terça-feira, 23 de setembro de 2014

POR FALAR A VERDADE , TSE SUSPENDE PROPAGANDA DO PASTOR EVERALDO


Em decisão liminar, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou que o PSC suspenda uma propaganda do candidato à Presidência da República Pastor Everaldo.

A ação contra a peça foi feita pela Coligação Com a Força do Povo e pela candidata a reeleição Dilma Rousseff que o programa veiculado no dia 18 de setembro “conteria peças com informações ofensivas, degradantes, e injuriosas em relação aos representados”.

O programa do Pastor Everaldo teria usado a expressão “o nosso DINHEIRO está sendo roubado por esse bando de ladrões”. Para a coligação da petista, essa informação sugere que haveria - em curso constante e ininterrupto - uma atividade de desvio de recursos públicos.

Na decisão, o ministro Tarcísio Vieira citou outro caso em que concedeu liminar para que o candidato Pastor Everaldo suspendesse propaganda com mesmo teor. Na ocasião, o ministro considerou que houve violação à legislação eleitoral, porque “os representados não se limitaram a tecer críticas de natureza política a adversários, ínsitas ao debate eleitoral franco e aberto, ainda que forte e ácido. Foram além”.

O ministro disse ainda que o candidato Everaldo e o seu partido PSC acabaram por reiterar o conteúdo que foi entendido por ele, em outra análise, como ofensivo. Por isso, concedeu liminar, até decisão final da causa.

Em outra análise, o ministro Vieira negou pedido de liminar também solicitado pela coligação de Dilma contra propaganda do dia 17 de setembro veiculada pelo Pastor Everaldo. Os representantes alegavam que a peça impugnada é uma versão reduzida de outra, cuja veiculação já havia sido suspensa por liminar. O ministro disse que a propaganda em questão foi reduzida e não contraria o previsto na legislação eleitoral.

Fonte: Jornal Extra

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...