sábado, 25 de outubro de 2014

Professor cristão é morto durante vigília de oração na Tanzânia

                
Professor cristão é morto durante vigília de oração na Tanzânia
Criminosos mataram um homem e feriram outro em uma reunião de oração na Igreja Assembleia de Deus em Bukoba, a noroeste da Tanzânia, durante a madrugada do dia 9 de outubro.
Dioniz Ng'wandu, de 31 anos, professor do ensino médio, estava em uma vigília de oração com o pastor local, Faustine Joseph, um homem chamado Temistores, de 25 anos, e um terceiro homem, cujo nome é desconhecido.
Depois de orar por um tempo, o pastor Faustine e outro jovem saíram enquanto Dioniz e Temistores continuaram em oração. Cerca de 30 minutos mais tarde, o pastor foi informado que homens desconhecidos mataram Dioniz com objetos pontiagudos e feriram Temistores que foi encaminhado, em estado grave, ao Hospital Regional Kagera.
Temistores contou que não se lembra de nada além de homens mascarados ordenando-lhe para não se mover. Nada na igreja foi roubado ou destruído durante o ataque. Fontes locais dizem que os criminosos tiveram acesso fácil à igreja, porque o prédio ainda está em construção e não tem janelas ou portas.
O pastor Faustine afirma que extremistas muçulmanos em Bukoba têm ameaçado os membros da igreja e juram diminuir o número de cristãos na região. Bukoba é uma cidade de maioria muçulmana; cerca de cem mil islâmicos vivem nas margens do Lago Vitória na fronteira com Kigoma, local que é considerado um centro do extremismo muçulmano.
Autoridades locais abriram uma investigação criminal. Dioniz foi sepultado em sua casa, no dia 12 de outubro. Ele deixa a esposa, Faith, e dois filhos, Michael, de 4 anos e John, de 2 anos.
Pedidos de oração
- Peça a Deus que console a família de Dioniz, para que sua esposa e filhos  experimentem a provisão de Deus em tudo.
- Clame ao Senhor que proteja os cristãos em Bukoba, para que eles permaneçam firmes em sua fé mesmo diante da perseguição. 

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...