segunda-feira, 13 de abril de 2015

O VATICANO E SUAS BRINCADEIRAS DE MAU GOSTO .

Vaticano autoriza processo de beatificação de Dom Hélder Câmara, patrono da esquerda católica no Brasil

Julio Severo
Poucas semanas depois do anúncio oficial da beatificação de Oscar Romero, arcebispo esquerdista de El Salvador assassinado em 1980, o Vaticano deu o sinal verde para o processo de beatificação de um bispo brasileiro conhecido por promover radicalmente a teologia da libertação: Dom Helder Câmara (1909-1999).
Dom Hélder Câmara
O pedido de beatificação foi feito por Fernando Saburido, arcebispo de Olinda e Recife, que recebeu do Vaticano uma resposta muito positiva.
Numa entrevista à TV católica Canção Nova, Saburido disse: “Dom Hélder Câmara foi um profeta corajoso que enfrentou muitas dificuldades, sobretudo com a repressão militar.”
Saburido acrescentou que Câmara teve grande influência no Brasil. De uma perspectiva esquerdista, ele está certo.
O crítico mais destacado do governo militar (1964-1985) foi Câmara, que era chamado de “Bispo Vermelho” por causa de suas posturas marxistas.
Em 1973, ele foi indicado para receber o Prêmio Nobel da Paz. A indicação foi feita por uma organização esquerdista com sede nos Estados Unidos, o American Friends Service Committee (Comitê de Serviço dos Amigos Americanos).
De acordo com a Dra. Constance Cumbey em seu livro “The Hidden Dangers of the Rainbow” (Os Perigos Ocultos do Arco-Íris), o bispo brasileiro tinha papel proeminente em eventos internacionais da Nova Era.
Câmara foi um dos fundadores da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a mais poderosa organização católica do Brasil, o maior país católico do mundo.
Durante décadas, a CNBB tem mantido a população católica brasileira sob seu feitiço marxista e é creditada por ter ajudado a fundar o Partido dos Trabalhadores, que hoje está no governo e tem mantido o Brasil escravizado sob seu socialismo pró-Cuba há 13 anos.
O arcebispo Fernando Saburido, que fez o pedido de beatificação ao Vaticano, não é menos polêmico do que o bispo da teologia da libertação que ele quer ver beatificado.
Saburido começou a causar preocupação entre os ativistas pró-vida do Brasil quando fez comentários em 2010 que pareciam desculpar um aborto realizado numa menor na arquidiocese. “A decisão é dos pais, que têm toda a liberdade para agir da maneira que acharem mais conveniente,” disse o arcebispo numa entrevista de televisão.
Embora Saburido tivesse divulgado um esclarecimento depois da entrevista em que ele se retratou de suas declarações, ele se achou envolvido em outra polêmica, quando Jorge Ferraz do blog “Deus lo Vult” revelou que o arcebispo havia liderado uma marcha sob a faixa “Grito dos Excluídos”, em que organizações abortistas, homossexualistas e socialistas haviam participado de forma livre.
A universidade católica sob a responsabilidade de Saburido foi anfitriã de um simpósio de 2011 sobre “direito homoafetivo,” que deu aos promotores da agenda homossexual uma plataforma para promover sua ideologia.
De acordo com o site gayzista MixBrasil, o simpósio incluiu como palestrantes o Pe. Luís Correa Lima, fundador do grupo “Diversidade Católica”, que publicamente busca normalizar e legitimar o estilo de vida homossexual e a “identidade gay”. Um dos mais importantes palestrantes foi Jean Wyllys, deputado federal e radical militante gay.
O esquerdismo dentro da Igreja Católica tem sido uma fonte de preocupação.
De acordo com uma reportagem recente da BBC em espanhol e português de Jaime Gonzalez, os conservadores americanos veem o Papa Francisco como marxista e ambientalista radical.
O que acontece quando um arcebispo católico liberal pede a um papa marxista a beatificação de um bispo católico marxista do Brasil?
Se Hélder Câmara for beatificado, a esquerda católica do Brasil, principalmente a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), serão santificados.
Enquanto o Brasil aguarda a beatificação dele, o Vaticano deu para Câmara o título de “Servo de Deus.”
Com informações do National Catholic Reporter, Canção Nova, LifeSiteNews e Estadão.

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...