sexta-feira, 5 de junho de 2015

ALERTA - Antissemitismo na Universidade Federal de Santa Maria (RS)

Um professor apresentou ao Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPF-RS), no último mês de maio (2105), uma denúncia de que a Universidade Federal de Santa Maria estaria contribuindo para a disseminação do antissemitismo em seu Campus.
A queixa apresentada por Luís Milman contra a Instituição de ensino cita um memorando que circulou dentro da Universidade, solicitando 'com urgência', informações sobre a quantidade de alunos e professores de nacionalidade israelense no Campus.
"Vimos solicitar a V.Sa. O envio urgente de informações sobre a presença ou perspectiva de discentes e/ou docentes israelenses nesse programa de pós-graduação, podendo ser informado por e-mail", diz o memorando.
Em um vídeo publicado no Youtube, o reitor da UFMS, Paulo Afonso Burmann confirmou a existência do memorando e declarou que a solicitação é assegurada pela Lei de Acesso à Informação (12527).
"Qualquer cidadão tem o direito de buscar informações sobre as instituições públicas. Para subsidiar a sua resposta a Universidade solicita às suas subunidades, informações para responder à demanda com base na lei de informação", disse.
Solidariedade x Discriminação
Ao confirmar a veracidade do memorando, Burmann assume também o fato de que a solicitação destas informações foi feita pelo 'Comitê Santamariense de Solidariedade ao Palestino'.
Sabendo que a solicitação de informações sobre as instituições públicas é assegurada por lei, o que se questiona neste caso é: por que este Comitê teria tanto interesse - inclusive em caráter de urgência em saber informações sobre a quantidade de judeus (ou descendentes de israelenses) no Campus - seja no corpo doscente ou discente?
Tal solicitação parece chocar-se com o discurso de 'paz e solidariedade' aparentemente adotados por grupos que querem promover o tal 'boicote a Israel', pressionando a desocupação de territórios palestinos. Ao que tudo indica, para combater 'discriminação', judeus e palestinos seriam 'contabilizados' e identificados como 'estudantes israelenses' ou 'estudantes palestinos'.

GUIA ME
Postar um comentário

Prisão do pastor Andrew Brunson pode bloquear compra de aviões americanos pela Turquia

Pastor Andrew Brunson está preso na Turquia O Senado dos Estados Unidos está considerando bloquear a compra de aviões militares pela Tur...