sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Evangélicos pedem saída de Eduardo Cunha da Presidência da Câmara

Integrantes de diversos movimentos evangélicos assinaram um abaixo-assinado no qual pedem a saída de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da Presidência da Câmara. Ao todo, são 117 assinaturas, entre bispos, pastores e fieis de inúmeras igrejas.

"As denúncias de corrupção e o envio de recursos públicos para contas no exterior inviabilizam a permanência do deputado Eduardo Cunha no cargo que ocupa, uma vez que não há coerência e base ética necessária a uma pessoa com responsabilidade pública", destaca o texto.

Cunha é evangélico e por diversas vezes acompanha o culto que ocorre na sala das comissões da Câmara dos Deputados às quartas-feiras pela manhã. Desde que vieram à tona as notícias de que ele esconde contas na Suíça, contudo, o peemedebista não compareceu a nenhum desses encontros religiosos.

"As ações do deputado Eduardo Cunha, atual presidente da Câmara dos Deputados e que se identifica como evangélico, merecem repúdio", também destaca a carta.

Uma das acusações contra o deputado, denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro, é de indicar a igreja evangélica Assembleia de Deus para receber parte da propina de ao menos US$ 5 milhões referentes a contratos para viabilizar a construção de dois navios-sonda usados pela Petrobras. Nenhum membro da comunidade evangélica assinou o manifesto contra Cunha.
APLAUSOS

Ao chegar na Câmara nesta quarta (28), Cunha foi recebido com palmas e gritos de apoio de integrantes de movimentos de rua que apoiam o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O grupo está na Câmara nesta quarta com um pedido para que o PMDB apoie o afastamento da petista da Presidência da República.

No momento em que o deputado chegava à Casa, eles liam um manifesto preparado para a liderança peemedebista.

Ao passar, Cunha foi ovacionado. Não houve nenhum tipo de manifestação sobre as acusações contra o presidente da Câmara.


Fonte: Folha de São Paulo

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...