quinta-feira, 23 de abril de 2015

Alemães abandonam igrejas para não pagar o `dízimo´


Alemães abandonam igrejas para não pagar o `dízimo´
A receita federal da Alemanha cobra um imposto a mais dos cidadãos que frequentam uma igreja e para fugir dessa cobrança os alemães estão deixando de ir congregar.
O imposto é chamado de kirchensteuer, descontado diretamente dos salários e ganhos de capital. A queda do número de fiéis começou a ser sentida no segundo semestre do ano passado, após um anúncio da receita que afirmou reforçar o controle para evitar que os cidadãos soneguem este tributo.
Entre as igrejas católicas foi sentido a diminuição de no mínimo 180 mil fiéis, segundo informações fornecidas pelas 27 dioceses espalhadas no país em 2014. No mesmo período a Igreja Evangélica Alemã (EKD), Luterana, perdeu 200 mil fiéis, um aumento de 45% em relação a 2012 quando foi feito o último levantamento.
O imposto da igreja faz parte da Constituição da Alemanha Ocidental desde 1949 e afeta todos os cidadãos batizados a partir do momento que ele começa a pagar o imposto de renda.
O valor é de 8% ou 9% em cima do imposto de renda e um percentual semelhante é aplicado quando o cidadão paga impostos por ganhos de capital. Muitos tentavam evitar dizer sua religião aos bancos – judeus também pagam este imposto – mas agora as regras são mais rigorosas e o cidadão é obrigado a dizer.
Mas engana-se quem pensa que só o governo se vale desse dinheiro, as igrejas recebem parte desse valor uma quantia de R$ 578 milhões que pode chegar a R$ 4,7 bilhões segundo estimativas do Ministério das Finanças do Estado da Renânia do Norte-Vestfália.
Mas não basta deixar de frequentar os cultos, quem quer se livrar do imposto precisa pedir o desligamento da igreja após preencher um formulário junto às autoridades e pagar uma taxa ao Estado que pode custar até 32 euros.
Quem se desliga da igreja pode ter pedidos como o de celebração de casamentos e velórios negados e se forem convidados para serem padrinhos de crianças serão impedidos.
As punições para os desigrejados também atinge o campo profissional pois as igrejas, escolas e hospitais possuem o direito de demitir os empregados que não queiram pagar o imposto. 

Nenhum comentário: