domingo, 21 de fevereiro de 2016

MÉXICO : Católicos queimam templo evangélico em meio a visita do papa


Mais de 80% da população do México se declara católica. Mas como em toda a América Latina, os católicos mexicanos vêm perdendo fiéis nas últimas décadas em um ritmo acelerado.

A região sul do país, onde vivem as comunidades indígenas, é onde a Igreja Evangélica tem presença mais forte. O destaque fica para a região de Navenchauc, no estado de Chiapas, onde os católicos são menos de 60%. Esta semana o papa Francisco está em visita ao México e visitou o local.

Horas antes de sua chegada, uma igreja evangélica foi queimada durante a madrugada na cidade de Zinacantán. Segundo o advogado Luis Herrera, os incendiários invadiram o local, empilharam no altar o púlpito, as cortinas, algumas mesas e cerca de 200 cadeiras. Em seguida, colocaram fogo e evadiram-se.

Herrera diz que a igreja Fuente de Fe, Alabanza y Poder sofreu grande prejuízo, ficando quase toda destruído. Contudo, não teve apoio das autoridades para investigar o crime.

Ciro Diaz, pastor da congregação, disse que não conseguiu fazer uma queixa nem contratar facilmente um advogado que desejasse o caso. Mesmo assim, a igreja se diz confiante que “as investigações irão apontar os responsáveis ??e saber o motivo que causou isso”.

Existe um movimento declarado de radicais para expulsar os “não católicos” que é especialmente forte nas regiões mais afastadas.

O ocorrido em Chiapas não é o único nos últimos dias que mostra a perseguição aos evangélicos. A ONG International Christian Concern (ICC) denunciou recentemente que 10 famílias, totalizando 18 adultos e 10 crianças foram expulsas da comunidade de Tuxpan de Bolanos, no estado de Jalisco. Eles eram membros da pequena igreja evangélica da cidade e se recusaram a “negar sua fé protestante”.

Foi realizada uma assembleia na cidade onde decidiram expulsar essas famílias. Homens armados invadiram suas casas, os colocaram em uma caminhonete e abandonaram a todos nas montanhas próximas.

O presidente regional da denominação batista, Omar Rodriguez, conseguiu que a prefeitura cidade de Guadalajara, a capital do estado de Jalisco, desse abrigo paras essas famílias.

O governo federal do México tem ciência dessas situações, mas nada faz para proteger as minorias religiosas. No ano passado, o ICC denunciou o crescimento de uma “onda de perseguição” contra os evangélicos mexicanos.

No ano passado foram mais de 70 casos registrados contra as comunidades “não católicas”, cada uma envolvendo entre 20 e 100 vítimas, nos estados de Chiapas, Hidalgo, Oaxaca, Puebla e Guerrero. 

Fonte: Gospel Prime com informações de Persecution, Charisma News e Evangelical Focus

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...