domingo, 26 de outubro de 2014

Zorra Total exibe sátira a igrejas evangélicas e causa revolta

Open in new windowEm quadro do Zorra Total personagens fingem serem líderes evangélicos e abrem uma igreja a fim de lucrar com dízimos e ofertas.

O programa humorístico Zorra Total causou grande polêmica essa semana pela exibição de um quadro onde personagens fingem serem líderes evangélicos e abrem uma igreja a fim de lucrar com dízimos e ofertas, e terminam desmascarados.

A igreja fictícia, chamada de “Admilsista do Sétimo Dígito”, tem no nome uma alusão à Igreja Adventista do Sétimo Dia, mas nas características termina por se assemelhar com a linha adotada por denominações neopentecostais, como Universal do Reino de Deus, do bispo Edir Macedo; e Mundial do Poder de Deus, do apóstolo Valdemiro Santiago.

No quadro, o personagem Admílson, interpretado pelo ator Rodrigo Sant’anna, funda a igreja na intenção de ganhar dinheiro, mas termina desmascarado, de acordo com informações do jornalista Paulo Pacheco, do site Notícias da TV.

A alusão à fé evangélica num programa de humor altamente criticado levou fiéis a protestarem de forma acintosa contra a TV Globo. “O Zorra Total é um programa tão imbecil que seus quadros só raramente causam alguma repercussão, e mesmo quando o fazem é por causa de polêmicas que rebaixam ainda mais a ‘reputação’ que o programa tem”, opinou o pastor adventista Gilberto Theiss.

Já o mestre em Teologia Michelson Borges publicou artigo em que condena o uso de termos sacros da religião em um programa de zombaria: “Usaram dezenas de vezes as palavras ‘aleluia’ e ‘glória’, em meio ao puro deboche, pronunciadas por personagens ridículos”, criticou.

O Twitter foi usado pelos internautas para repudiar o quadro, que foi entendido como ofensa aos evangélicos: “Rede Globo, sabemos que vocês não precisam apelar para o ‘humor’. O que passou ontem no Zorra Total, foi uma ofensa para milhões”, disparou o usuário Nathan Lins.

“Lamentável, Globo, brincar com o nome da Igreja Adventista do Sétimo Dia, fazendo uma paródia absurda em seu programa (lixo) Zorra Total”, afirmou Julio Ribeiro.

A emissora se posicionou sobre o assunto através de nota e afirmou que o quadro é ficcional e não é motivado por preconceito contra as igrejas evangélicas: “Zorra Total é um programa humorístico, que não tem outro objetivo senão o de entreter e divertir, sem compromisso com a realidade, como registramos ao final de cada episódio. A Globo respeita a diversidade e repudia qualquer preconceito. O Admílson é claramente um personagem cômico que se coloca em variadas situações, tendo sempre o humor como pano de fundo”.

Fonte: Gospel +

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...