quinta-feira, 16 de junho de 2016

Cinco Pães e Dois Peixinhos


“Porque quem despreza o dia das coisas pequenas?” Zc 4:1
No dia em que Jesus realizou o milagre da multiplicação dos pães e peixes, algo surpreendente aconteceu nos bastidores: o discípulo André olhou para a multidão de mais de cinco mil homens e disse: “temos aqui uma criança com cinco pães de cevada e dois peixinhos, mas o que é isso para tantos?” Jo 6:9 Até hoje, não consegui entender porque André fez tal confissão- que deve até ter arrancado o sorriso sarcástico de alguns – se o que tinha era tão pouco para o momento. Consideremos que André teve fé nas pequenas coisas, entregues nas mãos do Mestre Jesus. Admirável André! Conseguiu ver além do que estava diante dos seus olhos.
Apesar dos discípulos terem presenciado mais de uma vez pães e peixes se multiplicarem, eles demonstraram esquecer rápido deste milagre. Em certa ocasião reclamam para Jesus por terem apenas um pãozinho reservado para viagem evangelística. E Jesus os repreende: “Por que reclamam sobre não ter pão, não compreendestes ainda o que posso fazer por vocês, já esqueceram o milagre de ontem?” João 8:17,18. Penso que muitos de nós estamos no mesmo barco dos discípulos “com amnésia”: esquecendo bem rápido da provisão de ontem e reclamando pelo “pãozinho”. Isso é triste, não?
Esse murmurinho de incredulidade, acometeu os Israelitas quando peregrinaram no deserto, os discípulos que auxiliaram Jesus em Seu ministério, acontece comigo e com você. Não costumamos agradecer a Deus pelas nossas unhas dos pés (como?) saudáveis, até que uma delas fique encravada e a dor nos incomode a tal ponto de não conseguirmos desfrutar do simples gesto de calçar um sapato fechado. Quanta benção existe nas pequeninas coisas da vida! Glória a Deus pelos primeiros e pequeninos passos em direção a Terra Prometida. É, o primeiro passo de Abraão para chegar a terra da promessa foi em Siquém. E este passo foi tão importante quanto os demais.
E ao olharmos para a Palavra de Deus, vamos encontrar muitas lições sobre valorizar “pequenas coisas”. Davi venceu o gigante Golias, ajuntando cinco pedras em uma funda. Muitas pessoas daquela época, tinham o costume de manejar essa simples arma, alguns eram tão hábeis com as fundas que chegavam até mesmo a cortar um simples fio de cabelo a longa distância e com a mão esquerda! (juízes 20:16). Mas o segredo de Davi não estava em sua baladeira, mas na fé no Deus que fez as pedrinhas. Ele sabia em quem estava crendo e por isso venceu tantas batalhas.
Essa reflexão também cabe em meus dias, ela chega para avivar minha memória na provisão Divina , diária. Quantas batalhas Deus já nos fez vencer? Quantos livramentos, quantos pães e peixes multiplicados? Entreguemos nossos anseios ao Senhor Jesus, na certeza de que Ele cuida de nós. Filipenses: 6,7 diz: "Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus." O segredo de André foi confessar para Jesus sua ansiedade: “Senhor estou vendo muitas pessoas, mas só temos aqui esses peixinhos e pães”.
O que nos aflige? O milagre da multiplicação não diz respeito apenas a coisas materiais. Jesus saciou a sede de uma multidão faminta e essa fome pode ser compreendida também como necessidade espiritual de estar bem com Deus e com o próximo, em paz consigo mesmo, no monte da multiplicação: "Nem só de pão viverá o homem, mas de toda Palavra que sai da boca de Deus” Dt 8.3. Por essa causa, antes de nos lamentarmos por algo que não temos, sejamos gratos pelo que temos, ainda que seja apenas “um pãozinho”. Vou lhes contar um segredo que aprendi na caminhada com Jesus: Gratidão gera paz de espírito. Quando estou inquieta, ou triste, sei que é hora de ajoelhar e começar a agradecer por tudo que me chega à mente, passado, presente e futuro e a paz de Jesus me fortalece, esse é o Pão vindo do céu!
Sejamos gratos pelas "pequeninas" coisas, não esqueçamos da graça que nos sustenta e do amor de Deus que tão de perto nos acalenta.
Em Jesus, O Pão da Vida.


GRITOS DE ALERTA
| Autor: Wilma Rejane

Nenhum comentário: