domingo, 22 de novembro de 2015

Perseguição aos cristãos aumenta e o governo não toma providências


Perseguição aos cristãos aumenta e o governo não toma providências
De acordo com o relatório da Portas Abertas, a situação continua difícil para os cristãos na República Democrática do Congo. As Forças Democráticas Aliadas (ADF – Allied Democratic Forces), que é um grupo rebelde de oposição na Uganda, juntamente com oNALU (National Army for the Liberation of Uganda – Forças Armadas para a Libertação na Uganda), que é um dos mais antigos grupos armados conhecidos no país, decidiram fazer uma ‘limpeza étnica’.
A região leste da República do Congo está sofrendo com a violência contínua. Muitos cristãos foram mortos e outros sequestrados, incluindo uma mãe e seus dois filhos pequenos. Casas e comércios foram destruídos e muitos campos abandonados. A cena é semelhante ao nordeste da Nigéria, onde o Boko Haram agiu da mesma forma.
Um dos analistas da Portas Abertas, comenta: "a igreja no leste do Congo precisa da nossa atenção especial. O histórico de violência tem aterrorizado a população há muito tempo e ainda assim, os irmãos correm risco e se reúnem para orar, mesmo sabendo que as igrejas também estão sendo atacadas por muçulmanos radicais que prometem exterminar os infiéis".
Segundo o analista, a intenção dos extremistas é estabelecer seu califado na área atingida. Quase todos os não-muçulmanos são cristãos e estão sendo intimidados a ir embora, fazendo com que o número de deslocados cresça ainda mais. Por enquanto, nem o governo congolês e nem a comunidade internacional tomou qualquer providência.

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...