quinta-feira, 31 de março de 2016

“Farto” de escândalos, bispo Edir Macedo autoriza ruptura de aliança do PRB com Dilma

A Igreja Universal do Reino de Deus encerrou sua longa relação de apoio ao governo petista com a saída do Partido Republicano Brasileiro (PRB) da base aliada a Dilma Rousseff (PT).
O anúncio do rompimento foi feito pelo partido na última quinta-feira, 17 de março, e expôs a fraqueza política do governo federal e a indisposição de seus aliados a se manterem no barco na véspera de um desfecho negativo para os petistas com o avanço das investigações da Operação Lava-Jato e do processo deimpeachment na Câmara dos Deputados.
De acordo com o jornalista Ricardo Feltrin, o rompimento do PRB teve o aval do líder da Igreja Universal, bispo Edir Macedo, uma vez que o partido é formado, essencialmente, por políticos ligados à denominação.
“O rompimento se deu com o aval do próprio Edir Macedo, líder da Universal. Embora se preocupe mais com a evangelização e evite se imiscuir em assuntos tanto da TV como da política, o bispo estaria ‘farto’ dos escândalos e da corrupção envolvendo o PT, disse uma fonte da igreja a esta coluna, na noite desta sexta, pedindo anonimato”, informou Feltrin, em seu espaço no portal Uol.
A relação de Macedo com as administrações petistas já durava 14 anos, desde o primeiro mandato de Luís Inácio Lula da Silva, em 2002. “A igreja de Macedo sempre adotou uma atitude de completo apoio aos governos petistas. Em 2003, quando o embrião do PRB surgiu, o partido rapidamente se integrou à base do ex-presidente”, recapitulou.

Pastor muda de partido

A saída do PRB – conhecido no meio político como o “partido da Universal – da base de apoio a Dilma, no entanto, não aconteceu sem traumas. O pastor George Hilton, que ocupa o posto de ministro do Esporte, deixou o PRB e ingressou no PROS, para se manter no cargo.
Fiel a Dilma, o pastor licenciado da Igreja Universal preferiu se manter no cargo de ministro de Estado a seguir a escolha política de sua antiga legenda.

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...