff, proferiu seu discurso para empossar os seus dois novos ministros: Na Casa Civil, o ex-presidente Lula e na pasta da Justiça, Eugenio Aragão. A presidente aproveitou o momento para criticar aqueles que, segundo ela, estão a tramar um “golpe” contra sua gestão. Essa afirmação presidencial ganhou mais energia após o vazamento dos áudios de escutas telefônicas no final da tarde do dia 16, colocando o ex-presidente Lula no focal de um verdadeiro furacão político.

Em uma dos grampos, autorizado pelo juiz Sérgio Moro, o ex-presidente Lula dialogou com o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes. Com um vocabulário esdrúxulo e cheio de palavrões, o prefeito se solidariza com a situação vexatória de Luiz Inácio. Em um dado momento da conversa, o ex-presidente afirma: “Olha, deixa eu te falar uma coisa… esses meninos da Polícia Federal e esses meninos do Ministério Público se sentem enviados de Deus”, em resposta, o prefeito Eduardo diz, de forma debochada: “É, mas os caras do Ministério Público são crentes…”Pode-se ver, assim, que apesar da imagem manchada da Igreja Evangélica diante da sociedade (graças, principalmente, a nomes como Edir Macedo e Valdemiro Santiago), alguns cristãos ainda apresentam uma postura séria, agindo de acordo com a justiça e a ética em suas esferas de atuação – 
nesse caso, na justiça comum, no Ministério Público.

Demonstrando claramente sua arrogância governamental, Lula continua sua conversa, acreditando “ser a chance de que esse país tem de brigar com eles [Polícia Federal e Ministério Público] para tentar colocá-los nos seu devido lugar… Queremos ter instituições sérias, mas tem que ter limite”, concluiu ele.

A reviravolta, pela qual se faz alusão com Hollywood no inicio da reportagem, ocorreu pelo fato de que minutos após “conquistar” sua vaga na pasta da Casa Civil, Lula recebeu a notícia que um Juiz Federal do DF suspendeu sua posse.
“Juiz não é cego nem surdo para o que está acontecendo. E ontem [quarta] o país inteiro viu que existe uma clara intenção do ex-presidente da República, e talvez até da atual presidente da República, de intervir no Poder Judiciário. Isso é inadmissível, isso não pode ser permitido de forma alguma”, enfatizou o juiz federal Itagiba Catta Preta Neto, autor da liminar.

O presidente da VINACC, Euder Faber Guedes Ferreira, comentou o caso dos grampos. Ele qualificou as falas contra os evangélicos como “vergonhosas”. “A fala do prefeito Eduardo Paes é vergonhosa, e expressa seu preconceito em relação aos evangélicos, algo lamentável. Ao contrário de muitos líderes evangélicos que nos envergonham, esses procuradores estão honrando seus ofícios e o valores do Reino de Deus.”

A insatisfação popular está espalhada por todo país e novos capítulos desta “novela” vão trazer novas expectativas para o futuro da nação.


***

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...