domingo, 21 de fevereiro de 2016

ANANIAS DE DAMASCO

 O nome Ananias, ou Hananias como encontramos no Velho Testamento,significa “Jeová deu” e encontramos várias pessoas com esse nome na Bíblia. No Novo Testamento encontramos três, todos no livro de Atos, o primeiro sendo um membro da igreja de Jerusalém que caiu e expirou ao ser repreendido por Pedro por mentir à igreja, o segundo residia em Damasco, e o terceiro era o sumo sacerdote no templo de Jerusalém que perseguiu Paulo desejando a sua morte. Vamos aqui refletir um pouco sobre o segundo destes homens.

Esse Ananias só aparece duas vezes na Bíblia, nos capítulos 9 e 22 de Atos, onde é relatada a tarefa importante que lhe foi designada imediatamente após a conversão de Saulo, ou Paulo.
Ananias nos é apresentado como sendo “um certo discípulo” em Damasco. A palavra “discípulo” só é usada nos Evangelhos e no livro de Atos, sendo 28 vezes ao todo. Sempre se refere ao aluno de alguém, em contraste com o mestre ou professor. Em todos os casos entende-se que a pessoa assim denominada não só aceita a opinião do professor, mas também pratica o que ele ensina.
Nos evangelhos lemos sobre os discípulos de João Batista (Mateus 9:14; Lucas 7:18; João 3:25), como também os dos fariseus (Mateus 22:16; Marcos 2:18; Lucas 5:33 ) e os de Moisés (João 9:28).
Mas o uso mais comum dessa palavra é para designar os seguidores de Jesus:
  • No sentido mais amplo (Mateus 10:42, Lucas 6:17, João 6:66, etc.), sendo o único nome dado nos Evangelhos aos que seguiam Cristo;
  • Num sentido mais restrito foi dado especialmente aos doze apóstolos, que eram frequentemente chamados simplesmente de discípulos (Mateus 10:1, 11:1, 12:1 etc.),
  • Em Atos, após a morte e a ascensão do Senhor Jesus, os discípulos se identificam como aqueles que declaram ser Ele o Messias,ou seja, os cristãos (Atos 6:1,2,7;9:36;11:26). Mesmoos cristãos que foram batizados apenas com o batismo de João são também chamados discípulos (Atos 19:1-4).
Ananias era portanto cristão, e seria daqueles que Saulo, respirando ainda ameaças e mortes, desejava conduzir presos a Jerusalém. A qualificação “um certo” parece indicar que não era pessoa de destaque na igreja, mas Paulo fez menção honrosa a ele em seu relato da sua conversão diante do povo em Jerusalém: disse que Ananias era um “varão piedoso conforme a lei” e que tinha bom testemunho de todos os judeus que ali moravam. Isso nos assegura que, mesmo que fosse apenas “um certo discípulo”, ele evidentemente glorificava a Deus com uma vida de obediência aos Seus preceitos.
Se não fosse a parte que lhe foi dada com relação a Paulo, talvez nunca teríamos ouvido a respeito dele, pois era “apenas um discípulo”. Mas Deus conhecia tudo a respeito dele, e o escolheu para uma tarefa especial. Quantas vezes também pensamos que somos “apenas um discípulo” de pouca relevância entre os irmãos, e nos acomodamos à nossa relativa obscuridade. Mas Deus nos conhece perfeitamente, observa a nossa conduta, e somos chamados para usar os nossos dons espirituais especiais na Sua obra.
O Senhor apareceu a Ananias em visão: quando o Senhor tem algo a nos dizer pessoalmente, Ele o faz de maneira que não nos deixa em dúvidas! E a ordem que Ele deu a Ananias nessa ocasião foi, inegavelmente, surpreendente e assustadora: ele devia sair, ir até a casa de um homem chamado Judas (provavelmente uma hospedaria) e ali procurar “um homem de Tarso chamado Saulo”. O Senhor continuou, tranquilizando-o um pouco ao esclarecer que ao orar Saulo havia visto “um homem chamado Ananias entrar e impor-lhe as mãos para que recuperasse a vista”.
Que coisa extraordinária. Não sabemos se Ananias já tivera experiência anterior em operar milagres, mas o Senhor estava instruindo que ele fosse entrevistar Saulo, o notório fariseu que ferozmente perseguia os cristãos, e o curasse da cegueira. No lugar de Ananias iríamos temer que não desse certo, e as consequências poderiam ser muito sérias. Afinal, para que recuperar a vista desse malfeitor?
Por isso, Ananias respondeu que sabia o que Saulo fazia, e o poder que tinha dos principais sacerdotes para prender todos os cristãos. O Senhor então lhe assegurou que Saulo era um vaso escolhido por Ele especialmente para evangelizar os gentios, os reis e os israelitas, e que lhe mostraria quanto lhe cumpria padecer pelo Seu nome.
Ananias então não duvidou mais: fez exatamente o que o Senhor mandou. Estava disposto a ir quando e aonde o Senhor instruísse, e a confiar na fidelidade do Senhor quanto ao resultado. Em nossa vida cristã, por menos importantes que nos consideremos na obra do Senhor, devemos aprender com Ananias a cumprir com a nossa parte obedientemente, confiados na Sua fidelidade em levar a nossa tarefa a bom termo.
A obediência de Ananias nos dá plena evidência do seu amor cristão, da sua lealdade, e da sua humildade e mansidão.
O seu amor cristão se revelou na sua atitude para com Saulo. Ao entrar no aposento onde o terrível perseguidor se achava, agora cego e indefeso, Ananias poderia aproveitar primeiro para recriminá-lo e exaltar o favor não merecido que iria lhe prestar. Mas surpreendentemente, especialmente para o próprio Saulo, Ananias o chamou carinhosamente de “irmão” e ainda colocou as suas mãos sobre ele num gesto de amizade, sem sombra de ressentimento ou amargura.
A sua lealdade ao seu Senhor salta aos olhos quando disse “O Senhor Jesus... enviou-me para que tornes a ver e sejas cheio do Espírito Santo”. Assim Ananias declarou o senhorio do Senhor Jesus àquele perseguidor sanguinário.
A sua humildade e mansidão foram manifestadas também quando deu ao Senhor todo o crédito pela visita que fez a fim de que Saulo recuperasse a visão e recebesse o Espírito Santo. Não houve qualquer promoção de si próprio, nem sequer disse uma palavra para se apresentar e dizer quem ou o que era, mas contentou-se em ser um mensageiro anônimo do seu Mestre, como bom discípulo que era.
Assim era este servo fiel de Deus: preparado, disposto, fiel, amoroso, leal, e mesmo assim humilde e manso, que entrou nos anais dos Atos e voltou para a obscuridade, sem outra menção qualquer. Como o significado do seu nome, ele é quem foi “dado por Deus” para a importante missão de reconciliar e dar visão a Saulo, para que fosse batizado e fosse cheio do Espírito Santo.
Mediante a sua obediência, recebemos a bênção incalculável para a igreja de Cristo, através dos séculos, que foi o apóstolo Paulo.

Nenhum comentário: