segunda-feira, 20 de abril de 2015

Cristãos do Iêmen se unem em meio à crescente crise

17_Yemen_026000833114º país mais opressor aos cristãos, o Iêmen tem vivido dias de luto e forte insegurança. A Constituição declara que o islã é a religião oficial do Estado e a Sharia (lei islâmica) é a fonte de toda a legislação. Para os cristãos, a perseguição cotidiana ganhou agora ainda mais força por conta dos conflitos atuais
As imagens sombrias que aparecem no noticiário internacional retratando a violência recente no Iêmen são confirmadas pela situação da população local. A tensão tem se espalhado há anos, uma vez que diferentes facções promovem terror e medo.
Além disso, atualmente, o país parece ter se tornado um novo campo de batalha entre sunitas e xiitas com o Irã e a Arábia Saudita (wahhabi, um ramo do islã sunita) e seus constantes conflitos em território iemenita.

Há um número de jogadores neste campo: o ex-presidente Saleh e seus partidários, o Houthis; seguidores do atual presidente Hadi, as facções da Al-Qaeda, separatistas do sul (Al Hirak), Ansar al-Sharia e outros grupos menores. Como todos eles impactam os iemenitas e os poucos cristãos no interior do país?
Em alguns lugares, grande parte da vida diária chegou a um impasse e é um momento muito difícil para os iemenitas. Em outros lugares, a vida diária continua, mas com temores sobre o que o futuro trará. Ore para que as pessoas no Iêmen, mesmo em meio a essa incerteza, possam se aproximar de Deus por meio de visões e sonhos. Interceda pelos cristãos, para que eles tenham sabedoria para lidar com esta situação.
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoAna Luíza Vastag

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...