quarta-feira, 13 de maio de 2015

JESUS FALA QUE SOMOS deuses ?

A poucos dias ouvi uma mensagem do PASTOR MARCO FELICIANO nos Gideões  , e por não concordar com a forma que ele mostrou sobre o tema , resolvi refutar sobre o tema .




"Respondeu-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: sois deuses? Pois, se a lei chamou deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida ( e a Escritura não pode ser anulada ), àquele a quem o Pai santificou e enviou ao mundo, vós dizeis: Blasfemas, porque disse: Sou Filho de Deus?" 

Aqui o Senhor Jesus citou o Salmo 82:6 para aqueles judeus. Ele chamou isso parte da Lei. Em outras palavras, foi tirado do AT que eles reconheciam como sendo a Palavra de Deus inspirada.


O versículo completo diz assim: "Eu disse: vós sois deuses, e vós outros sois todos filhos do Altíssimo". O Salmo era dirigido aos juízes de Israel. Eles eram chamados "deuses" não por serem divinos, mas por representarem a Deus quando julgavam o povo. A palavra hebraica para "deuses" (elohim) significa literalmente "poderosos" e pode ser aplicada para personalidades importantes como os juízes. 


(Fica claro pelo restante do Salmo que eles não passavam de homens e não deidades, pois julgavam injustamente, faziam acepção de pessoas e pervertiam a justiça).

O Senhor usou este versículo dos Salmos para mostrar que Deus usava a palavra "deuses" para descrever homens aos quais foi dada a Palavra de Deus.

Em outras palavras, esses homens eram porta-vozes de Deus. Deus falava à nação de Israel através deles. Eles eram uma manifestação de Deus em seu lugar de autoridade e juízo, e eram os poderes ordenados por Deus."E a Escritura não pode ser anulada", disse o Senhor, expressando sua crença na inspiração nas escrituras do Antigo Testamento. Ele fala delas como escrituras infalíveis que devem se cumprir, e que não podem ser negadas. Na verdade, as próprias palavras das Escrituras são inspiradas, não apenas seus pensamentos ou idéias. Todo o argumento do Senhor está baseado numa única palavra, "deuses".

O argumento do Senhor vai do menor para o maior. 

Se juízes injustos eram chamados "deuses" no Antigo Testamento, quanto mais direito tinha Ele (Jesus) de dizer que era o Filho de Deus. A Palavra de Deus veio a eles; Ele era e é a Palavra de Deus. Eles eram chamados "deuses"; Ele era e é Deus. 

Jamais poderia ser dito deles que o Pai os houvesse santificado e enviado ao mundo. Eles nasceram no mundo como quaisquer outros filhos do caído Adão. Mas Jesus foi santificado (separado) pro Deus Pai desde a eternidade para ser o Salvador do mundo, e foi enviado ao mundo do céu onde sempre habitou com Seu Pai. Assim Jesus tinha todo o direito de reivindicar igualdade com Deus. Ele não estava blasfemando quando clamava ser o Filho de Deus, igual com o Pai. Os próprios judeus usavam o termo "deuses" para homens corruptos que eram meros porta-vozes ou juízes designados por Deus. Quanto mais podia Ele (Jesus) reivindicar o título, já que ele realmente era e é Deus.



Nenhum comentário: