terça-feira, 14 de junho de 2016

`Desde que me tornei cristão, não temo a ninguém´, diz ex-muçulmano sobre terroristas


A fé cristã trouxe aos muçulmanos que se converteram ao cristianismo uma nova esperança, o perdão e a liberdade do medo de viver nos campos de refugiados.
"Eu fui cuspido, disseram que eu traí o Islã. Mas pelo que eu aprendi, eu posso perdoá-los", disse à RT um homem que, recentemente, foi batizado na cidade de Hamburgo, na Alemanha.
"Desde que me tornei cristão, não temo a ninguém", afirmou um jovem.
Mais de um milhão de refugiados estão abrigados na Alemanha desde 2015. Há relatos de que os refugiados cristãos estão sendo psicologicamente abusados, maltratados fisicamente e barrados por muçulmanos a terem acesso à comida.
“Tradicionalmente, a conversão ao islã pode resultar em uma série de punições, incluindo a expulsão da família, espancamentos e até assassinatos de pessoas que se convertem", disse o analista de geopolítica Rainer Rothfuss.
Apesar disso, cresce cada vez o número de muçulmanos que se converte ao cristianismo. Apenas no mês passado, mais de 80 muçulmanos refugiados do Irã e do Afeganistão foram batizados, em Hamburgo.
"O motivo para a mudança da fé é o mesmo para muitos: eles estão decepcionados com o Islã", disse à revista Stern o pastor Albert Babajan, que conduziu o batismo em massa.
Shima, uma refugiada iraniano, disse que o islamismo nunca ofereceu liberdade, e ela vivia sob constante medo do pecado. "Eu estive procurando paz e felicidade por toda a minha vida, mas no Islã eu não encontrei", disse ela. "Ser cristã significa felicidade para mim".

Nenhum comentário:

Exposição que mostra pedofilia e zoofilia provoca bate boca entre deputados

Não foi só nas redes sociais que a mostra “QueerMuseu” gerou debates e bate boca. Na noite desta terça-feira (12) o assunto foi amplam...