terça-feira, 11 de novembro de 2014

Terceiro Templo: Israel Irá Construir Templo Judeu no Lugar da Mesquista Al Aqsa

 


O ministro da habitação de Israel desmentiu as declarações de Benjamin Netanyahu sobre a preservação de status quo da mesquita Al Aqsa, um dos maiores templos sagrados para os Muçulmanos e afirmou que um templo judeu será construído em seu lugar.

Algumas horas após o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmar não ter intenção de mudar o status quo da mesquita Al Aqsa, o ministro da habitação de Israel, Uri Ariel, declarou que um templo judeu seria construído neste lugar segundo relata o site ‘Middle East Monitor'.

O titular israelense ressaltou que Israel não poderia manter o status quo de mesquita porque esta "foi construída no local mais sagrado de Israel". A mesquita foi construída no ano de 705 d.C. sobre as ruínas do antigo Templo de Salomão.

Ariel acrescentou que a construção do terceiro templo judeu no local de Al Aqsa é a primeira exigência da Torá porque "é a vanguarda da salvação dos judeus", segundo o cita  o ministro ao ‘Middle East Monitor’.

Em resposta as crescentes tesões nas zonas que rodeiam este local sagrado, Netanyahu pediu a"todos os membros de Knesset para acalmar as tensões sobre a Esplanada das Mesquitas e demonstrar responsabilidade e reserva".

Alguns representantes das autoridades israelenses temem que as ações adotadas em relação a este local sagrado possam causar a "terceira intifada palestina", segundo afirma o jornal.

Na semana passada foram registrados confrontos na Jerusalém Oriental após as forças de segurança israelenses assassinaram o suposto autor do homicídio do ativista israelense de extrema direita Yehuda Glick.

De fato, a situação no local sagrado foi tão tensa que após a morte de Glick as autoridades israelenses decidiram fechar a área, o que causou indignação entre a população palestina. O presidente Mahmoud Abbas comentou que o bloqueio da zona "é quase igual a uma declaração de guerra".

Apesar de tomar a cidade antiga de jerusalém durante a Guerra dos Seis Dias por Israel, os judeus não tinham direito de rezar na Esplanada das Mesquitas, enquanto os palestinos podem visitar a mesquita a todo momento.

illuminatielitemaldita

Nenhum comentário:

Com ataque à Globo, Domingo Espetacular debate a arte com apologia à pedofilia

Programa Domingo Espetacular, na Record TV O debate sobre as exposições de arte com apologia à pedofilia e outros temas no Brasil marc...