sábado, 20 de dezembro de 2014

Bandidos assaltam igrejas em busca de dinheiro doado por fiéis em SP

Nos últimos dois meses, 15 igrejas foram assaltadas em São Paulo. Só uma igreja foi invadida quatro vezes em 20 dias.


Nos últimos dois meses, 15 igrejas foram assaltadas em São Paulo. Os bandidos procuram o dinheiro doado pelos fiéis. Quando os ladrões não acham esse dinheiro, assaltam o padre. Uma igreja foi invadida quatro vezes em 20 dias.

É um crime que preocupa as igrejas. Alguns ladrões atacam durante a madrugada, mas outros chegam na hora da missa e aproveitam a movimentação dos fiéis para agir.

Os padres começaram a divulgar imagens de suspeitos, feitas pelo circuito interno, para alertar outras igrejas sobre essa onda de assaltos.

As imagens das câmeras de segurança mostram um homem em atitude suspeita na Igreja Nossa Senhora Aparecida, na Zona Norte da cidade.
“Resolvi colocar isso nas redes sociais porque, além daqui, outras igrejas na cidade foram vítimas dele”, afirma o padre que não quis ser identificado.

O homem chegou sozinho, de metrô. Entrou na sacristia e se trancou por 20 minutos no banheiro privativo do padre. Depois andou pela igreja e pelo bazar e tentou entrar em outras áreas reservadas, até que uma funcionária percebeu que ele estava mal intencionado e pediu que se retirasse.

“Talvez por aquela ilusão de achar que a igreja tem dinheiro. Quando na verdade, a igreja vive das doações espontâneas, do dizimo dos fiéis, mas não obriga ninguém a nada”, diz o padre.

Pelo menos 15 igrejas foram assaltadas na Zona Norte, algumas mais de uma vez. A paróquia Nossa Senhora de Fátima foi invadida por bandidos quatro vezes em 20 dias, três vezes durante a madrugada e uma à noite, depois da missa.

“Ao mesmo tempo que ele disse que era um assalto, ele mostrou o revólver. Naquele dia eles queriam dízimo, dissemos que não tinha dízimo e eles levaram o dinheiro que eu tinha no bolso. E o que tinha no bolso era uns R$ 70”, conta o pároco Antônio Simões Dias.

Na madeira estão as marcas das ferramentas usadas para arrombar as portas. Em uma das vezes, os bandidos esqueceram na igreja uma alavanca e um pé de cabra. Para dificultar a ação dos marginais, as portas foram reforçadas. Na última invasão, dois adolescentes foram apreendidos. Uma terceira pessoa fugiu.

No sacrário ficam guardadas as hóstias consagradas. Procurando dinheiro, os bandidos destruíram a peça, arrombaram a porta e, claro, não encontraram nada de valor. O sacrário também já não estava mais em uso na paróquia, mas ele seria doado para uma outra igreja. Agora, não será mais.

“Quando eu chego de manhã, eu digo: meu Deus, que não tenha acontecido nada essa noite. E digo ao senhor a noite: 'Senhor, que não me aconteça nada esta noite. Guarda a tua casa'”, lamenta o pároco.

Fonte: G1 - Bom Dia Brasil

Nenhum comentário:

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...