quarta-feira, 6 de maio de 2015

Culto de Páscoa é interrompido por extremistas hindus na Índia


Culto de Páscoa é interrompido por extremistas hindus na Índia
Interrompendo o culto de domingo de Páscoa no dia 5 de abril em uma igreja da Índia, uma multidão de extremistas hindus pendurou duas bandeiras saffron* nas instalações da igreja e solicitou que o pastor os acompanhasse até o templo.
Quando os cristãos tiraram as bandeiras, a multidão de extremistas hindus se reuniu e ergueu uma nova bandeira saffron na igreja, localizada em Makthal Mandal no estado de Telangana da Índia.
Os hindus radicais mandaram o pastor parar o culto de Páscoa e ir até o templo Hindu com eles. "Os extremistas me bateram, chutaram e me ofenderam verbalmente por causa da minha fé, enquanto me levavam ao templo", disse o pastor Christopher Meesaul.
Mais tarde, a polícia resgatou o pastor e permitiu que ele retornasse ao culto de celebração da Páscoa.
Relatório sobre Liberdade Religiosa
Em relatório realizado no dia 30 de abril, a Comissão dos Estados Unidos sobre a Liberdade Religiosa Internacional (USCIRF) concluiu que "comunidades cristãs, de muitas denominações, reportaram um aumento do assédio e da violência no último ano, incluindo violência física, incêndios, profanação de igrejas e bíblias e interrupção de serviços religiosos".
Este aumento do abuso verbal e físico ao longo do último ano é, em grande parte, atribuído à vitória eleitoral do nacionalista hindu, BJP (Bharatiya Janata Party) em maio de 2014. A omissão da polícia também é citada como causadora deste aumento da violência anticristã, criando um "clima de impunidade".
Apenas na semana passada, líderes cristãos indianos divulgaram um comunicado à imprensa em Bangalore, no dia 24 de abril, condenando as palavras de Munna Kumar Shukla, secretário geral do Partido nacionalista Akhil Bharatiya Hindu Mahasabha, que disse que o governo deveria proteger e até mesmo dar prêmios a pessoas que atacam igrejas.
*A bandeira saffron é a bandeira oficial do hinduísmo e um dos seus símbolos mais importantes.

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...