quarta-feira, 8 de julho de 2015

Líder do Estado Islâmico pede Bíblia à missionário: `Estou doente, deve haver algo melhor´


Líder do Estado Islâmico pede Bíblia à missionário: `Estou doente, deve haver algo melhor´
Julian, missionário que trabalha com a organização Operation Mobilisation(Operação Mobilização, em português), viveu no mundo muçulmano por muitos anos. Na última semana, em entrevista à rádio Voz dos Mártires, ele testemunhou sobre diversos casos de muçulmanos no Oriente Médio, incluindo os membros do EI, que têm se achegado a fé em Cristo.
"Deus, em sua soberania, é capaz de transformar o que é mau, e que o inimigo usa para o mal, em algo bom", disse ele.
Na internet
O missionário relatou que duas pessoas ligadas ao EI tinham ouvido falar em um evento de oração no Egito. Um desses militantes do EI teve uma visão da cruz. "Para um lutador do EI, essa não é uma boa notícia, é uma má notícia", explicou Julian.
Na internet, o militante se deparou com um site cristão e se tornou mais interessado. Ele deixou a Síria e foi para a Turquia, onde conheceu alguém que o explicou mais sobre Jesus, então ele se converteu. O então ex-jihadista compartilhou seu testemunho durante uma conferência na igreja no Líbano.
No táxi
Julian também relatou sobre um motorista de táxi cristão no Líbano, que estava levando um Sheikh saudita para o aeroporto. Durante o trajeto, o líder muçulmano pediu a ele uma Bíblia. O motorista o levou até um missionário em Beirute, que deu a ele a Bíblia e o perguntou porque havia o interesse.
O Sheikh respondeu que na Síria, tinha ensinado aos lutadores sobre a "Jihad 101, a teologia e a prática da Jihad" e disse que estava "doente por tantos assassinatos, deve haver algo melhor do que isso."
Em sonho
Ele também contou a história de uma mulher muçulmana que assistiu o vídeo de um jihadista decapitando um americano enquanto recitava o Alcorão, e ficou horrorizada. As cenas a levaram a orar a Deus questionando: "Você é este? É isso que você quer?". Naquela noite, ela sonhou com Jesus e viu que ela era uma das adoradoras. Depois disso, ela e seu marido se converteram, e agora ela trabalha junto com uma organização de missões.
"O EI está sendo usado para revelar algo do coração escuro do Islã", disse Julian. No entanto, ele enfatizou que muitos muçulmanos querem se distanciar e estão envergonhados pelas atrocidades, pois são pessoas excelentes. "Nós realmente não devemos ver os nossos vizinhos muçulmanos como terroristas, como o EI, mas como vizinhos. Não obstante, algumas dessas coisas más tem sido expostas como nunca antes."
Julian disse que essas histórias devem mover os cristãos a orar por militantes do EI, não contra eles. "Estas são pessoas que foram enganadas, eles estão perdidos. Precisamos orar para Deus trazer à tona as figuras apostólicas fora do EI."

Nenhum comentário:

Exposição que mostra pedofilia e zoofilia provoca bate boca entre deputados

Não foi só nas redes sociais que a mostra “QueerMuseu” gerou debates e bate boca. Na noite desta terça-feira (12) o assunto foi amplam...